Posts escritos por: Rafaela Rodrigues

Inspirações 25nov • 2018

Bullet Journal para leitores – um guia rápido

Das duas opções, uma: ou você sabe o que é o bullet journal e já animou ao ver o título do post, ou você não faz ideia do que é e a gente vai resolver isso agora. Mas eu sei que, se você está lendo esse post, é porque a curiosidade em saber sobre algo voltado para leitores surgiu.

Bullet Journal – às vezes, carinhosamente, chamado de BuJo – é um sistema de organização pessoal criado por um designer, Ryder Carroll. É perfeito para as pessoas que precisam de algo mais personalizado do que a agenda comum. É muito mais flexível, fácil de usar e organizar, pois você decide como vai parecer visualmente, o que você vai anotar e qual a finalidade.

Normalmente, anotam-se metas, compromissos, atividades a serem feitas, e hábitos. Mas qualquer coisa pode ser anotada, e isso é algo que eu adoro sobre o Bullet Journal! Como leitora, gosto de saber quais livros já li, porque às vezes a memória falha, ou quais livros quero ler ainda. E tem a famosa lista de desejos literários, para quando surgir uma graninha, né? Então, o Bullet Journal te dá espaço para esses e tantos outros acompanhamentos literários que agenda padronizada comprada nenhuma no mundo  te permite!  Leia mais

Resenhas 20nov • 2018

Tudo Aquilo Que Nos Separa, por Rosie Walsh

Tudo Aquilo que Nos Separa, que foi publicado recentemente pela Record, é escrito pela Rosie Walsh. O livro, que demonstra ser recheado de romance, drama e mistério, é o primeiro escrito por ela sob seu próprio nome – a autora possui outros quatro livros, publicados sob o pseudônimo de Lucy Robinson. Sendo o primeiro livro a carregar seu nome, ainda que não sendo sua estreia oficial nas prateleiras, há de se atribuir um peso e responsabilidade especial à publicação. Munida de curiosidade em saber o que seria o “tudo” a separar o casal da trama, e qual seria o mistério da vez, mergulhei de cabeça na leitura.

Antes de tudo, falemos das aparências do livro, que possui uma capa consonante com o título atribuído em português. Essa capa possui um pouco mais informação visual do que as outras versões, e o título daqui, assim como nas outras versões, sofreu alterações fortíssimas de acordo com a interpretação da história – normal. Temos Ghosted (US), The Man Who Didn’t Call (UK) e nossa versão que, segundo a autora, é sua versão de título favorita. Leia mais

Lista 07nov • 2018

5 livros para quem gostou de O Ódio Que Você Semeia

Algumas leituras nos marcam de formas que nem imaginamos ou percebemos. Escrito por Angie Thomas no ano passado, em sua estreia como autora, O Ódio Que Você Semeia é uma dessas leituras marcantes e impactantes – promovendo, inclusive representatividade e conteúdo para debate e reflexão. Para a alegria de vários leitores, o livro está sendo adaptado para o cinema e, em breve, poderemos assistir.

Ler uma história como a de Starr, protagonista do livro, é a certeza de refletir a respeito de temas como racismo, diversidade, amizade, identidade e  resistência. Sabendo que temos uma espera até outubro, quando finalmente poderemos assistir a essa história nas telonas, e que alguns livros podem servir como um maravilhoso “aquecimento”, trazendo reflexões interessantes. Com isso em mente, aqui estão algumas dicas de leitura que, eu espero, aproveitem!

Leia mais

Resenhas 01nov • 2018

Minha Versão de Você, por Christina Lauren

Minha Versão de Você, romance descrito como uma história “incrível e divertida” na contracapa, é de autoria de Christina Lauren e publicado aqui no Brasil pela Hoo Editora. É um livro de temática LGBTQ, um romance que, à primeira vista, já nos prepara para uma leitura voraz, daquelas onde não soltamos até a última página. Foi lançado em 2017 e fez aparição na famosa lista do New York Times.

Segundo a contracapa do livro, fãs de Fangirl (Rainbow Rowell) e Simon vs. A Agenda Homo Sapiens (Becky Albertalli) estão destinados a apreciar a leitura. Bem, dos dois livros mencionados, apenas li Fangirl e foi apaixonante, o que significa que comecei a leitura com expectativas altas de me apaixonar pela história – novamente – “incrível e divertida”. A capa do livro é simples, mas aquele céu estrelado e colorido tem seu charme. Para quem gosta de livros com folhas amareladas, já pode pegar esse para ler. Leia mais

Resenhas 21out • 2018

Menina Boa, Menina Má, por Ali Land

Menina Boa, Menina Má é um lançamento desse ano, escrito por Ali Lang. A publicação, que conta com uma belíssima capa, um pouco cintilante e positivamente chamativa, carrega o selo da editora Record. É um atrativo para os olhos, bem de acordo com o conteúdo interno do livro, especialmente para quem gosta de um suspense, um thriller bem dirigido. Curiosamente, o título original do livro tem algo que o aproxima mais da narração, bem direta. A tradução do mesmo parece distanciar da protagonosta, como se alguém deEfora, uma terceira pessoa, tivssse nomeado a história.

Percebi recentemente que meus últimos livros lidos são do gênero, então o clima foi facilmente montado e a leitura fluiu muito. Inclusive. Fluidez é palavra boa para o livro, uma vez que, apesar de o ritmo do texto ser bem estável e – não lento – tranquilo, a trama é carregada de tensão, altos e baixos, bem posicionados. Foi algo que realmente me agradou: o ritmo da narrativa de Ali Lang combina muito com o suspense proposto. Leia mais

Resenhas 30set • 2018

Céu Sem Estrelas, por Íris Figueiredo

O último livro lançado pela Íris Figueiredo, Céu Sem Estrelas, foi minha primeira leitura da autora. Eu a acompanho nas redes sociais há um tempo, conheço por nome e sinopse outras obras dela, mas essa publicação da Seguinte foi meu primeiro contato com a autora. E esse primeiro contato não poderia ter sido mais especial, mais forte e marcante. Tudo por conta da sensibilidade e honestidade com as quais Íris colocou nas páginas que contam a história de Cecília.

Já basta a capa ser linda demais, tanto pelas cores, quanto pela ilustração, a sinopse me chamou a atenção. E confesso que a propaganda feita por outros leitores e autores também me conquistou. Nunca mais verei um fusquinha azul com os mesmos olhos, apesar de sempre ter brincado disso, vejam bem. Essa leitura me deixou bastante sensibilizada em diversos momentos. Respirem fundo antes de mergulhar de cabeça nela. Leia mais

Lista 27set • 2018

3 motivos para você ler O Ódio Que Você Semeia

Eu poderia facilmente andar por aí com uma camiseta com os dizeres “Você precisa ler!” e com a capa do livro de Angie Thomas, O Ódio Que Você Semeia. A leitura desse livro mexe com o leitor de uma forma indescritível, causando aquele mix de emoções maravilhoso que só um livro verdadeiramente impactante consegue causar. A adaptação dele para o cinema é apenas uma prova de que a história vale sua atenção.

Se você ainda não leu a história de Starr e sua família, e se ainda está em cima do muro sobre fazer a leitura (ou ainda nem pensou nisso), vou tentar te convencer a, ao final desse post, correr para devorar as páginas incríveis desse livro. Deixa eu te ajudar a garantir a leitura da semana: Leia mais

Resenhas 20set • 2018

A Gaiola Dourada, por Vic James

Foi bater o olho em A Gaiola Dourada, da Vic James, que eu já fiquei encantada com a capa. Não sei, até agora, se foi a Galera Record acertando ao manter a capa da versão paperback do livro, ou se for um Igual – personagens do livro que possuem habilidades, poderes – exercendo efeito sobre mim. O livro é o primeiro de uma trilogia, Dons Sombrios, e foi publicado esse ano aqui no Brasil. Se distopias são do seu interesse, talvez esse lançamento te agrade.

A história é contextualizada em um Reino Unido no qual você pode esquecer a rainha da Inglaterra e príncipes, pois o poder, literalmente, se encontra nas mãos de indivíduos nascidos com habilidades – e você aí, achando que é habilidoso por saber fazer miojo sem queimar a água. Esses indivíduos habilidosos podem fazer coisas incríveis, sendo elas positivas ou não e, por conta disso, governam o país como bem querem, mas de forma organizada, com parlamento e tudo. Nessa distopia, encontramos aristocratas, elitismo, herdeiros, coisas que trazem uma proximidade com nosso mundo atual, de certa forma, e facilitam a compreensão do universo da história, uma vez que esta possui muitos elementos. Leia mais

Resenhas 12set • 2018

A Mulher Entre Nós, por Greer Hendricks e Sarah Pekkanen

Gosto bastante de thrillers, e quando a premissa de A Mulher Entre Nós me prendeu os olhos por tempo o suficiente, a vontade de ler surgiu e ficou. Na verdade, a capa já me chamou a atenção, para início de conversa. O livro, escrito por Greer Hendricks e Sarah Pekkanen, me serviu como prova de que algumas pessoas provavelmente estão destinadas à escrita conjunta. As reviravoltas bem posicionadas ao longo do livro acabam por transformar o relacionamento e as vidas de Vanessa e Emma em algo totalmente instigante.

De um lado há Vanessa, uma ex-mulher que, até determinado ponto do livro, pode ser lida como inconformada com o término e um pouco louca. Do outro, Nellie, uma doce e jovem noiva, professora de educação infantil, se preparando para as novidades da vida de casada. No centro de tudo, há Richard, mais velho, o homem perfeito, que sabe se portar em qualquer situação e por quem é impossível não se apaixonar. Ingredientes perfeitos para um enredo de tirar o ar. Leia mais

Resenhas 26ago • 2018

Meus Dias com Você, por Clare Swatman

Meus Dias com Você, livro de estreia da autora Clare Swatman é uma publicação maravilhosa da Arqueiro, e deixa eu te contar os motivos para estar dizendo isso. A sensação que tive durante toda essa leitura, que durou um dia – juro que não consegui largar desse livro até que não tivesse mais páginas para ler -, foi de estar presa ao texto, e sem nenhuma vontade de parar.

Realmente não sei muito bem o que dizer sobre essa leitura que me impactou consideravelmente e me deixou pensativa e emotiva por bastante tempo. Clare Swatman, em seu livro de estreia, acerta em cheio ao apresentar a história de Zoe e Ed. Essa história, que começa em 2013, já de uma forma triste — cenas que compõem o epílogo do livro incluem o velório de Ed, assim como a explicação de que, no dia de sua morte, eles haviam discutido por algo bobo logo antes de ele sair de casa, e como Zoe fora rude naquele momento que teria sido o último deles juntos. Leia mais

Resenhas 20ago • 2018

A Duquesa, por Danielle Steel

Meu primeiro encontro com Danielle Steel foi há alguns anos, tanto que eu nem me recordava disso quando peguei A Duquesa para leitura. Com romance de época, no entanto, eu já venho mantendo uma relação saudável e constante há um tempo, então minha empolgação foi nas alturas quando olhei a capa avermelhada e bonita do livro, ainda que comum para o gênero gênero. Eu não lembrava realmente de ter lido nada de Steel antes, então posso dizer que mergulhei no enredo de A Duquesa sem reservas, e não me arrependi disso.

Considerando a promessa da contracapa, que nos traz uma jovem rica e bem protegida, mas que fica sozinha no mundo e que precisa apelar para a sensualidade em troca de sobrevivência, visualizei logo um romance com um cavalheiro de título, um nobre, um escândalo e tudo o que podemos adicionar à mistura de um romance de época, principalmente por serem itens comuns ao gênero – e que eu adoro, diga-se de passagem. Mas fui tendo minhas suposições canceladas ao longo da trama, pois Danielle apresenta uma protagonista – Angélique – forte, inteligente, sóbria e determinada. Leia mais

Resenhas 02ago • 2018

Um Banquete para Hitler, por V. S. Alexander

Depois de bastante tempo sem fazer leituras que não fossem minimamente relacionadas ao meio acadêmico, finalmente pude retornar para um dos meus maiores amores: ler sem pressão. Eu já tinha tentado antes, mas sempre acabava me sentindo cansada, demorando bastante a ler e desanimando, por conta disso. Digo isso porque, quando a Débora me ofereceu esse livro para leitura, bateu o medo de não conseguir aproveitar tanto, de não conseguir mergulhar no livro. Ainda bem que eu tive receio à toa, pois Um Banquete para Hitler não é bem o que eu chamo de leitura decepcionante.

Um ponto que me chamou atenção no livro foi o fato de que V.S. Alexander, pseudônimo do autor, é estudante de história. Isso me deixou um pouco empolgada, pois já tive experiências legais com livros de ficção histórica escritos por pessoas da área de história. A sinopse, claro, também acrescentou curiosidade à mistura. Magda Ritter é uma garota alemã normal, até que,em 1943, uma guerra começa a despontar, bombardeios e destruição começam a se inserir na rotina da cidade e seu pai decide enviá-la para viver com seus tios, em Berchtesgaden. Leia mais

1 2 3 5
Siga o @laoliphantblogInstagram