Posts escritos por: Débora Costa

Resenhas 25jan • 2015

Um Perfeito Cavalheiro, por Julia Quinn

Um Perfeito Cavalheiro é um romance de época, escrito pela autora Julia Quinn e publicado no Brasil pela Editora Arqueiro. Terceiro volume da série Os Bridgertons, o livro irá contar a história de amor entre Sophie Beckett, filha bastarda do Conde de Penwood e o jovem Benedict Bridgerton em um enredo bem similar ao clássico Cinderela.

Sophie Beckett fora criada como pupila de seu pai, o Conde de Penwood até a chegada de sua madrasta e suas duas filhas. Após a morte de seu pai e tutor, a vida da jovem muda completamente, sendo obrigada pela madrasta a trabalhar como empregada da casa, realizando todo o serviço doméstico sem receber nenhum centavo por isso.

“As pessoas pareciam saber quem ele era. Sophie percebeu que, sempre que o homem se movia, os outros convidados abriam-lhe passagem. E quando ele mentira, com a cara mais deslavada, e a chamara para dançar, os outros haviam cedido e se afastado. Era bonito e forte e, por aquela única noite, seria dela.”

É então que o destino sorri para Sophie e ela encontra uma oportunidade para ir ao baile de máscaras organizado pela matriarca da família Bridgerton. Neste baile, Sophie conhece Benedict Bridgerton e os dois acabam se apaixonando um pelo outro à primeira vista. Mas como o destino gosta de pregar peças, o destino acaba por separar o jovem casal, permitindo que seus caminhos se cruzem novamente apenas três anos depois.

Neste terceiro volume da série, a narrativa está focada em Sophie Beckett, que para mim pode ser chamada de Cinderela do romance de época. Desde o começo do livro somos apresentados ao universo de Sophie, onde ela não tem um pai extremamente amoroso e sua vida tende a piorar cada vez mais desde a chegada sua madrasta e “meias-irmãs”. Contudo, Sophie é uma personagem forte, que busca no trabalho a sua sobrevivência e não perde as esperanças de que um dia as coisas vão melhorar.

Julia_01

E as coisas realmente melhoram quando ela conhece Benedict no baile de mascaras organizado pela família Bridgerton. Benedict, é o filho Bridgerton mais romântico ao meu ver. Diferente dos seus irmãos, ele tem um apego sentimental muito maior, tanto que ao se desencontrar de Sophie, ele não perdeu as esperanças de que um dia ele poderia encontrar sua Cinderela novamente.

O enredo deste livro não é muito diferente dos volumes anteriores, e apesar de Benedict ser meu Bridgerton favorito – oficialmente – este não é o volume da série que eu mais gostei. A autora conseguiu desenvolver bem a história durante todos os capítulos, mas como sempre deixou algumas pontas soltas em relação aos costumes da época e também em relação ao caráter dos personagens.

“Ela tinha sido quieta e reservada no começo, claramente tentando respeitar o padrão de que criados não devem ser vistos ou ouvidos. Mas Benedict não aceitara esse comportamento e passara a envolvê-la nas conversas apenas para que ela não saísse do quarto. Ou então a incitava e alfinetava para lhe provocar alguma reação, porque gostava muito mais dela cuspindo fogo do que dócil e submissa.”

Existem muitos pontos da história que entram em contradição, principalmente em relação a personagem principal. Em muitos momentos ela toma atitudes que vão contra toda a sua personalidade, e isso me deixou um pouco confusa durante a leitura. Quanto a Benedict, durante boa parte do livro ele tem o comportamento de um cavalheiro, mas em alguns pontos ele acaba pecando no seu caráter, o que me deixou muito perdida em relação ao que ele realmente pensava de toda a situação em que se envolveu ao longo enredo.

Mas calma, o livro é tão lindo quanto os outros volumes da série. Percebi, nessa terceira leitura, que a autora gosta muito de colocar conflitos aos seus personagens, onde todas as suas crenças e caráter são testados. Embora eu ache que ela ainda precise trabalhar nesse ponto, porque em alguns pontos eu sinto que ela se perde na ideia geral do livro, Um Perfeito Cavalheiro conseguiu me surpreender mais do que eu esperava de uma releitura de Cinderela.

Julia_02

Gostei muito de Sophie ser, dentre todas as personagens que conheci até agora, a mais “fraca”. Ela sofre muito durante o enredo, e mesmo nos momentos de maior dificuldade, ela não perde as forças. Gosto de como ela sempre coloca a felicidade de outras pessoas acima da própria, mesmo sabendo que aquilo irá deixá-la infeliz.

Por fim, posso dizer à vocês que Um Perfeito Cavalheiro foi o livro que fez com que eu me rendesse aos encantos da escrita de Julia Quinn. Embora não seja o meu livro favorito da série, esta foi a leitura que me fez ter uma compreensão melhor do que a autora está propondo com esta série e o porque, por mais que o livro tenha suas falhas de narrativa, é impossível de largar a leitura.

Lista 23jan • 2015

Top 5: Desejos literários de 2015

Foto_01

Olá, Oliphants. Como estão?!

Listas, eu simplesmente sou apaixonada por fazer listas. E claro, eu não poderia começar o ano sem pensar em todos os livros que eu quero colocar na minha estante este ano.

Neste Top 5, eu vou compartilhar com vocês a minha “lista do surto”, que são basicamente aqueles livros que vão me fazer ter um ataque muito vergonhoso dentro da livraria sempre que eu encontrá-los. Eu sei, um pouco exagerado, mas aposto que vocês também sentem vontade de dar pulinho quando encontrando “aquele” livro perfeito que você tem namorado nas lojas online por meses.

É quase como um garoto, só que bem mais legal. Há.

Então vamos começar?

Say What You Will, por Cammie McGovern

Foto_02

O livro foi traduzido para o Brasil como “Amy & Matthew” e já pode ser obtido na pré-venda. O enredo do livro me lembrou um pouco de Eleanor & Park da Rainbow Rowell, e por isso entrou para a lista de livros que eu quero colocar desesperadamente na minha estante. Se você quiser conhecer mais sobre o livro, confira a sinopse no Skoob.

Blue Lily, Lily Blue, por Meggie Stiefvater

Foto_03

A verdade mesmo é que eu quero toda a série de “Os Garotos Corvos” em inglês, mas como eu já tenho os dois primeiros volumes, mal posso esperar para que finalmente seja lançado Blue Lily, Lily Blue. Esse é um dos livros que eu compraria na livraria sem pensar duas vezes, ou pagaria R$80 reais de frete para chegar no dia seguinte na minha casa. Eu realmente amo essa série!

Isla and The Happily Ever After, por Stephanie Perkins

Foto_04

Eu espero pelo lançamento desse livro, mais do que eu espero as entregas da Saraiva Online. Sério! Desde que terminei Lola e o Garoto da Casa ao Lado que fico aguardando o momento em que finalmente poderei conhecer a Isla. Tudo bem, eu posso ler o epub do livro, mas eu tenho um desejo enorme de colocá-lo na estante e sabe lá quando a Novo Conceito irá lançá-lo no Brasil.

O Protetorado da Sombrinha, por Gail Carriger

Foto_05

Eu quero o box, em inglês. Os dois primeiros livros dessa série: “Alma?” e “Metamorfose?” foram lançados no Brasil pela Editora Valentina, mas depois disso eu não tive nenhum sinal do terceiro volume, e apesar de já terem confirmado que irão continuar lançando a série no Brasil, nem mesmo a autora (sim, eu falei com ela no Twitter) tem uma previsão de quando os livros serão lançados. *sofrência*

To All The Boys I’ve Loved Before, por Jenny Han

Foto_06

Eu sei, eu comprei esse livro na Saraiva. Mas em minha defesa, eu nem sei se ele vai realmente chegar. Confesso que eu não gostei nada dos últimos dois livros que eu li dessa autora, mas como esse é o primeiro livro que eu vou ler em que ela não faz parceria com nenhum outro autor, estou muito animada para a leitura. Espero mesmo que esse livro seja lançado no Brasil algum dia, tenho certeza que os leitores viciados em cartas – assim como eu – vão achar bem legal.

Bem, esses são os cinco livros que eu consigo pensar por agora. É claro, minha Lista de Surtos é muito maior que isso, então eu não recomendo ir numa livraria comigo. Sério, vão passar vergonha. Espero que tenham gostado, e não deixem de compartilhar nos comentários Qual livro você compraria sem pensar suas vezes?

Beijos!

Séries & TV 18jan • 2015

Selfie

Eliza_03

Let’s take a selfie?!

Primeira coisa que vocês precisam saber sobre esta série é que ela é estrelada pela Karen Gillan, também conhecida como a Amie Pond de Doctor Who. Então se você é leitor deste blog e um whovian, não se atreva a viver uma vida sem dar essa moralzinha para nossa Amie, e assista a série.

Mas agora vamos falar sério, porque né?!

Selfie foi criada pela escritora e produtora Emily Kapnek, exibida na rede de televisão ABC e sendo produzida em parceria com a Piece of Pie Productions e Warner Bros. Infelizmente eu tenho que começar esse post dizendo que a série foi cancelada, e só tivemos 13 episódios na primeira e única temporada, mas ainda assim, vale muito a pena assistir. E eu vou te contar o porque:

Eliza_01

A série conta a história de Eliza Dooley, uma jovem de vinte e poucos anos que é completamente viciada em redes sociais. Com muito seguidores interessados em saber sobre sua vida, Eliza acaba esquecendo de se preocupar com o que as pessoas a sua volta pensariam dela. Depois de um humilhante  fim de relacionamento, ela acaba se tornando vítima de um vídeo viral e acaba percebendo que não é porque você tem um amigo no Facebook, que você tem um amigo na vida real.

É então que ela conhece Henry Higgs, um especialista em marketing da empresa onde trabalha e vê nele uma oportunidade de mudar sua imagem perante as pessoas. Já Henry vê em Eliza uma oportunidade de testar seu potencial, e mostrar que seus conhecimentos podem mudar até mesmo uma pessoa. Conforme a convivência entre os dois se torna cada vez mais constante, uma amizade vai surgindo entre eles e quem sabe, talvez, algo além.

Eliza_02

A série foi inspirada em “My Fair Lady” ou “Minha Querida Dama”, no Brasil. Onde a personagem Eliza Doolittle, uma florista, é transformada em uma dama da alta sociedade pelo professor Henry Higgins em um curto prazo de seis meses.

É claro que a adaptação da história para Selfie trouxe muitas mudanças. Ao invés de ser uma florista, Eliza trabalhava na área comercial de uma empresa farmacêutica. Enquanto Henry, ao invés de ser professor, se tornou um profissional da área de Marketing. A grande mudança vem quando Emily Kapnek insere as redes sociais como principal foco do desenvolvimento da história, e foi isso que fez com que eu me apaixonasse por Selfie.

Eliza_04

A série faz uma constante crítica as redes sociais, mas também mostra sua influencia na vida das pessoas hoje. Desde o primeiro episódio podemos ver como as pessoas são dependente das redes sociais, no caso da Eliza, mas também podemos ver como uma pessoa pode ficar facilmente viciada no Facebook, no caso do Henry.

Também vale dizer que a série não afirma que as redes sociais são “a pior coisa que aconteceu na humanidade”, mas dá uma visão mais ampla do realmente acontece no mundo do social media. O que me fez refletir muito sobre a importância que eu dou para as interações online na minha vida hoje.

Por fim, Selfie é uma das séries mais engraçadas que eu já vi. Fiquei muito chateada ao saber que foi cancelada e que não teria mais episódios. Mas ainda assim, sempre que eu tenho tempo, eu paro para assistir todos os episódios novamente porque era uma boa série. E se você ainda não está convencido de que vale a pena, vou deixar o trailer do primeiro episódio para que vocês possam conferir.

Literaría 16jan • 2015

Decepção com a Saraiva Online

Foto_01Quem acompanha o blog há algum tempo sabe que eu não sou de fazer esse tipo de publicação, mas como eu sei que muitos de vocês sempre entram em contato para saber qual loja é melhor para realizar compras de livros online, acredito que seja mais do que necessário compartilhar o que tem acontecido comigo em relação a Saraiva Online.

Não sei se vocês perceberam mas, desde um pouco antes da Black Friday, a Saraiva Online vem recebido muitas reclamações em suas redes sociais, e grande parte delas tem sido apenas ignorada pelos administradores das redes sociais. Bom, comigo não foi muito diferente.

Em 11 de Dezembro eu realizei uma compra na Saraiva Online. Quem acompanha o La Oliphant no Facebook deve ter visto o print que publiquei do carrinho de compras, comemorando que havia acabado de adquirir quatro livros em inglês da loja, e estava muito satisfeita com o valor pago. Naquele dia eu optei por fazer o pagamento à vista no boleto bancário e assim que o pagamento foi aprovado, fui informada na nota fiscal que teria um prazo de 34 dias para a entrega dos produtos.

Foto_04

Isso não aconteceu. Acompanhei o pedido durante dias até perceber que apenas um dos livros (Attachments, por Rainbow Rowell) havia sido enviado a transportadora. Como o prazo era de 34 dias, eu comecei a ficar bastante preocupada em como a loja iria proceder para entregar os outros livros, e então eu resolvi entrar em contato.

Foto_03

Enviei mais de um e-mail para a central de atendimento, já que o chat online não estava disponível. Nunca recebi nenhuma resposta. Tentei o contato através do Twitter, mas a loja optou por me ignorar, assim como fez com outros usuários que estavam reclamando do serviço. A situação também se repetiu na página do Facebook, onde eu encontrei reclamações dos usuários por todas as publicações (como podem ver no print).

Foto_05

Percebendo que a loja não tinha nenhuma intensão de se posicionar a respeito das reclamações, tentei entrar em contato com a central de atendimento por telefone. Foi quando eu descobri que o prazo de entrega do meu livro estava agendada para 04 de Fevereiro. Quase dois meses depois da compra ter sido realizada.

Em uma conversa com o atendimento da loja no Facebook, a informação foi confirmada, mas nenhuma explicação foi dada. Eles afirmam que esta informação é exibida na minha conta do site, mas como podem ver nas imagens abaixo, em nenhum lugar é informado o prazo de entrega dos livros faltantes.

Foto_05

E agora vem a parte mais engraçada de tudo. Já saturada do descaso da loja, resolvi colocar no twitter que faria esta publicação para que os meus leitores soubessem que o La Oliphant não recomendava mais compras na Saraiva Online, e adivinhem o que aconteceu? Imediatamente o perfil da loja começou a me seguir na rede social e um contato foi feito pelo DM. O problema foi solucionado?! Não.

Foto_02

O atendimento foi tão cara de pau que, depois do numero do pedido enviado, nunca mais eu obtive resposta sobre o meu problema. Tudo o que eu queria era um esclarecimento sobre a demorada da entrega dos livros, e do porque o prazo foi aumentado para 04/02. Mas eu não obtive nenhuma resposta para as minhas perguntas, e de tudo, isso foi o que mais me deixou chateada.

Foto_06

Vejam bem, eu não estou aqui para comparar serviços, mas recentemente eu tive outro problema com a entrega de uma compra onde o produto veio com defeito, e pelo twitter mesmo fui informada de que eles me enviariam outro produto. Não demorei mais do que algumas horas para solucionar meu problema, e eu só tenho elogios para essa loja.

Entendem o que eu quero dizer?! Eu posso inumerar muitos problemas dentro da Saraiva Online, começando pela mudança do site que realmente tornou o acesso as informações muito mais difícil. Mas a minha reclamação mesmo está relacionada ao atendimento. Por mais que os preços não sejam tão bons, e o frete quase dê pra financiar uma casa, o que faz uma loja ser boa é a maneira como ela trata seu cliente, e no caso da Saraiva Online é puro descaso.

Foto_07Quando a loja entrou em contato pelo Twitter, eu realmente cogitei não fazer esta publicação. Mas assim que percebi que eles estavam apenas tentando “tapar um buraco”, segui com a minha vontade de compartilhar com vocês a minha indignação. Não estou aqui para dizer que vocês não devem comprar na loja, muito menos pra fazer uma campanha negativa contra a mesma, mas como blogueira, acredito que eu deva alertar meus leitores sobre o péssimo serviço oferecido.

Por fim, meus livros ainda não chegaram e eu queria muito ler “All the boys I loved Before” da Jenny Han. Mas agora eu tenho que esperar até fevereiro, e isso se eles não estenderem o prazo novamente.

Resenhas 14jan • 2015

Simplesmente Acontece, por Cecelia Ahern

Simplesmente Acontece é um romance, escrito pela autora Cecelia Ahern e publicado no Brasil pela Editora Novo Conceito. O livro nos convida a acompanhar a história de dois melhores amigos, Rosie e Alex, que mesmo com a constante distância entre os dois, nunca perderam o contato.

Rosie e Alex são amigos desde que se entendem por gente, e até mesmo suas famílias já estão acostumadas com a ideia de que sempre será “ALEXEROSIE” contra o mundo. Tudo começa a mudar quando, durante a adolescência, Alex acaba se mudando para os Estados Unidos por causa do emprego do seu pai. Com isso, os dois aprendem a manter a amizade através de e-mails e cartas, sempre sonhando que, quando Rosie se formasse em Hotelaria na universidade de Boston, o problema da distância estaria resolvido.

”Não temos muitas certezas na vida, mas de uma coisa tenho certeza: você tem que lidar com as consequências dos seus atos. Tem que seguir adiante, levar certas coisas até o final.”

Mas como a vida é sempre uma caixinha de surpresas, no último ano escolar, Rosie acaba engravidando e sendo obrigada a refazer todos os seus planos para lidar com a nova vida. Enquanto isso, Alex vai para a universidade para realizar seu desejo de se tornar médico. A vida acaba mantendo os dois amigos afastados, mas não impede que ambos se apaixonem um pelo outro.

Simplesmente Acontece foi o primeiro livro que li da Cecelia Ahern. Narrado em formato de cartas e e-mails, a autora nos convida a acompanhar a história de Rosie e Alex desde a infância, quando eles ainda mantinham a inocência de seus sentimentos e não tinham ideia do que estava por vir.

 

Untitled-1

Rosie é uma personagem que me encantou. Diferente do que eu esperava, ela se manteve firme diante de uma gravidez indesejada, e mesmo com as dificuldades e os momentos em que ela tinha muita vontade de desistir, a personagem continuou correndo atrás de seus sonhos e fazendo o possível para ser sempre uma boa mãe.

Enquanto isso, Alex é um protagonista que não fez com que eu me apaixonasse. Apesar de melhor amigo de Rosie e obviamente apaixonado por ela, o personagem não acrescentou muito a história, a não ser o fato de que ele era melhor amigo de Rosei e estava completamente apaixonado por ela.

“Acho que a vida gosta de fazer isso com a gente de vez em quando: te joga num penhasco em alto-mar e, quando parece que você não vai suportar, ela te traz para a terra firme de novo.”

A verdade é que para minha primeira leitura da autora, eu fiquei bastante decepcionada sobre como a história se desenvolveu. Nos primeiros capítulos do livro, eu realmente estava animada para acompanhar os personagens evoluindo ao longo da história e se apaixonando, mas conforma o enredo avançava e muita coisa que deveria acontecer simplesmente não acontecia, eu fui me desanimando.

O romance dos personagens principais é inocente e mascarado pela amizade de anos. Porém, com tantas mudanças durante os anos em que se passam a história, eu fui me desapegando da expectativa de que eles realmente chegariam a ficar juntos em algum ponto. A história não evolui muito durante os capítulos. Acompanhamos Rosie desistindo de sua carreira por conta da família, vemos Alex se tornando um médico de sucesso, mas cometendo grandes erros na sua vida amorosa, mas em nenhum momento vemos o romance, em si.

Untitled-2

Do meu ponto de vista, acho que a autora poderia ter escolhido outro tipo de narrativa para contar essa história. Uma que nos permitisse uma maior imersão em todo o drama. Eu queria muito ter conhecido um pouco mais do Greg, antes de partir da opinião de que ele não era uma boa pessoa, e o fato do livro ser todo contato através de e-mails e cartas me impediu de ter uma visão mais profunda dos personagens.

A própria Kate, filha de Rosie, que tem sua própria história contada em paralelo acaba sendo ofuscada pelo “romance” principal que não acontece até certo ponto do livro. Eu senti muita falta de muitas coisas nessa história, e mesmo que tenha conseguido finalizar a leitura, nem mesmo o final conseguiu me agradar.

Por fim, posso dizer que Cecelia Ahern tem uma escrita boa, e talvez ela seja mesmo uma das melhores autoras de romances, como já me disseram por ai. Mas vou precisar dar uma segunda chance a ela, porque Simplesmente Acontece… não aconteceu pra mim, mesmo com ótimos personagens e um enredo bem escrito.

Promoções 09jan • 2015

Promoção: Dia do Leitor

Banner Post Promoção

Para quem ainda não sabe, no dia 07 de Janeiro, nós comemorando o Dia do Leitor, uma data muito importante para aqueles que são apaixonados por uma boa aventura nos livros. Pensando em uma maneira bem legal de comemorar esse dia especial, a equipe do La Oliphant resolveu se juntar para presentear os leitores do blog, afinal, são vocês o principal motivo de continuarmos por aqui, certo?!

A promoção será realizada através do sistema Rafflecopter para melhor organização do mesmo. Cada leitor participante deverá cumprir com os itens obrigatórios para participar e, caso queira aumentar suas chances de ganhar, também poderá comprir itens extras. Mas aposto que vocês querem mesmo saber quais são os prêmios, não é?!

banner premios

a Rafflecopter giveaway

Gostaram?! Os prêmios foram escolhidos com muito carinho pela equipe do blog para vocês. Vale lembrar que o livro sorteado (FanGirl) trata-se de uma edição Hardcover (capa dura) e está em inglês, e o vale de compras será da loja Submarino. Certo?!

Agora vamos ao Regulamento:

  1. A promoção é válida de 09/01 a 31/01, tendo seu ganhador anunciado na fanpage do blog;
  2. Ao fim da promoção será sorteado apenas 01 ganhador para todos os prêmios;
  3. A promoção é válida somente para quem tem endereço de entrega no Brasil;
  4. O primeiro ganhador terá o prazo de 03 dias para responder ao e-mail que lhe será enviado. Caso não o faça, um novo ganhador será definido;
  5. Os prêmios serão enviados em um prazo de 30 dias a partir da data de resposta do e-mail enviado;
  6. O blog não se responsabiliza por extravio ou atraso na entrega dos Correios. Assim como não se responsabiliza por entrega não efetuada por motivos de endereço incorreto, fornecido pelo próprio ganhador;
Séries & TV 07jan • 2015

Outlander

Untitled-4

Aqueles que acompanham o blog nas redes sociais irão se lembrar que em meados de Agosto eu fui apresentada a série literária Outlander, da autora Diana Gabaldon e simplesmente me apaixonei pelo seu enredo e personagens. Nessa mesma época ocorreu que a Starz estava lançando os primeiros episódios da adaptação do livro para uma série de Tv, e já que Outlander virou o meu mais novo “amorzinho 10 10”, eu não poderia deixar de apresentar a série para vocês, certo?!

Untitled-1

A primeira temporada da série se inicia em 1945, quando nossa heroína, Clair Beauchamp, enfermeira na segunda guerra mundial, está a caminho de sua segunda lua de mel com o marido, Frank Randall, na Escócia. Durante sua estadia nas terras escocesas, Clair é acidentalmente transportada no tempo para o ano de 1743. Perdida nas terras escocesas e sem a menor ideia de como voltar para casa, Clair é encontrada pelo cã Mackenzie e considerada uma espiã inglesa. Chamada de Outlander, nome dado aos forasteiros, Clair acaba se envolvendo em uma rede de intrigas.

Untitled-3

Estrelado por Caitriona Balfe e Sam Heughan no papel do casal principal Clair e Jamie, a série estreou na televisão em agosto de 2014, tendo encerrado a primeira fase da temporada com 8 episódios. A segunda parte da primeira temporada, tem estreia prevista para o dia 4 de abril de 2015, fechando a primeira temporada com 16 episódios. (Via Lallybroch)

Mas o que torna a série Outlander tão boa quanto o livro?! Bom, primeiro de tudo a produção da série está fazendo um trabalho incrível para manter o roteiro o mais fiel possível ao livro. Como assisti os dois primeiros episódios da série, antes de mesmo de conhecer a escrita de Diana Gabaldon, fiquei impressionada ao conseguir identificar tantas semelhanças logo nos primeiros capítulos, o que me animou bastante para continuar a assistir a série.

Untitled-2Outro ponto muito positivo para a série é que o cast está muito empenhado em explorar todas as características de seus personagens, principalmente Caitriona Balfe, que acabou sendo a escolha perfeita para o papel de Clair. Eu realmente não consigo imaginar outra atriz que possa se encaixar tão bem nesse papel. Além disso, ainda temos Sam Heughan e seu sotaque escocês junto com seus cabelos ruivos nos mostrando todas as suas habilidades de conquistar o coração dos fãs da série.

Untitled-5

Se tudo isso ainda não te convenceu de que Outlander é a série perfeita, leve em consideração que estamos falando sobre viagem no tempo, onde uma personagem feminina, enfermeira da segunda guerra mundial, acaba indo parar no meio de uma guerra entre a Escócia e a Inglaterra. A série tem uma carga histórica muito forte, além de nos dar uma personagem, nos permitindo refletir muito sobre a evolução da sociedade desde então. E pra mim, isso é o que deixa tudo ainda mais interessante.

Abaixo eu deixo o trailer oficial da primeira temporada, que será referente ao primeiro livro da série “A Viajante do Tempo”.

E se vocês gostarem de Outlander, não deixem de vir me contar. Eu vou ter o maior prazer de conversar com vocês e criar teorias sobre os próximos episódios.

Resenhas 04jan • 2015

Bela Distração, por Jamie McGuire

Bela Distração é o primeiro livro da série Irmãos Maddox, escrita pela autora Jamie McGuire. Esta série de livros se trata de uma spin-off do livro Bela Distração, onde a autora irá contar a história dos irmãos do Travis Maddox, que todas nós amamos muito. O primeiro volume irá contar a história de Trenton Maddox e sobre como ele começou a namorar com Cami, personagem que chegamos a conhecer em Belo Desastre.

Cami Camlin é uma jovem independe que trabalha como bartender no The Red Door. Ainda cursando a faculdade, ela divide o seu tempo entre o trabalho, os estudos e o namorado TJ que nunca está presente por causa do trabalho. Sua vida começa a mudar quando ela se aproxima de Trento Maddox, um dos irmãos Maddox que todas as garotas desejam para si, mas que esconde seus próprios segredos.

“[…] No instante em que Trenton sentou na minha mesa no Red, eu achei que conseguiria lidar com qualquer coisa que ele inventasse, mas ele era como areia movediça. Quanto mais eu lutava, mais afundava.”

A amizade dos dois se desenvolve rápido, e conforme Cami começa a conhecer melhor o novo amigo, um sentimento vai se misturando a essa amizade. Com medo do seu envolvimento com Trenton e um relacionamento mal resolvido com TJ, a jovem precisa aprender a lidar com seus desejos e fazer a escolha que a fará mais feliz.

Desde que li Belo Desastre, me apaixonei pela escrita da Jamie McGuire. Diferente de muitos New Adults que já li, a autora conseguiu me passar toda a intensidade do relacionamento dos seus personagens, e me envolver no seu enredo de uma forma que eu não conseguia largar a leitura. Mas então veio Bela Distração, e as coisas simplesmente mudaram.

2

O livro é narrado do ponto de vista da Cami, uma personagem de temperamento forte que não tem nenhum medo de lutar pelos seus ideais. Do meu ponto de vista, Jamie McGuire criou uma personagem feminista, com suas próprias fraquezas e problemas, mas que tem um toque especial de alguém que é perfeita para um Maddox. E então elas nos apresenta Treton, e assim como seu irmão mais novo Travis, acompanhamos o jovem Maddox em suas tentativas desesperadas de conquistar a garota que chamava de amiga, mesmo sabendo que estava completamente apaixonado por ela.

“[…] – Eu só estava aqui pensando que agora seria uma ótima hora pra reconhecer que você é perfeita e que não seria ruim se você se apaixonasse perdidamente por mim em algum momento de um futuro breve.”

Foi quando o livro começou a me decepcionar. Apesar de personagens maravilhosos e uma escrita quase que perfeita, Jamie McGuire não conseguiu ir muito além do romance – quase proibido – entre dois amigos. Passamos boa parte do enredo acompanhando os personagens principais lutarem contra o seus sentimento, mas principalmente, acompanhamos Cami se enrolando cada vez mais em sua história com TJ – personagem que só tem sua importância revelada no final do livro.

Isso me deixou um pouco enjoada com o livro. Apesar de uma boa narrativa, chegou em um ponto que eu simplesmente não aguentava as voltas que o enredo dava. Além disso, a autora deixou Travis e Abby muito presentes em uma história onde o foco não era mais o casal de Belo Desastre. Eu queria ter tido a oportunidade de conhecer um pouco mais do Treton, saber como tinha sido a sua vida antes e depois do acidente de carro, e como ele foi se tornando a pessoa que ele era hoje.

3

Mas isso não aconteceu. De certa forma, apesar de ter encontrado todos os elementos que me fizeram amar a leitura de Belo Desastre, o primeiro volume da série dos Irmãos Maddox acabou não atingindo as minhas expectativas. Eu senti falta da conexão entre os personagens, eu queria ter visto mais de Cami e Treton do que ter acompanhado a história da Abby e do Travis acontecendo paralelo a narrativa principal. Achei que a autora podia ter explorado muito mais a personalidade do Treton.

Apesar disso, Bela Distração foi uma boa leitura. Eu consegui aproveitar o pouco que o enredo me deu, e consegui me apaixonar por Treton Maddox tanto quanto eu me apaixonei pelo Travis. Reafirmo que senti muita falta de muitas coisas na histórias, mas ainda assim é uma leitura que eu recomendaria para todo mundo que gosta de um bom New Adult.

Literaría 30dez • 2014

Os melhores livros de 2014

Com o ano chegando ao fim, não poderíamos deixar de fazer uma pequena retrospectiva dos livros que lemos, das histórias que nos encantaram e de todas as aventuras que nos levaram Hogwarts à Nárnia num piscar de olhos. A verdade é que 2014 foi um dos anos mais agitados no blog. Completamos o nosso primeiro aniversário, trocamos de layout, saímos do blogger para o wordpress e ainda ganhamos dois membros novos para a equipe.

Pensando em todas essas coisas boas que aconteceram no La Oliphant durante todo o ano de 2014, achei que seria mais interessante compartilhar com as pessoas que em ajudaram durante toda essa trajetória esse ultimo post. Por isso, convidei os colunistas do blog, Larissa e Vinicius, para fazer junto comigo uma lista dos melhores livros que lemos durante todo esse ano, e como temos gostos literários diferentes, provavelmente vocês vão achar essa lista bem interessante.

Confiram:

Débora: Mentirosos, por E. Lockhart

Imagem 1

Esta foi a leitura que mais me surpreendeu em 2014. Conheci o livro na Bienal de São Paulo, e o procurei nas livrarias na primeira oportunidade. Confesso que durante a leitura, eu achei que o livro não fosse ser aquilo que eu esperava, mas nos minutos finais ele acabou por superar todas as minhas expectativas.

Vinicius: Os Videntes, por Libba Bray

Imagem 2

Primeiro livro que eu leio da Libba Bray e já virei fã. Os Videntes combinou perfeitamente três das minhas coisas favoritas: lendas urbanas, comedias de terror e década de 1920. Libba Bray é uma escritora de mão cheia e as palavras dela me transportaram diretamente para Nova York no meio dos Loucos Anos 20.

Larissa: Entre o Agora e o Sempre, por J. A. Redmerski

Imagem 3

Fiquei muito na duvida sobre qual livro colocaria em primeiro, mas o primeiro livro desta saga foi o primeiro New Adult que eu li e me envolvi muito com a história no primeiro livro, gostei muito da continuação tambem, não esperava menos, vale a pena ler.

Débora: Outlander, por Dianna Gabaldon

Imagem 7

Esse livro me deu todos os elementos que me fazem gostar de uma história. Além da narrativa incrível e personagens marcantes, Outlander me deu uma personagem feminina marcante e um enredo sobre viagem no tempo que é impossível resistir. Foi, definitivamente, o melhor livro que li este ano.

Vinicius: A Menina Mais Fria de ColdTown, por Holly Black

Imagem 4

No wishlist do Da Estante Pra Tela deu pra ver o quanto eu adorei esse livro. É muito refrescante ver vampiros sendo retratados como monstros sanguinários outra vez, depois de alguns anos de vampiros românticos e sentimentais. Holly Black é outra autora que eu ainda não conhecia, mas que com certeza chamou minha atenção.

Larissa: Fangirl, por Rainbow Rowell

Imagem 5

Amei muito este livro, por isto fiquei na duvida, é um livro que te prende, demora um tempo quando percebe que acabou. Quando li a ultima pagina, meio que fiquei fechando e abrindo, verificando se não tinha pagina grudada, esperando que magicamente aparecesse mais paginas. Livro perfeito.

Débora: Eleanor & Park, por Rainbow Rowell

Imagem 8

Esse é um dos livros mais fofos que eu tenho na minha estante. Eu sou apaixonada na maneira como a Rainbow escolheu abordar a inocência dos personagens, e inserir o romance ao longo de todas as descobertas e sentimentos. É um livro emocionante, simples e uma das leituras mais lindas que eu tive este ano.

Vinicius: Amaldiçoado, por Joe Hill

Imagem 9

Outro livro que foi falado no Da Estante Pra Tela, Amaldiçoado foi, sem dúvida, o meu livro favorito desse ano. Joe Hill é simplesmente incrível (filho de peixe…). Eu não consegui largar esse livro e do começo ao fim, a historia nunca se tornou chata. Tem um conceito original, personagens interessantes e é muito bem escrito. O que mais eu poderia querer, alem de uma adaptação melhor?

Larissa: A Escolha, por Kiera Cass

Imagem 6

Enrolei muito para ler, ainda mais porque achava que era o ultimo da serie, não queria desapegar do Maxon, foi meio que um cliche, mas se acontecesse alguma coisa diferente do que estava esperando, muitas pessoas iriam surtar (não sei, vai que a Kiera, resolvia nos fazer acreditar em uma coisa e no final, acontece tudo diferente? Quem leu o livro vai entender o que estou falando).

Esses foram os favoritos de 2014 da equipe do La Oliphant. E agora nós queremos saber: Quais livros vocês gostaram de ler este ano, e porque?! Não deixem de contar pra gente nos comentários, okay?!

Vejo vocês no ano que vem!

Resenhas 26dez • 2014

Ligeiramente Casados, por Mary Balogh

Ligeiramente Casados é um romance de época, escrito pela autora Mary Balogh e publicado no Brasil pela Editora Arqueiro. Primeiro volume da série Os Bedwyns, o livro contará a história de Aindan Bedwyn, honrado Coronel de guerra, que diante da morte de seu capitão promete levar a notícia de sua morte a sua irmã e a proteger custe o que custar.

Quando Aidan chega a Solar Ringwood encontra uma propriedade próspera, e ao conhecer Eve, acaba se deparando com uma mulher independente, apegada aos seus próprios ideais e com nenhum intenção de contrair matrimonio. Ao descobrir que a jovem está preste a perder suas terras, a única solução que cabe a Aidan é propor casamento a Eve, e assim garantir que Solar Ringwood continue sendo dela.

Imagem 1O plano era que Aidan e Eve vivessem separados após o casamento. Ela voltaria para suas terras e viveria sua vida como sempre viveu, e ele seguiria com sua carreira militar bem longe dali. Nenhum dos dois seria obrigado a viver em um casamento por conveniência, até que o Duque de Bewcastle, irmão mais velho do Coronel, e líder da família Bedwyn descobre sobre a união e exige que a esposa de Aidan seja devidamente apresentada à rainha.

A convivência que se limitaria a alguns dias acabou se tornando algumas semanas, e conforme o casal passava mais tempo juntos, e seus segredos iam sendo revelados, um sentimento começava a nascer entre os dois e talvez o casamento não fosse apenas por conveniência.

“- (…) Será em tudo um casamento de conveniência. Parece-me que não deseja de todo casar. Já não é nova, e caso o tivesse pretendido, teria sem dúvida tido muitas oportunidades para atrair as afeições de um homem da sua eleição. Como é obvio, não o fez. Eu também não pretendo casar. Tenho uma extensa carreira na cavalaria. Não é uma vida que se adeque ao casamento e à família. Logo, nenhum de nós será grandemente prejudicado se casarmos um com o outro. Eu regressarei ao meu regimento após gozar o resto da minha licença em Lindsay Hall. Miss Morris permanecerá em Ringwood. Nem precisaremos de nos tornar a ver depois de eu trazer de volta a casa dentro de três dias.”

Minha primeira impressão sobre esse livro foi: Não é Julia Quinn. E realmente não é, mas não significa nem um pouco que o livro não seja bom. A narrativa é feita em terceira pessoa, nos permitindo conhecer um pouco mais dos personagens principais e das pessoas os cercam. A autora busca explorar muito as características dos personagens principais, deixando bem claro a determinação de Eve e a dificuldade de Aidan em lidar com a, então, esposa.

Os personagens não são ruins. Gosto de como Eve busca ser independente durante toda a narrativa, mesmo quando as regras da sociedade em que está se inserindo são impostas à ela. Por outro lado, Aidan se mostra um cavalheiro mais compreensivo do que eu esperava, e suas tentativas de se manter longe de Eve durante todo o tempo que são obrigados a passar juntos são falhos. Eu realmente consegui me conectar com a história e os seus personagens, e gostei bastante do universo que a autora propôs, mas ainda assim há algumas falhas.

Imagem 2Durante toda a narrativa a Mary Balogh tentou me convencer de que os personagens principais estavam apaixonados um pelo outro, mas isso não aconteceu. Por mais que eu compreendesse a maneira como o romance estava se desenvolvendo, as cenas e os diálogos acabavam tornando todo o romantismo em algo extremamente forçado, o que não me agradou nem um pouco quando passei da metade do livro.

Por mais que os personagens estivessem envolvidos em vários pequenos dramas, nenhuma das cenas conseguia me dizer que eles estavam se apaixonando um pelo outro, mesmo que a narrativa deixasse isso bem claro. Houve muitas cenas em que eu me questionei o “porque” da autora colocar daquela forma, e a única resposta que eu consegui foi: “É porque é isso que se espera”.

“(…) – Mas isso existe mesmo, Aidan? O felizes para sempre, quero dizer?
– Não – retrucou ele, o sorriso agora terno. – Existe algo infinitamente melhor do que felizes para sempre. Há a felicidade. Que é algo vivo, dinâmico, Eve, e tem que ser cuidada a cada momento pelo resto de nossas vidas. É umas perspectiva muito mais empolgante do que a ideia tola e estática de um felizes para sempre. Não concorda?”

O clichê do livro é extremamente explícito, e isso me incomodou bastante durante a leitura. Ainda assim, mesmo com esses pequenos erros na escolha do como as coisas aconteceriam nesse primeiro volume, assim como os Bridgertons de Julia Quinn, os Bedwyns de Mary Balogh me conquistaram desde sua primeira aparição. Trata-se de uma família completamente diferente, um pouco mais rígida e fechada em relação as suas questões, o que deixa todo o contexto ainda mais apaixonante.

Por fim, não posso dizer para vocês que Ligeiramente Casados não é um bom livro. Mesmo com os incômodos na narrativa, o livro conseguiu me prender até a ultima página e eu realmente gostei de estar no universo criado por Mary Balogh. É um livro que não se pode criar muita expectativa, porque você não vai encontrar um romance arrebatador, mas se estiver procurando um livro para te distrair num domingo chuvoso, esse é certamente a escolha certa!

Gostou da resenha? Confira também a resenha do segundo livro da série, Ligeiramente Maliciosos.

Promoções 20dez • 2014

Promoção: Sorteio de Natal e Ano Novo Literário

Olá amados leitores, como vão?

Como estamos em clima de Natal e Ano novo, o blog La Oliphant juntou-se com mais 88 blogs/autores para uma enorme festa \o/
Que tal iniciar seu 2015 com estante cheia?  São mais de 80 livros e muitos mimos.
 Venham participar!
***
Regras obrigatórias:
– Residir ou ter endereço de entrega em território nacional.
– Preencher o formulário.

– Cumprir as regras obrigatórias que são curtir as páginas.

– Informar um e-mail válido.
– Do kit um ao quatro terá um ganhador.
-No kit nacional que terá dois ganhadores, o primeiro escolhe 16 livros e o segundo fica com o restante. 
-O livro O bisturi de ouro é garantido um para cada dos ganhadores kit nacional.

      O RESTANTE SÃO CHANCES EXTRAS PARA AUMENTAR SUA CHANCE DE GANHAR!
   O ÚLTIMO KIT CONTÉM 31 LIVROS NACIONAIS + MIMOS PARA DOIS GANHADORES.
a Rafflecopter giveaway

 

 

a Rafflecopter giveaway

 

 

 

 

a Rafflecopter giveaway

 

 

 

 

a Rafflecopter giveaway

 

(Clique na imagem para ver melhor)

 

 

 

a Rafflecopter giveaway

 

 

OBSERVAÇÕES:

 

– Enviaremos um e-mail para os vencedores e eles terão até 48 horas para responder com os dados, caso contrário, faremos um novo sorteio.

 

 

– Não nos responsabilizamos por extravios dos correios ou endereço incompleto/errado. Caso o livro volte, o reenvio é por conta do vencedores.

 

 

– Temos até 45 dias para enviar os livros. Sendo que cada blog irá enviar o seu respectivo livro e por isso chegarão separadamente

 

 

– Sorteio válido até 02/02/2015 e o resultado sairá nessa mesma postagem em até 15 dias após o encerramento.

 

-Qualquer dúvida entre em contato.

 

 

BOA SORTE!

Cinema 19dez • 2014

In Your Eyes

In Your Eyes é um romance dirigido por Brin Hill e ainda sem previsão de lançamento no Brasil. O filme irá narrar a história de Rebecca e Dylan, duas pessoas com vidas completamente diferentes que se veêm presas uma a outra através de uma ligação metafísica.

Rebecca (Zoe Kazan) é extremamente introvertida. Esposa de um médico famoso na área em que atua, ela vivie uma vida pacata em uma cidadezinha no interior no Estados Unidos. Dylan (Michael Stahl-David) é um ex presidiário que está buscando recomeçar sua vida no novo México trabalhando como mecânico. Ambos os personagens não tem nada de comum, exceto pelo fato de que um consegue ver e ouvir através dos olhos do outro.

Logo no começo do filme é revelado que essa ligação está presente na vida dos dois personagens desde a infância, e que isso vem afetando ambos desde então. Enquanto Rebecca achava que os primeiros dias na cadeia de Dylan eram apenas pesadelos, ele conseguia sentir sua tristeza na época em que ela perdeu sua mãe.

Tudo começa quando os dois finalmente conseguem “ativar” essa ligação, e através dos olhos um do outro, conseguem ver e ouvir o que esta acontecendo. É a partir daí que uma amizade surge entre os dois, mas até mesmo uma ligação como esta pode trazer consequências que nenhum dos dois imaginou ser possível.

Quem acompanha o blog há muito tempo deve saber que Zoe Kazan se tornou uma das minhas atrizes favoritas desde que interpretou Ruby Sparks. Depois disso, nenhum dos filmes em que a autora atuou me decepcionou e eu posso dizer o mesmo de In Your Eyes.

O roteiro é simplesmente incrível. Desde o começo do filme você consegue perceber e se envolver nas peculiaridades dos personagens principais, e conforme a amizade entre os dois vai se desenvolvendo, não há como não torcer para que o momento em que eles vão se encontrar pessoalmente chegue logo. Todos os pontos trabalhados no roteiro são completos, desde os problemas particulares de cada personagem aos problemas gerais da realidade em que cada um vive.

A personagem de Zoe Kazan é simplesmente sensacional. Em vários momentos do filme eu consegui sentir seus conflitos internos e toda a sua dificuldade em tentar lidar com o marido controlador e a sua vontade de simplesmente se libertar da vida que leva. Dylan também é um personagem que não deixa a desejar em nenhum momento. Michael Stahl-David simplesmente me surpreendeu com a qualidade da sua atuação, e a maneira como ele conseguiu amadurecer o seu personagem durante o decorrer do enredo.

O grande “que” do filme é como o amor entre os personagens principais surge através da ligação que eles compartilham. Diferente dos casais comuns, eles compartilham entre si os seus medos, seus desejos e também os seus defeitos. Por estarem tão intimamente ligados um ao outro, a relação dos dois não tem espaço para mentiras, o que deixa todo o enredo ainda mais interessante.

A trilha sonora é outro ponto do filme que me agradou muito. Ao invés de musicas conhecidas, eles optaram por um estilo mais “folk music” que combinou perfeitamente com ambos os personagens. É perfeito para quem gosta de bandas tipo The Lumineers e afins.

In Your Eyes foi um filme que me encantou sem que eu esperasse por isso. Por ter um enredo complexo e uma temática diferente, eu não esperava encontrar algo tão elaborado e simplesmente perfeito. É um filme que te faz pensar muito sobre como você se sente consigo mesmo, além de te fazer observar as pessoas a sua volta de uma maneira diferente. Com certeza entrou para a minha lista de filmes favoritos de 2014.

Para quem quiser conferir mais sobre o filme, deixo abaixo o trailer:

1 42 43 44 45 46 49
Siga o @laoliphantblogInstagram