Posts escritos por: Beatriz Kollenz

Resenhas 26jul • 2018

Muito além do inverno, por Isabel Allende

Muito Além do Inverno é o romance mais recente de Isabel Allende e foi publicado no Brasil em 2017 pela editora Bertrand. A história se passa no Brooklyn e conta as aventuras de um casal para se livrar do cadáver de Kathryn Brown.

Lucía é uma imigrante chilena e professora convidada na Universidade de Nova York, Richard é um americano e chefe de Lucía na mesma universidade. Lucía e Richard vivem fugindo do fato de se sentirem atraídos, mas por conta do passado, e do fato de passarem dos 60 anos, resolvem evitar o envolvimento. Lucía sofreu muito com a ditadura do Chile e enfrentou mais separações do que almejava na vida. Richard é viúvo de uma brasileira e, depois da triste morte da esposa e filhos, resolve se fechar em uma espécie de penitência.

Tudo continuaria da mesma forma se não fosse por um estranho episódio: Richard bate no carro de uma jovem durante a maior nevasca dos últimos anos, ela foge sem nem ao menos desejar um reparo e Richard consegue, com muito custo, lhe entregar o cartão. No meio da noite Evelyn bate na porta de Richard desesperada por ajuda. Ela na verdade é uma imigrante ilegal, pegou escondido o carro do patrão para comprar fraldas e acabou descobrindo o cadáver no porta-malas. Evelyn está aflita, tudo leva ela a crer que vai parar na prisão, Lucía se compadece da menina e convence o professor mal humorado a ajudar na missão de se livrar do corpo. Leia mais

Resenhas 27jun • 2018

A Casa dos Espíritos, por Isabel Allende

Antes de começar a resenha queria declarar que talvez esta seja a melhor leitura do segundo semestre de 2018, mesmo que ele tenha acabado de começar. A Casa dos Espíritos é o primeiro romance de Isabel Allende e já teve mais de 40 edições só no Brasil. Recentemente suas obras estão sendo relançadas com um novo projeto gráfico digno de nota. Eu sempre tive vontade de ler este romance, contudo, escutei ao longo dos anos várias resenhas que apontavam para a proximidade da obra com Cem Anos de Solidão, o romance mais importante Gabriel Garcia Marquez e um dos meus livros favoritos.

Acabei com medo do que encontraria e posterguei a leitura por mais tempo do que deveria. Acho que esse foi o meu maior erro. A Casa dos Espíritos é um romance magnífico, a semelhança com Cem Anos de Solidão talvez esteja no fato de ambos os livros, mesmo centrados em uma pequena família, refletirem a história da América latina.O romance é narrado por Esteban Trueba e sua neta Alba. O fato de ambos alternarem a narrativa mostra o quanto um ponto de vista é crucial em uma obra. Se no início senti pena de Esteban, descobri ao longo das páginas o retrato fiel do conhecido burguês mau caráter. Leia mais

Resenhas 14jun • 2018

A Tenda Vermelha, por Anita Diamant

A Tenda Vermelha é um romance escrito por Anita Diamant e lançado pela editora Verus em 2018. A história é uma versão feminina da vida de Dinah, filha de Jacó, por conta deste recorte há uma grande distinção entre o que ocorre no livro e o que é narrado na Bíblia.

O romance se inicia com Dinah nos contando como sua mãe conheceu Jacó. Após fugir de seu irmão Esaú, Jacó parte para as terras de Labão onde primeiramente conhece Raquel. Depois de algum tempo trabalhando nas terras de Labão ele se casa com Lia, a mãe de Dinah, e com Raquel, e leva como parte do dote as outras duas irmãs, Zilpah e Bilah. Jacó tem com Lia oito filhos, sendo Dinah a última a nascer e a única filha que Jacó viria a ter.

A descendência de Dinah é famosa, seu pai é o último patriarca do povo judeu, seu irmão José é conhecido por ser vendido aos egípcios pelos irmãos, José, pai de Jesus, descende da família de Judá, contudo não existem muitas citações sobre Dinah e suas mães na Bíblia. Talvez a mais famosa delas seja Raquel, ela é inclusive uma das fontes de inspiração para Margaret Atwood em O Conto da Aia. Raquel não consegue ter filhos, então oferece Bilah a Jacó buscando tê-los por meio dela. O esquecimento feminino é uma das temáticas do livro, mas o grande foco é a tenda vermelha. Leia mais

Resenhas 06jun • 2018

Tash e Tolstói, por Kathryn Ormsbee

Tash e Tolstói é um romance YA publicado pela editora Seguinte em 2017. Escrito pela escritora Kathryn Ormsbee, o livro fala sobre crescer, se aceitar e enfrentar as dificuldades da vida.

Tash é uma adolescente apaixonada por Tolstói. Entre beber chá e publicar um vlog sobre adaptações literárias, ela arruma tempo para filmar uma websérie chamada Famílias Infelizes, adaptação do clássico Anna Karienina. Tash conta com a ajuda de sua melhor amiga Jack, ambas dirigem e roteirizam os episódios, no tempo livre jogam videogame e comem besteira junto de Paul. A amizade dos três é inabalável, ou quase, a personalidade de Tash não é das melhores e Jack não economiza palavras na hora de dizer o que pensa. A equipe de Famílias Infelizes também não ajuda muito, George é um ególatra, Tony é um ex-namorado inconveniente, Jay, Serena e Eva sempre têm alguma coisa para reclamar. Leia mais

Resenhas 29abr • 2018

10:04, por Ben Lerner

10:04 é um romance metalinguístico escrito por Bem Lerner e publicado em 2018 pela editora Rocco. Nessa metaficção personagem e autor se confundem, entre toda a sinfonia da vida. Vemos o nascer da escrita e como ela reflete o mundo aos olhos de um escritor.

O romance é narrado em primeira pessoa por um escritor que recebe um adiantamento para transformar um conto publicado na New Yorker em livro, ao mesmo tempo ele descobre ter uma dilatação na aorta, assintomática e possivelmente fatal, ou não, resta apenas manter um monitoramento e aguardar uma cirurgia. Infelizmente a vida não para nunca, mesmo que você enfrente momentos difíceis, mesmo que você descubra que se fizer algum esforço a sua aorta pode romper.

A melhor amiga do narrador resolve pedir que ele seja o pai de seu filho por inseminação artificial, a garota com quem ele sai parece pronta para abandona-lo a qualquer momento, um amigo escritor sofre um acidente, um furacão pode atingir Nova York, é melhor uma cirurgia no siso com anestesia local ou total?! O mundo está a sua espera do lado de fora e você tem que agir, escolher, rápido, o tempo todo. Leia mais

Resenhas 05abr • 2018

Bolerus, por Vanderley Sampaio

Boleros são canções, Bolerus é um besouro. É com essa ideia em mente que Vanderley Sampaio inicia seu livro de poesias, Bolerus. Como dito antes, Bolerus é um inseto, um animal frenético e barulhento, que voa pelos ares sempre inquieto. O livro de Vanderley tem muito da alma do besouro, seja nos poemas, na diagramação ou na maneira de compor os versos.

O livro é lançado pela editora Scortecci e muitos dos poemas presentes no livro foram publicados em jornais, sites e redes sociais, em destaque para o blog Absurtos. Vanderley é natural Garça, interior de São Paulo, e começou a escrever poesia ainda na adolescência. Depois das indas e vindas da vida, Bolerus nasceu. Leia mais

Resenhas 18mar • 2018

O Maravilhoso Bistrô Francês, por Nina George

O Maravilhoso Bistrô Francês é um livro escrito pela alemã Nina George e publicado pela editora Record em 2017. O romance se passa na Bretanha, uma região administrativa no oeste da França que guarda um folclore e uma cultura vastas. Nina George divide seu tempo entre Berlin e a Bretanha, é visível ao longo do livro o amor que ela nutre pela região. Nina faz questão de falar sobre as lendas, a língua e as tradições que foram reprimidas por tanto tempo pelos franceses, eles fizeram questão de apagar os vestígios do povo bretão. Foi só recentemente que os jovens começaram a tomar para si a obrigação de manter a língua e a história de seu povo vivas.

A história é narrada por Marianne, uma senhora alemã que vive um casamento triste. Seu marido é extremamente abusivo e, para fazê-lo feliz, Marianne reprime seus sonhos e desejos. Lothar pouco se importa com a esposa. Depois de enfrentar traições e restrições ao longo de uma vida, ela resolve morrer. Marianne tenta o suicídio em uma viagem a Paris, a tentativa frustrada a leva a uma viagem incrível, onde ela descobre mais sobre si mesma e sobre a magnitude da vida. É em um hospital que ela encontra um azulejo pintado com a paisagem de Kerdruc, um pequeno porto escondido nos confins da Bretanha. Movida pelo sonho de ver o mar e mais uma vez tentar por fim a sua vida, Marianne parte em direção ao litoral sem nada além de suas roupas do corpo. Leia mais

Resenhas 20fev • 2018

O Clube dos Jardineiros de Fumaça, por Carol Bensimon

Lançamento da Companhia das letras em 2017, O Clube dos Jardineiros de Fumaça foi um livro escrito pela brasileira Carol Bensimon, o romance se passa o Triangulo da Esmeralda, região da Califórnia que concentra a maior produção de maconha dos Estados Unidos.

Carol busca remontar toda a história da maconha nos Estados Unidos através dos olhos de vários personagens, entre eles o brasileiro Arthur e alguns americanos como Tamara, Sylvia, Noah e Dusk. Arthur é um professor de história da cidade de Porto Alegre que resolve cultivar a maconha para ajudar a mãe que sofre com um câncer no útero, tudo vai mais ou menos bem até ele ser denunciado, perder seu emprego e resolver se aventurar nos Estados Unidos, no condado de Mendocino, para aprender e cultivar a cannabis. Tamara é uma mulher de quarenta anos que precisa lidar com uma separação recente, a descoberta tardia de um pai e a brusca mudança de vida, resultado de uma tentativa de entender melhor quem ela é e superar seu passado.

Sylvia é uma mulher aposentada que sofre com a solidão e os arrependimentos de toda uma vida, vítima de violência doméstica desde a infância, Sylvia descobre no uso da maconha um escape. Noah é um cultivador de maconha que leva a vida da maneira mais tranquila que pode, vive em uma van velha, anda de patins e tenta viver afastado dos padrões da sociedade, digno da contracultura. Já Dusk é um hippie que vê o legado de sua geração ser deturpado pelos que vieram depois, enquanto tenta lidar com as mudanças da sociedade, ele relembra seus tempos áureos e o início do que viria ser a maior região de produção da maconha nos EUA. Leia mais

Resenhas 27jan • 2018

O Clube de Escrita de Jane Austen, por Rebecca Smith

O Clube de Escrita de Jane Austen é um livro escrito por Rebecca Smith e lançado em 2017 pela editora Bertrand. Mais do que um livro sobre a arte de escrever, é também uma incursão na obra de Jane Austen. Todo seu conteúdo é baseado em cartas, anotações e livros da autora mais aclamada da língua inglesa. Jane Austen viveu e escreveu seus romances no século XIX, a qualidade deles é tanta que permanecem atuais até hoje.

Rebecca Smith é sobrinha neta de quinto grau de Jane Austen, o que não é grande coisa se for levar em conta que a autora teve 33 sobrinhos ao todo, toda essa gente gerou milhares de descendentes de Austen pelo Reino Unido, mas Rebecca seguiu um caminho diferente. Graduada em Southampton e ainda residente da cidade, Rebecca cresceu rodeada de fotografias dos antepassados e pela mesma paisagem que sua tia-avó apreciou durante vários anos. Nos anos de 2009 a 2010 ela foi residente na Casa Museu de Jane Austen, lá ela trabalhou com afinco relendo as obras da autora, suas correspondências e trabalhando com voluntários e visitantes. Enquanto promovia oficinas de literatura, ela escrevia seu quinto livro. Toda essa aura inspirou a escritora a reunir muito do que aprendeu ao estudar a obra de Jane Austen em um livro regado de amor.

O Clube funciona como uma espécie de guia, Rebecca junta trechos de algumas cartas que Jane trocava com aspirantes a escritor, é inspirador ver o quanto a autora era solicita em ajudar os jovens. A maioria deles era composta por sobrinhos e parentes. Claro que Jane Austen não só elogiava. Diversas vezes a autora foi bem crua em dizer o que estava errado e o que era necessário cortar. Infelizmente, muitos dos livros citados nas cartas nunca saíram do seio familiar, mas pelos comentários das irmãs Austen pareciam ser bons livros.

Leia mais

Resenhas 08jan • 2018

Vulgo Grace, por Margareth Atwood

Relançado em 2017 com um novo projeto gráfico, Vulgo Grace é um romance histórico escrito com maestria por Margaret Atwood. A escritora, conhecida principalmente pelo Conto da Aia, ganhou o mundo em 2017, não era de se esperar menos. Nascida no Canadá e vencedora de diversos prêmios, Margaret Atwood chegou a inclusive entrar na lista dos possíveis ganhadores do Nobel de Literatura do ano passado.

“Na palma da minha mão há uma desgraça. Devo ter nascido com ela. Carrego-a comigo onde quer que eu vá. Quando ele me tocou, a má sorte transferiu-se para ele.”

Vulgo Grace é baseado na história real de Grace Marks, uma empregada acusada de assassinato no século XIX. Toda a história envolta da morte de Thomas Kinnear e de Nancy Montgomery é obscura. Os motivos que levaram Grace a participar do assassinato, ao lado do outro empregado, James McDermott, nunca ficaram claros. Existiam especulações maliciosas, criadas por jornais sensacionalistas e fomentadas pelos depoimentos contraditórios que ela deu. No final, James foi condenado à forca e Grace a prisão perpétua.

Grace era uma jovem de 16 anos quando foi colocada atrás das grades. Imigrante Irlandesa, o fato de ser protestante foi uma das coisas que a salvou da forca. Ser jovem e bela também contribuiu. A sociedade extremamente patriarcal via como uma obrigação a proteção das mulheres, a igreja dizia que todas elas eram puras por natureza, o fato de uma mulher participar de um assassinato era um escândalo. Grace teve sorte e um bom advogado. Apelando para a inocência, loucura e o que mais pudesse, ele conseguiu livrar Grace da pena capital. Apesar de escapar da forca, ela passou grande parte da vida atrás das grades. Infelizmente, Grace não pode ser deixada em paz.

Leia mais

Resenhas 05jan • 2018

Não me abandone jamais, por Kazuo Ishiguro

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que o Kazuo Ishiguro é um dos meus autores favoritos. Não Me Abandone Jamais foi o primeiro livro do autor com o qual tive contato. Tudo começou no Tumblr anos atrás, me deparei com uma citação linda e passei a procurar por todos os lados o nome do livro e do autor ao qual pertencia. Depois de umas buscas no Google, descobri que o livro de onde a citação vinha era Never Let Me Go de autoria de um japonês. Naquela época, o livro era difícil de encontrar.

Não achei em nenhuma livraria virtual, sem muitas esperanças fui à livraria da cidade e para minha surpresa eles tinham perdido por lá Não Me Abandone Jamais. Comprei o livro e comecei a ler na hora. Em poucas páginas tive certeza que o Kazuo era um escritor único. Nascido no Japão em 1954, ele se mudou para a Inglaterra aos cinco anos. Escreveu diversos livros, teve obras adaptadas para o cinema e em 2017 foi o ganhador do Nobel de literatura. Aqui em casa, foi uma comemoração imensa. Leia mais

Resenhas 23dez • 2017

Ninguém Nasce Herói, por Eric Novello

Assim que soube do lançamento de Ninguém Nasce Herói eu fiquei com muita vontade de ler o livro. Já escutava muitos elogios ao Eric Novello e, se tratando de uma distopia brasileira, não pude deixar a oportunidade passar. Lançado pela Seguinte em 2017, o livro conta a história de Chuvisco e seus amigos em um Brasil fundamentalista religioso. Os jovens já não podem viver a liberdade que antes usufruíram, as minorias são perseguidas e mortas a esmo, um mundo tão surreal acaba parecendo bem próximo, plausível, nas mãos do autor. Resta a nós leitores apenas o medo.

Qualquer um que acompanha as notícias pode perceber o extremismo tomando forças no mundo inteiro. Eric aproveita da inspiração dos protestos de 2013 e da situação política atual para criar um futuro distópico incrivelmente realista. O governo é controlado pelo Escolhido e apoiado por um congresso extremamente conservador. Nas ruas existem os Guardas Brancos, grupos paramilitares formados por cidadãos de bem que lutam contra o que é “errado” aos seus olhos.  Além disso, ainda temos mais duas forças: A Força Tática dos Gladiadores, tropa do governo e a Santa Muerte, grupo de resistência que luta pela volta da democracia.

Chuvisco e seus amigos distribuem livros banidos como protesto e tentam viver a vida como podem. Apesar de o racismo e a homofobia serem aceitos publicamente, o grupo tenta se manter unido e protegido das ameaças que parecem vir de todos os lados. Temos gays, negros, lésbicas, bissexuais, pessoas de todas as crenças, corpos e formas unidas por um mundo mais justo e livre. Todo o amor e união que aflora desses jovens é inspirador, principalmente em um cenário tão negativo.

Leia mais

1 2 3
Siga o @laoliphantblogInstagram