Posts marcados na categoria uma conversa sobre

04 nov, 2018

Como explicar porque mulheres gostam de ler romances

Se você é leitor de romances – e isso inclui qualquer subgênero – provavelmente, pelo menos uma vez, alguém já te perguntou “porque você lê esse tipo de livro?” ou, às vezes, “como é que você consegue ler esse tipo de livro?”, ou melhor, “você não prefere ler livros de verdade?”. Às vezes a pessoa te pergunta por curiosidade mesmo. Às vezes você é abordada por um estranho no metrô de Botafogo que, por algum motivo, se acha no direito de criticar sua escolha de leitura, mesmo que ele nunca tenha te visto na vida.

São 17h (talvez 16h se você não for afetado pelo horário de verão), você está voltando de um dia de trabalho cansativo e é obrigada a decidir se agredir aquela pessoa fisicamente vale a pena o risco de amassar o seu livro e ser presa por agressão. Dependendo de quem for, essa decisão pode ser ainda mais difícil.

É claro, você sempre pode tentar explicar para às pessoas que o mundo é um lugar frio e vazio e que às vezes tudo o que você precisa é se transportar para um universo onde as pessoas boas são recompensadas com vidas maravilhosas e começar a chorar de forma escandalosa (de verdade ou não, a escolha é de vocês) até a pessoa sair correndo para o outro lado do metrô. Continue lendo

10 out, 2018

SOSELIT #09 E assim eu resolvi que eu iria ter um blog

Eu adoro esses temas do SOSELIT que me obrigam a refletir sobre algumas coisas. Lá em 2013 quando eu acordei numa manhã e resolvi que o La Oliphant seria o meu próximo projeto pessoal, eu não acreditava mesmo que ele fosse resistir por 5 longos anos. Honestamente? Eu acho que ninguém do meu círculo de amizade achou que eu conseguiria levar isso por tanto tempo. Digamos que eu não sou muito do tipo que insiste nas coisas por muito tempo, sabe?

E aqui estamos, aos trancos e barrancos, porém vivos. A maior parte de vocês não sabem o trabalho que dá manter isso aqui funcionando. Não é só ter uma ideia e sentar na frente do computador, na verdade, o primeiro passo é ter uma ideia e às vezes ela demora horas, dias, semanas para aparecer. E quando ela finalmente chega e você pensa “essa ideia de post é realmente boa”, é que o trabalho de verdade começa. Continue lendo

02 out, 2018

Autores comunicativos tornam a leitura ainda melhor

Eu acho que, nesse blog, nós precisamos falar sobre a beleza das coisas às vezes. E não tem beleza mais completa para um leitor do que chegar em casa e tirar aquele livro novinho, com as páginas sem nenhuma marca, e colocar na estante. Foi justamente essa sensação que fez com que eu me emocionasse muito com o texto da Leah Rachel Von Essen, uma das colaboradoras do Book Riot, onde ela fala muito sobre como as redes sociais contribuíram para que nós, leitores, nos aproximássemos mais dos autores que amamos.

Embora o texto de Leah fale muito sobre a experiencia dela acompanhando a Victoria Schwab no processo de escrita de Vengeful – processo esse que eu também acompanhei pelo twitter – outros autores também vem nos dando cada vez mais espaço para fazer parte do seu processo de escrita e estar junto deles quando o bloqueio criativo vem e, por alguns dias, realmente parece que é o fim de tudo. Continue lendo

10 set, 2018

Setembro Amarelo e a minha experiência pessoal com a depressão

Setembro chegou e com ele começamos a campanha do Setembro Amarelo de prevenção contra o suicídio. A campanha começou no ano de 2015, em Brasília, e é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). O mês de setembro foi escolhido para a campanha porque internacionalmente o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio por iniciativa da International Association for Suicide Prevention. A ideia é promover eventos que abram espaço para debates sobre suicídio e divulgar o tema alertando a população sobre a importância de sua discussão.

E porque eu resolvi falar sobre setembro amarelo aqui no blog? Quando as pessoas conversam comigo, eu acho que elas têm a impressão que eu estou totalmente no controle da minha vida. Eu tenho o blog que é a coisa que eu mais amo no mundo, eu tenho um trabalho que eu adoro e eu finalmente conquistei o meu primeiro apartamento – embora ainda dividindo com outras pessoas. O que eles não sabem é que, durante os 26 anos da minha vida, eu já tive 3 tentativas de suicídio e um quadro de depressão que deixou os meus pais desesperados por meses – e ainda deixa. Continue lendo