Posts marcados na categoria uma conversa sobre

03 set, 2018

SOSELIT #8 Carta aberta aos autores nacionais

Estou há dias pensando em como trabalhar o tema do SoSeLit de Agosto aqui no blog e, a minha dúvida foi tanta que ele, inclusive, está saindo com atraso. Sabe aquele tema que não tem um jeito de falar sem gerar polêmica e discussão, então… esse é um deles. Quem nunca presenciou uma treta entre blogueiros e autores nacionais está vivendo em um mundo paralelo. Embora eu ache que ela briga nem ao menos deveria existir, ela existe e é um dos motivos da nossa relação profissional ser cheia de dedos e, é exatamente sobre isso que nós vamos falar hoje.

Não é a primeira vez que eu trago um pouco sobre a minha relação com os meus autores parceiros. Nesses cinco anos de blog, graças a Deus, eu consegui me cercar de autores que conseguem entender que o que eu estou fazendo aqui é um trabalho e que este merece ser valorizado tanto quando o de qualquer outra pessoa. Mas não é todo mundo que tem a mesma sorte que eu e, por conta disso, esta publicação é uma carta aberta aos autores que acreditam que blogueiros não devem cobrar pelo seu trabalho. Continue lendo

29 ago, 2018

SOSELIT #7 Ebooks piratas e a cultura do “se eu gostar, eu compro”

Eu sei que vocês pensaram que o SOSELIT tinha acabado por aqui, mas depois de fazer uma mudança inteira que não havia sido planejada, estou de volta e finalmente podemos seguir com a nossa programação. O tema do SOSELIT de Julho (que está sendo postado em agosto por motivos de desorganização da minha parte) foi um tema polêmico, que divide grupos e destrói amizades e eu só não poderia deixar de falar: o preço dos livros.

Sei que o assunto tem várias pegadas, inclusive, eu já compartilhei com vocês um post da própria editora Record explicando o ponto de vista editorial do assunto e porque o valor dos livros são o que são. Mas para esse post do SOSELIT eu resolvi ir mais além do que só o valor de investimento que a gente precisa fazer para ler aquele enredo gostosinho e falar um pouco sobre outro assunto relacionado e que também gera muita polêmica na internet: baixar eBooks piratas. Continue lendo

28 ago, 2018

Hush Hush: 3 motivos para a adaptação de Sussurro não acontecer

Aparentemente alguém perdeu o memorando de que o momento certo para fazer uma adaptação de livro sobrenatural ficou lá em 2008, quando outra pessoa achou que era uma boa ideia dar vida aos personagens de Stephenie Meyer. Todo mundo lembra dessa fase, não é mesmo? Vampire Diaries estreou como série de TV no ano seguinte (2009) e o amor de todas as adolescentes da época se dividiam entre lobisomens, vampiros e anjos caídos. As garotas queriam ser a próxima Bella e os meninos estavam tentando entender o que tinha de tão interessante nesse tal vampiro que brilhava no sol, Edward. Foi uma fase muito intensa, até mesmo Felipe Neto se deu ao trabalho de fazer um vídeo falando sobre isso – todo mundo lembra né?

Foi uma boa época, mas infelizmente passou. Quando Divergente estreou nos cinemas, as pessoas já estavam um tanto quanto saturadas de adaptações literárias e, depois do fracasso em tentar transformar o romance de Tris e Quatro em um sucesso, o mundo dos livros foi deixado um pouco de lado e os roteiristas começaram a procurar um outro nicho de pessoas para destruir os sonhos. Mas, aparentemente, todo mundo percebeu isso menos a turminha dos anjos caídos. Continue lendo

16 ago, 2018

Como devolver um eBook que você comprou acidentalmente no Kindle

Eu não sei vocês, mas eu tenho usado o meu Kindle com muita frequência por causa da minha interminável lista de leitura e tem me ajudado muito a conseguir ler tudo o que eu preciso, mesmo nos momentos em que eu não deveria estar lendo um livro, mas não consigo largar a leitura – olá, A Duquesa Feia. Sério, se você ainda não tem um Kindle, eu te garanto que vale o investimento se você precisa colocar as suas leituras em dia e carregar livros pra cima e pra baixo não é uma opção.

Bom, com um Kindle vem sempre grandes responsabilidades e, mais de uma vez, eu acabei comprando um eBook que eu não queria realmente comprar ou já tinha na estante e não tinha a necessidade de ter em eBook. E sério, não parece muito, mas R$20 em um livro que você já tem na versão física é quase um rombo financeiro na vida de um leitor, né? Então eu descobri que quando isso acontece, eu tenho a opção de devolver o eBook, o que eu não sabia nas outras 80 vezes que eu comprei um eBook errado e, agora que eu sei, precisava compartilhar. Continue lendo