Cinema 15jan • 2018

The Shape of Water é uma carta de amor ao diferente

Eu não vou dizer para vocês que eu sou uma culta na arte do cinema, porque eu não sou. Mas antes de eu me apaixonar por livros, a minha outra paixão era assistir filmes e séries na televisão. Eu nunca tive canal fechado em casa, então eu dependia do que a Globo ou a SBT escolhessem passar no horário da tarde, depois que eu chegava da escola. De qualquer forma, filmes sempre mexeram comigo e sempre tiveram um impacto na minha vida, e por isso eu resolvi trazer de volta dos mortos a categoria “Cinema” aqui do blog, para falar sobre alguns filmes que eu amo e que eu acho que vocês vão amar também.

Conheci Guillermo Del Toro por causa de uma amiga minha que é apaixonada pelo trabalho dele. Del Toro é responsável por um dos meus filmes favoritos: O Labirinto do Fauno, mas vocês provavelmente o conhecem por conta de um outro filme – também muito maravilhoso – chamado Círculo de Fogo. Verdade seja dita, de todos os poucos diretores de cinema que eu conheço, Del Toro é o que mais dá vida a roteiros que realmente me deixam extasiada e, com The Shape of Water não foi nem um pouco diferente – eu já estava apaixonada pelo filme quando assisti ao trailer.

The Shape of Water se passa na década de 60, em meio a grandes conflitos políticos entre os EUA e a União Soviética. O filme narra a história de uma faxineira chamada Eliza, interpretada pela Sally Hawkins, que trabalha em um laboratório secreto do governo. Eliza é muda e toda a sua vida segue uma rotina de repetições até que ela descobre que o laboratório que ela trabalha está fazendo experimentos e torturando um anfíbio capturado na américa do sul. Aos poucos, Eliza acaba se apaixonando pela criatura e resolve criar um plano para poder tirá-lo do cativeiro. Para executar um arriscado e apaixonado resgate ela recorre ao melhor amigo Giles (Richard Jenkins) e à colega de turno Zelda (Octavia Spencer).

A primeira coisa que fez com que eu me apaixonasse completamente por esse filme foi a fotografia. O ambiente da década de 60 em si já é muito atraente, mas eles conseguiram dar vida a esse período histórico de uma forma muito realista. O filme inteiro é acompanhado de tons frios, escuros e dão um ar de mistério com um leve toque romântico para embalar o expectador nessa história de amor inusitada. Tudo isso se encaixa perfeitamente com a trilha sonora cheia de clássicos, incluindo a nossa saudosa Carmem Miranda – uma surpresa muito boa ter essa referencia a música nacional no filme de um dos meus diretores favoritos.

Assista ao trailer do filme:

The Shape of Water provavelmente não vai ser um filme que agradará todo mundo, mas o roteiro é impecável e a relação entre Eliza e a criatura é muito bem construída ao longo da história. É interessante acompanhar o desenrolar da relação dele e como o fato de ela ser muda acaba sendo um “a mais” para que a criatura veja nela uma figura em quem possa confiar. Eu realmente gostei de conseguir sentir a conexão entre os personagens, ver que eles estavam se apaixonando no seu próprio ritmo mesmo sendo de mundos tão diferentes. Seria essa a lição que Del Toro está deixando para nós com esse enredo apaixonante?!

Octavia Spencer, como sempre, deu um show de atuação no papel de amiga da Eliza. As cenas dela dão um tom um pouco mais cômico no filme, quebrando um pouco a seriedade do enredo. Mas a estrela do filme foi Sally Hawkins com uma interpretação que eu confesso que eu não estava esperando. Eu já conhecia o trabalho de Hawkins quando ela interpretou Anne Elliot, na adaptação de Persuasão da BBC e, dentro do que o filme pedia ela até que entregou bem a personagem. Mas sua interpretação de Eliza está impecável, tanto que eu simplesmente não conseguia desviar minha atenção da personagem, mesmo tendo uma criatura marinha bem ao lado dela. Estou maravilhada com essa mulher, sério!

Eu acho que o mais importante de The Shape of Water é perceber que Guillermo Del Toro escreveu uma carta linda de amor às pessoas que são, de alguma forma, diferentes ou incompletas. Eliza é muda, mas nem por isso ela é infeliz. E ela encontra o amor nos braços de uma criatura que desafia a lógica humana, mas que ainda assim mostra ter mais compaixão do que o próprio ser humano. Desde o roteiro até a trilha sonora, The Shape of Water se mostra hipnótico, envolvente e completo. A fábula da “princesa sem voz” é complexa, picante e de uma honestidade que eu nunca tinha visto em outros filmes.

Tudo em The Shape of Water se encaixa maravilhosamente bem. Eu acho que não tem palavras no mundo que consigam descrever a maravilha que é esta obra-prima de Del Toro. Todos os elementos do filme foram aproveitados, Dan Laustsen deu um show de fotografia e Holly Addams fechou com chave de ourom entregando uma trilha sonora de tirar o fôlego. Talvez The Shape of Water não seja exatamente o seu tipo de filme, mas se você estiver disposto a sair da sua zona de conforto, eu prometo que vai valer muito a pena.

Ei, não vá embora sem antes se inscrever para participar do nosso top comentarista, tá bom?!

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

24 Comentários

  • Luciana Sousa
    07 maio 2018

    Acho que o roteiro deste filme foi muito criativo e foi uma peça clave de êxito. Michael Shannon fez um ótimo trabalho no filme. Eu vi que seu próximo projeto, Fahrenheit 451 será lançado em breve. Acho que será ótimo! Adoro ler livros, cada um é diferente na narrativa e nos personagens, é bom que cada vez mais diretores e atores se aventurem a realizar filmes baseados em livros. Acho que Fahrenheit 451 sera excelente! Se tornou em uma das minhas histórias preferidas desde que li o livro, quando soube que seria adaptado a um filme, fiquei na dúvida se eu a desfrutaria tanto como na versão impressa. Acabo de ver o trailer da adaptação do livro, na verdade parece muito boa, li o livro faz um tempo, mas acho que terei que ler novamente, para não perder nenhum detalhe. Vi os horários de transmissão em: https://br.hbomax.tv/movie/TTL711416/Fahrenheit-451 deixo o link por se alguém se interessar. Acho que é uma boa idéia fazer este tipo de adaptações cinematográficas.

  • Raquel Rodrigues
    31 jan 2018

    Eu nunca tinha ouvido falar desse diretor de cinema, na vdd tenho o conhecimento de poucos, mas este parece ser muito bom pra chegar a ser um dos seus favoritos. Também acho a década de 60 bastante atraente, o filme realmente parece ser impecável e vou ver se consigo assistir !!!

  • Ana I. J. Mercury
    31 jan 2018

    Eu conhecia o filme só de nome, e amei a sua resenha.
    Que amor!
    Parece ser um filme com bons questionamentos e cativante.
    É lindo mesmo mostrar que mesmo nós tendo problemas físicos, amamos e somos amados em igual iimportância.
    Já vai pra minha listinha dos filmes por ver kkkk
    bjsss

  • Jéssica Maria
    29 jan 2018

    Nossa, gostei mt ,n tinha lido nada sobre o filme ainda ,mas parece ser tão lindo ,me interessei bastante e com td certeza vou atrás para ver

  • Mariana Paiva
    29 jan 2018

    Ainda não assisti o filme, mas só de ver o trailer já fiquei encantada. Adoro essas histórias diferentes e essa promete ser ótima. A Intrínseca vai lançar o livro agora mês que vem, achei que eles pudessem ter feito uma forcinha para lançar o livro antes do filme já que muitas pessoas preferem ler antes de assistir (eu não sou tão assim). Estou ansiosa para assistir o filme e espero gostar muito!

  • Carolina Santos
    29 jan 2018

    Achei a história do filme bem interessante e eu vi que tenha Victoria Spencer no elenco e eu adoro essa atriz o trabalho dela em A Cabana só não superou o trabalho dela em Histórias Cruzadas sinceramente essa virou uma das atrizes mais queridas para mim

  • Samantha Correa
    28 jan 2018

    Nossa eu amei esse filme desde que vi o trailer pela primeira vez, achei a história linda, principalmente por ela ser muda coisa que não é muito comum encontrar em um filme de um grande diretor, e ainda mais tão famoso quanto esse está. Quero muito assistir.

  • Lana Silva
    23 jan 2018

    E a primeira vez que vejo falar sobre este filme, e vejo que esta e uma obra que não agrada a todos os telespectadores, mas que possui uma premissa bacana, já que vamos ao decorrer da trama compreendendo a relação existente entre os personagens, mesmo que ambos viva em mundos totalmente diferentes. Pela sua descrição da trama, fiquei curiosa para conhecer, mais sobre a História por isto pretendo sim assistir ao filme.

    Venha participar do sorteio de um kit da caixinha da TAG Livros http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

  • Janaina Silva
    20 jan 2018

    Débora,sou fascinada por filmes, mas conheço pouco sobre o trabalho de Del Toro . Só assisti ” A Colina Escarlate”,e gostei!
    Bem,achei o enredo interessante. Essa junção de drama e romance são sempre bem vindas.
    Sem contar que a personagem é muda, e se apaixona por um ser bem inusitado … Eu confesso que fiquei bem curiosa em como tudo terminará. 😉

  • Camila Rezende
    19 jan 2018

    Olá Débora,
    Tbm amo filmes e assim como vc dependia da tv aberta para assisti-los.
    Gosto de posts com indicações de filmes.
    Tenho muita curiosidade de assistir esse filme, mas ainda não consegui. Tbm fiquei curiosa com ele por causa do trailer.
    Dos filmes do diretor que vc citou eu só assisti O Labirinto do Falno. E eu não consigo me lembrar de nenhum outro trabalho que eu tenha visto da Sally Hawkins.
    Espero conseguir assistir em breve.

  • Lily Viana
    18 jan 2018

    Olá!
    Eu sou muito de assistir filme, eu adoro bastante. Já vi O labirinto do Fauno e muito bom e gosto bastante. Não perca essa mania de assistir porque perde muita coisa maravilhosa, tem filmes muitos incríveis!

    Olá!
    Eu gostei muito do livro, tem uma premissa boa. Eu gosto muito dos contos de princesa e esse e muito lindo, gosto muito da historia, ainda mais como romance de época. Eu ganhei e estou muito ansiosa pela leitura!

    Tempos Literários

  • Thuanne Hannah Ramos de Souza
    17 jan 2018

    Nossa, fiquei até sem palavras, a fotografia está mesmo linda, o trailer quase me fez chorar e sua opinião me deixou com muita vontade de ver o filme. Obrigada pela dica!

  • Lynn Prado
    17 jan 2018

    Ooi…
    Amo assistir filmes, sempre tiro um tempinho para isso.
    Ainda não tinha ouvido falar desse filme, parece muito bom, o enredo parece maravilhoso e o trailer me deixou com muita vontade de assistir.

    • Débora Costa
      17 jan 2018

      Oi Lynn,

      Se você assistir, depois me conta se gostou ou não?! Os filmes do Del Toro tem sempre uma pegada mais fantasiosa, não sei se você iria gostar.

  • Brenda Ketellyn
    17 jan 2018

    Eu adoro assistir series e filmes e sempre que tenho um tempo nas minhas leituras estou assistindo algo.
    Adorei essa dica, o filme parece ótimo e com certeza pretendo assistir, gostei de saber que foi muito bem ambientado.

    • Débora Costa
      17 jan 2018

      Oi brenda!

      Espero que goste dessa dica de filme. Depois me conta se você gostou?!

  • Bianca Melo
    17 jan 2018

    Oh, caramba! Estava esperando mesmo uma boa crítica assim. Também sou apaixonada por Del Toro, tanto que antes mesmo de ver o trailer e conhecer a história, já queria assistir o filme – apenas por levar o peso do nome dele. Além dele, tem a Octávia, que é realmente uma diva-rainha-maravilhosa. Essa crítica só me incentivou ainda mais a assistir essa coisa linda. E mesmo sem ter assistido ainda, sinto que é um forte candidato ao Oscar! Parabéns pela resenha!!!

    • Débora Costa
      17 jan 2018

      Oi Bianca, vamos ser amigas e falar de Del Toro?
      Eu fiquei sabendo que o livro desse filme ai ser lançado pela Intrínseca aqui no Brasil e já estou contando os dias. Eu realmente adorei o que o Del Toro fez com essa adaptação, estava com saudade de ver mais filmes dele desse tipo.

  • Larissa
    16 jan 2018

    Oi Debs, tudo bem??
    Estou muito ansiosa para ver este filme, me apaixonei muito pelo trailer do filme. Pela sua resenha o filme parece ser tudo o que estou esperando, pq ultimamente não posso confiar 100% nos trailers.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Lari

  • Ricardo Bernardo
    15 jan 2018

    “ver que eles estavam se apaixonando no seu próprio ritmo mesmo sendo de mundos tão diferentes. Seria essa a lição que Del Toro está deixando para nós com esse enredo apaixonante?!” – acho que esta sua passagem representa muito bem o que este filme representa. Feito de forma brilhante e impecável, é uma verdadeira poesia em forma de filme.
    =)

  • Pamela Liu
    15 jan 2018

    Oi Débora.
    Gostei bastante desse novo quadro. É sempre bom ter indicação de bons filmes.
    Eu adoro os filmes do Guillermo Del Toro. Principalmente o filme O Labirinto do Fauno. Não sabia da existência do filme The shape of water, mas já fiquei interessada pelo enredo.
    Com certeza irei assistir esse filme. Espero gostar bastante.
    Bjs

  • Ludyanne Carvalho
    15 jan 2018

    Confesso que não sou muito de assistir filmes nem procurar por eles; costumo assistir o que passa na tv mesmo.
    E preciso confessar também que esse filme não me chamou atenção, nem é um gênero que estou acostumada assistir e filmes com cenas escuras me incomodam. Mas gostei de saber que se passa em outra década. Acho isso muito legal…
    Quem sabe o próximo post de cinema não me atraia.

    Beijos

  • Vitória Pantielly
    15 jan 2018

    Oi Débora!
    Uau, que enredo … De fato não é um filme que agrada a todos, e eu possivelmente não me interessaria por ele sem ler sua crítica antes. É engraçado como achamos que qualquer coisas “diferente” deixa as pessoas infelizes né? Achei ótimo que o diretor retratou a personagem principal de outra forma!
    Conheço a atuação da Octávia, e de fato, ela é incrível, não é atoa que anda tendo bastante destaque no cinema, já a Sally eu não conheço mto bem a atuação, mas pelo trailer já dá pra ver que ela deu um show. Bem curioso o filme, quero assistir.
    Beijis

  • Lili Aragão
    15 jan 2018

    Já tinha visto o trailer desse filme e ficado interessada, pois a história parece ser acima de tudo delicada e envolver o leitor. Dos filmes que você citou de Del Toro eu realmente o conheço por Circulo de Fogo, na verdade eu gosto de assistir filmes e séries mas não sou tão ligada aos diretores deles e deveria né?! é visão deles que nos encanta … 😀 Eu curti muito a indicação e o post e espero assistir também 😉

  • Siga o @laoliphantblogInstagram