Clube Nacional 16jan • 2019

Quem gosta de poesia precisa conhecer Ben Jorge contra-ataca o suco de orge

Vocês estão preparados para o primeiro clube nacional de 2019? Meus planos para essa coluna do blog é trazer cada vez mais leituras nacionais que possam ajudar vocês a se abrirem as possibilidades de arriscar em autores do nosso país. Eu sei, ainda temos um grupo resistente de leitores que não acreditam que livros nacionais são bons, mas o foco é que até o final do ano vocês estejam ainda mais inspirados em se jogar nos nossos autores sem medo.

Para o nosso primeiro clube nacional do ano, eu escolhi começar com um livro que me chamou atenção por causa da sua proposta, mas ficou mesmo porque é uma leitura que eu sei que vai me tirar da minha zona de conforto: Ben jorge contra-ataca o suco de orge, um livro de poesia que faz referências à grandes artistas nacionais e que promete me fazer cair de amores por poesias de vez.

O livro faz referências mais ou menos explícitas a diversos autores, músicos e até a artistas de outras áreas. Segundo o autor, Leonardo Ben, é um livro de poesia citando Hegel e sua filosofia para falar de Jorge Ben e mais pra frente uma falando sobre Leslie Nielsen em referência ao seu filme “Corra que a polícia vem aí”.

Acima de tudo, os leitores podem encontrar uma poesia que busca ser sempre autêntica e comunicativa, buscando ser original a partir das misturas de universos que em geral não conversam tão explicitamente quanto deveriam (como poesia e MPB). Cabe destacar que uma das poesias do livro – Inspiração – acabou virando ela mesma uma letra de música interpretada pelo autor no projeto musical chamado Garotos do Ben.

Conheça a sinopse do livro:

Salve, Simpatia!

Imagine o que o síndico Tim Maia poderia ter a ver com Manuel Bandeira. E Carlos Drummond de Andrade com Jorge Ben Jor. O que aconteceria se Fernando Pessoa revolvesse entrar em guerra com seus heterônimos? Uma mesma pessoa poderia ter a ver com Priscilla, a rainha do deserto e São Jorge? E São Jorge, por sua vez, com Star Wars?

Neste livro, um mesmo capítulo pode fazer referência a um ator cômico como Leslie Nielsen e a meditações filosóficas sérias. Ou, também, você poderá deparar com um ponto em comum entre Luís Fernando Veríssimo e Álvaro de Campos ou duas visões complemente opostas sobre Machado de Assis.

Para compreender essas misturas improváveis, é preciso mergulhar nesta obra – estreia de Leonardo Ben -, que busca aproximar os mundos da poesia e da música brasileira de modo original e irreverente.

Sobre o autor do livro:

Leonardo Ben é o nome artístico de Leonardo Borges Calderoni. Nasceu em 1987, na Paulicéia desvairada (São Paulo), onde vive desde então. Formado em Relações Internacionais pela USP, sofreu com algumas intempéries da vida nos últimos anos e acabou mudando de rumo ao descobrir que sua vida é fazer arte. Sua grande paixão é tentar aproximar os mundos da poesia em língua portuguesa e da música brasileira. Compõe junto com o músico Gabriel Oliveira a dupla “Garotos do Ben”, em que ele tem expressado a sua face de letrista de canções. Sua única certeza hoje em dia é que fará poesia para o resto da vida. É e será cada vez mais, no melhor sentido do termo, um poeta amador do que faz.

Gostaram do nosso primeiro clube nacional? O que mais me chamou atenção no livro do Leonardo, foi o fato de ele ter usado a poesia como uma forma de lidar com a depressão. E sendo uma pessoa que lida com isso todos os dias, eu sei o quanto esse trabalho dele é importante para inspirar outras pessoas também.

O livro foi publicado pela Novo Século e lançado em Outubro do ano passado. Você pode comprar o seu exemplar agora pelo nosso link na Amazon nos formatos eBook e livro físico, tá?

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

11 Comentários

  • […] nomes da nossa música popular brasileira com figuras conhecidas da nossa literatura, nos levando para uma viagem completamente diferente de tudo aquilo que qualquer outro livro de poesia me propôs e, por causa disso, eu escolhi que iria embarcar […]

  • Aline Bechi
    26 jan 2019

    Olá, tudo bem?
    Adorei o livro escolhido. Eu gosto muito de obras brasileiras, e incentivar a literatura nacional é muito bom.
    Poesia são livros que sempre me chamam atenção, porque são uma leitura rápida e sempre trazem temas de reflexão, amor ou divertimento.
    Adorei demais o titulo!

    Beijos

  • Luana Martins
    23 jan 2019

    Oi, Débora
    Leio livros nacionais, mas preciso ler muito ainda.
    Adorei esse novo post, assim posso conhecer mais autores e seus livros e valorizar os livros nacionais que são bons e não perde em nada comparado com livros de outros países.
    Gostei da ideia do autor de fazer poesias de um modo divertido, uma proposta diferente. A capa é legal e chama bem atenção.
    Beijos

  • Lara Caroline
    19 jan 2019

    Olá Debora.
    Não sou muito de ler poesia, mas fiquei bem interessada neste livro. A proposta é muito bacana e é super importante apoiar os autores nacionais. A capa é muito linda.
    Beijos

  • Vitória Pantielly
    18 jan 2019

    Oi Débora,
    Eu já leio bastante nacionais, mas sempre gosto de mais e mais indicações kkk
    Sobre esse livro, amei a mistura que o autor faz com personagens brasileiros que já conhecemos, e olha, preciso ler mais livros de poesia nesse estilo, são bem diferente.
    Espero que traga resenha dele.
    Beijos

  • Ycaro Santana
    18 jan 2019

    Acho de uma pobreza de espírito quem despreza os autores nacionais simplesmente por ser algo de nosso país, nossa, uma situação chatíssima! Adorei a ideia de construir um clube do livro nacional aqui no blog, apoiando os leitores a investir nas obras do Brasil. Ben jorge contra-ataca o suco de orge parece um livro incrível, amei a capa também!

  • Alison de Jesus
    17 jan 2019

    Olá Débora!
    Estou tentando ler mais obras nacionais este ano, e essa coluna vai ser ótima para conhecer os talentos da casa. Não curto muito poesias, porém vejo que a obra acima vai além, apresentando ao leitor uma verdadeira aula reflexiva. Pela sinopse, julgo que os poemas de Ben necessitam de uma leitura concentrada, ainda mais para quem não é muito familiarizado com os nomes da música popular brasileira que são abordados.
    Beijos.

  • Ludyanne Carvalho
    17 jan 2019

    Sua proposta é linda!
    Já fui uma dessas leitoras resistentes à literatura nacional, mas hoje vejo que temos inúmeros talentos, e são tão bom quanto os de fora.
    Eu amo poesia, já fiquei interessada nesse livro por conta das referências.
    Parece ser uma ótima leitura.

    Beijos

  • Nil Macedo
    17 jan 2019

    Não sou de ler poesia e, já pela capa, vejo que esse tipo de livro não seria do meu agrado. Eu tenho esse negócio de, se não gostar da capa, deixar pra lá.
    Mas, talvez para quem gosta de poesia seja uma boa oportunidade de conhecer algo nacional.

  • Maira Schein
    17 jan 2019

    Nunca fui muito de poesia, mas desde o ano passado li alguns bons poemas. Achei bem interessante que esse livro traga tantos elementos do Brasil e não que tenha sido simplesmente escrito por um brasileiro. Fiquei com muita vontade de ler!

  • Angela Cunha
    17 jan 2019

    Bem,num post destes eu diria que me sinto imensamente feliz!
    Acredito que a poesia deveria ser algo como tomar água. Todos nós, tínhamos que meio a obrigação de nos deixar levar pelos sentimentos e pelas letras em algum momento do dia.
    Poesia é algo vital a mim. Nem que seja um poema, um trecho, um pedacinho de alma de algum autor, eu leio diariamente!
    E oh, literatura nacional merece todo nosso amor e respeito.
    E quanto mais divulgação tiver, melhor será para que nós conheçamos nosso vasto time de boas obras!!!
    Já quero muito este livro e viajar!!!
    Beijo

  • Siga o @laoliphantblogInstagram