Entrevistas Promoções 16abr • 2018

Q&A: Uma conversa com Marie Lu sobre Warcross + Sorteio

Um pouco de competição é uma coisa boa. Muito disso pode ser perigoso para sua saúde. Este mês, Marie Lu, autora de Legend e The Young Elites, apresenta aos leitores um novo tipo de torneio, uma incrível realidade virtual repleta de coisas sensacionais, aventuras ousadas … e perigos assustadores.

Com um toque de alta tecnologia que vemos em The Hunger Games, misturados com um pouco de Jogador N° 1 e Snow Crash, Warcross é um thriller de ficção científica exuberante envolvendo uma heroína resistente e inteligente, Emika Chen. Emika não é uma concorrente comum. Hacker e caçadora de recompensas, ela entra no mundialmente famoso torneio Warcross como espiã. Fama e fortuna aguardam o vencedor – mas traição e ruína devastadoras se escondem a cada esquina.

Marie Lu, que trabalhou na indústria de videogames antes de se tornar autora de best-sellers, responde algumas perguntas sobre abraçar sua Emika interior, com seus colegas Slytherins (em seus sonhos mais selvagens de Hogwarts) e encontrar inspiração em sua ocasionalmente sombria e deprimente caverna.

Eu sei que a música é uma grande parte do seu processo de escrita. Que música você escutou enquanto escrevia Warcross?

A trilha sonora de TRON, a trilha sonora de Stranger Things, e uma tonelada de trilhas sonoras de videogame – tudo, desde Sonic the Hedgehog até Final Fantasy, até jogos indie como Sword & Sworcery. Eu restringi minhas playlists principalmente a músicas sem letras quando estava esboçando, para que as palavras não me distraissem.

Qual é uma das suas citações favoritas de Warcross que você acha que realmente incorpora o romance?

“Tudo é ficção científica até que alguém o torne um fato científico.”

Estou obcecado com seus poderes de world-building, e gostaria de poder visitar todas as terras que você descreve (algumas delas por mais tempo do que outras). Se você pudesse se transportar para qualquer mundo literário por um dia, qual escolheria?

Obrigado por essas palavras amáveis! OK, eu adoraria estar em Hogwarts por um dia – mas quem não iria querer?! Equipe Slytherpuff para vencer! Eu também adoraria explorar o mundo da série Redwall de Brian Jacques. Esses livros foram os primeiros romances de fantasia que eu já li, e eu era obcecada por eles.

O que você acredita ser a parte mais gratificante de ser uma escritora?

Ouvir e se conectar com os leitores depois que um livro vai para o mundo. Quando estou sozinha na caverna (escura, deprimente, frustrante, raaargh), é fácil esquecer que estou criando algo que compartilharei com o público. Então, quando eu percebo que alguém leu e talvez até tenha gostado … não há sentimento melhor.

Nos agradecimentos de Midnight Star você mencionou que Adelina era um pouco baseada em você mesma – as partes de você quando você luta, fica chateada, se sente traída, etc. A Emika Chen de Warcross é baseada no seu passado como designer de videogame, ou ela também baseada em outras partes da sua vida?

Emika Chen é minha personagem de auto-inserção e desejo de realização. Sua história, de fato, contém algumas partes do meu passado na indústria de jogos. Eu lhe dei muitas das minhas paixões (por exemplo, arte, tecnologia, jogos) e minhas falhas (como minha tendência a dizer exatamente a coisa errada na hora errada e meu medo de me abrir para os outros). Eu não sou uma especialista em computação; nem tenho nem de perto o seu nível de coragem ou tenacidade. Essas características foram tiradas da minha mãe!

Quantos livros não-publicados ou não-terminados você tem em casa?

Eu tenho cinco manuscritos terminados. Quanto a histórias incompletas … não posso nem contá-las. Dezenas, provavelmente!

Qual é o seu poder favorito no mundo do Jovens de Elite?

Eu realmente gostei de escrever sobre o poder de Raffaele – a habilidade de sentir as forças, fraquezas e emoções dos outros. Para mim, no entanto, adoraria ter o poder do vento de Lucent, mesmo porque isso significaria que eu poderia voar!

Quando você fica presa em uma trama e não sabe onde levar a história, o que você faz para conseguir encontrar inspiração novamente?

Quando fico presa na trama, isso geralmente significa que a minha criatividade está acabando, então vou me afasto completamente da escrita e, em vez disso, mergulho nas criações de outras pessoas – livros, videogames, filmes, música – para me reabastecer. Eu quase sempre saio de uma sessão assim com novas ideias.

Quando você fica presa em uma trama e não sabe onde levar a história, o que você faz para conseguir encontrar inspiração novamente?

Quando fico presa na trama, isso geralmente significa que a minha criatividade está acabando, então vou me afasto completamente da escrita e, em vez disso, mergulho nas criações de outras pessoas – livros, videogames, filmes, música – para me reabastecer. Eu quase sempre saio de uma sessão assim com novas idéias.

Você ainda fica nervosa antes de um dos seus livros ser publicado? Espero que você saiba o quanto nós fãs amamos e apreciamos o seu trabalho!

Você é tão gentil. Obrigada! Eu sou absolutamente uma bola de nervos antes de cada livro ser publicado, especialmente se o livro é o primeiro de uma nova série. Agora, nas semanas que antecederam o lançamento de Warcross, estive tendo problemas para dormir durante a noite e me concentrar nas tarefas importantes. Eu tive sonhos estranhos e esquecia as coisas com frequência. Mas toda a ansiedade de pré-lançamento, até o último momento, vale a pena se você estiver curtindo a história. Obrigado por me dar o privilégio de escrever para todos vocês!

Com qual dos seus personagens você gostaria de ser mais parecida?

Uma combinação de June e Emika, eu acho. Ambas as meninas têm a tendência de fazer a coisa certa, mesmo quando é difícil, e mudam de ideia quando percebem que estão erradas sobre alguma coisa. É muito mais fácil escrever essas características do que praticá-las! Eu tenho tentado reforçar esse lado “agradável” em mim ultimamente porque nós simplesmente não podemos nos dar ao luxo de sermos passivos nos dias de hoje. Nem June nem Emika toleram a injustiça, mesmo quando se posicionar contra não é do interesse delas. Eles agem e eu admiro isso nas duas.

Estas perguntas foram retiradas do Goodreads. O La Oliphant é apenas responsável pela tradução do conteúdo!

Participe do sorteio em parceria com a Rocco.

Em parceria com a editora Rocco, nós estamos sorteando UM EXEMPLAR de Warcross para os leitores do blog. Para concorrer ao livro, basta que vocês sigam as obrigatórias do Rafflecopter, ok? Não esqueçam que, ao compartilhar a imagem do sorteio, é preciso utilizar a #joguewarcross e marcar a editora rocco na imagem compartilhada, tudo bem!?

 

 

Confira o regulamento do sorteio:

1. A promoção é válida ATÉ 23/04, tendo seu ganhador anunciado na fanpage do blog;
2. Este sorteio é realizado através da plataforma GiveawayTool;
3. Para validar o prêmio o ganhador devera cumprir com todas as obrigatorias do GiveawayTool;
4. Ao fim da promoção será sorteado apenas 01 ganhador para todos os prêmios cedidos neste sorteio;
5. A promoção é válida somente para quem tem endereço de entrega no Brasil;
6. O primeiro ganhador terá o prazo de 03 dias para responder ao e-mail que lhe será enviado. Caso não o faça, um novo ganhador será definido;
7. O envio do livro será feito pela equipe da editora Roco no prazo de 60 dias após o ganhador informar seu endereço;
8. O blog não se responsabiliza por extravio ou atraso na entrega dos Correios. Assim como não se responsabiliza por entrega não efetuada por motivos de endereço incorreto, fornecido pelo próprio ganhador

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

10 Comentários

  • Ana I. J. Mercury
    21 abr 2018

    Gostei bastante, ela parece ser bem legal e inteligente!
    Quero muito ler algum de seus livros!
    Principalmente o Legend.
    bjs

  • suzana cariri
    19 abr 2018

    Oi!
    Gostei muito da entrevista com a autora, adorei conhecer um pouco dela, não sabia que ela trabalhava no desenvolvimento de jogos, o que deve ter ajudado a dar mais realidade a historia, fiquei bem curiosa sobre esses cenários que iremos ter no livro e adorei o sorteio !!

  • Iêda Cavalcante
    18 abr 2018

    Oiee!

    Acho tão legal essas entrevistas, assim podemos mergulhar um pouco no mundo de escrita de cada autor e conhecer suas inspirações e manias. Gostei bastante dessa, apesar do livro não ser de um gênero que eu curto, mas não abro mão de conhecer novos autores.
    Bjs!

  • Vitória Pantielly
    18 abr 2018

    Oi Débora,
    Gostei da entrevista, adoro saber mais sobre o processo de escrita dos autores e como o livro da Marie está no auge é interessante, mesmo que não faça meu gênero.
    Não sabia dessa relação da história com a música, muito legal.
    Beijos

  • Kleyse Oliveira
    17 abr 2018

    Oi Débora, adorei a entrevista com a Marie. Se eu ganhar esse livro será a primeira vez que vou ler algo dela.
    Vou participar do sorteio mesmo sabendo que não vou ganhar Rsrsrsrs.

  • Patrini Viero
    16 abr 2018

    Achei a autora uma fofura pelas respostas que ela deu! Adorei a entrevista também. Não li nenhum livro dela, mas as sinopses sempre me deixam curiosa. Gosto dos enredos criativos e das personagens femininas sempre fortes e destacadas que ela constrói. Esse em particular tem tudo pra ser uma leitura incrível, porque o mundo é pouco explorado nesse universo literário e acho que eu vou curtir me aprofundar mais na trama.

  • Theresa Cavalcanti
    16 abr 2018

    Acho ótimo quando tem entrevista com os escritores, porque você acaba conhecendo um pouco deles!

  • Pamela Liu
    16 abr 2018

    Oi Débora.
    Que entrevista incrível!
    Quero muito ler a trilogia Jovens de Elite e esse novo livro Warcross.
    Já li a trilogia Legend e achei apenas ok. Mas quero dar uma chance aos outros livros da autora.
    Não sabia que a autora tinha experiência em design de jogos! Fiquei bem surpresa! Isso deve trazer bastante bagagem para a criação dos personagens do novo livro.
    Achei a autora uma fofa!
    Beijos

  • Lili Aragão
    16 abr 2018

    Poder acompanhar entrevistas com os autores são sempre interessante e mesmo eu que ainda não achei um livro dela que gostasse mesmo curti muito ler a entrevista dela e saber que ela já tem 5 livros terminados e não publicados (são muitos) e sim, quem não gostaria de ir a Hogwarts rsrs.

  • Daiane Araújo
    16 abr 2018

    Oi, Débora.

    Parte importante de uma entrevista, é o que ela nos proporciona. Gostei de saber um pouquinho sobre o universo inspirador da Marie.

  • O Usuário laoliphantblog não existe ou é uma conta privada.