Lista 09mar • 2018

3 motivos para você ler Um Tom de Mais Escuro de Magia

Victoria Schwab é aquele tipo de autor que entra na sua vida muito por acaso e acaba fazendo residência no seu coração. Meu amor por ela começou em 2016, quando a Record me convidou para ler A Guardiã de Histórias. Nessa época, admito, eu nem ao menos sabia quem era a autora e menos ainda que os livros dela eram tão populares entre os leitores de outros países – e isso foi muito bom porque eu tive a chance de me apaixonar pela escrita dela sem nenhuma influência externa, digamos assim.

A escrita de Schwab é maravilhosa, eu juro! Você se envolve com o enredo logo nas primeiras páginas e, sem nem ao menos perceber, está imerso em um universo completamente novo, do qual você nunca mais vai querer sair. Foi assim que aconteceu comigo quando recebi um e-mail da editora perguntando se eu gostaria de dar uma chance a “Um Tom Mais Escuro de Magia”, no ano passado. Eles estavam preparando tudo para o lançamento do segundo livro da trilogia aqui no Brasil e gostariam que alguns blogueiros fizessem uma resenha sobre o primeiro livro.

Me joguei de cabeça na leitura. A essa altura da minha vida, eu conhecia um pouco de Schwab e já havia me interessado pelo enredo de Um Tom Mais Escuro de Magia. Universos paralelos com graus diferentes de magia que possuem a cidade de Londres como a única coisa em comum entre si, me pareceu tão interessante que eu não podia deixar passar a chance de conhecer a história do Antari da Londres Vermelha e viajar através das portas que ele era capaz de abrir.

E é por isso que estamos todos reunidos aqui hoje, meus amores. Eu amei tanto a leitura de Um Tom Mais Escuro de Magia que eu resolvi fazer uma lista de motivos pelos quais vocês precisam, desesperadamente, acompanhar essa série. A Record lançou o segundo livro ano passado, então ainda dá tempo de eu convencer vocês a lerem os dois primeiros livros antes do terceiro chegar nas livrarias. Quem vem comigo?

Delilah Bard é tudo o que nós mulheres gostaríamos de ser.

E vocês tem que confiar em mim quando eu digo que, pelo menos uma vez na vida, você já quis ser como a Lila. Vinda de uma Londres sem magia e com todas as expectativas que a sociedade coloca sob a figura feminina, Lila decidiu seguir seu próprio caminho e se tornar uma ladra e conquistar o mundo. Não há nada que seja capaz de impedi-la de chegar a um destino desejado, mesmo que isso custe a vida de alguém.

Uma das coisas que eu mais gosto na Lila é o fato de ela não permitir que as pessoas a vejam como uma criatura frágil. Ao contrário de outros livros de fantasia, Lila é a personagem que está sempre lutando para salvar a vida de todo mundo e simplesmente não aceita “não” como resposta. Sua impulsividade e a forma como ela se joga em todas as situações perigosas são libertadoras. Eu sempre sei que alguém vai acabar muito ferido, ou até mesmo morto, quando ela aparece.

“ – Me diga uma coisa, você subestima todo mundo ou só a mim? É porque sou uma garota?– É porque você é humana – explodiu ele. – Porque você pode ser a alma mais valente e destemida que eu já conheci, mas ainda é muito mais feita de carne e osso do que de poder. Astrid Dane é feita de magia e maldade”.

Eu gosto da ideia de ter pelo menos um livro no mundo onde a figura feminina não é frágil. Eu gosto da ideia de que Lila consegue se cuidar sozinha e de que ela não deixa as figuras masculinas do livro passarem por cima da sua vontade – mesmo quando essa vontade inclui matar pessoas. É importante para mim, enquanto mulher, poder me identificar com uma personagem assim e eu amo demais a Lila, quero muito ser ela na próxima vida.

O universo mágico de Schawb vai fazer você querer se mudar para Londres Vermelha.

E eu realmente quis me mudar para sempre. Quem não iria querer viver em um mundo onde magia não é simplesmente feitiços e varinhas mágicas, mas sim algo vivo? Acho que esse pequeno detalhe do universo de Um Tom Mais Escuro de Magia vez toda a diferença para mim quando comecei a ler o livro. Nós temos quatro versões maravilhosas de Londres, incluindo uma que é bem próxima do que podemos chamar de “nossa Londres”, mas a magia que permite que os Antaris naveguem de uma Londres para outra é algo que vai muito além da nossa compreensão e eu fiquei totalmente fascinada com esse mundo de possibilidades que a autora entregou na minha mão.

Schwab abre uma porta que eu não esperava quando comecei a ler o livro. No começo eu achei que a parte mágica do livro fosse apenas mais um detalhe para deixar o enredo mais interessante, mas a autora queria nos surpreender e nos aproximar desse universo mágico de uma forma diferente – e conseguiu. A magia do livro é imprevisível, você nunca consegue prever o que ela vai trazer para os nossos personagens e nem se é realmente possível domá-la. Assim como vocês já ficaram esperando dias por sua carta de Hogwarts, eu fiquei me perguntando se um dia poderia domar a magia de Um Tom Mais Escuro de Magia.

“Na Londres Vermelha, os gostos mudavam com tanta frequência quanto as estações e, de acordo com eles, os prédios eram construídos e demolidos e construídos de novo de forma diferente. A magia tornava as coisas simples. Às vezes, pensou Kell, tornava as coisas simples demais.”

Além disso, a descrição do livro é um ponto muito forte. É praticamente impossível você ler esse livro e não consegui se imaginar bem no centro da Londres Vermelha, meu novo lugar favorito no mundo, se vocês querem mesmo saber. Fiquei completamente fascinada com todas as possibilidades e aventuras que esse universo criado por Victoria Schwab apresenta e eu tenho certeza que você também.

Um livro que tem diálogos maravilhosos, tem tudo.

Eu não sei vocês, mas uma coisa que sempre me conquista em um livro são os diálogos e, Schwab simplesmente tem os melhores diálogos que eu poderia querer em um livro. Primeiro de tudo, as conversas entre os personagens são inteligentes e contribuem muito para que a gente conheça a personalidade de cada um. Sabe quando você consegue visualizar claramente os personagens tendo aquela conversa? Eu tive essa sensação desde o primeiro capítulo do livro.

Todos os diálogos de Um Tom Mais Escuro de Magia têm um humor muito particular que faz com que o leitor fique rindo sozinho lendo o livro, mas para mim, os diálogos do Kell e da Lila são os meus favoritos. Os personagens têm personalidades distintas, mas que na pratica se encaixam muito bem. Sempre que eles estão juntos eu sei que eu vou presenciar mais uma conversa maravilhosa, o que foi mais um motivo para eu ter enrolado para terminar o livro: eu só não queria mais viver um momento sem esses dois personagens maravilhosos.

“O crime não é complicado”, ela disse. “As pessoas roubam porque tomar alguma coisa lhes dá algo. Se não roubam por dinheiro, roubam por controle. O ato de roubar, de quebrar as regras, faz que se sintam poderosas. Elas fazem isso por puro desafio. […] Algumas pessoas roubam para permanecer vivas, e algumas roubam para se sentir vivas. É simples assim.”

Eu não sei se isso é suficiente para convencer vocês a lerem Um Tom Mais Escuro de Magia, mas vocês precisam saber que esse livro tem um dos enredos de fantasia mais originais que eu já encontrei. E se você é muito apaixonado por A Corte de Rosas e Espinhos, eu posso te dizer com toda a certeza que a Feyre seria melhor amiga da Lila sem nem ao menos pensar duas vezes, então assim… acho que você não pode perder tempo e correr logo para colocar essa série na estante, né?!

Agora me conta, vocês já deram uma chance para Um Tom Mais Escuro de Magia?  Não esquece de deixar sua opinião nos comentários, tá?!

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

10 Comentários

  • Ana I. J. Mercury
    31 mar 2018

    Adorei os motivos.
    Eu já queria ler esses livros.
    Agora então, quero mais!
    E fiquei curiosa para conhecer a Lila, ela parece muito forte mesmo!
    bjs

  • Ana Carolina Venceslau Dos Santos
    31 mar 2018

    Amiguinha eu ainda não li esse livro mas foi por falta de tempo mesmo porque o interesse em ler essa obra divina está grande viu Muita gente elogiou a respeito desse livro falando que foi uma perfeição mas eu realmente estou sem tempo para ler

  • suzana cariri
    21 mar 2018

    Oi!
    Já tinha visto esse livro antes, mas ainda não tive oportunidade de ler essa historia, gostei muito do enrendo dele e esses três motivos aumentaram ainda mais minha curiosidade, gostei muito da Delilah, ela parece ser aquele tipo de personagem forte determinada e que ira me conquistar, se tiver oportunidade quero muito conhecer esse universo !!

  • Primeiro de tudo: essas capas são tão maravilhosas que dá vontade de ter na estante mesmo não conhecendo o enredo! Eu curto muito quando o elemento mágico é o foco de uma trama, ainda mais quando ele é desenvolvido de forma tão diferente, como acontece aqui. Gostei também da construção da personagem feminina, forte, independente e segura de si, acredito que precisamos de mais representações assim, tanto no universo literários quanto na vida real. Os diálogos são um ponto forte de qualquer livro pra mim, e saber que esses são lindamente construídos já é meio caminho andado pra me fazer adorar o livro tanto quanto tu gostou!

  • Lily Viana
    15 mar 2018

    Ola!
    Ja li resenhas dos livros e a história me encanta bastante. A trama é bem envolvente, uma fantasia diferente e já tenho na lista de comprinhas e desejados.

    Meu blog:
    Tempos Literários

  • Catarine Heiter
    13 mar 2018

    Adorei a listinha do convencimento! hehehe
    Lendo você falar assim tão bem dá vontade de sair correndo para adquirir os dois livros… de fato ainda dá tempo de acompanhar a série, mas a minha lista de livros não lidos pode ficar bastante zangada com isso! hehehe

  • Raquel Rodrigues
    12 mar 2018

    Eu nunca tinha visto ou ouvido falar deste livro e nem da autora, mas o livro parece ser muito interessante, amo livros onde alem da protagonista ser feminina, é destemida e não precisa de um macho para proteger haha pelo o que eu vi ela é dona da %$#¨% toda hahaha. Gostei muito de saber que os dialogos são bem desenvolvidos e parecem ser tão reais a ponto de nós imaginarmos a conversa. Me parece ser um livro bem diferente dos outros livros de fantasia, e isso me atraiu bastante. Acho que você conseguiu alcançar sua meta de nos fazer ficar c vontade de ler o livro hahah

  • Pamela Liu
    10 mar 2018

    Oi Débora.
    Já queria muito ler Um tom mais escuro de magia e depois desse post com 3 motivos maravilhosos eu preciso dos livros para ontem rs
    Eu ia comprar o primeiro livro da série na promoção da Saraiva do Dia das mulheres, mas o orçamento não deixou =(
    Adoro histórias que tem personagens femininas fortes. Precisamos de mais personagens assim!
    Beijos

  • Daiane Araújo
    10 mar 2018

    Oi, Débora.

    A Lila acaba sendo um exemplo de mulher forte, né? Até mesmo independente.

    Quero muito conhecer a escrita da Victoria, porém, no momento, continuo não querendo pegar essa série pra ler.

    Estou de olho em um livro independente dela, que ela vai lançar esse ano. ❤

  • Kleyse Oliveira
    09 mar 2018

    Menina. Eu já sou doida para ter esses livros, desde a primeira vez que vi várias resenhas e a premissa da história em vários igs eu fiquei super curiosa para ler.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram