Lista 07nov • 2018

5 livros para quem gostou de O Ódio Que Você Semeia

Algumas leituras nos marcam de formas que nem imaginamos ou percebemos. Escrito por Angie Thomas no ano passado, em sua estreia como autora, O Ódio Que Você Semeia é uma dessas leituras marcantes e impactantes – promovendo, inclusive representatividade e conteúdo para debate e reflexão. Para a alegria de vários leitores, o livro está sendo adaptado para o cinema e, em breve, poderemos assistir.

Ler uma história como a de Starr, protagonista do livro, é a certeza de refletir a respeito de temas como racismo, diversidade, amizade, identidade e  resistência. Sabendo que temos uma espera até outubro, quando finalmente poderemos assistir a essa história nas telonas, e que alguns livros podem servir como um maravilhoso “aquecimento”, trazendo reflexões interessantes. Com isso em mente, aqui estão algumas dicas de leitura que, eu espero, aproveitem!

Americanah, por Chimamanda Ngozi Adichie

Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo que se destaca no meio acadêmico, ela depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra.

Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência.

 

Kindred, por Octavia E. Butler

Em seu vigésimo sexto aniversário, Dana e seu marido estão de mudança para um novo apartamento. Em meio a pilhas de livros e caixas abertas, ela começa a se sentir tonta e cai de joelhos, nauseada. Então, o mundo se despedaça. Dana repentinamente se encontra à beira de uma floresta, próxima a um rio. Uma criança está se afogando e ela corre para salvá-la. Mas, assim que arrasta o menino para fora da água, vê-se diante do cano de uma antiga espingarda.

Em um piscar de olhos, ela está de volta a seu novo apartamento, completamente encharcada. É a experiência mais aterrorizante de sua vida… até acontecer de novo. E de novo. Quanto mais tempo passa no século XIX, numa Maryland pré-Guerra Civil – um lugar perigoso para uma mulher negra –, mais consciente Dana fica de que sua vida pode acabar antes mesmo de ter começado.

A Cor Púrpura, por Alice Walker 

O romance A cor púrpura retrata a dura vida de Celie, uma mulher negra no sul dos Estados Unidos da primeira metade do século XX. Pobre e praticamente analfabeta, Celie foi abusada, física e psicologicamente, desde a infância pelo padrasto e depois pelo marido. Um universo delicado, no entanto, é construído a partir das cartas que Celie escreve e das experiências de amizade e amor, sobretudo com a inesquecível Shug Avery.

Apesar da dramaticidade de seu enredo, A cor púrpura se mostra extremamente atual e nos faz refletir sobre as relações de amor, ódio e poder, em uma sociedade ainda marcada pelas desigualdades de gêneros, etnias e classes sociais.

 

 

Metade de Um Sol Amarelo, por Chimamanda Ngozi Adichie

Em meio à guerra fratricida que dividiu a Nigéria com a malograda tentativa de fundação do estado independente de Biafra, um grupo de pessoas busca provar a si mesmas e ao mundo que é capaz não só de sobreviver, mas também de resguardar seus sonhos e sua integridade moral. Garoto de aldeia, Ugwu procura se ajustar a uma realidade em rápida transformação. Olanna é uma moça da alta sociedade que se torna professora universitária e vive com Odenigbo, que abraça a causa revolucionária.

Jornalista com ambição de se tornar escritor, Richard se apaixona pela irmã de Olanna, Kainene, figura esquiva, que reage com pragmatismo ao desmoronamento da nação. Baseado em fatos reais transcorridos na década de 1960, este romance da premiada escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie vai além do mero relato, transformando- se em um grandioso painel sobre indivíduos vivendo em tempos de exceção, um livro que a crítica internacional aproxima de V. S. Naipaul, Chinua Achebe e Nadine Gordimer.

Persépolis, por Marjane Satrapi

Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita – apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa.

Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares.
Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama – e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.

 

Eu espero que vocês tenham gostado muito dessa lista! Não deixa de me contar aqui nos comentários se vocês já leram algum desses livros ou quais livros vocês recomendariam para fazer parte dessa lista. Saber o que vocês gostam de ler é essencial para o blog viu? E não esqueça de se inscrever para participar do top comentarista de novembro, ok? Tem muita leitura maravilhosa esperando por você!

Rafaela Rodrigues ver todos os artigos
Estudante de Letras Port/Inglês/Literaturas, viciada em livros, textos e séries. Português ou inglês? Ah, tá muito ocupada com um desses hobbies pra poder decidir. É prima (bem) distante da Beyoncé e um dia vai ser dona de uma editora e lançar todas as continuações dos livros que gosta, mas que nem os próprios autores quiseram escrever.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

9 Comentários

  • Vitória Pantielly
    13 nov 2018

    Oi Rapha,
    Eu ainda não tive oportunidade de ler O ódio que você semeia, mas pretendo, e pelas resenhas que acompanhei, sei que é um livro emocionante.
    Acho importante demais que livros no mesmo estilo sejam escritos, são histórias que, mesmo ficção, se baseiam na realidade, e deve-se falar sobre isso!
    Muito bacana a lista que montou, eu não os conhecia, mas alguns livros pra acrescentar na lista!
    Beijos

  • Pamela Liu
    09 nov 2018

    Oi Rafa.
    Adorei as indicações.
    Não li nenhum dos livros.
    Mas quero muito ler Kindred, A cor púrpura e Persépolis. Parecem ótimos.
    Na verdade ainda preciso ler O ódio que você semeia.
    Todos os livros abordam temas importantíssimos sobre racismo e preconceito, que infelizmente, ainda é muito atual e presente nos dias de hoje.
    Beijos

  • Aline M. Oliveira
    09 nov 2018

    Oi! Eu não li O ódio que você semeia ainda, mas ele está no topo da lista de desejos com certeza! Além de todos os elogios a história e a escrita, ainda tem todo o contexto atualíssimo sobre racismo, preconceitos e a maneira como o mundo hoje está se tornando perigoso para os diferentes. Dos outros livros citados eu já li A cor púrpura e confesso que fiquei um bom tempo de ressaca, e me sentindo triste demais.. Quero muito ler Kindred e Persépolis, que me chamou a atenção justamente por se tratar de algo relativamente distante de nós. Obrigada pelas dicas!

    Bjoxx

  • Maira Schein
    09 nov 2018

    Acho muito importante a gente ler e falar sobre livros com temáticas tão importantes quanto essa, ainda mais nesse momento que a gente está vivendo. O ódio que você semeia está na minha tbr há um tempo já, assim como A cor púrpura e Americanah. Com certeza vou ler ele antes de assistir a adaptação. Confesso que ainda não li mas acredito que O sol é para todos também se encaixa nessa temática, né?
    Não conhecia Kindred e nem Persépolis mas me interessei muito pelas propostas deles.

  • Kleyse Oliveira
    07 nov 2018

    Oi Rafa!
    Dos citados eu só conhecia alguns que já estavam na minha wishlist para comprar futuramente, os outros também já vão para minha wishlist. Só de ler essas sinopses já fiquei arrepiada e sei quando tiver para ler já sei que irei ficar impactada assim quando li O Ódio que você semeia, que estou mega ansiosa para assistir quando sair nos cinemas, só de ver o trailer me arrepeie toda novamente. Eu tenho plena convicção que quem for assistir independente se leu ou não o livro vai sair da sala de cinema totalmente emocionados e impactados.

  • Luana Martins
    07 nov 2018

    Oi, Rafaela
    É uma pena mas ainda não li nenhum desses livros.
    Estou ansiosa para ver o filme baseado no livro O Ódio Que Você Semeia.
    Muito obrigada pela dica, vou anotar os livros na minha lista.
    Beijos

  • Ludyanne Carvalho
    07 nov 2018

    Ah, amei O ódio que você semeia, é uma leitura e tanto, nos traz muitas reflexões.
    Preciso conhecer a escrita da Chimamanda, esses dois livros parecem bem interessante.
    Fiquei interessada em A cor púrpura também.
    Só o da Otacvia que não me chama atenção, o gênero não me agrada.

  • Angela Cunha
    07 nov 2018

    Como ainda não li O Ódio Que Você Semeia, vou incluir ele também nesta lista(já está incluso faz tempo).rs
    O tema é muito forte e com a chegada do filme, tudo vai ficando ainda mais convidativo.
    Li muita coisa positiva sobre a obra e espero ler e ter em breve.
    Agora dos citados, só li e tenho Kindred! Que foi uma das minhas melhores leituras neste ano que está terminando!
    Super indicado, para incomodar mesmo!
    Beijo

  • […] sobre fazer a leitura (ou ainda nem pensou nisso), vou tentar te convencer a, ao final desse post, correr para devorar as páginas incríveis desse livro. Deixa eu te ajudar a garantir a leitura da […]

  • Siga o @laoliphantblogInstagram