Lista 13nov • 2018

4 livros que representam bem a bissexualidade

Faz algum tempo que eu venho tentando trazer esse assunto aqui para o blog. Eu me lembro da primeira vez que eu estava conversando com o Vinicius sobre isso, anos atrás, quando os enredos LGBTs ainda não tinham tanta visibilidade quanto tem agora. Nós estávamos debatendo sobre a importância desse tipo de personagem, até o Vinicius questionou se eu já tinha lido algum livro onde o protagonista era bissexual e eu realmente não consegui pensar em nenhum.

Bem, os anos foram passando e a sociedade começou a perceber que a comunidade LGBT+ existe e que não vai a lugar algum, os autores se sentiram mais confiantes para abordar personagens com diferentes orientações sexuais e a comunidade dos bissexuais começou a sentir uma  necessidade maior de mostrar para o mundo que eles existem sim e que precisam ser visto.

Para a nossa sorte, a literatura nunca nos abandona e alguns autores conseguiram criar enredos que, em sua essência, conseguem criar um retrato muito realista do que é ser bissexual e como é importante que as pessoas tenham a percepção de que ela existe.

Conheça abaixo alguns livros que representam muito bem a bissexualidade:

Rainhas Geek, por Jen Wild

Charlie é youtuber, atriz, bissexual… E uma das atrações principais da SupaCon, a convenção de cultura pop mais famosa do mundo. Essa é sua chance de mostrar aos fãs que superou seu término público com o ex-namorado – e coestrela de seu último filme – Reese Ryan. O reencontro de Charlie e Reese deixa o clima pesado, mas quando a it girl Alyssa Huntington aparece como convidada surpresa no evento, o que Charlie pensava ser apenas um crush de internet se mostra muito real.

Melhor amiga de Charlie, Taylor quer ser invisível. Seu cérebro parece estar programado para funcionar de maneira diferente das outras pessoas e ela gosta de rotina e estabilidade. A única mudança que ela quer em sua vida é no status de sua amizade com Jamie, o que ela sabe que nunca acontecerá. Mas, ao ouvir sobre um concurso de cosplay de seu fandom favorito, Taylor começa a repensar até onde vai seu medo de se destacar.

Honeybee, por Trista Mateer

Você conhecerá pessoas em sua vida que exigem ter poemas escritos sobre elas. Não é algo que elas dizem. É algo sobre suas mãos, a forma de suas bocas, a maneira como elas parecem se afastar de você. Honeybee é uma visão honesta sobre deixar e ainda sentir como se estivesse sido deixado. É sobre cortar o amor como se corta uma linha de pipa e rezar para que o vento tenha a decência de levá-lo para longe de você.

É uma ode para frente e para trás, o processo de deixar algo acontecer, mas não saber quando deixá-lo. São garotas de cidade pequena e passagens de avião, um gosto de ternura e mel, o curativo na picada de abelha.

É um lembrete de que você não é definido pelas pessoas de quem você se afasta ou pelas pessoas que se afastam de você. Considere a Honeybee um livro de memórias em verso ou, no mínimo, uma história escrita por uma das poetas mais confessionais da atualidade.

Bi: Notes for a Bisexual Revolution, por Shiri Eisner

Representada como uma duplicidade, traidora e promíscua, a bissexualidade tem sido suspeita, marginalizada e rejeitada por comunidades heterossexuais e gays.

Bi tem uma visão abrangente da política bissexual, desde as questões que envolvem a bifobia / monossexismo, feminismo e transgenerismo até a prática de rotular aqueles que se identificam como bi “bissexuais demais” (promíscuos e incapazes de fidelidade) ou “não-bissexuais”. bissexual o suficiente “(não se envolver ativamente romanticamente ou sexualmente com pessoas de pelo menos dois gêneros diferentes). Neste livro visionário e perspicaz, a ativista bissexual e de gênero feminista, Shiri Eisner, leva os leitores a uma jornada através dos muitos aspectos dos significados e políticas da bissexualidade, destacando especificamente como a bissexualidade pode abrir novas e excitantes maneiras de desafiar a convenção social.

Informado pela teoria feminista, transgênero e queer, assim como política e ativismo, Bi é um manifesto radical de um grupo que tem sido freqüentemente silenciado, apagado e negado – e um ponto de partida para o lançamento de uma revolução bissexual.

The Brightsiders, por Jen Wilde

Como baterista de rock na banda de sucesso The Brightsiders, a vida de Emmy King deveruia ser perfeita. Mas não há nada que os paparazzi amem mais do que assistir a uma celebridade se autodestruir. Quando em uma noite de festas acaba colocando Emmy no hospital, ela acaba se tornando a capa de todos os tabloids

Felizmente, Emmy tem seus amigos e companheiros de banda, incluindo o super-swoonworthy Alfie, para ajudá-la a recolher os pedaços de sua vida. Ela sabe que ficar com um membro da banda é exatamente o tipo de problema que ela deveria estar evitando, e ainda Emmy e Alfie só estejam se beijando.

Será que o resultado inevitável a transformará em um escândalo de clickbait (de novo)? Ou ela encontrará forças para ficar sozinha?

 

A bissexualidade é algo que eu quero muito que seja trabalhada em outros livros, não só apenas em Young Adults e poemas. Eu acho importante que o meio literário seja uma porta para começarmos a falar desses assuntos, desmistificando padrões e fazendo com que as pessoas percam seus preconceitos.

E se você conhece algum livro que aborde a bissexualidade de uma forma interessante, não deixa de colocar aqui pra mim nos comentários, tá?

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

13 Comentários

  • […] a um bom tempo, e felizmente essa leitura foi simplesmente incrível. Além de ser tão divertido e cheio de diálogos maravilhosos quanto eu achei que seria, o livro ainda apresentou um outro lado totalmente diferente que eu não esperava encontrar, mas […]

  • Luana Martins
    29 nov 2018

    Oi, Débora
    Ainda não li nenhum livro que aborde LGBTQ, mas quero muito começar a ler.
    De todos esses livros só vi uns comentários sobre o livro Rainhas Geek mas não sabia que a protagonista era bissexual.
    Beijos

  • Alice Pereira
    29 nov 2018

    Eu nunca li um LGBT que focasse na bissexualidade, porém já tinha em mente fazê-lo. Entre os listados conheço apenas um deles, Rainhas Geek foi mencionado bastante há uns meses, e não sabia que tinha essa temática. Honeybee me parece tão singelo. Amo um universo poético.

  • Patrini Viero
    28 nov 2018

    Pensando sobre isso agora, percebi que nunca li nada que abordasse a bissexualidade, pelo menos não de forma explícita. Acho que esse é um assunto cada vez mais urgente, assim como tudo que envolve a comunidade LGBT+ e todas as outras minorias por tanto tempo caladas na nossa sociedade. Gostei da opções que tu deu, apesar de não conseguir ter acesso a todos, pela questão da não tradução.

  • Bianca Melo
    27 nov 2018

    Ter livros com essa temática é importante demais. Nunca li um livro do tipo, apesar de já ter lido alguns que abordam a homossexualidade. Acredito que isso seja mais um obstáculo, afinal, a bissexualidade sofre preconceito de todos os lados – entre héteros e homos. Adorei a sinopse de Rainha Geek, mas fiquei ainda mais curiosa para ler Bi, que parece ser uma ótima base pra se ter contato antes de ler os demais.

  • Pamela Liu
    18 nov 2018

    Oi Débora.
    Ainda não li nenhum livro sobre bissexualidade, então adorei todas as suas dicas.
    Fiquei super curiosa para ler Rainhas Geek e The Brightsiders.
    Acho muito importantes esses assuntos serem tratados com mais naturalidade entre as pessoas. Todas merecem respeito, independente da sua orientação sexual. Não sei por que isso é tão diferente de se entender.
    Beijos

  • sarah castro
    15 nov 2018

    Rainhas Geek está na minha lista de leitura, os demais eu não conhecia. Eu não lembro o primeiro livro que li com personagens bi, tanto como algum integrante do grupo, amigo ou o personagem principal. Só recordo de “Leah Fora de Sintonia” no momento pois foi o que eu li esse ano e eu devorei (não concordei com alguns pontos, porém meu coração sempre se entrega a Becky no final da leitura haha) porém fico feliz por esta ganhando voz e os autores se sentindo a vontade de abrir o leque e também sair do padrão e ser espontâneo, sem aquela necessidade de ter que explicar: oi meu personagem é bi/gay/lésbica e apenas acontecer como toda estória aonde nada é explicado. E como dizem: o B do LGBTs não é de bixcoito

  • Ludyanne Carvalho
    14 nov 2018

    Pois é, são poucos livros que abordam a bissexualidade; confesso que nunca li nada nesse estilo.
    Mas quero muito ler Rainhas Geek, e e tenho aqui Leah fora de sintonia, espero ler em breve.

    Beijos

  • Aline M. Oliveira
    14 nov 2018

    Oi! Você falou algo bem real, eu acho que nunca li nada com um personagem bissexual. Preciso atualizar isso! foi ótimo conhecer esses livros, apesar de já ter visto alguns por aí. Eu sinceramente não me importo em ler histórias com esse tema, qual a diferença deles pra outros? Acho inclusive que poderia sempre ter posts com dicas de leituras assim, diferentes das que a gente tá acostumado, pra incluir e fazerem as pessoas perceberem que todo mundo ama, tem dúvidas, e sofre como todo mundo ué.

    Bjoxx

  • Maira Schein
    14 nov 2018

    Por o que posso me lembrar ainda não li nada que traz esse tipo de representatividade, e isso é triste. Não conhecia nenhum dos livros que tu citou mas já anotei alguns títulos. Fico pensando em como esses livros com personagens lgbtq são importantes pois há poucos anos realmente não existiam muitas opções de leituras com essas representatividades.

  • Angela Cunha
    14 nov 2018

    Acho muito bacana que os tempos venham mudando. Lentamente, mas ainda assim, mudando positivamente! Mais e mais livros com este tema tem surgido e agradado muitos todos os leitores!
    Eu sinceramente não consigo me recordar de nenhum livro que traga bissexualidade e também não conhecia nenhum dos livros citados acima, por isso, já vou é procurar por todos para poder conhecer mais um pouco!!
    Beijo

  • Vitória Pantielly
    13 nov 2018

    Débora,
    Menina, nunca li nenhum livro que fala sobre bissexualidade, e sempre fiquei curiosa em relação ao tema, acho que essa diversidade deve sempre ser colocada em livros.
    Gostei de todos citados, não os conhecia, particularmente The Brightsiders me chama bastante atenção, desde a capa, até a sinopse. Quero ler…
    Beijos

  • Kleyse Oliveira
    13 nov 2018

    Olá Débora.
    Dos que você citou eu só conhecia Rainha Geek, que quero muito adquirir ano que vem para ler. Esses outros também vão para minha wishlist pois gostei da capa e da premissa de cada um.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram