Lista 27set • 2018

3 motivos para você ler O Ódio Que Você Semeia

Eu poderia facilmente andar por aí com uma camiseta com os dizeres “Você precisa ler!” e com a capa do livro de Angie Thomas, O Ódio Que Você Semeia. A leitura desse livro mexe com o leitor de uma forma indescritível, causando aquele mix de emoções maravilhoso que só um livro verdadeiramente impactante consegue causar. A adaptação dele para o cinema é apenas uma prova de que a história vale sua atenção.

Se você ainda não leu a história de Starr e sua família, e se ainda está em cima do muro sobre fazer a leitura (ou ainda nem pensou nisso), vou tentar te convencer a, ao final desse post, correr para devorar as páginas incríveis desse livro. Deixa eu te ajudar a garantir a leitura da semana:

O enredo é muito bem estruturado

Enredo bem construído é muito importante, item imprescindível em qualquer livro. Angie Thomas, a autora, conseguiu criar um roteiro bem estruturado e todo bem entrelaçado, logo de primeira. Digo isso porque O Ódio Que Você Semeia é sua obra de estreia. Autores que acertam de primeira merecem congratulações em forma de leitura. O livro aborda temas de forma interessante e consistente, que facilmente podem servir para alimentar uma eventual conversa ou debate.

Todos os personagens da história te conquistam de alguma forma. Não há um momento da leitura em que você consiga se esquecer dos personagens apresentados, construídos e desenvolvidos. Nasce um carinho, uma preocupação. Nem parece que estão no papel! Starr, seus irmãos, a relação com seus pais – que família! – e mesmo as situações envolvendo suas amigas, acabam cativando.

Realidade e ficção caminham lado a lado

Realidade em meio à ficção? Tem, muita. Se você gosta de livros que conseguem fazer boa conexão da realidade com o mundo fictício, essa é uma boa escolha. Trazendo temas atuais e complexos em seu enredo, Angie Thomas consegue nos fazer vivenciar e visualizar suas cenas criadas de forma muito real, pois é tudo muito palpável. Para descobrir mais a respeito do que é abordado, temos resenha aqui no La Oliphant.

A autora “coloca o dedo na ferida” de maneira responsável, afinal, estamos falando de realidade e temas complexos, delicados. Racismo, resistência, assassinato do jovem negro, conciliação de universos diferentes e a questão de ser quem você realmente é estão presentes no livro e são tratadas de forma crua, verdadeira, e muito bem abordadas. Repetindo, Angie Thomas aborda tais assuntos de forma responsável, ainda que na ficção.

Sutileza

Por último, a autora nos envolve em seu livro, em seu universo, com tamanha sutileza que, ainda que nos encontremos chorando em determinados momentos por conta das cenas fortes e reflexões geradas, é impossível finalizar a leitura sem esboçar alívio em vários momentos, sem esboçar tranquilidade por toda a história ter sido transmitida de forma responsável e compromissada com a realidade.

Talvez eu não tenha conseguido convencer você a dar uma chance ao livro. Foi difícil segurar o spoiler e não me render a simplesmente te pedir, pelo amor, para que faça a leitura. Mas a verdade é que, ainda que eu atribua muitos elogios a esse livro, ou mesmo que eu descreva tudo o que senti, a melhor pessoa para decidir se gosta ou não, ou como vai se sentir, é você. Inclusive, se ajudar em algo e você ainda precisar de mais motivos, basta conferir a resenha do livro aqui no blog. Boa leitura!

Rafaela Rodrigues ver todos os artigos
Estudante de Letras Port/Inglês/Literaturas, viciada em livros, textos e séries. Português ou inglês? Ah, tá muito ocupada com um desses hobbies pra poder decidir. É prima (bem) distante da Beyoncé e um dia vai ser dona de uma editora e lançar todas as continuações dos livros que gosta, mas que nem os próprios autores quiseram escrever.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

7 Comentários

  • Michelli Prado
    30 set 2018

    Realmente este é um tipo de livro que merece mais de mil indicações de leitura!! Mas tenho que concordar demais com estes itens que mencionou. Este é um livro que indico demais , e sempre vou querer releer.

  • Luana Martins
    30 set 2018

    Olá, Rafaela
    Ainda não li o livro, mas quero muito ler.
    Esse livro esta na minha lista de desejos, depois dos 3 motivos, virou prioridade.
    Mesmo sendo um livro de estreia da autora e ainda com a adaptação, que estou ansiosa para a estreia também.
    Beijos!

  • Ludyanne Carvalho
    28 set 2018

    Eu amo esse livros e amei os 3 motivos.
    O ódio que você semeia é um livro que traz uma mensagem importantíssima.
    E gostei que a autora equilibrou a parte densa da história com a leveza que é família da Starr.
    Só leiam esse livro, por todos os Kallis.

    Beijos

  • Pamela Liu
    28 set 2018

    Oi Rafaela.
    Adorei seus 3 motivos para ler O ódio que você semeia.
    Eu o tenho na minha estante, mas ainda não li.
    Acho ótimo quando os autores fazem uma boa construção da trama, sem deixar muitas pontas soltas ou faltar coerência na história. Parece que a autora fez um ótimo trabalho nesse quesito, ainda mais sendo seu livro de estreia.
    Além disso, adoro livros que me faz refletir, mesmo que seja um tapa na cara, pois às vezes precisamos disso para enxergar outro ponto de vista e ter empatia.
    Beijos

  • Kleyse Oliveira
    28 set 2018

    Super concordo com você Rafaela!
    Eu li ele em ebook e simplesmente fiquei impactada com a história, pela primeira vez vi uma autora que escreveu a realidade em forma de livro, um livro desses deveria ser lido pelo planeta todo.
    Quero um dia comprar o físico para reler pois mesmo que é tapa na cara da sociedade também serve como aprendizado.

  • Daiane Araújo
    27 set 2018

    Oi, Rafaela,

    Esse é um livro que eu tenho pretensão em ler, pela profundidade contida no mesmo.

  • […] teria algum impacto, grande ou pequeno. Minhas expectativas se misturaram com o frio na barriga e eu soube que esse livro poderia ser bem significativo pra mim – não se tornaria uma bíblia ou algo do tipo, mas me tocaria de algum modo, me passaria alguma […]

  • Siga o @laoliphantblogInstagram