Literaría 04maio • 2016

HQs vs. Graphic Novels vs. Mangá

Coringa

Mais um mês se inicia, e mais uma vez trazemos para vocês um novo especial. Foi ideia do Vinicius que no especial de Maio falássemos um pouco sobre Histórias em Quadrinho, esse gênero literário que fez parte da minha infância durante anos, mas que com o tempo foi sendo deixado de lado. Particularmente? Eu achei ótimo, principalmente porque me deu oportunidade para levantar a questão que sempre me incomodou e que, até então – com a ajuda da Paac Rodrigues – eu nunca soube responder: Qual a diferença entre Graphic Novel, História em Quadrinho e os Mangás?

Podem me julgar. Eu não sou muito conhecedora do universo dos quadrinhos, acho que nunca li nenhuma Graphic Novel na minha vida e os mangás que eu leio são todos Shoujo e pouca gente conhece. Mas o gênero sempre me chamou atenção. As ilustrações são ótimas, as histórias estão ganhando os cinemas ultimamente e eu tenho uma quantidade boa de amigos engajados nesse tipo de leitura. Então acho que é justificável querer saber mais desse universo ao invés de fingir que eu domino o assunto, não é mesmo? Então vamos as minhas pequenas descobertas.

Histórias em Quadrinhos (HQ)

histórias em quadrinhos

“HQ, são revistinhas, que você acompanha em um período determinado, algumas saem de dois em dois dias, uma vez por semana, uma vez por mês ou uma em cada dois anos, isso vai variar de acordo com o que a Editora quer.”

Já que estamos construindo essa publicação na base da honestidade, devo dizer que quando fui buscar a definição de HQ na internet, as respostas foram sempre curtas e óbvias, sem nenhum detalhe “a mais” que pudesse me ajudar. Foram poucos os links que realmente se aprofundaram no assunto, então eu resolvi fazer um copilado das informações que eu consegui e que foram relevantes para entender melhor o assunto.

Histórias em Quadrinhos é um termo já muito antigo e por isso acabou se tornando mais comum. São histórias contadas de forma gráfica e surgiram em folhetins de jornal, na época com uma linguagem muito mais limitada que hoje. Com o tempo, muitos artistas começaram a investir nesse tipo de mídia e, aos poucos, foram criando uma linguagem própria. Foi assim que histórias de detetives e super-heróis começavam a preencher páginas dos jornais e também ganharam suas próprias publicações em revistas semanais.

Graphic Novels

graphic novel

Graphic Novel, é uma edição mais especial, muitas vezes tem capa dura e folhas nobres, mas esse não é o principal motivo, e sim porque em um quadrinho só, ele conta apenas uma história e acaba ali, você não precisa acompanhar a série inteira, você não precisa comprar mais nenhuma, é apenas uma história.

As graphics sempre foram o tipo de leitura que mais me intrigou. Já vi diversas nas livrarias, mas confesso que nunca li uma de fato. E, pra ser sincera, a dúvida que eu tinha sobre a diferença de uma graphic para uma HQ foi o maior motivo de eu ter começado a escrever esse post. Afinal, por mais leigo que isso possa soar, eu sempre tive a sensação de ambos eram muito parecidos, apesar de virem em estruturas diferentes, e agora eu finalmente consegui abrir os olhos.

As Graphic Novels possuem histórias fechadas, com início, meio e fim. Vale ressaltar que, às vezes, elas podem ter uma continuação, mas nunca vão chegar a ser uma série de banca. O estilo do artista também é um grande fator que ajuda na diferenciação de Graphic Novels e HQs. Como são histórias fechadas, existe um pouco mais de dedicação no seu modelo gráfico, ganhando assim, um estilo de desenho diferenciado. Além disso, as Graphics têm um formato diferente e mais dedicação e cuidado na sua impressão.

Mangá

mangas

“Mangá é a forma como eles chamam no Japão uma História em Quadrinhos (HQ). Mangá literalmente significa “História em Quadrinhos” ou seja, é uma versão Japonesa de uma HQ. Além dos traços serem totalmente diferentes, a forma de desenhar e o comportamento dos personagens.”

A primeira coisa que eu acho importante falar é que a maioria – existem algumas edições especiais coloridas – dos mangás são em preto e branco, diferente das HQs que conhecemos, que são cheias de cores. O mangá também é  extremamente segmentados, e quando eu digo “extremamente”, eu não estou exagerando. Eles atingem diversas faixas etárias no japão e possuem diversos gêneros como Shounen (ou Shônen), que são mangás direcionados ao público masculino o e os mangás Shoujo (ou Shôjo), que são mangás direcionados para o público feminino.

Os magás possuem uma narrativa mais lenta e que privilegia o sentimento e a relação do protagonista com os outros a sua volta. Por isso, normalmente os mangás são compostos de arcos diferentes que se fecham na história completa. Basicamente, os mangás são divididos em vários capítulos, uma quantidade x de capítulos definem um arco da história e cada arco dessa história ajuda a compor a história completa do mangá. Confuso? Eu também achei, mas depois que eu refleti um pouco, fez sentido. Além disso, esse tipo de leitura possui traços mais complexos em relação as expressões do rosto e alguns detalhes são mais fantasiosos como os cabelos coloridos e roupas extremamente elaboradas.

Deu para pegar a diferença entre estes três tipos de leitura? Confesso que quando eu comecei a construir essa publicação eu me senti um pouco perdida. É tudo muito parecido, mas ao mesmo tempo são completamente diferentes. Além disso, eu preciso muito agradecer a Paac do My Little Garden of Ideas por ter sido a luz do meu caminho durante esse mergulho no universo dos quadrinhos. Me sinto bem mais confiante agora que desvendei os mistérios desse assunto.

E não se esqueçam, durante o mês de Maio estaremos explorando mais sobre esse universo, então não deixem de acompanhar as próximas publicações do La Oliphant para conhecer mais sobre HQs, Graphic Novels e Mangás. Ah, e comentem aqui qual desses três tipos de leitura vocês estão mais familiarizados, é sempre bom saber no que vocês andam se aventurando por aí!

Fontes de Pesquisa: Censanet, Conversa Cult, Rainha dos Livros, Midializado

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

11 Comentários

  • Italo TEIXEIRA
    20 maio 2016

    Oi Debora, tudo bem?
    Sendo bem honesto eu só sabia o que era mangá. Não sabia da diferença entre Gaphic Novels ou Quadrinhos.
    Acho esse universo bem bacana, mas não tenho interesse em me aprofundar nele.

  • Quando mais nova eu lia muito mangas por influencia dos amigos, HQ era de vez em quando mas gostava dessa diferença de traços e culturas. Bjs

  • Monalisa Marques
    14 maio 2016

    Caramba, muito obrigada por esse post, sério mesmo! Eu faço uma confusão bizarra entre hq e graphic novel, acho até que fiz isso na minha entrevista com o David Lloyd, de V de Vingança! O.o Socorro! hahaha

  • Larissa Maciel
    11 maio 2016

    Oláaa! Eu tinha muitos quadrinhos do Sesinho, acho que ele se encaixa na categoria de quadrinho, já que saia uma vez por mês, até hoje tenho minha coleção e de vez em quando leio. Graphic Novel acho um trabalho bem detalhado, elaborado e lindo, nunca li nenhum, mas tenho vontade de comprar os dois que lançaram da Saga Crepúsculo, os desenhos são impecáveis. Hq nunca li e acho que não tenho vontade de ler, não sei, eles nao me agradam, pois sempre são muitos e series e assim vai!
    Adorei o post!

    Beijão da Lari!
    http://brilliantdiamond-bg.blogspot.com.br/

  • Déborah Araújo
    11 maio 2016

    Débora, amei o post, pois é um assunto que sou apaixonada.
    Amo tanto Graphic Novels como HQ, só tenho um pouco de bloqueio com mangá porque ainda me confundo na ordem de leitura.

    Lisossomos

  • Karla Samira
    11 maio 2016

    Olá! Achei bem legal seu post, eu mesma não sabia a diferença entre esses três estilos de histórias com ilustrações específicas. Confesso que não gosto muito dos rostos dos mangás, esses olhos grandes parecem me passar um pouco de medo (porque tenho 3 anos de idade… Kkkk). O que mais li na infância e adolescência foram HQ simples mesmo, nada de muito rebuscado. Vou procurar saber mais desse universo.
    Beijos!

    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

  • Debyh
    10 maio 2016

    Olá,
    Eu estou tão acostumada a ler mangás que quando pego uma HQ meio que fico perdida em meio a tantas cores hahahaha
    Confesso que o traço e a história dos mangás me atraem mais do que as de HQ, que por muitas vezes ou são realistas de mais ou exageradas, então prefiro mangás mesmo.

    http://euinsisto.com.br

  • Rodrigo Costa
    08 maio 2016

    Achei o post super útil e muito conveniente pra mim, já que acabei de terminar meu primeiro mangá. Senti falta de você especificar a ordem de leitura dos mangás,que é algo bem interessante e diferente.

  • alice aguiar
    08 maio 2016

    oi ^^ gostei do post, bem instrutivo para quem não conhece nenhum das plataformas de leitura.
    particularmente esse ano tem sido o dos hqs pra mim. li por volta de uns 130 até agora XD

  • Sandra
    05 maio 2016

    Hey, Déborah!

    Muito legal o seu post!
    Eu também não sabia a diferença entre HQ e GN, você me esclareceu!
    E sobre mangá eu não sabia nada mesmo… rsrs.
    Já não curto mais HQs/GNs, prefiro os livros mesmo, por isso não tenho familiaridade com os diferentes tipos.

    Beijos!

  • Vitória Michel
    04 maio 2016

    Oii!
    Adoro esse tema, sempre bom mostrar que ha sim uma diferença entre cada um! Não leio muitos HQs nem Graphic Novels, mas sou muuuuito fã de mangás! Tanto de Shoujos como de Terror!

    Vitória, http://www.vicio-de-leitura.com

  • Siga o @laoliphantblogInstagram