Literaría 09ago • 2018

Romance é inútil e outras coisas que você precisa parar de dizer

Hoje nós vamos falar sobre o gênero romance. E se você já revirou os olhos e pensou que esse post não é para você, fique sabendo que é sim. Eu estava conversando com umas amigas outro dia e nós percebemos que sempre que indicamos algum livro, existe uma certa preocupação em sinalizar para a pessoa o romance do livro. Quem nunca, não é? “Ah, esse tem pouco romance.”, “Ah, eu acho que o romance desse livro não vai te incomodar.”, “Ah, esse livro quase não tem romance.”, como se isso fosse uma coisa muito ruim.

Bem, eu sou uma leitora de romance e sempre que alguém olha a minha estante, me pergunta: “Você lê muito romance, não é?” E o tom de voz dessa pessoa é sempre de desprezo ou diminuindo o meu gosto literário nas entrelinhas. Durante muito tempo, confesso que isso me incomodou. As pessoas se sentiam mais confortáveis quando eu dizia que o livro era sobre aventura, mistério, terror, mas quando a palavra romance aparecia, era como se a vontade de ler o livro se esvaísse na hora.

Então me digam, o que é que vocês têm contra o romance?

Eu ainda não tinha percebido como o gênero é colocado em um patamar tão baixo entre os leitores até ler o artigo que eu vou compartilhar com vocês hoje. Basicamente é como se leitores de romance não fossem realmente leitores, assim como autores que escrevem romances, às vezes são desprezados como autores. E eu me pergunto, qual o problema? Para minha sorte, Sarah Nicola se fez a mesma pergunta em seu post no Book Riot e seu ponto de vista sobre o assunto foi tão único que eu resolvi compartilhar com vocês.

Confiram a tradução completa do texto abaixo:

Quando as pessoas descobrem que você é um leitor de romance, você recebe uma de duas respostas. A primeira, e melhor, é uma conversa animada sobre suas leituras do gênero mais recentes. O segundo geralmente envolve um lábio curvado, uma elevação da sobrancelha ou um enrugamento do nariz, seguido imediatamente por um dos vários – intencionalmente ou não – de insultos. Não há muito meio-termo. Na maioria das vezes, as pessoas amam romance ou desprezam.

O nível de irritação, repugnância e desinformação que nos sobrevoa de fora da comunidade romântica é incomparável (embora os leitores da YA tenham sua própria visão disso). O romance é o gênero mais vendido na ficção, mas sua popularidade só é rivalizada pela quantidade copiosa de pensamentos hipócritas que dispensam esse gênero e seus leitores (84% feminino). As pessoas dizem coisas para os leitores de romance que ninguém diria aos leitores de qualquer outro gênero.

“Não consigo ler essas coisas inúteis”. Diga-me, exatamente, o que há de tão impreciso em relação a uma pessoa que procura o que quer e encontra a felicidade? As pessoas parecem especialmente desconfortáveis ​​com uma mulher que assume o controle de sua sexualidade e se recusa a ter vergonha de seus desejos. Por que usar peitos oleosos para anunciar cheeseburgers perfeitamente bem, mas quando essa mesma mulher encontra um relacionamento satisfatório, consensual, é repentinamente sem valor?

“Não há nada errado com uma leiturinha que te dê peazer secretamente.” Essa pode parecer inocente na superfície, mas duas coisas: uma, não há nada de errado por duas pessoas se apaixonarem loucamente uma pela outra. Dois, eu não preciso da sua permissão/perdão para aproveitar esses livros. Eu não disse que havia algo “errado” com isso em primeiro lugar. Você está insinuando que há algo sujo ou vergonhoso sobre ler romances. Muitos leitores têm vergonha de admitir que leem romance precisamente devido a comentários como esses. (Eu digo, gritem orgulhosos, companheiros amantes do amor. Não deixe que a mente fechada de ninguém diminua sua alegria.)

“Como você pode ler mais de um? Todos os livros de romance são os mesmos.” Sim, ok, claro. Da mesma forma que todos os thrillers ou mistérios, óperas espaciais ou programas policiais ou belos sonetos incríveis são os mesmos. Cada categoria ou gênero tem suas convenções, mas por que isso é apenas uma crítica quando estamos falando de romances?

“Você não parece o tipo que lê romance.” Eu nunca sei exatamente o que eles querem dizer com isso. É porque sou uma profissional bem-sucedida e inteligente? É que estou em um relacionamento romântico saudável e satisfatório? É porque eu sou atlética, uso meu cabelo em um rabo de cavalo todo dia, e não me importo se eu quebrei uma unha? Qual é o “tipo” de que você está falando aqui?

Ouça, queridos. Existem milhões de leitores de romances e, não importa o quanto você tente, você não pode colocar todos na mesma caixa. Somos femininos e masculinos e não binários. Somos doutores e contadores e funcionários de varejo e pais que ficam em casa. Somos ricos e pobres e tudo mais. Somos magros e gordos e atléticos e possuímos autoconfiança em vários graus, mas somos todos lindos de uma forma que só nós podemos ser. Somos felizes solteiros e amorosamente casados ​ e representamos cada ponto decimal na escala de Kinsey. Nós somos moleques e hiperfemininos e todo estereótipo que você tenta usar para nos rotular e nos diminuir.

Você sabe o que realmente temos em comum? Cada um de nós? Só tem uma coisa: lemos romance, apesar de frequentemente o gênero não receber o respeito que merece.

Aqui está a coisa. Há atividades que não gosto. Você me diz que gosta de assistir beisebol ou tricotar ou ler contos literários traduzidos do alemão ou comer couve ou qualquer outra coisa, enquanto eu prefiro sentar em um quarto vazio, sem ter o que fazer? Eu vou sorrir e dizer “isso é legal” ou talvez “se divirta”. Você sabe o que eu não vou fazer? Insultá-lo por desfrutar de um passatempo perfeito e respeitável. Eu não vou pensar menos de você ou ridicularizá-lo ou fazer caretas para você até que fiquemos muito desconfortáveis ​​para ficar perto um do outro.

Então não faça isso com a gente. Nós lemos romance e não somos desprezíveis ou culpados ou anti-feministas ou não inteligentes ou homogêneos. Nós lemos romance e somos incríveis. #sorrynotsorry

Gostou desta publicação? Então não esqueça de compartilhar com seus amigos!

Créditos de Imagem: Imagem 01, Imagem 02, Imagem 03

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

7 Comentários

  • […] um gênero amado por muitos, rejeitado por alguns e que desperta a curiosidade de muitos outros leitores que ainda não tiveram a oportunidade de apreciar a maravilha de uma boa […]

  • Iêda Cavalcante
    30 ago 2018

    Oiee!
    Já me senti exatamente assim como você quando alguém reparava que a minha estante está composta por 80% ou mais só de romance, isso me incomodava demais, o fato de falaram “nossa, só tem romance” ou “você deve ser uma pessoa bem romântica, porque aqui só tem romance”. Hoje isso não me incomoda mais, aprendi a conviver com essas “críticas” e até a tirar um lado bom delas.
    O gosto é meu e isso que importa, e o fato de ler muitos romances não me faz menos leitora.
    Bjs!

  • Lily Viana
    30 ago 2018

    Olá!
    Isso realmente é verdade, sempre falam que romance não irá te leva a nada na vida, mas eu falo de peito erguido que sou apaixonada por romance, amo livros assim apesar de que leio outros gêneros também mas o romance sempre prevalece na minha estante. Amei o que foi escrito!

    Meu blog:
    Tempos Literários

  • Elidiane Lima
    29 ago 2018

    Eu amo o gênero romance, ele é o meu gênero literário preferido, e não entendo esse preconceito e desprezo que as pessoas têm contra esse gênero… Sempre pensei que você tem o direito de ler o que te trás prazer assim como eu tenho o dever de respeitar o gosto literário de cada um!
    Eu ameio o post, parabéns!
    Abraços.

  • Elizete Silva
    23 ago 2018

    Olá! Romance é o meu gênero literário favorito, e concordo que nós leitores de romances sofremos bastante preconceito, acho que esses rótulos deveriam ser banidos, afinal todos nós somos leitores, e o fato de lermos gênero A, B, C, (ou até mesmo receita de bolo) não nos torna melhores ou piores que os outros, apenas pessoas que estão em busca de conhecimento, diversão e uma pausa da realidade.

  • Daiane Araújo
    10 ago 2018

    Oi, Débora,

    Bom, eu posso dizer por mim mesma que nunca tentei diminuir o gênero romance ao indicar o livro para alguém. A não ser que, a pessoa realmente não goste do mesmo. Aí, gosto não se discute.

    A mesma coisa aconteceria, por exemplo, se me indicassem um livro de não ficção –
    que é um gênero que eu não curto.

    Concordo quando se diz que há a mesma mesmice entre outros gêneros também. É um pensamento mesquinho quando se diz isso somente referente ao romance. Afinal, nos enredos dos gêneros fantasias, thrillers e outros, há também mesmices – com raras exceções.

    Entendo os pontos destacados no post, mas ao meu ver, isso pode estar viável em qualquer gênero. Apenas o gênero romance é o destacado nesse quesito.

  • Kleyse Oliveira
    10 ago 2018

    Mulheeeer, que texto mas maravilhoso é esse. Eu sempre gostei de ler romance, não importa o tipo lá estava eu lendo e suspirando pelo casal. Todos que me conhece sabe que eu leio mais romance e nunca passei por esse tipo de preconceito. Mas tem gente que precisa parar de ser preconceituosos e experimentar pelo menos uma vez ler romance.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram