SOSELIT 30abr • 2018

SOSELIT #4 Eu não sou a mesma leitora de antes

Eu não sei se estão todos sabendo, mas acho que esta é uma boa oportunidade para fazer o anuncio real de que eu tenho uma estante completamente nova. E eu sei, o tema do SOSELIT deste mês não é sobre estantes, mas foi por causa desta mudança na minha vida que eu descobri exatamente o que eu queria escrever no tema desde mês. Reorganizar os meus livros me deu a chance de revisitar algumas histórias, rever livros que eu nem ao menos lembrava que tinha colocado na estante e de separar alguns livros que eu realmente não sinto mais a necessidade de ter.

Nos últimos temas do SOSELIT eu tenho falado bastante sobre algumas coisas que me incomodam bastante na literatura, principalmente em gêneros Young Adult e New Adult e, quando eu comecei a rascunhas este post, me lembrei que nem sempre foi assim, na verdade. Houve uma época, quando eu realmente estava começando a gosta de ler, um dos meus autores favoritos era o Nicholas Sparks, o que durou até eu ler o terceiro livro dele e simplesmente querer jogar pela janela de tão maçante que foi. Talvez essa tenha sido a minha primeira mudança, mas não tem nada haver com o meu blog – e eu vou chegar lá, prometo.

Antes do La Oliphant surgir na minha vida eu não tinha a menor ideia do que eu queria ler. Sendo bem honesta, eu tive uma fase muito “dark” onde eu achava que Hush Hush era uma série sobre anjos caídos maravilhosa e que nenhum outro livro de fantasia iria superar a paixão que eu tinha por “As Crônicas de Nárnia”. Inclusive, foi nessa mesma época que me convidaram a ler Belo Desastre e eu achei que tinha sido a melhor história de amor. E graças a Deus nós já estabelecemos aqui que esse “amor” tava mais para cilada do que qualquer outra coisa, certo?

Eu nunca tinha parado para pensar sobre isso, mas o La Oliphant me deu a oportunidade de conhecer universos literários que talvez eu não explorasse por conta própria. Além disso, foi por causa de todas as leituras que ele me proporcionou que, ao longo desses quase cinco anos de blog, que eu comecei a olhar o mundo com outros olhos e realmente desejar sair da minha zona de conforto e me dar a oportunidade de descobrir novas coisas para gostar – ou não.

Se vocês olharem as primeiras resenhas do blog, vão perceber logo de cara que o meu senso crítico de enredo não era um dos melhores. Eu não tinha a menor ideia de como avaliar o enredo de uma história, ou os seus personagens. Porém, se vocês derem uma olhada nos últimos três anos de conteúdo, vão perceber que, aos poucos, eu comecei a moldar os meus gostos e a minha forma de resenhar ao jeito que eu acredito ser a melhor forma de expressar a vocês a minha opinião.

Eu aprendi muito com o blog nesses últimos anos, sabe? E isso afetou bastante a forma como eu escolho as minhas próximas leituras. Antigamente eu não dava a menor importância a coisas como “relacionamentos abusivos” dentro de um enredo, simplesmente porque eu não conseguia ver o quão aquilo é errado. Porém, depois que livros como os da Colleen Hoover começaram a entrar na minha vida, eu passei a ver certos enredos de uma forma completamente diferente, talvez não de uma forma tão positiva, como eu tinha o costume de ver antigamente.

Eu me apaixonei por romances de época, um gênero que eu já tinha visto mais de uma vez nas livrarias, mas nunca teria dado uma chance se não fosse pelo La Oliphant. Esse blog me colocou em contato com muitas pessoas, de gosto literário diferente do meu e que estão sempre me desafiando a encarar um gênero novo e sair completamente da minha zona de conforto. Livros que, aos meus 18 anos eu diria ser uma das melhores leituras da minha vida, hoje parecem tão distantes dentre todas as leituras que eu tive nos últimos anos.

Não sei vocês, mas eu aprendi muito e mudei muito. Anos atrás eu provavelmente nem pensaria em comprar A Corte de Rosas e Espinhos e hoje, é uma das minhas séries favoritas. Eu me arrisquei lendo Maya Banks e consegui formar uma opinião forte e muito rápida sobre a autora, dei chance para romances mais leves como Mr. Romance e me apaixonei completamente pelos livros da Victoria Schwab. Eu já fui uma grande fã de John Green e hoje eu acho os livros dele tão “meh” que eu nem sei dizer quando exatamente isso aconteceu.

E aí me vem a pergunta: eu estou feliz com essa mudança?! Com toda a certeza. Eu acho que se eu fizesse cinco anos de blog e não sentisse nenhuma diferença na forma como eu me relaciono com as minhas leituras, eu provavelmente iria desistir disso aqui. Eu gosto da ideia de poder olhar para os anos que passaram e perceber que eu não vejo os livros que eu li da mesma forma, o que é um sinal muito forte de que eu venho evoluindo nos últimos anos – e espero que para melhor.

Antes de ir embora, conheça também os posts dos outros blogs que estão participando do projeto junto comigo: My Dear Library, Eu Insisto, Livro Lab, Pétalas da Liberdade, Um Metro e Meio de Livros e Barda Literária.

Créditos de Imagem: Imagem, Imagem, Imagem

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

13 Comentários

  • Marijleite
    04 maio 2018

    Olá, que bom saber que o blog lhe proporcionou esse contato com gêneros diferentes e que foram lhe conquistando (viciada em romances de época aqui o/). Vi o nome de Victoria Schwab e precisava comentar o quanto eu amei Um tom mais escuro de magia ♥.

  • Aline T.K.M.
    01 maio 2018

    Oii! Acho que ver essa transformação acontecer na gente ao longo do tempo é uma das partes mais gratificantes de ter um blog. Gostei muito de tudo isso que você escreveu. Mas sabe, eu nunca consegui gostar de Nicholas Sparks, li um livro e ainda não tive coragem de pegar outro rsrs. E do John Green eu li apenas um livro (O Teorema Katherine) e gostei, mas preciso ler outros para ter uma opinião mais concreta sobre o autor. (Pois é, até hoje nunca li ACEDE…)
    Acho interessante a questão de conseguirmos refletir mais e melhor sobre diferentes temáticas nos enredos. Vejo que muita gente ataca a simples presença de um relacionamento abusivo em uma trama. Eu, honestamente, não acho que o tema estar ali presente seja um problema. Problema é quando a trama não direciona o leitor a uma reflexão sobre aquilo, a entender como acontece a tal da romantização desse tipo de relacionamento (inclusive na vida real) e quais são os pontos a serem pensados, como isso tudo é prejudicial, etc. Pior seria ler apenas o “politicamente correto”, coisa que para mim não funcionaria muito bem – meu gosto literário e cinematográfico tende para temas meio polêmicos. Enfim, ótimo post! <3
    Beijos!
    Aline | Livro Lab

  • Debyh
    01 maio 2018

    Olá,
    Acho que essa coisa de evoluir acontece mesmo com a gente que tem blog né. Nunca gostei tanto de John Green, e acho que a fórmula que ele está usando me cansou também, então concordo com estar bem qualquer coisa os livros dele.

  • Vitória Pantielly
    30 abr 2018

    Oi Débora,
    Assim como você eu mudei muito meu estilo de leitura, principalmente pela influência dos blogs que acompanho, passei a ler mais temas e gêneros variados, e melhor, a ser mais crítica sobre o que quero ler e ainda assim sempre acreditar que não importa o livro, a leitura é sempre válida!
    Não sou de deixar nenhum livro de lado, alguns eu não voltaria a ler, mas ainda tem um lugar especial em mim, e assim vai indo minha vida de leitura, rsrs.
    Amadurecer faz parte, em qualquer sentido da vida!
    Beijos

  • Iêda Cavalcante
    30 abr 2018

    Oiee!
    Meu gosto mudou também, na verdade mina mente se abriu bastante de uns tempos pra cá, antes minhas leituras se resumiam a romances de banca/época. Hoje não, me aventuro bem mais e tenho feito leituras bem diferentes do que estava acostumada.
    Larguei uns autores e me apaixonei por outros. E percebi que de aventurar na leitura é tão bom quanto se aventurar na vida.

  • Babi
    30 abr 2018

    Victoria Schawb <3
    Também já gostei de muitos livros que hoje em dia não consigo entender como consegui gostar. Mas esse é o lado bom dos blogs e canais sobre livros, eles incentivam que a gente saia da zona de conforto e busque histórias totalmente diferentes, visões diferentes. Adoro tudo isso 🙂

    Um Metro e Meio de Livros

  • Ana I. J. Mercury
    30 abr 2018

    Oii Débora,
    que lindo texto!
    É verdade, com o blog e amigos literários vamos conhecendo muitos novos livros e gêneros que antes não víamos motivos para ler, além de aprimorar nossos gostos e senso crítico.
    Desde ano passado comecei a reler livros que eu tinha comprado há de 5 anos pra trás, e tive uma grande surpresa ao não gostar da maioria.
    Hoje eu acho que tenho um senso crítico mais saudável também, pois assim como você, anos atrás, eu não identificava fácil relacionamentos abusivos nos livros como faço hoje.
    bjoss

  • Theresa Cavalcanti
    30 abr 2018

    É muito estranho quando você vai ler novamente um livro que você leu anos atrás. Eu li um, tinha até favoritado e quando fui ler de novo, fiquei com ódio dos personagens, da história, da escrita e não conseguia achar o que tinha me feito favoritar o livro. Acho que isso tudo acaba sendo amadurecimento, você gosta de umas coisas hoje, mas amanhã já ver algo melhor ou seus gostos mudam.

  • suzana cariri
    30 abr 2018

    Oi!
    Também preciso mesmo reorganizar meus livros, chegou um ponto que tinha certeza que tinha um livro só que descobrir que não tinha mesmo, tem muito livro que comprei a anos atras e não li e que atualmente não me chama tanta atenção, realmente nossas leituras acabam mudando, quando comecei a ler lia muita fantasia, aventura, agora também estou nessa fase romances de época e livro policial !!

  • Pamela Liu
    30 abr 2018

    Oi Débora.
    Meu gosto literário também foi mudando ao longo do tempo. Acho que todo leitor têm fases.
    Às vezes o gênero/autor que fez você começar a ler, não é mais o gênero/autor que você leria hoje ou você não gosta tanto assim. Assim como o senso crítico é algo que vai se desenvolvendo ao longo das leituras e do tempo.
    Antigamente eu lia muito fantasia, distopia, romance contemporâneo, YA e NA. Eu ainda leio, mas tramas recheados de clichês YAs, como triângulos amorosos já não me agrada mais.
    Hoje leio mais gêneros literários que antes. Thriller psicológicos, sick-lits, romances de época e romances históricos são histórias de que gosto bastante.
    Que bom que o blog te trouxe a oportunidade de ler mais gêneros literários e que você tenha se surpreendido positivamente com isso.
    Beijos

  • Daiane Araújo
    30 abr 2018

    Oi, Débora.

    Acho espetacular que o blog trouxe essa experiência de expandir novos conceitos, em relação aos livros, e obteve mais desenvolvimento em vários sentidos.

    Às vezes, só nos damos conta de algo com o passar do tempo mesmo.

    E eu posso dizer que não foi só você que aprendeu algo com o blog. Nesse pouco tempo, eu também tô começando a rever as minhas visões sobre o tema ‘relacionamentos abusivos’ nos livros, prestando atenção.

    Acho que aos poucos, eu tô começando a acordar e enxergar a realidade.

    Tô começando a desgostar dos romances, e gostando cada vez mais dos thrillers.

  • Kleyse Oliveira
    30 abr 2018

    Bom dia!
    Nossa, adorei adorei.
    Eu passei por quase mesma coisa que você, antes eu só li romances de vários tipos, mas quando eu criei o meu ig literário foi surgindo novos livros de outros gêneros etc e fui saindo só dos romances, já li quase todos os gêneros, só falta eu ler Terror. Kkkkkk

  • Lili Aragão
    30 abr 2018

    Esse amadurecimento literário é bem bacana mesmo e também já percebi isso em mim ao longo dos anos, há livros que e gostei muito há um tempo atrás e que hoje não me animam pra reler, o tema já não tem força e muitos não me agradam, acho que assim como tudo na vida a medida que adquirimos experiência vamos evoluindo e coincidentemente assim como você o gênero romance de época cresceu em mim e hoje é dos meus favoritos e era impensável quando comecei a levar os livros a sério lá trás.
    Gostei do post e de saber como a experiência com o blog tem sido positiva no teu gosto literário 😉

  • O Usuário laoliphantblog não existe ou é uma conta privada.