minhas leituras
Categoria(s): minhas leituras

Esperando por Doggo, por Mark B. Mills

de Mark B. Mills
Editora: Novo Conceito
Ano de Publicação: 2015
Número de Páginas: 224
Código ISBN: 9788581638096
Sinopse: Dan achava que tinha uma vida feliz com Clara, mas, de uma hora para outra, ela desaparece inesperadamente de sua vida, deixando para trás apenas uma carta de despedida e um cachorro. A pequena criatura é incomum e sequer tem um nome definitivo, ele é simplesmente chamado de Doggo. Agora, Dan tem a missão de devolver Doggo, e, ao mesmo tempo, encontrar um novo emprego. A primeira missão parece ser fácil, a segunda, nem tanto. Com o passar dos dias, Dan começa a desfrutar da companhia de Doggo e não tem coragem de abandoná-lo. De forma singela, mas significativa, a presença do pequeno cão ajuda àqueles que estão ao seu redor. Doggo acaba tornando-se muito mais que um amigo de quatro patas, transforma-se em uma verdadeira fonte de inspiração para o trabalho e para a vida de Dan. Esperando Doggo não é só um livro sobre um cachorro. É um livro sobre o poder de uma verdadeira e sincera amizade.

Esperando por Doggo é o resultado da mistura de um pouco de drama, bastante humor e um tantinho assim de romance – não necessariamente amorzinho entre pessoas. Essa mistura foi criada por Mark B. Mills, um autor e roteirista britânico e que foi, aqui no Brasil, publicado pela Novo Conceito em 2015, com tradução feita pela Ana Paula Corradini. Vale citar que o nome original da obra é Waiting for Doggo, pois passei a prestar atenção nas traduções de títulos e o quão fiéis as mesmas tem sido.

esperando-por-doggo1

Temos um relacionamento, daqueles cujo casal tem até bichinho de estimação – no caso, um cachorro, Doggo. O relacionamento termina a moça vai embora com todas as suas malas e o que lhe pertence por direito: uns  livros, CDs, uma saladeira e até o processador de alimentos. A moça é Clara, e o cachorro é Doggo. Clara, a salvadora de Doggo (aquele cachorro pequenininho e feio, que foi deixado no abrigo num dia e adotado uma semana depois por pena), decide sumir sem deixar rastros, mas não pode levar o bichinho com ela. Em sua carta de despedida para Daniel, faz o seguinte pedido:

“Caro Daniel

Eu estou indo embora, indo embora

para bem longe. Não posso contar para onde.

Leve o Doggo de volta para o abrigo. Algo me diz que você vai conseguir esse emprego e você não pode deixá-lo trancado no apartamento o dia todo. Não seria justo com ele, e vocês também não se dão muito bem. Ele está aí agora, observando você com aqueles olhos esquisitos?

Eu juro que ele olhou para mim com um tipo de desprezo quando eu fazia a mala, como se soubesse o que eu estava fazendo. É claro que ele não sabia, ele é apenas um cachorro, um cachorro pequenininho e feio.

A partir daí, lidamos com a curiosidade de saber pra onde Clara se mandou, por que ela se mandou e como é que Daniel vai fazer pra se livrar de Doggo. Ou melhor, pra se dar bem com Doggo, já que ele acaba desistindo de devolver o cão ao abrigo no momento em que descobre a “maldade” que fariam com o animal! Dentre diversas situações, algumas bem engraçadas, personagens diversos (alguns que a vontade foi de matar, preciso dizer) e um enredo super bem produzido, Esperando Doggo é um livro daqueles que, literalmente, só lendo pra saber como a experiência é boa.

esperando-por-doggo2

É um texto leve, de leitura bem rápida – posso chamar de leitura aperitiva: você lê rápidinho e logo quer devorar mais umas palavras. Talvez isso se dê pelo fato de que o autor é também roteirista, como já citado, e a dinâmica das cenas lembre muito a “rapidez” e fluidez com que as coisas ocorrem nos programas de tevê e filmes. Mark B. Mills não se prende a tantas descrições das cenas, por exemplo; ele foca no que é necessário. Por isso, o livro de 224 páginas – que possuí texto da história, mesmo!- até a última delas, não parece ter isso tudo, muito pelo contrário. A capa é outra coisa que já apresenta o livro, cumprindo sua função, sem precisar de quem o faça por ela: as cores, fontes, a identidade visual no geral chama atenção de forma quase que minimalista, porém efetiva. Observação: aquele Doggo na capa, o que é aquilo, minha deusa? Morro de fofura.

esperando-por-doggo3

Nesses 27 capítulos nos quais a história se divide, percebemos que Doggo é um cão adorável. O coitado, que nem nome definitivo possuía, acaba conquistando a todos independentemente de sua aparência. Sao 27 capítulos sobre amizade, sobre amor, sobre como essas coisas podem mudar pessoas ao redor e como elas importam. Linguagem coloquial, simples, apesar de diálogos pouco desenvolvidos – taí um contra pra “coisa de roteirista”, já que nem tudo o que funciona em uma mídia, funciona na outra.

esperando-por-doggo4

No geral, gostei sim de Esperando por Doggo e apesar de estar esperando por Doggo, não estava esperando o tanto de amorzinho que foi a leitura. Bang! Troféu trocadilho desnecessário 2016 vai para…Enfim, gostei da leitura, foi rápida e ela me salvou durante o nervosismo de uma entrevista de emprego. Pra você ver como a leitura foi rápida e fluida. Recomendo pra quem tá no intervalo de uma leitura e outra, pra quem busca algo leve, pra quem gosta de cães, pra quem quer algo pra ler ou pra quem só quer uma recomendação, mesmo. Aguardo a opinião de vocês sobre esse amor de livro, boa leitura!

 

 

Gostou? Compartilhe!pinterest twitter facebook
Rafaela Rodrigues

Formada em Letras Port/Inglês/Literaturas, viciada em livros, textos e séries, clichê de sempre. É prima (bem) distante da Beyoncé e um dia vai ser dona de uma editora e lançar todas as continuações dos livros que gosta, mas que nem os próprios autores quiseram escrever.

Deixe seu comentário

  1. OI Rafa tudo bem? Estou com o livro aqui em casa também para ler, porém, pelo que ando lendo por aí, parece que o nome do livro e a capa engana um pouco. Enfim, espero adorar!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

  2. Oiii, tudo bem?
    É a primeira resenha que leio deste livro e você me convenceu a ler este livro, eu já havia gostado da capa e da edição. Mas, em alguns lugares vi só comentários negativos e isso me deixou apreensiva.
    Beijão

  3. Eu pensei que o enredo giraria em torno do cachorro, mas não é o que parece. Recebi da Editora Novo Conceito, mas não tive interesse em fazer a leitura, não curti muito o enredo.

  4. Vanessa comentou:

    Oi tudo bem?
    Eu já ouvi falar muito deste livro!!!
    A capa é muito bonita, e tal, mas infelizmente não é uma leitura que eu faria no momento..
    Beijos!
    http://www.lindaestante.com.br

  5. Que resenha incrível! Adorei seu post como um todo.As fotos estão ótimas…o livro é lindo! Já quero ele na minha estante,adorei a premissa e o drama envolvido.
    Abraço

  6. Déborah Araújo comentou:

    Rafaela, confesso que assim que vi falar sobre o livro não me interessei em lê-lo porque normalmente livros com cachorros são dolorosos e não dá pra mim, mas me alegrar saber que esse não é assim. Talvez eu dê uma chance.

    Lisossomos

  7. Nilda comentou:

    Rafaela, estou com esse livro aqui, já tem um tempo. Já havia até esquecido. Quando o recebi imaginei um livro bobinho, sem muito profundidade. Agora lendo sua resenha acho que vou me arriscar na leitura. Como você mesmo disse, é um livro para lermos depois de uma leitura mais densa.

    Beijos!

  8. Ei, tudo bem?
    É a primeira resenha positiva que leio desse livro, e estou em dúvida se leio ou não. A história não parece ter nada de mais, apenas para distrair como você disse, mas como não é meu estilo de livro, não sei se daria uma chance. Gostei da sua resenha e de ver uma opinião contrária as que já li antes.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura