minhas leituras
Categoria(s): minhas leituras

Raio de Sol, por Kim Holden

de Kim Holden
Editora: Planeta
Ano de Publicação: 2016
Número de Páginas: 445
Série: Bright Side
Código ISBN: 9788542207453
Sinopse: “Faça épico”, costuma dizer Kate Sedgwick quando quer estimular alguém a dar o melhor de si. Nascida numa família-problema, com direito a mortes e abandono, a garota de dezenove anos sempre buscou fazer a diferença. Em vez de passar os dias lamentando os infortúnios da vida, como tantos fariam em seu lugar, sempre vê as coisas pelo lado positivo – não é por outro motivo que Gus, seu melhor amigo, a chama de Raio de Sol. E é por isso que, quando passa na faculdade e se muda da ensolarada San Diego, na Califórnia, para a fria cidade de Grant, em Minnesota, ela leva consigo apenas boas lembranças e perspectivas. O que ela não espera é que será surpreendida pelo amor – único aspecto da vida em relação ao qual nunca quis ser otimista – ao conhecer Keller Banks, um rapaz que parece corresponder aos seus sentimentos. Acontece que tanto ele quanto ela têm um segredo. E segredos, às vezes, podem mudar tudo.

Raio de Sol (Bright Side #1) é o primeiro livro da série de mesmo nome da autora americana Kim Holden, cuja história contada é a de Kate – não Katherine, pois sua mãe nunca teria lhe nomeado desta forma. O livro veio ao Brasil editado pela Planeta, sob o selo Outro Planeta, da mesma e possuí 441 páginas. Nele, conhecemos a trajetória de Kate, Katherine, Raio de Sol ou Katie, que vê sua vida mudar ao sair da Califórnia para estudar em Grant, Minnesota.

raiodesol2

Kate Sedgwick (Raio de Sol), teve uma vida difícil e precisou crescer rápido: sem pai, com uma mãe alheia ao seu papel e uma irmã pequena para cuidar. Apesar desse passado emotivo, forte e consideravelmente difícil, a garota se mostra extremamente otimista a respeito de tudo, sendo, por isso, apelidada de Raio de Sol, por ser exatamente assim vista pelas pessoas com quem encontra e convive. E nem mesmo seu humor seco e sarcástico levam sua personalidade para um lado pesado: muito pelo contrário, já que é impossível enxergar como negativa uma garota que customiza suas próprias blusas e atura pagar uma conta gigantesca de sushi que ela nem come, por ser vegetariana, com suas economias do cartão de crédito de emergência.

Figuras como uma tia problemática, um melhor amigo rockstar, um namorado super gente boa e pai de uma menininha fofa, uma colega de quarto super peste, um novo melhor amigo gay, dentre outros tipos específicos aparecem na história. A construção dos personagens é razoável, e durante a leitura vemos que eles se encaixam e, no contexto, funcionam. Infelizmente, por conta da minha atenção ter sido tomada totalmente por outros aspectos do livro, não consigo traçar um perfil dos personagens para descrevê-los, com exceção da própria Kate, já que a menina é protagonista e acabou me recebendo um pouco de atenção especial da minha parte. O ritmo da história é um pouco lento, e, para leitores emotivos, talvez emoções sejam ativadas com o teor de drama envolvido. Talvez…

“Segredos. Todo mundo tem um. Alguns são maiores que os outros. Alguns, quando revelados, podem curar você…E outros podem acabar com você.” – Kim Holden, na contracapa do livro.

Na capa lemos o seguinte texto: “Todo mundo tem um segredo. O dela é sempre ver o lado bom das coisas”. E, dessa necessidade que a autora sentiu em falar sobre segredos e reforçar que todo mundo tem, ou que vão existir muitos na história, você já vai com aquela expectativa. Pelo menos eu fui, e me dei um pouco mal: os segredos até estão lá, mas não tão escondidos…foi algo como: gato escondido com o rabo de fora. E isso também serviu para que o famigerado desânimo me atingisse.

Um outro ponto que gostaria de citar, é o fato de que por mais legal que eu tenha achado o livro, os personagens e o enredo, tive muito a sensação de déjà vu. A todo momento eu me recordava de um livro, de um filme, todos destinados ao público adolescente, ou no máximo jovem adulto, talvez pela situação da Kate saindo de casa e pegando a estrada sozinha (aquele ar de independência), o fator Califórnia, ou o drama de largar seu melhor amigo – e ter tido um envolvimento físico com ele – e ambos seguirem rumos diferentes, mas tentando salvar a amizade; a vida universitária e as novas amizades, então?! Juro que tentei evitar, mas era impossível parar as imagens de filmes e histórias que já li antes.

raiodesol1

Sei que, para uma leitura ser efetiva, proveitosa, precisamos estar abertos ao que o autor nos propõe e às possibilidades que a história traz. Infelizmente, talvez o momento não tenha sido propício para que esse livro fosse minha leitura, mesmo com a boa vontade que tive e com o esforço e a soma do deja vú: acabei sentindo um pequeno desânimo. Queria novidade e cadê?

Por conta de todo esse meu relato, eu não posso dizer que essa leitura me agradou. Não teve como, nem mesmo com muita tentativa, e esse não é o livro que eu vá querer pegar e dar uma segunda chance: magoou *insira carinha triste aqui*. Por mais que alguns aspectos tenham sido legais, como a personalidade e história da Kate, a relação dela com o Gus, com os amigos que foi fazendo na faculdade e sua forma de lidar com tudo eles foram escassos perto do que me incomodou.

Espero, sinceramente, que só eu tenha tido esse problema com o livro, porque é bem ruim se decepcionar com uma leitura quando você cria um tiquinho de nada de expectativa. E olhem como sou: a sequência do livro, intitulada Gus (Bright Side #2) foi lançada pela autora no ano passado, 2015, que traz Gus como principal, me chamou um pouquinho de atenção, da mesma forma que Raio de Sol havia chamado. E agora, José?!

beda-2016

Gostou? Compartilhe!pinterest twitter facebook
Rafaela Rodrigues

Formada em Letras Port/Inglês/Literaturas, viciada em livros, textos e séries, clichê de sempre. É prima (bem) distante da Beyoncé e um dia vai ser dona de uma editora e lançar todas as continuações dos livros que gosta, mas que nem os próprios autores quiseram escrever.

Deixe seu comentário

  1. Eu quero muito ler esse livro. Duas amigas leram e me contaram alguns detalhes que me deixaram super curiosa para ler toda a história. Tenho certeza de que a leitura vai ser muito bem aproveitada por mim.

  2. Olá
    O meu problema com o YA está justamente nesse dejavu, conecei a ler o gênero recentemente e ainda não consegui gostar de nenhum, alem das tramas previsiveis, essa intensidade toda nos relacionamentos me irrita bastante.
    De qualquer forma, torço para que o próximo seja melhor para você

  3. poxa, que chato. E muito chato quando temos uma leitura assim…
    Eu, justamente por sentir um pouco dessa mesmice em alguns livros, parti para outro gênero…to focada no terror agora! huauhauh
    Sorte em sua próxima leitura!

    https://literakaos.wordpress.com/

  4. Olá,
    Fico triste por ter se decepcionado com o fato de não ter muitas novidades e agora fiquei com um pé atrás em relação à leitura da obra, pois até agora só tinha visto milhões de elogios acerca dela. Tudo bem que nem todos são iguais, mas tinha uma expectativa em cima da sua resenha rsrs realmente pode não ter sido o momento para tal leitura né.
    Ainda assim pretendo ler a obra e ver o que acho.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

  5. Mary Reis comentou:

    Olá!
    Então eu leio poucos YA acabo comprando em quantidade menor e quase nunca os leio.
    Que pena que você não gostou eu ainda não fiz a leitura desse livro então não tenho uma opinião formada porém já vi muita resenha positiva sobre ele, as vezes eu também me incomodo com essa sensação de: já vi isso antes. Enfim adorei sua resenha espero que minha experiencia com ele seja um pouco melhor.
    Bju
    Mary Reis

  6. Olá Rafaela, confesso que estou bem surpresa com a sua resenha. Não que ela esteja ruim, pelo contrário, você expôs perfeitamente sua opinião. Mas só escutei coisa boa sobre a história.
    Entendi o seu lado e a sua opinião. Mas ainda assim o leria.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

  7. Olá
    essa capa está muuuuito linda e parece ser uma leitura muito amor e gostosa, que pena que você teve esses problemas, mas entendo, são pontos que também me incomodaria, bela resenha

    Beijos
    v

  8. Oie, Rafa!
    A história parece ser bem bonitinha e tal, mas também tive essa impressão de familiaridade de mais. É uma situação complicada, mas acho que deva dar uma chance pelo menos aos primeiro capítulos do próximo livro, mesmo que não compre e leia ele todo, tente ler pelo menos uma degustação para ver se sua opinião melhora, ou se mantém o nível desse.
    Beijinhos!