minhas leituras
Categoria(s): minhas leituras

Prometo Falhar por Pedro Chagas Freitas

Prometo Falhar é uma das muitas obras do português Pedro Chagas Freitas, adorado na “terrinha”; não satisfeito em conquistar os portugueses, veio fazer o mesmo conosco, por meio da Novo Conceito. Em 396 páginas e X contos – cada página mais surpreendente que a outra-, e com um visível talento com as palavras e emoções que estas podem conter, Pedro quase nos faz esquecer a famosa rixa entre ambos os países e tem altas chances de nos conquistar, como fez com seus conterrâneos.

Prometo Falhar

No livro que, já à primeira olhada, arranca suspiros e nos faz supor diversas coisas sobre seu conteúdo por sua capa, aprendemos sobre Pedro que ele não está à deriva no mundo da escrita: ele escreve, e sabe fazer bem o que faz; como o mesmo diz, escreve cenas. Suas palavras são apaixonantes. Apaixonadas. Ele parece saber o que faz com as mesmas, e espero que saiba quão poéticas são.

O escritor utiliza as palavras de modo a fazer com que nós, leitores, respiremos no ritmo ditado pelo texto. Há cada diálogo, uma sensação é ativada e a impressão é de estar presente e visualizando o momento em que as palavras deixam as bocas dos personagens, de fato. São contos fluidos, fortes, poéticos e viscerais, devo dizer. O curioso a respeito disso é que, apesar de todas essas características, o livro consegue ser de uma sutileza surpreendente, se observarmos e sentirmos bem.

Prometo Falhar

A sinceridade por trás de cada conto, as reações que cada um proporciona, tudo isso desperta uma ansiedadezinha saudável pelos contos que virão logo em seguida. Até a forma de usar a pontuação escolhida por Pedro contribui para todo esse sentimentalismo que, juro, pode parecer exagerado pelo modo que falo, mas não dá nem pra perceber ao ler: as vírgulas às vezes fazem o contrário do que muitos acreditam que seja seu papel, elas aceleram nossa leitura, não nos deixam respirar. Um exemplo de como o livro é um completo ativador de sentimentos é a dedicatória. Você já abre o livro e se depara com um:

Para a Bárbara. Porque tudo.

Sinceramente? Fui ao chão e voltei. Mesmo. E logo em seguida, temos um conto que começa com um “comecei a te amar no dia em que te abandonei”. E eu não consigo apontar meu conto favorito, pois tive vários; vários contos adorados e diversos trechos que ficaram na minha cabeça, sem chances de serem esquecidos.

– Só a corda bamba te prende à vida.

– Mas dói. Mas treme.

– E no entanto você se segura. E no entanto você se agarra. Faz você querer mais daquilo, para sempre daquilo. Só o que escorrega por entre os seus dedos te prova verdadeiramente que você tem dedos. Só quando está perante a quase morte você valoriza a vida.

(…)

– Nunca se esqueça disso. Só existe vida se algo em você estiver bambo. Só o que te faz tremer te esquece de esquecer.

– Eu te faço tremer.

– Sempre.

– E quando parar?

– Teremos de encontrar outros caminhos. Outras formas.

– Outras pessoas?

– Se tiver de ser.

Inúmeros contos poderiam ser completamente quotados aqui, assim como inúmeros trechos deveriam ter espaço aqui. Mas não posso, é spoiler, e Pedro, com certeza, merece ser agraciado com a maior quantidade de pessoas adorando e tocando e abraçando e amando seu livro. Tô seriamente cogitando usar o meu como guia da vida: a lição foi aprendida, precisamos deixar a perfeição de lado, assim, as coisas vão acontecer.Prometo Falhar

Prometo Falhar, ironicamente contradizendo seu título, não decepciona, não falha. O livro é totalmente novo pra mim, e eu amei a experiência que tive ao ler. Amei a oportunidade de lê-lo e mal posso esperar pelo evento de lançamento. É um livro apaixonante e altamente recomendado por mim – se é que você, leitor, se importa com minha opinião.

Gostou? Compartilhe!pinterest twitter facebook
Rafaela Rodrigues

Formada em Letras Port/Inglês/Literaturas, viciada em livros, textos e séries, clichê de sempre. É prima (bem) distante da Beyoncé e um dia vai ser dona de uma editora e lançar todas as continuações dos livros que gosta, mas que nem os próprios autores quiseram escrever.

Deixe seu comentário

  1. eu me apaixonei completamente pelo livro, pela escrita e pelo autor ahsuhaushasuhauhs
    Me emocionei demais com a leitura, é um livro que indico a todos hehehe
    bjs

  2. Marijleite comentou:

    Olá; parece ser um livro lindo e uma leitura deliciosa, já quero “Prometo falhar” na minha estante <3 . Ótimo post.

  3. Oi Rafaela, eu estou com esse livro para ler aqui na minha estante mas não peguei ainda por falta de tempo mesmo, parece ser uma leitura incrível, aliás, tenho certeza que é uma leitura incrível. Não vejo a hora de pegar ele!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

  4. Oi, Rafaela. Tudo bem?
    Todo mundo está falando muito bem desse livro e do autor, eu até fiquei interessada, mas fico com um pé atrás por serem contos.
    Beijos <3

  5. Oie!!
    Nossaaaa, eu preciso desse livro.
    Cada resenha que vejo dele me deixa mais doida pra ler. Parece que todos amaram o livro.
    Adorei sua resenha, me deixou apaixonada sem ler.
    ;**

  6. Oi Rafa, tudo bem?
    Apesar de gostar de livros de contos acho que esse do Pedro Chagas não faz muito meu estilo literário!
    Apesar de sua resenha citar vários pontos positivos da obra eu não me sinto muito inclinada a realizar essa leitura.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

  7. Rafaela, que contos mais apaixonantes e pelo que você disse ele realmente não falha em nada com o poder de prender e conquistar e prender o leitor.
    Eu já tinha me interessado, sabendo que são contos a minha vontade triplicou.

    Lisossomos

  8. Quando vi o lançamento achei que o conteúdo fosse totalmente diferente, no primeiro momento achei que fosse um drama, é a segunda resenha que leio do livro e mesmo gostando de contos, não sei se o leria por agora, mas tudo pode mudar, quem sabe caio de amores pela escrita desse autor que tanto cativou em sua terrinha. Gostei muito da sua resenha e se ler o livro um dia espero gostar tanto quanto você.

  9. Oie, tudo bom?
    Esse livro tem uma poesia que poucas vezes vi nos livros e seria uma leitura fora da minha zona de conforto. Uma amiga minha vai ler no meu blog, mas eu fiquei bem curiosa com a obra pelo burburinho sobre ele e por resenhas como a sua. Gosto de autores que brincam com as palavras.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/