24 fev, 2019

As Muitas Vidas de Buffy, A Caça-Vampiros

Há algum tempo atrás, eu fiz alguns posts explorando os universos de Riverdale e Sabrina. Logo depois, eu fiquei pensando se existia algum outro personagem que tivesse passado por tantas formas diferentes de mídia que eu pudesse explorar aqui no blog. E depois de procurar, cheguei a conclusão que eu queria muito falar um pouco sobre Buffy, a Caça-Vampiros. Afinal, foi a primeira série que eu realmente acompanhei, anos atrás. Então claro que eu tive que fazer esse post.

Pra quem não conhece, a premissa básica de Buffy é sobre uma adolescente aparentemente normal, que na verdade é escolhida para combater criaturas sobrenaturais. Eu já vinha querendo falar mais sobre Buffy faz tempo aqui no blog, mas ainda não tinha encontrado a oportunidade certa. Afinal de contas, a série já acabou faz um bom tempo, e nem tanta gente assim conhece. Mas eu espero de verdade que esse post leve alguns de vocês a assistirem a série porque é uma das minhas favoritas. Mas chega de enrolação, vamos conhecer um pouco sobre a história de Buffy, A Caça-Vampiros.

Tudo começa em 1991 quando Joss Whedon, (que anos depois seria o roteirista e diretor de Os Vingadores) escreveu o roteiro para um filme baseado em uma ideia que ele teve: “E se a menina loira que nós vemos sendo morta em todos os filmes de terror não fosse tão indefesa? E ela fosse na verdade algo extraordinário?” Assim nasceu a primeira versão de Buffy, um filme de 1992, dirigido por Fran Rubel Kuzui e estrelado por Kristy Swanson.

Infelizmente, essa versão de Buffy não era nada parecida com a que Joss tinha imaginado. Depois de várias discordâncias com o diretor do filme, Joss (que até então estava funcionando como uma espécie de consultor na produção do filme) decidiu abandonar o projeto e o filme continuou sem ele. Como resultado, várias mudanças foram feitas ao roteiro e o produto final acabou sendo bem menos sombrio do que o que ele queria.

Algumas dessas mudanças são vistas na personagem da Buffy, que no filme é uma garota superficial e metida, que não leva suas obrigações de caçadora muito a sério. O tom geral do filme também é bem menos sério do que no roteiro original, e diversas cenas mais pesadas foram cortadas durante a produção. No geral, a diferença entre o que estava no roteiro e o que foi para as telas era bem grande.

Cinco anos depois, Joss teve a chance de contar a história de Buffy da forma que ele realmente queria. Em 1997, a série Buffy, A Caça-Vampiros estreou no agora extinto canal The WB, que anos depois se tornaria The CW. A série, comandada pelo próprio Joss Whedon, era protagonizada por Sarah Michelle Gellar no papel de Buffy, e tinha no elenco nomes como Alyson Hannigan (a Lily de How I Met Your Mother) e David Boreanaz (o Booth de Bones).

A personagem de Buffy é bem mais séria na série, apesar de ainda ter o senso de humor que é bastante característico dos personagens do Joss Whedon. O mais legal da Buffy é que ela é uma personagem que equilibra dois mundos completamente diferentes e a atuação da Sarah Michelle Gellar mostra perfeitamente o quanto isso afeta a saúde mental e emocional dela. Além disso, ela ainda é uma adolescente normal, e mesmo lutando e caçando vampiros, ela não deixa de se interessar por coisas normais, como festas e roupas.

A série foi um sucesso imediato e é creditada por colocar a emissora no mapa. Infelizmente, depois de algumas temporadas, a audiência acabou oscilando um pouco, mas na quinta temporada, o show estava novamente no topo da audiência da emissora. As duas últimas temporadas, a série foi movida para o canal UPN, depois que a The WB não quis investir mais na série. Buffy chegou ao fim na sétima temporada, e ainda teve uma spin off focada no personagem Angel.

A história de Buffy continua no mundo dos quadrinhos. Em 2007, a Dark Horse Comics começou a publicação de Buffy The Vampire Slayer Season Eight, uma continuação da história da série. O quadrinho, com os primeiros volumes escritos por Joss Whedon, foi bem recebido pela crítica e ganhou várias continuações, Season Nine em 2011, Season Ten em 2014 e Season Eleven em 2016.

E agora em 2019, vamos ter uma nova adição ao universo Buffy, com a publicação de Slayer. Escrito por Kiersten White, o livro conta a história de Nina, uma jovem que passa sua vida em uma escola de guardiães de caça-vampiros. Nina tem um grande desgosto pelas caçadoras, depois que seu pai, um guardião, morre protegendo uma caçadora, na verdade a própria Buffy. As coisas ficam mais complicadas quando Nina descobre que é uma caçadora.

Eu já li o livro, e posso afirmar com toda a certeza que Kiersten White acerta em cheio o tom do universo Buffy. Fica muito claro que ela é fã da série e entende muito bem o que torna esse universo tão especial. Eu fiquei muito feliz quando fiquei sabendo que a Plataforma21 vai trazer esse livro pro Brasil em 2019.

Enfim, essa é uma viagem bem básica pelo universo de Buffy, a Caça-Vampiros. Claro que não deu pra falar de tudo, mas esse foi um breve resumo. E eu espero de verdade que vocês tenham se interessado em conhecer um pouco sobre uma das minhas séries favoritas e uma das minhas personagens favoritas. É coisa pra caramba mas eu prometo que vale a pena acompanhar esse universo.

Tags: ,

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

6 Comentários

  • Katherine Rocha
    setembro 30, 2020

    Minha série favoritaaaaa.
    Buffy é minha personagem feminina favorita do mundo das séries.
    Fico muita feliz que vc postou isso no seu blog e mais pessoas estão conhecendo o universo de Buffy que é tão incrível e maravilhoso.
    Essa série foi uma das primeiras a tratar assuntos considerados tabus na sociedade na época em que foi lançada, como uma personagem feminina independente, forte que sempre salvava todo mundo no final (séries protagonizada por mulheres, sem serem apenas sobre romance, era impossível de se achar na época), além de personagens LGBT na história que são incríveis e desenvolvidos ao longo da história, a questão de adolescente complexos e muito humanos foram muito bem explorados, sendo que na época jovens eram tidos como loucos por sexo, bebidas e festas.
    Ganhadora de muitos prêmios e aclamada pela crítica da época, muitas séries se inspiraram em Buffy, que abriu portas para muitas outras tramas que conhecemos hoje.
    Uma série incrível que todos deveriam conhecer, com muita ação, personagens femininas Girl Power, personagens bem construídos, história desenvolvidas, drama, romance, amizades verdadeiras, e muitas mais.
    Agradeço muito por esse resenha sobre o mundo de Buffy.

  • Jade Sibalde
    fevereiro 28, 2019

    Nunca vi nada de Buffy, nem mesmo o filme. Sabe aquela coisa que conhecemos a premissa mas não o funcionamento real? É bem esse o caso, gostaria que fizessem um remake como em Sabrina, adoraria finalmente assistir a série desde o começo

  • Maira Schein
    fevereiro 26, 2019

    Já ouvi muito sobre Buffy mas ainda não tive a oportunidade de assistir. Mas confesso que o post me deixou com bastante vontade de começar, ainda mais por ter várias temporadas hahah

  • Angela Cunha
    fevereiro 25, 2019

    Já até ouvi falar sobre Buffy,mas assistir? Nunca…Não, nem é por não ser algo que me prenda, mas falta de oportunidade mesmo.
    Cheguei no mundo dos seriados não tem muito tempo e foco mais nos suspenses, crimes e afins. Tá, ando me aventurando por outras vertentes(super heróis) rs
    Quem sabe um dia não veja Buffy só para dizer que conheci? Eu amo novidades e isso de deixar a zona de conforto.
    Acredito que tenha marcado uma geração inteira e quem sabe um dia não façam um remake??
    Beijo

  • Lorenna Caoly
    fevereiro 24, 2019

    Uma coisa que eu amo na cultura pop é a narrativa transmídia. Como é bom poder ler um livro e descobrir um pouco mais de sua história através de personagem num quadrinho, numa série, num filme, num site. Acho fundamental na atualidade esse universo expandido.

  • Alison de Jesus
    fevereiro 24, 2019

    Olá Vinicius!
    Não cheguei a pegar a época de exibição da série, porém é exatamente esse tipo dark adolescente de entretenimento que eu adoro (sim, eu assisto muitas séries da CW). Gosto quando um seriado consegue captar a essência de um jovem (com todos os clichés) e intercalar com a parte sobrenatural (afinal, é aqui que temos a ação do show). Enfim, saber que em breve teremos uma obra que homenageia Buffy me deixou super animado para adentrar nesse universo, e quem sabe não temos um reboot a caminho, né?
    Beijos.