resenha-teto-para-dois-beth-oleary 27 maio, 2020

Teto para Dois é aquela leitura que tem tudo o que os leitores de romance gostam, sabe?

  Se você está chegando no blog agora, talvez não saiba que livros com temática de cartas, e-mails e bilhetinhos espalhados pela casa são o meu ponto fraco. Não sei, eu acho que tem um algo a mais no romance quando o personagem dedica um tempo para escrever algo para o seu interesse amoroso. Quem nunca se derreteu com a carta que o capitão Frederick Wentworth escreveu para Anne Elliot em Persuasão? Essa coisa das cartas sempre foi o meu ponto fraco literário, vamos colocar assim, e é por isso que Teto Para Dois era uma leitura que eu estava mais do que ansiosa para colocar na estante. Afinal, dois protagonistas morando debaixo do mesmo teto, sem se conhecer e ainda trocando bilhetes pela casa toda? É essa a leitura que eu quero, queridos![...]
continue lendo
26 maio, 2020

Relacionamento tóxico e cultura indígena, conheça o romance Com o corpo inteiro

Romance de estreia de Lucila Mantovani, Com o corpo inteiro, publicado pela Editora Pólen, trata de temas como relacionamento tóxico, a cultura indígena e o reconhecimento do próprio corpo no mundo. Para falar sobre essas questões, a autora — que começou com o projeto na pós-graduação do Instituto Vera Cruz e terminou após a aquisição do prêmio PROAC de criação literária — foca na relação entre a personagem-narradora e um homem chamado Paco, que leva a protagonista a revisitar a separação traumática dos seus pais, dentre outras memórias e reflexões, buscando por um novo relacionamento consigo mesma. Para escrever a obra, Mantovani fez uma série de viagens para a Amazônia, onde se passa uma parte importante da narrativa, e vivenciou experiências que se refletem no livro, como o momento em que a personagem conhece Ina, uma mulher ancestral kaxinawá.[...]
continue lendo
24 maio, 2020

Uma Loucura e Nada Mais, por Mary Balogh

Eu amo o comprometimento da Arqueiro em lançar suas séries de romance de época. Eu nunca tenho que esperar muito tempo para colocar as mãos em uma continuação e eles sempre entregam um trabalho impecável quando se trata de tradução, edição e capa. O Clube dos Sobreviventes tem sido a minha série de romance de época favorita da Mary Balogh. A atmosfera de soldados feridos e com corações partidos me conquistou bem mais do que eu estava esperando e a melancolia da narrativa apenas intensifica o teor romântico e erótico do livro. Não tem nada que prenda mais um leitor de romances históricos do que a ansiedade de sabe se e quando os protagonistas vão se entregar definitivamente ao desejo e a paixão que nutrem um pelo outro e Mary Balogh faz isso muito bem em todos os livros desta série.[...]
continue lendo
14 nov, 2019

A Chama de Ember, de Colleen Houck

Colleen Houck está de volta, meus caros. Para quem não conhece este nome, ela é a autora de A Maldição do Tigre, um dos poucos livros românticos e fantásticos que eu realmente amei ler. Ou seja, este novo livro da autora chega com grandes expectativas para mim, afinal, eu não consegui ler sua última série e precisava saciar a minha vontade de voltar a um universo mágico. Infelizmente, A Chama de Ember não chegou nem perto do que eu estava esperando, e eu vou explicar o porquê. O problema não está na escrita da Colleen, mas sim na sua escolha de construção de enredo. A primeira coisa que me incomodou foi o fato de as coisas não terem nome. O outro mundo, o mundo dos sobrenaturais, se chama “Outro Mundo”. Depois disso, nós temos uma péssima construção do universo já que eu não conseguir visualizar como era esse outro[...]
continue lendo