livros
Categoria(s): livros

A Maldição do Mar, de Shea Ernshaw

de Shea Ernshaw
Título Original: The Wicked Deep
Gênero do Livro: Fantasia, Young Adult, Paranormal
Editora: Galera Record
Ano de Publicação: 2021
Número de Páginas: 320
Código ISBN: 9788501119469
Sinopse: Quando corpos de garotos começam a aparecer no litoral da cidade de Sparrow, alguns moradores se perguntam se a antiga lenda sobre as bruxas vingativas seria verdade. Mas até onde essa caça às bruxas pode levar? Há dois séculos, três irmãs foram condenadas à morte por, supostamente, cometerem bruxaria. Pedras foram amarradas em seus tornozelos, e elas morreram afogadas nas águas profundas que margeiam a cidade. Agora, por um breve período de tempo – a cada dia primeiro de junho até o solstício de verão –, diz a lenda que as irmãs retornam, roubando os corpos de três meninas para que, por meio deles, possam buscar sua vingança, seduzindo e afogando meninos até a morte. Como muitos habitantes locais, Penny Talbot, conhece a lenda de cor. Mas, neste ano, quando a cidade se prepara para o anual retorno das irmãs, um rapaz desconhecido, Bo Carter, chega à cidade buscando suas próprias respostas. E Penny o acolhe. Mas quando corpos de meninos locais começam a aparecer no litoral, o clima de desconfiança e medo atinge a cidade, dando início a uma verdadeira caça às bruxas. A narrativa alterna, os eletrizantes eventos do presente com relatos do diário das jovens condenadas por bruxaria, resultando em um thriller sobrenatural inesquecível.

 

a-maldicao-do-mar-de-shea-ernshaw

O mês de outubro havia chegado e com ele veio a promessa de uma tbr repleta de livros com aquela pegada que o Halloween pede, ou seja, eu iria sair drasticamente da minha zona de conforto de romances e romances de época e não sabia se isso me incomodava ou me animava.

Um dos livros escolhidos para a leitura coletiva e o tema da resenha de hoje, recheada de mistério, bruxaria, mortes e vingança, é assim que somos inseridos no cenário da pequena ilha Sparrow, onde há duzentos anos, três irmãs são condenadas ao afogamento por serem acusadas de bruxaria.

“A canção começou, as irmãs despertaram. Cuidado com o mar”

O que a cidade não esperava era que os espíritos de Marguerite, Aurora e Hazel Swan iriam retornar todos os anos para possuir corpos de meninas inocentes e seduzirem garotos até levá los para as profundezas do mar com sua canção altamente envolvente, causando inúmeras mortes neste mesmo período do ano.

Em meio a esta trama conhecemos Penny Talbot, uma jovem introspectiva que tem motivos de sobra para odiar a ilha e seus habitantes pelo fato de seu pai ter desaparecido no mar há três anos e, por ser um forasteiro, ninguém se deu ao trabalho de dar atenção ao seu desaparecimento negando qualquer suporte para ela e a mãe que desde o sumiço de John Talbot, vive em um estado de angústia e depressão.

Com a chegada de Bo Carter, mais um forasteiro misterioso, Penny se vê atraída ao mesmo tempo que tenta proteger o rapaz desconhecido de ser chamado pela canção e afogamento das irmãs Swan.

Antes de qualquer coisa, falemos sobre a narrativa de Shea Ernshaw

Dizer que fiquei envolvida pela história é pouco para o tanto que a trama me viciou, fiz essa leitura em dois dias e poderia ter sido em um se eu não precisasse me levantar para ver que a vida lá fora ainda existia.

Foi o primeiro contato que tive com essa autora e agora sigo com um vontade enorme de ler outros livros dela, a forma como ela descreve o cenário e o clima pesado da cidade, as sensações dos personagens te atrai de uma forma que você passa a criar altas teorias ao longo da leitura pensando em quem estava sendo sincero, em quem estava possuído por uma das irmãs, se aquilo tudo era mesmo bruxaria ou delírio coletivo do moradores da ilha.

Do começo ao fim, essa história que alterna entre passado, na época em que as irmãs eram vivas, e presente, Penny tentando proteger Bo do afogamento, fiquei sentada na pontinha da cadeira com aquela sensação de que algo muito sinistro rondava Sparrow e eu precisava saber o que realmente era.

“Sempre há razões para ficar, precisa apenas encontrar uma para partir”

Alguns pontos que preciso ressaltar

Como eu quero que todos tenham a curiosidade e vontade de fazer esta leitura, decidi não trazer spoilers para a resenha para não atrapalhar a experiência de cada um, mas, preciso levantar alguns pontos que chamaram a atenção ao longo da trama e acho legal serem abordados de uma forma mais crítica porque nem tudo é perfeito.

Romance rápido demais

É claro que podemos imaginar que rolaria alguma coisa entre o casal protagonista Bo e Penny mas não imaginava que aconteceria de uma forma tão rápida, mesmo sendo leitora voraz de romances e acostumada com clichês, achei que a autora não se aprofundou tanto na relação deles e de uma hora para outra a atração surge sem que a gente possa se envolver ou se acostumar com os motivos por eles estarem juntos, vou passar um pano aqui e levar em conta que, por estarem na faixa dos 18 anos, tudo é mais intenso e encantador na juventude.

Desfechos pouco aprofundados e plot twist da trama

Outro ponto que me chamou a atenção foi o desfecho que a autora deu aos pais de Penny como o desaparecimento do pai que foi justificado no final de forma rápida e superficial e a pouca importância que a mãe teve na história sendo que somos levados a entender que ela possuía algum dom especial que poderia ter sido muito mais utilizado e aproveitado na trama, enfim, queria ter visto mais um pouco desses dois.

Já o plot twist que, como eu disse acima, não vou falar qual foi, muitas pessoas consideraram ele previsível e fraco, eu particularmente fiquei tão na nóia de levantar inúmeras teorias que deixei o óbvio passar, então, consegui ser surpreendida mas concordo que a autora poderia ter puxado mais desse mistério que ronda a vida ou a morte das três irmãs e da ilha.

As irmãs Swan

O que mais me chamou a atenção no livro foi sem dúvidas Marguerite, Aurora e Hazel, as irmãs acusadas de bruxaria.

Gostei muito de que cada uma possui uma personalidade distinta e que a relação delas nem sempre é um mar de flores.

Ver como elas viviam e o que motivou os moradores da ilha acusarem elas de utilizar magia para conseguirem o que querem, não que se precisasse de muitos motivos na época para condenar mulheres na maioria das vezes por algo injusto, além da vingança delas ao longo dos anos, foi o que mais me prendeu ao livro por querer descobrir como tudo aquilo funcionava, se elas eram realmente bruxas e se teriam finalmente alguma libertação.

Enfim, se depois dessa resenha vocês me perguntarem, “vale a pena colocar esse livro na tbr?” minha resposta vai ser SIM, super vale a leitura, mesmo com os pontos que levantei aqui e pelo fato do final ter me desagradado em algumas partes, eu sempre vou defender que cada pessoa vai ter uma experiência diferente de leitura e o que eu não curti pode ser justamente o que vai te chamar mais atenção, fora a narrativa de Shea que, volto a ressaltar, é um ponto muito positivo e válido para embarcar nesse mistério e se sentir parte da história de Sparrow.

Gostou? Compartilhe!pinterest twitter facebook
Livia Rocco

Lívia Rocco é administradora pública, apaixonada por todos os clichês que um romance de época pode ter, aspirante a escritora nas horas vagas e entusiasta em estudar fatos históricos. Ainda acredita no amor verdadeiro.

Deixe seu comentário

  1. Ariela comentou:

    Pois eu estou muito curiosa pra ler esse livro.
    Livros que trazem bruxas no enredo, inacreditalvemente é oque menos vejo nos livros de fantasia, que eu li pelo menos, agora q estou vendo trazer mais e to bem animada com isso.
    E a capa é linda neh, que edição pronta pra comprar, gostar e ter na estante. LInda!!!!

  2. Angela Cunha Gabriel comentou:

    Se minha péssima memória não estiver tão falha, foi uma de minhas melhores leituras de Setembro rs
    Eu amei esse livro,mesmo com as ressalvas sim. Mas fiquei tão envolvida e pela primeira vez em anos, descobri o plot quase que no começo do livro e ao chegar no final e ver que tinha matado a charada, me fez sorrir de orelha a orelha.
    Fluído, leve, gostoso. Não teve como não me apaixonar!!!!
    Super recomendo!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

  3. Michelle Lins de Lemos comentou:

    Não é um livro que escolheria mas os elogios são tantos que a curiosidade bateu.
    Acho a premissa interessante.

  4. ELIZETE SILVA comentou:

    Olá! Eita que já estava de olho nesse livro, na verdade foi uma dica de uma amiga que acabei deixando passar, afinal a lista é grande, mas depois dessa resenha, não tem como deixar passar a leitura por mais tempo, ainda mais porque estou bem curiosa em relação a escrita da autora e esse mistério, será que vou (finalmente) descobri antes do final da história!?