Resenhas 11jul • 2018

Clube Da Luta Feministapor Jessica Bennett

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Feminist Fight Club: An Office Survival Manual for a Sexist Workplace
Gênero do Livro: Não-ficção, Feminismo
Editora: Rocco
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 336
Código ISBN: 9788595170346

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Contratada para assumir a recém-criada editoria de gênero do The New York Times, a jornalista Jessica Benett constrói um guia incisivo e irônico de como sobreviver ao sexismo no ambiente de trabalho em Clube da luta feminista. Mesclando experiências pessoais e de outras mulheres e conselhos nada politicamente corretos com pesquisas e estatísticas sérias, Bennett oferece dicas valiosas e bem-humoradas para a mulher enfrentar o machismo na sociedade atual e combater o terreno minado e muitas vezes sutil do preconceito no ambiente corporativo. Com projeto gráfico moderno, repleto de ilustrações e esquemas divertidos, o livro fala tanto dos desafios externos enfrentados pelas mulheres cotidianamente, quanto dos comportamentos arraigados e autossabotadores delas próprias no dia a dia do escritório, sempre num tom informal e sarcástico.

Não vou mentir, quando eu peguei Clube da Luta Feminista para ler, eu estava muito curiosa sobre o que seria a leitura, mas, ao mesmo tempo, eu não estava muito animada porque esse tipo de estrutura de texto normalmente não me prende. Mas, Jessica Bennet me conquistou com a sua escrita descontraída e desde o começo do livro, a sensação que eu tive foi de estar conversando com uma amiga. Além de conseguir identificar no meu dia a dia as coisas que ela estava narrando, eu ainda aprendi muito mais do que eu estava esperando.

Então, sobre o que é o Clube da Luta Feminista? Bem, ele é mais ou menos como um guia para ajudar mulheres a navegar pelo mercado de trabalho machista em que vivemos. Ele vai desde a te ensinar a identificar os tipos de machistas que provavelmente trabalham com você até a te ajudar a identificar certas posturas e comportamentos que podem acabar te prejudicando no trabalho sem que você perceba. E todas essas orientações são passadas pela autora com todo o bom humor de uma escrita descontraída.

O primeiro ponto positivo do livro, principalmente se você é uma pessoa que nunca sabe por qual livro começar, é que Jessica Bennett vem munida de todo o tipo de referência literária para quem quer começar a ler livros feministas para entender o movimento. Ela nos dá exemplos, trechos e nos conta muito da sua própria experiência profissional e como isso fez com que ela resolvesse escrever esse livro. Se você é mulher e trabalha num ambiente tipicamente masculino, esse livro é quase uma necessidade na sua vida.

As dicas profissionais e de comportamento são muito boas. Nós mulheres às vezes trabalhamos em ambientes hostis e para sobreviver nesse mercado de trabalho é preciso muito jogo de cintura e, com o Clube da Luta Feminista, você tem uma ideia  muito melhor de como lidar com todo o tipo de situação e o melhor é que o livro não te ensina a se esconder, mas sim a brigar pelo seu espaço com a cabeça erguida, sem deixar os machos te intimidarem.

Os primeiros capítulos foram os mais divertidos, onde a autora conta algumas experiências reais e identifica os tipos de homem machista que nós vamos encontrar no mercado de trabalho. Eu amei essa parte porque eu já trabalhei em lugares muito machistas e já fui tratada como “secretária” ou “a menina do café”, mesmo que essa não fosse a minha função. Aliás, eu vou começar a queimar todos os cafés que eu fizer no trabalho agora, é meio que a minha meta de vida.

Uma coisa que eu percebi com esse livro é que é muito comum, no trabalho, as pessoas confundirem gentilizas com as nossas funções. Eu sempre pensei que se eu me oferecesse para ajudar um amigo ou algo do tipo, não seria um problema, mas depois que eu li esse livro, eu percebi que sempre que eu tentava ajudar alguém na sua função, eu acabava ficando com ela para mim, para sempre. O que era um saco porque a pessoa ficava com menos trabalho e eu praticamente dobrava a minha carga horária.

Uma coisa que me chamou atenção é que ela também conseguiu incluir os manos nessa luta. Tem um capítulo inteiro no livro sobre como os nossos colegas de trabalho podem contribuir para ajudar na nossa causa e eu achei isso muito importante. Acho que não é só ensinar as mulheres o que fazer e como fazer, mas ajudar os homens a perceberem como é importante que eles também respeitem o nosso espaço e nos deem aquela forcinha na causa sem desrespeitar e sem diminuir a nossa capacidade.

De verdade? Jessica Bennett foi uma heroína com esse livro. Primeiro porque tinha muita coisa sobre o ambiente de trabalho que eu ainda não tinha percebido e, segundo, porque me deu a chance de encontrar muitas formas de melhorar no meu trabalho e ajudar outras mulheres a melhorarem também. Eu acho que eu vou dar esse livro para absolutamente todo mundo que eu conheço, sério!

Gostou do livro? Então aproveite as promoções da Amazon e garanta já o seu livro!

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

9 Comentários

  • Jade Sibalde
    31 jul 2018

    Oi Débora!
    Já tinha visto a capa do livro mas nunca lido nada sobre ele, parece uma ótima leitura, A questão que você citou do virar secretária e moça do café é muito verdade, já me deu uma vontade maior de ler, até para reconhecer melhor aqueles machismos que passam desapercebidos no nosso dia.

  • Bianca
    29 jul 2018

    Uau, eu não conhecia esse livro mas fiquei bem interessada, já que a proposta parece ser muito útil e funcional para nós!
    Adorei a resenha!

  • Iêda Cavalcante
    24 jul 2018

    Oi Débora!
    Confesso que não confia o livro e assim como você, se eu desse de cara com ele provavelmente não ficaria animada não.
    Mas sua resenha me surpreendeu, de uma forma super positiva, fiquei muito animada para lê-lo, ate porque já passei por situações, incluímos ai o tal cafezinho, que a gente acaba ficando sem saber como agir.
    Esse já vai pra lista de desejados.
    Bjs!

  • Bianca Melo
    20 jul 2018

    Nossa, já senti o amorzinho emanando do livro através dessa resenha!!!
    É muito essencial que mulheres que se encontram no mercado de trabalho (principalmente aquele dominado por homens) encontrem essa força através de palavras bem colocadas.

  • Lily Viana
    19 jul 2018

    Olá!
    Não tinha ouvido fala dessa autora, mas adorei muito por você apresentar. Realmente, esse livro seria uma ótima ajuda para nós mulheres que vivemos num mundo machista onde homens pensa que nós não temos a capacidade de fazer algo ou trata nos como algo sem nada mais… Gostei muito do livro e me despertou o interesse em ler.

    Meu blog:
    Tempos Literários

  • Vitória Pantielly
    17 jul 2018

    Olá Débora,
    Que livro… Com certeza quero ler, e mais, acredito que todos deveriam tirar um tempinho para ele!
    Eu nunca trabalhei em locais que tivessem homens, sério, sempre com mulheres, é engraçado que sempre tive um pouco de receio em precisar trabalhar em ambientes com eles, por conta das coisas que ouvia…
    A autora tratou o assunto de forma série e leve ao mesmo tempo, e isso me conquistou, livros do assunto são tão sérios, talvez por isso as pessoas não se interessem tanto, esse não, parece direto e divertido! Eu realmente gostei, e olha só, como nos faz enxergar coisas que achávamos normal, também sempre tento ajudar, mas se parar para observar, bem, sempre sobra para nós né?
    Beijos

  • Pamela Liu
    12 jul 2018

    Oi Débora.
    Esse livro parece ser ótimo para mulheres que têm um ambiente de trabalho muito machista.
    Que bom que a narrativa é bastante envolvente e até divertida. O mais importante é que ela passa boas informações e dicas.
    Fiquei com bastante vontade de ler esse livro.
    Beijos

  • Micheli Pegoraro
    12 jul 2018

    Oi Débora,
    Esse é o tipo de livro que a gente deve espalhar por todo lado, acho digno presentear os colegas de trabalho, principalmente para os que precisam tomar um choque de realidade e perceber que as atitudes e brincadeiras não são nem um pouco engraçadas, pelo contrario, são machistas e desrespeitosas.
    Adorei a proposta que a autora trouxe, abordando de uma forma descontraída situações que muitas vezes não enxergamos como machistas no mercado de trabalho, e também, orientações de como lidar com as mais diversas situações.
    Amei a indicação, já desejo ler agora mesmo.
    Beijos

  • Daiane Araújo
    11 jul 2018

    Oi, Débora.

    Certamente, livros com conteúdos assim, tendem a ressaltar e nos passar algo. E, talvez seja por isso que ele me chamou a atenção. Vejo que, aqui, a autora foi certeira ao passar e propagar para os leitores um conteúdo inovador (nunca vi nenhum livro com essa proposta por, aí), e de valiosa importância.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram