Resenhas 22abr • 2018

Um Amor Perdidopor Alyson Richman

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: The Lost Wife
Gênero do Livro: Romance, Ficção
Editora: Bertrand Brasil
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 336
Código ISBN: 9788528622645

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Separados pela guerra, ligados pela memória: uma história envolvente e instigante no rastro da Segunda Guerra Mundial. Na Praga do pré-guerra, Lenka, uma jovem estudante de arte, apaixona-se por Josef, um médico recém-formado. Eles vivem cheios de ideais e de sonhos para o futuro, mas também são judeus e muito ligados à família. Casam-se, mas, pouco tempo depois, como tantas outras famílias, são separados pela guerra. As escolhas impostas pelo destino os afastam, mas deixam marcas permanentes: o caos e as informações truncadas dos tempos de guerra os levam a crer que o outro morre. Na América, Josef torna-se um obstetra bem-sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. No gueto de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver. Apesar de todas as provações e dos infortúnios, mantém a chama daquele primeiro amor acesa, guardada em seu coração. Da glamorosa vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa nazista, Um Amor Perdido explora o poder do primeiro amor, a resiliência do espírito humano e a eterna capacidade de recordar.

Eu preciso dizer que estou um tanto quanto enjoada depois de ler esse livro. Apesar de ser uma história de amor poderosa, os personagens desse livro passam por sofrimentos inimagináveis e a escrita poderosa de Richman, fez com que eu conseguisse sentir na pele cada uma das dores que eles sentiram. Apesar de ser um romance, Um Amor Perdido é um enredo que fala muito sobre perdas e separações. Eu me emocionei com cada capítulo desse livro, ao mesmo tempo que sentir meu peito apertar ao mergulhar em tudo o que esses personagens viveram.

O enredo de Um Amor Perdido é divido de uma forma que eu achei bem interessante. Nós temos o Josef contando a sua história no presente, que seria o período “pós-guerra” e Lenka contando a sua história no período que ocorreu a segunda guerra mundial. Ambos possuem uma narrativa muito forte e rica em detalhes para te fazer mergulhar em tudo o que viveram durante os anos em que se viram obrigados a ficar separados um do outro.

“Fechei os olhos, Josef Kohn me tocando, suas mãos gentilmente mapeando as superfícies escondidas do meu corpo, a boca percorrendo minha pele nua.”

Richman escolheu uma história muito complexa de se contar. Seu enredo começa muito antes da guerra acontecer e, com isso, nós conhecemos e nos apegamos a Lenka e sua família. Quando ela finalmente vai para a universidade, acompanhamos uma jovem adulta se apaixonando pela primeira vez, fazendo novos amigos e experimentando coisas novas até que… tudo mudou. Neste ponto do livro, você já está completamente imerso no amor dos personagens principais, Josef e Lenka, e quando tudo começa a ficar complicado, é quase impossível que você não sofra junto com eles.

A escrita de Richman é muito visual. Não teve si quer um único capítulo que eu não consegui visualizar o ambiente onde os personagens estavam, ou sentir o que eles estavam sentindo na pele. Eu gostei muito de ela conseguir me passar todas essas sensações sem precisar tornar a narrativa do livro cansativa, mas sempre criando plots para que eu não conseguisse largar o livro até descobrir o que aconteceu a seguir. Meu único problema com o livro foi o desenvolvimento do enredo que, em alguns pontos, pareceu um pouco arrastado, como se a história não estivesse realmente caminhando.

Um Amor Perdido se passa bem no meio da segunda guerra mundial e um dos pontos que me deixaram mais desesperada com essa leitura foram as descrições de Lenka sobre como funcionavam os campos de concentração. Richman tomou cuidado para construir a narrativa da guerra desde antes dos judeus entenderem o que realmente estava acontecendo e, com isso, nós leitores somos pegos no meio de uma montanha russa emocional sem fim.

“Dormi, dormi e dormi, como se estivesse deslizando para minha própria morte. Não tive sonhos. Tudo era negro. Não havia imagens, memórias ou pensamentos sobre o futuro.”

Eu fiquei bastante angustiada lendo Um Amor Perdido e, embora isso pareça ruim, não foi. Estamos falando sobre um livro que se passa na segunda guerra mundial, é mais do que natural que o enredo tenha algumas cenas pesadas, porém, Richman tem um jeito muito inteligente de conduzir o leitor durante essas cenas e, por mais que você se sinta muito impactado por certos acontecimentos do livro, as cenas violentas não são algo que te façam querer largar o livro, pelo contrário, mesmo angustiada, eu queria terminar a leitura.

O romance o livro é um ponto bastante complicado. Os personagens principais passam muito pouco tempo juntos, mas ao mesmo tempo, é muito difícil você conseguir negar o amor que existia entre eles. Lenka e Josef são um casal que não tiveram a chance de ser um casal. Foram separados logo no inicio do relacionamento, mas de alguma forma conseguiram manter todo aquele sentimento de “primeiro amor” vivo dentro deles. As memórias que compartilharam foram suficientes para fazê-los viver uma vida, mesmo que não fosse a vida que eles desejavam.

Richman criou um enredo bastante poderoso aqui. Nós temos um romance poderoso que conta a história de duas pessoas que se amaram muito, apesar de não terem conseguido viver tudo o que desejaram. Lenka e Josef, como diz as notas da autora, são um pouco de muitas pessoas que foram separadas durante aquele período triste e uma forma de mostrar para nós, leitores, que nem todas as histórias de amor precisam ter os personagens juntos o tempo todo, para ser verdadeira e marcante.

“Então, naquela noite, quando me deitei para dormir, não sonhei com Lenka, como de costume, mas com Amalia. Eu finalmente a deixei ir ao encontro de sua família.”

Um Amor Perdido me enviou diretamente para uma ressaca literária. Acho que depois da montanha russa que eu vivi durante a leitura desse livro, não teria como eu me sentir de outra maneira. Eu realmente gostei dos personagens e, apesar de alguns pontos do livro terem sido um pouco complicados, eu me apaixonei e sofri com Josef e Lenka e torci para que, no final, eles conseguissem ter ao menos um pouco de felicidade. Esse é um livro para leitores que estão dispostos a encarar um tipo de romance que não é romântico, mas tão verdadeiro quanto qualquer outro.

Um Amor Perdido chega as livrarias pela Bertrand Brasil dia 7 de Maio, mas você já pode garantir o seu exemplar na pré-venda.

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

10 Comentários

  • Ana I. J. Mercury
    30 abr 2018

    Nossa, que capa linda!
    Eu não conhecia o livro ainda, mas quero pra ontem!
    Adoro ler sobre a segunda guerra mundial, por mais triste e superdoloroso que seja, eu acho que nós precisamos muito sempre ler sobre e jamais deixar que todo aquele horror volte a acontecer.
    A história parece ser bem triste e muito tocante, dolorosa, mas vou tentar mesmo assim. Acho que é um livro de grandes reflexões.
    bjss

  • Iêda Cavalcante
    26 abr 2018

    Oiee!
    Amei a resenha, a capa e ainda mais o livro!
    Livros que se passam na época da guerra não são os meus preferidos, mas quando encontro uma pérola dessa assim, com certeza tenho que conferir. Gostei muito da capa, e capas pra mim tem um peso bem importante e o enredo então? Me ganhou.
    Esse vai pra minha lista de desejados hoje mesmo.
    Bjs!

  • Theresa Cavalcanti
    23 abr 2018

    Eu fiquei louca para ler esse livro, mas sinto que vou chorar muitooo!
    Ele parece ser muito bom e eu gosto bastante de livros com essa pegada histórica, ainda mais sobre um período tão importante como a segunda guerra mundial.

  • Diane Ramos
    23 abr 2018

    Olá…
    Eu estou looouca para ler esse livro! Tenho certeza que também irei ficar angustiada o tempo inteiro, pois, sempre fico assim em qualquer livro que leio sobre a segunda guerra mundial! Essa história de amor parece ser linda demais <3
    Dica anotada!

    Amo seu blog!

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

  • Vitória Pantielly
    23 abr 2018

    Oi Débora…
    Me lembrou um pouco um outro livro que já li, é que sem dúvidas tem uma história maravilhosa!
    Gosto de livros que se passam na segunda guerra, e nesse deu pra sentir o impacto que a mesma teve e em como ela alterou toda a vida do casal. Mesmo com eles separados, tocando a vida, eu ainda prefiro acreditar que no final eles acabarão juntos, romântica incurável né, rsrs.
    Sobre a angustia, acredita que é numa características as vezes necessária, uma forma de estarmos dentro de tudo que é contado.
    Beijos

  • suzana cariri
    23 abr 2018

    Oi!
    Deu para ver que esse é um livro bem denso e bem sofrido, gosto muito dos romances de época e todo o cenário do livro e principalmente por ser um livro bem visual, acaba nos fazendo sofrer junto com os personagens, o que deixa o livro com uma carga dramática bem maior !!

  • Lili Aragão
    23 abr 2018

    Oi Débora, tenho que dizer que a parte da angústia me preocupa um pouco mas como você bem disse é difícil uma obra que retrata esse triste período não ser angustiante e a resenha como um todo é super positiva. A sofrida história de amor deles que te levou numa montanha russa de emoções parece estar muito bem escrita e me despertou curiosidade 🙂

  • Pamela Liu
    22 abr 2018

    Oi Débora.
    Adoro livros que se passam em épocas de guerra, então fiquei bem interessada em ler Amor Perdido.
    Essa história parece incrível. Gostei bastante de saber que a narrativa é feita por dois personagens e em tempos diferentes. Deve ser interessante ver os dois pontos de vista, ao mesmo tempo que ficamos agoniados ao ver pelo que estão passando e se terão um final feliz juntos.
    Espero ter a oportunidade de ler esse livro.
    Adorei a capa.
    Beijos

  • Kleyse Oliveira
    22 abr 2018

    Oi Débora!

    Como uma fã de romance até os de época, vou confessar que me encantei por essa capa mui bela. Sou apaixonada por histórias que se passam na guerra, não sei de onde veio esse meu fascínio por histórias habituadas na primeira ou segunda guerra mundial, mas sempre eu podia dava um jeito de buscar histórias assim. E esse livro com certeza será um desses que terei o enorme prazer de ler. E vou amar também ter esse livro belíssimo em minha estante.

  • Daiane Araújo
    22 abr 2018

    Oi, Débora.

    Acho que mesmo separados pela guerra, com o tempo que se passou, o mesmo foi capaz de mostrar que amor do Josef e da Lenka permaneceu, mesmo os dois seguindo e construindo novas vidas distintas.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram