Resenhas 16set • 2018

Anjos Partidospor Richard K. Morgan

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Broken Angels
Gênero do Livro: Ficção-científica, Cyberpunk
Editora: Record
Ano de Publicação: 2018
2º livro da série Altered Carbon
Número de Páginas: 300
Código ISBN: 9788528623062

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Bem-vindos de volta ao admirável e brutal mundo novo do século XXV, no qual a política global não se limita à Terra e a morte é apenas um contratempo, graças ao milagre tecnológico que preserva a consciência humana e a baixa em corpos novos. Takeshi Kovacs — ex-Emissário da ONU, cínico e rápido no gatilho — trocou de profissões, e de corpo, mais uma vez. Agora contratado como mercenário, seu dever é ajudar um governo planetário a reprimir uma violenta revolução em uma terra distante. Kovacs, no entanto, não está de fato do lado de ninguém além do seu próprio. Então, quando um piloto desertor lhe faz uma oferta lucrativa, ele não hesita em abandonar o campo de batalha e embarcar em uma traiçoeira caça ao tesouro. Tudo o que o separa de seu objetivo, uma antiga nave alienígena, são uma cidade banhada em radiação, nanotecnologia assassina e quaisquer surpresas que a avançadíssima civilização marciana possa ter deixado para trás. Mas armado com seus instintos geneticamente modificados e suas armas duplas Kalashnikov, Kovacs está pronto para qualquer coisa que entrar em seu caminho.

Depois de ter curtido a leitura de Carbono Alterado, e de ter acompanhado a primeira temporada da série na Netflix, eu estava bem animado para fazer a leitura do segundo livro da série, Anjos Partidos. Os livros do Richard Morgan tem sido uma descoberta muito legal para mim, que estou tentando me aprofundar mais em universos sci-fi novos. E depois de concluída a leitura, posso afirmar que Anjos Partidos não foi o livro que eu estava esperando, mas isso não é necessariamente uma coisa ruim.

Anjos Partidos continua a história de Takeshi Kovacs, ex emissário e atual mercenário. Atuando como parte de uma guerra em um planeta distante, Kovacs recebe uma oferta de um piloto desertor: abandonar essa guerra e partir atrás de uma caça ao tesouro. Tudo o que o separa de seu objetivo, uma antiga nave alienígena, são uma cidade banhada em radiação, nanotecnologia assassina e quaisquer surpresas que a avançadíssima civilização marciana possa ter deixado para trás.

“Eu não gosto do espaço profundo. Ele fode com a cabeça da gente.”

Anjos Partidos se passa algumas décadas depois dos eventos de Carbono Alterado, e eu fiquei bem surpreso de como o primeiro livro parece ter muito pouco a ver com essa continuação. Fora alguns momentos no começo do livro, os acontecimentos do primeiro livro não parecem ter afetado muito o protagonista, Takeshi Kovacs. Se eu não tivesse lido o primeiro livro, e tivesse alguém me explicando alguns dos conceitos mais básicos do universo da série, eu sinceramente acho que não teria muito problema em acompanhar a história.

A coisa fica um pouco mais complicada no que se trata do world building. Quem leu a resenha que eu fiz do primeiro livro sabe que eu apontei que Carbono Alterado sofria de world building demais em alguns pontos. Anjos Partidos sofre do mesmo problema, mas em vez de explicar os conceitos científicos do universo do livro, a narração explora mais de conceitos sociais e filosóficos, principalmente de religião. Isso não é uma coisa ruim, é até muito interessante ver esse aspecto do universo, mas fica meio cansativo quando o livro é cheio de cenas dos personagens sentados em musa explicando coisas uns pros outros.

Mas vamos falar dos pontos positivos. Takeshi Kovacs continua sendo um protagonista bem legal. Ele é inteligente, determinado e ainda assim comete erros que levam ele a amadurecer ao longo da história. As interações dele com os personagens são sempre legais porque ele é um personagem bastante confiante e carismático, então os diálogos dele sempre são ótimos. Gostei particularmente das interações que ele tem com Matthias Hand, eles tem ótimos diálogos nas cenas que têm juntos.

“Não consigo pensar em nada muito engraçado a respeito de apagar uma cidade inteira. – Dei de ombros. – No momento, pelo menos. Talvez seja só eu.”

Os outros personagens por outro lado não são tão bons assim. Schneider e Wardani começam bem interessantes, mas a medida que mais personagens vão entrando na história, mais ela vai ficando lotada demais. Eu sinceramente não consegui gravar o nome de todos os personagens que integram o elenco do livro, e quando alguns deles morrem, não consegui sentir um impacto emocional muito grande porque eles tiveram que dividir a minha atenção com vários outros personagens. Um elenco grande pode ser legal, mas nesse caso achei excessivo.

A escrita do Richard Morgan continua sendo muito boa, ele consegue muito bem passar o qual caótico e confuso é o mundo onde Takeshi vive. As cenas em que ele descreve o espaço, e principalmente as cenas dentro da nave são muito bem construídas. Se não fossem pelos problemas de ritmo que eu senti no livro, como as cenas cheias de infodump que eu mencionei acima, poderia dizer que Anjos Partidos mantém o nível da escrita de Carbono Alterado, mas infelizmente ele perde alguns pontos pelas partes mais chatas. Apesar disso, as partes boas são muito boas.

Uma coisa que eu senti falta em Anjos Partidos, já que foram algumas das minhas partes favoritas em Carbono Alterado, foram as cenas de ação. Anjos Partidos é de um gênero diferentes de Carbono Alterado (o primeiro livro da série é mais mistério/sci-fi e o segundo é mais drama) então eu não me surpreendo que o livro tenha menos cenas de ação, mas se o livro consegue ter não apenas uma, mas duas cenas de sexo, acho que dava para encaixar mais algumas cenas dos personagens saindo no soco sim!

No geral, Anjos Partidos não é a continuação que eu estava esperando de Carbono Alterado. Apesar da escrita boa do Richard Morgan e da boa tentativa de expandir o world building do universo dos livros, eu senti falta dos elementos que me fizeram gostar tanto do primeiro livro. O mistério, as cenas de ação, os personagens interessantes. Não vi muito disso em Anjos Partidos. A série ainda tem mais um livro e eu vou ser muito sincero com vocês, não tenho certeza se quero continuar leitura dessa saga. Resta esperar pra ver se a sinopse do terceiro livro vai me convencer a permanecer nesse universo.

Não esqueça de se inscrever para participar do top comentarista de setembro, tá?

Vinicius Fagundes ver todos os artigos
24 anos. Formado em Publicidade e Propaganda. Viciado em histórias. Desconhecido mundialmente.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

8 Comentários

  • Luana Martins
    30 set 2018

    Oi, Vinicius
    Ainda não li o primeiro livro e não assisti a série.
    Mas quero muito ler os livros, é uma pena que Anjos Partidos não tem mais cenas de ação e seja um livro com um enredo mais parado.
    Espero que o terceiro livro tenha mais ação.
    Beijos

  • Michelli Prado
    24 set 2018

    Confesso que no início estava bastante interessada em Carbono, mas devido a ler tantas resenhas negativas, acabei desanimando com o livro e com o seriado.Nem sabia que que tinha continuação do livro. Este é um tipo de gênero que ainda não me chamou a atenção. Mas ainda sim bacana saber um pouco mais sobre a continuação do livro, mesmo que não tenha te agradado tanto.

  • Michelli Prado
    24 set 2018

    Confesso que no início estava bastante interessada em Carbono, mas devido a ler tantas resenhas negativas, acabei desanimando com o livro e com o seriado.Nem sabia que que tinha continuação do livro. Este é um tipo de gênero que ainda não me chamou a atenção. Mas ainda sim bacana saber um pouco mais sobre a continuação do livro, mesmo que não tenha te agradado tanto.

  • Daiane Araújo
    19 set 2018

    Oi, Vinicius,

    Vemos que esse segundo volume está repleto de muito frenesi, com acontecimentos pra lá envolventes.

  • Ludyanne Carvalho
    17 set 2018

    Não sou fã desse gênero, na verdade não tenho nenhuma familiaridade com livros nesse estilo.
    Uma pena que tenha deixado a desejar; ficamos sempre na expectativa do 2° livro e não é legal quando não atinge o que esperamos.

    Beijos

  • Kleyse Oliveira
    17 set 2018

    Oi Vinicius!
    Eu não assisti Carbono Alterado pois não fazia meu gênero para assistir, mas via muita gente falar dessa série e o quanto era boa e etc.
    Eu não conhecia essa continuação, mas pelo que vi não teve muito avanço. Quem sabe quando eu for ler me agrade.

  • Pamela Liu
    17 set 2018

    Oi Vinicius.
    Não li Carbono Alterado, mas vi 4 episódios da série na Netflix.
    Achei a premissa muito interessante, mas parecia que a história não estava andando e acabei parando. Mas achei o personagem principal muito interessante e cheio de facetas.
    Parece que Anjos partidos é uma boa continuação, apesar de ser bem diferente do primeiro livro. O ritmo parece um pouco mais lento, sem ter tantas cenas de ação e muito drama.
    Provavelmente não irei ler os livros dessa série.
    Beijos

  • Patrini Viero
    17 set 2018

    Eu não conheço os livros da série. Na verdade, meu primeiro contato com a história foi a série da Netflix, mas eu confesso que não fui pega pela trama ou pelos personagens. Algo ficou faltando, e eu não sei nem explicar o que. Uma pena que o segundo livro tenha te decepcionado, é sempre uma droga quando criamos expectativas sobre algo e não conseguimos supri-las. Espero que o terceiro livro ainda salve a tua experiência de leitura.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram