Resenhas 09maio • 2018

Apaixonada Por Um Highlanderpor Maya Banks

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Never Love a Highlander
Gênero do Livro: Romance de Época
Editora: Universo dos Livros
Ano de Publicação: 2018
3º livro da série Trilogia McCabe
Número de Páginas: 304
Código ISBN: 9788550302591

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: A trilogia Irmãos McCabe, de Maya Banks – autora best-seller do The New York Times –, se encerra com uma história de laços fortes e de amor verdadeiro. O irmão mais novo da família McCabe usa a espada e a sedução para salvar o clã… e selar seu coração. Por conta do coração jovem e negligente de Caelen McCabe, seu clã quase foi destruído. Agora, priorizando a lealdade à família, ele se compromete a se casar com a noiva rejeitada pelo irmão, Alaric, e, assim, salvar a aliança instável entre os dois clãs. Embora a linda Rionna McDonald seja a esposa perfeita para qualquer homem, Caelen não confia em nenhuma mulher, principalmente naquela doce tentação que o atormenta com um desejo ardente. Como um carneirinho sacrificado no jogo de poder de seu pai, Rionna vai cumprir sua função, mas jura impedir que seu coração e seu orgulho sejam humilhados. Apesar de tudo, o calor do toque de Caelen derrete suas defesas e ela almeja as carícias sensuais de um marido que proteja suas emoções tão ferozmente quanto protege o próprio clã. Contudo, quando chega a batalha final pelo legado McCabe, o espírito guerreiro de Rionna emerge, fazendo-a provocar a ira do pai, a fúria dos inimigos e pôr a própria vida à prova a fim de mostrar a Caelen que o amor de sua esposa é precioso demais para ser menosprezado.

Vocês irão precisar ser bem pacientes comigo nesta resenha, principalmente porque eu atingi o ápice da minha frustração com essa série da Maya Banks. Insisti em ler o último livro de Os Irmãos McCabe porque finalmente a autoria iria contar a história da Rionna, a guerreira badass que aparece no primeiro livro e que foi a única razão de eu ter insistido em continuar lendo uma série que me deixou irritada desde o primeiro livro. Mas eu já deveria saber que o real talento de Banks é frustrar seus leitores porque Apaixonada por um Highlander só não foi uma decepção maior porque não tínhamos mais páginas.

Vamos começar com o que me motivou a ler esse livro, certo? Rionna. Logo no primeiro livro da série, Rionna é apresentada como uma guerreira, uma mulher que não estava disposta a ceder as vontades masculinas com facilidade. Mas logo no primeiro capítulo, Rionna cede as humilhações de seu novo marido, aceitando a sua forma rude de trata-la, permitindo que ele a coloque na posição de submissa não só entre quatro paredes, mas também diante de todo o seu clã. Eu não sei o que Banks utilizou para se inspirar para escrever essa série, mas é definitivamente alguma coisa muito perturbadora.

“Ela sabia manejar uma espada melhor que a maioria dos homens. Sabia lutar. E era rápida. Sabia ser cruel quando provocada. Não tinha estrutura delicada nem desmaiava ao ver sangue. Mas não sabia beijar.”

A escrita da autora não é de todo o ruim, mas o seu maior pecado está no desenvolvimento do enredo. Os personagens oscilam de personalidade de acordo com o andamento da história, fazendo com que a história fique bastante confusa e que todas as cenas tenham uma justificativa completamente aleatória. Além disso, a autora utiliza de vários clichês românticos para tentar justificar certas atitudes dos personagens. Por exemplo, ela se utiliza do “passado” de Caelen para justificar a forma agressiva com que ele trata Rionna em diversos momentos no livro o que, para mim, foi um tiro no pé.

Eu tive muitos problemas com esse livro e o romance entre os personagens principais, assim como nos enredos anteriores, foi o maior deles. Por mais que eu tente, não posso deixar passar o fato de que Maya Banks construiu um enredo machista, que vende a ideia de que uma mulher só pode ser feliz satisfazendo o seu marido. A autora vinha construindo Rionna como uma mulher forte e independente para que, no livro que conta a história da personagem, ela voltasse atrás nessa construção e entregasse mais uma heroína completamente submissa as vontades do seu marido. E eu não sei lidar com isso, desculpa.

Todos os livros dessa série possuem cenas de abuso por parte dos heróis do livro e com Caelen não foi nem um pouco diferente. Apesar de ter perdido Rionna como personagem logo nos primeiros capítulos, eu tive esperança que o terceiro McCabe fosse menos pior do que seus irmãos, mas é claro que isso foi apenas uma ilusão. Caelen não só desrespeitava Rionna enquanto esposa, ele também fazia questão de humilhá-la diante do seu próprio clã. E, ainda assim, mesmo com todas as cenas abusivas, Banks ainda manejou desenvolver um suposto romance entre os recém-casados.

“Era ruim o suficiente que ele pensasse ter sido um nobre sacrifício casar-se com a noiva descartada de seu irmão, e ainda tinha de ser um babaca insuportável e presunçoso.”

Eu consigo entender que o período histórico em que a série se passa pede que os personagens masculinos tenham uma personalidade mais dura em relação ao “romance”, porém Maya Banks perde totalmente o bom senso do seu enredo. Caelen não só exige a submissão de Rionna enquanto mulher, como a obriga a ser submissa perante o seu próprio clã, não se dando ao trabalho de conhecer as vontades e desejos de sua própria esposa. Agora me digam, como é que eu me conecto com um romance que, no final das contas, não tem romance nenhum?

Vários pontos do livro me deixaram mais do que enjoada. Eu realmente não consigo compreender o que faz uma mulher escrever um romance onde a figura feminina é totalmente apagada do enredo pelo ego masculino. E mesmo que eu conseguisse ignorar os abusos e as humilhações, Banks não coloca nada no enredo que consiga sustentar o suposto amor que está surgindo entre Rionna e Caelen, tornando cada capítulo mais difícil que o anterior. Apaixonada por um Highlander tem um enredo totalmente desestruturado, onde a autora brinca com os plots da história de acordo com sua vontade, sem se preocupar se as coisas estão realmente se encaixando.

“Ele a humilhara. Não apenas com palavras, mas com ações. Provara a sua incapacidade, e ela cometera o pecado de se permitir se distrair.”

Eu me senti bastante enjoada com essa série, não só por causa do enredo complicado e cheio de violência, abusos fisícos e psicológicos e a romantização de um relacionamento nada saudável, mas também porque a autora não conseguiu entregar nem ao mesmo o básico: personagens bem construídos e um enredo bem estruturado. Eu cheguei no último livro dessa série me questionando de onde foi que eu tirei que seria uma boa ideia fazer essa leitura.

Vale a pena dizer que, no caso de Apaixonada por Um Highlander, muitos outros leitores adoraram o enredo e realmente conseguiram se conectar com esses personagens. Embora esse não tenha sido o meu caso, acredito que cada leitor de romance de época deve tirar suas próprias conclusões sobre a história. Se você acredita que tudo o que eu mencionei não vai se incomodar durante a leitura, talvez Os Irmãos McCabe seja uma leitura que você vá gostar.

Já leu a série Os Irmãos McCabe? Deixa aqui nos comentários o que você achou dos livros da Maya Banks.

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

13 Comentários

  • […] a personagem do terceiro livro, era a minha esperança, mas todas as minhas expectativas foram destruídas quando ela também […]

  • Jade Sibalde
    31 maio 2018

    Já tinha visto falarem dessa serie mas depois da sua resenha perdi a pouca vontade de ler que tinha. Concordo que podia ser um período diferente mas não vejo razão de um livro ser excessivamente machista ou abusivo só por se tratar de romance de época. Prefiro me manter nesse gênero somente com autoras como Sarah MacLean e Julia Quinn.

  • Elizete Silva
    25 maio 2018

    Olá! Amo a escrita da Maya Banks, e gostei muito dessa trilogia, romance de época é um dos meus gêneros literários favoritos. Entendo que o machismo extremo do Caelen era bastante comum naquela época. Rionna me encantou desde o início e por isso fiquei muito empolgada em conferir sua história, o livro está cheio de drama, comédia e muito romance, sem falar nos mistérios. Rionna é uma mocinha bem forte e decidida, ao mesmo tempo possui algumas fragilidades, o que a torna muito real.

  • Bianca Melo
    21 maio 2018

    Só de ouvir falar em romance abusivo já me desestimula a ler, apesar de saber que temos que ler pra tirar nossas próprias conclusões :/ Acho que esse é meu grande problema com romances de época (porque curiosamente romantizam o tipo de romance vigente em épocas antigas, embora isso pareça óbvio). É comum encontrar nesse gênero personagens femininas submissas e homens egocêntricos e com ideias machistas formadas pela sociedade da época.

  • Elidiane Lima
    16 maio 2018

    Oi, Débora!
    É sempre muito frustrante quando em uma série você se interessa por um personagem, deseja conhecê-lo mais, e ai então quando finalmente vai ler a sua história o autor mudou completamente a personalidade desse personagem… Não li nenhum livro da série Os Irmãos McCabe mas pelos seus comentários Rionna parecia mil vezes mais interessante no primeiro livro, prefiro personagens femininas fortes e independentes do que submissas às vontades do marido; não gosto de jeito nenhum desse tipo de romanização de um relacionamento abusivo, e decididamente não pretendo ler Apaixonada por Um Highlander.
    Abraços, amei sua resenha!

  • Kleyse Oliveira
    10 maio 2018

    Olá Débora!

    Eu não li nenhum dessa autora, mas pretendo adquirir eles em breve. Adoro um romance e esse foi muito recomendado. Adoreeeei as fotos suas e a resenha. A capa e a premissa do livro me chamaram atenção. Bjs

  • Vitória Pantielly
    10 maio 2018

    Oi Débora,
    Então, eu tenho sim vontad de ler os livros da série, para tirar minhas próprias conclusões, mas sendo sincera, ando vendo muitas essas características nos livros do gênero, acredito que seja exatamente pelo poder que os homens tinham na época, mas claro que nada justifica formar um romance em torno disso.
    É uma pena que tenha te decepcionado, uma capa linda, uma sinopse também incrível, tinha tudo para se tornar um bom romance…
    Beijos

  • Isabelle Menezes do Nascimento
    10 maio 2018

    Olá!
    Romance de época é um dos meu gêneros preferidos, ainda não li nada da autora mas tava com vontade algumas amigas gostam dessa trilogia, quem sabe um dia eu leia mas já vou ler com ressalvas, amei o fato de vc expor tão bem a sua opinião,
    Bjs.

  • Bruna Lago
    09 maio 2018

    Oi, Débora. Então, eu gosto das histórias desse gênero. Sempre busco conhecer esses autores e seus pontos de vista numa época tão diferente! Confesso que muitas vezes fica um pouco repetitivo, e dessa família não poderia ser diferente. Li os dois primeiros e meio que cansei, aí acabei não lendo o terceiro.
    Infelizmente quase sempre essa repetição se dá justamente no machismo que encontramos nos livros, é raro encontrar uma personagem que saiba impor suas vontades e aí fica sempre nessa mesmice de macho alfa que depois se apaixona e blábláblá. Talvez eu faça essa leitura, mas pensarei duas vezes em começá-la.
    Abraços

  • Micheli Pegoraro
    09 maio 2018

    Oi Débora,
    Amo romance de época, é sem dúvida o meu gênero literário favorito, e adoro histórias com personagens da aristocracia, como também com guerreiros (especialmente os escoceses ♥). Mas ainda não tive a oportunidade de conhecer a escrita da Maya Banks, só que agora vou escolher outra trilogia da autora para ler, pois fiquei bem desanimada em ler essa :/
    Que chato isso, mesmo levando em conto a época da história acho que a autora não conseguiu trazer uma história agradável. Personagens masculinos extremamente machistas, trazendo justificativas nada aceitáveis para as atitudes dos mesmos, sem falar na romantização de um relacionamento de certa forma abusivo. Juntando a tudo isso, ainda a autora pecou na construção do enredo. Nossa, é bem desanimador, perdi a vontade de ler essa trilogia.
    Beijos

  • Theresa Cavalcanti
    09 maio 2018

    Eu já vi muita gente falando dessa trilogia, mas não tenho muita vontade de ler os livros. Não chamam minha atenção :/

    • Theresa Cavalcanti
      09 maio 2018

      E você falando desse tipo de relacionamento, me deixou com menos vontade ainda.

  • Lili Aragão
    09 maio 2018

    Então Débora, respeito tua opinião mas não concordo com ela sobre esse livro, curti muito a trilogia 😉 😀

  • Siga o @laoliphantblogInstagram