Resenhas 11maio • 2018

É Assim Que Acabapor Colleen Hoover

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: It Ends With Us
Gênero do Livro: Contemporânio, New Adult, Romance
Editora: Galera Record
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 368
Código ISBN: 9788501301642

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

Eu demorei muito para conseguir sentar na frente do computador para escrever essa resenha. Parte de mim ainda está de ressaca literária depois do soco no estômago que foi esse livro e, a outra parte de mim ainda está refletindo todo o impacto que esse enredo me causou. Quando eu peguei É Assim Que Acaba para ler, eu sabia que o livro falava sobre violência doméstica e abusos, mas eu não estava esperando que Colleen Hoover pudesse tratar desse assunto com tanto cuidado e eficiência, como ela fez nesse livro.

Falar de violência doméstica em um enredo exige do autor um cuidado dobrado ao construir a sua narrativa e, por causa do contato pessoal da autora com o assunto, Hoover foi capaz de guiar o leitor pelo enredo, fazendo com que fosse possível ver e sentir cada uma das cenas pelos olhos da personagem principal. Essa profundidade do enredo realmente fez com que eu sentisse a narrativa de uma forma diferente, principalmente porque eu demorei um pouco para perceber certas coisas assim como Lily, a nossa protagonista.

“Enquanto o encaro, penso em como é fácil julgar os outros quando estamos de fora. Eu, inclusiva, passei anos julgando minha mãe.”

Apesar de eu não ter gostado nada da minha última leitura de Colleen Hoover, Confesse, este novo livro da autora roubou um lugar especial no meu coração. A escrita de É Assim Que Acaba é delicada e o enredo se desenvolve devagar, convidando o leitor a conhecer os personagens e depois se surpreender com eles. Mas o que me conquistou mesmo foram as sensações que a leitura me causou, porque eu sempre ficava com aquele sentimento de “algo está errado”, mas não conseguia identificar o porque até tudo explodir na minha cara.

Eu acho que os primeiros capítulos do livro são os mais complicados, principalmente porque a apresentação que a autora faz dos seus personagens é muito longa, embora necessária. Hoover precisa que você conheça Ryle exatamente da mesma forma que Lily o está conhecendo, por isso nós temos uma narrativa um pouco mais arrastada no começo, afinal o relacionamento entre os dois se desenvolve de uma forma muito honesta, a principio até que as coisas começam a mudar na segunda parte do enredo. Por isso, se em algum momento você se sentir cansado da narrativa, não desista. Colleen Hoover tem um jeito único de compensar seus leitores quando o começo dos seus livros acaba não sendo tudo aquilo que a gente espera.

Lily foi uma personagem incrível de se conhecer e eu não sou a maior fã de narrativas em primeira pessoa, como vocês bem sabem. A forma como a personagem conduz a história te conduz a fazer parte de tudo aquilo que ela está vivendo e sentindo como se você realmente estivesse no lugar dela. Eu acho que o ponto mais forte da narrativa de É Assim Que Acaba, é como a autora consegue te induzir de uma forma muito natural a sentir empatia pela personagem principal, mesmo sem você entender exatamente porque você está se sentindo daquela forma num primeiro momento

“Todo mundo erra. O que determina o caráter de uma pessoa não são os erros cometidos. É como ela usa esses erros e os transforma em aprendizados, não em desculpas.”

Eu senti falta de profundidade no Atlas, o amor do passado de Lily que entra no enredo de forma muito inesperada. Eu não senti que ele foi aproveitado dentro do enredo como deveria. Nós conhecemos bastante do passado dele através dos flashbacks ao longo do enredo, mas o Atlas do presente não tem uma personalidade bem construída. Eu queria que ele e Lily tivessem um envolvimento um pouco mais profundo para que eu pudesse conhecê-lo um pouco além dos olhos da personagem principal, mas talvez esse não fosse realmente o foco que a autora estivesse querendo trabalhar neste enredo.

Por outro lado, os relacionamentos desse livro são muito bem desenvolvidos. A relação de Lily com Ryle foi algo que realmente me conquistou desde o momento em que eles se conheceram e, eu acho que era exatamente isso que a autora queria que a gente sentisse por esse casal. Quando as coisas começam a caminhar de uma forma que eu, honestamente não estava esperando, é que todo aquele sentimento de “algo está errado” que eu mencionei no começo, te atinge como um soco na cara. Tem muita coisa no enredo de É Assim Que Acaba que você não espera que vá acontecer, assim como na vida real.

“No passado, eu dizia sempre que escrevia só para entreter. Não escrevo para educar, persuadir ou informar. Mas esse livro é diferente. Para mim, não foi entretenimento. Foi a coisa mais difícil que já escrevi.”

Um ponto que Hoover trabalha no enredo de É Assim Que Acaba e que eu não vejo muito ser praticado na vida real foi a sororidade e apoio que a nossa personagem principal recebeu das mulheres que faziam parte da sua vida. Esse foi o ponto do livro que mais me tocou, principalmente porque naquele momento do enredo eu não tinha a menor ideia de qual seria a reação daquelas pessoas e como elas iam lidar com tudo o que estava acontecendo. Eu fico feliz que a autora tenha escolhido ir por um caminho de compreensão ao invés de criar mais uma batalha para Lily enfrentar.

É Assim Que Acaba foi uma leitura que me deixou completamente destruída por dentro. Eu chorei, encarei o livro por horas e tentei escrever essa resenha mais de uma vez. Eu gostei muito da honestidade e cuidado que a autora teve para escrever esse enredo e, mesmo nos pontos que eu achei que a história ficou mais lenta, ainda assim, o resultado final do livro foi surpreendente, empoderador e de uma empatia que eu não sei colocar em palavras. É uma leitura que vale a pena se feita, sem dúvidas.

Já leu É Assim Que Acaba? Conta para mim o que achou do livro aqui nos comentários!

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

10 Comentários

  • Ana Garcia
    08 dez 2018

    Cara, eu estou no começo desse livro, tem algumas coisas que eu não curto ler, mas eu sei que se eu parar vou perder um final e tanto! E eu não quero parar, ela me conquistou na primeira linha, que escrita, que narrativa! Agora estou no dilema, só sei que estou levando tudo com uma extrema desconfiança. Enfim, faz tempo que eu não leio um livro que mexe comigo dessa forma!

  • […] realmente não estou sabendo lidar com esse livro, principalmente porque não parece ser a mesma autora que escreveu “É Assim Que Acaba”. A escrita é densa, os personagens são mal desenvolvidos e a ordem dos acontecimentos é […]

  • Jade Sibalde
    31 maio 2018

    É um tema muito delicado mas que precisa ser tratado na literatura. Ainda não tive a oportunidade de ler É assim que acaba porém parece uma leitura forte e muito impactante, envolvente como os livros da Colleen Hoover são

  • Elizete Silva
    25 maio 2018

    Olá! Tinha grandes expectativas em relação a esse livro, afinal sou muito fã da escrita da Colleen, a história aborda um tema muito forte e polêmico que é a violência doméstica. Ainda não tive a oportunidade de conferir toda a história, fiquei com medo de não conseguir concluir.

  • Bruna Lago
    12 maio 2018

    Não conheço nenhum livro de Collen, mesmo com tantas resenhas e críticas bastante positivas de seus livros. Um tema tão complicado e triste como esse realmente merece ser tratado com todo cuidado e ser bem escrito, pelo que você falou na resenha a autora conseguiu esse feito.
    Eu gosto bastante de narrativas de primeira pessoa, então já encontro um fator pra gostar do livro; sua resenha deixa a gente bem curiosa pra saber o que acontece com a personagem. Gostei mesmo!!
    Beijos

  • Theresa Cavalcanti
    12 maio 2018

    Oi Débora,
    Só li um livro da Collen, e gostei muito, mas nunca senti vontade de ler outro. Acho que vou dar uma chance para ela, com esse aí.

  • Micheli Pegoraro
    11 maio 2018

    Oi Débora,
    Sou suspeita para comentar, pois sou fã da Colleen Hoover ♥ essa autora escreve com maestria, seus livros são arrebatadores.
    Amei demais esse livro, foi uma leitura dolorosa, repleta de reflexões e alguns tapas na cara arrisco em dizer. Devido ao problema pessoal da autora com o tema abordado, ela soube tratar esse assunto com muita delicadeza e de uma forma muito real. O que eu mais amei foi a forma como a autora abordou o apoio, principalmente da amiga dela, e das demais mulheres conhecidas da Lily. Foi lindo a forma como ela lidou com isso.
    Também senti muita falta de uma melhor construção do Atlas, acho que ele merecia um livro só dele.
    Beijos

  • Kleyse Oliveira
    11 maio 2018

    Oi Débora, eu não cheguei a ler nenhum livro dessa autora mas tô desejando muito obter esse novo dela para ler, li ótimas resenhas e opiniões sobre a história e vendo que você gostou também, tenho completa certeza que irei gostar. Além do mais que amei a capa desse livro. Bjs

  • Ludyanne Carvalho
    11 maio 2018

    Sou um pouco suspeita para comentar porque tenho um amor imenso por CoHo e suas obras.
    É assim que acaba foi uma leitura que me introduziu na história e me fez sentir tudo o que Lily sentiu.
    Me vi aceitando coisas que eu achava não aceitar, me vi compreendendo situações que eu acho horríveis.
    Ryle, Atlas e Lily vieram com força…
    Então me vi acordando e percebendo “Esse caminho não é o certo, vamos acordar Lily.”
    Então vem o final… Ah, aguenta coração.

    Beijos

  • Lili Aragão
    11 maio 2018

    As resenhas que vejo desse livro são quase sempre positivas mas mesmo elas sendo muito boas eu fico apreensiva com a leitura dele, parece ser bem intenso, claro que quero ler mas tô adiando rsrs. O tema violência doméstica sempre me deixa com uma sensação de impotência e acho bem complicado de se abordar, mas Colleen é muito talentosa e espero gostar muito quando eu finalmente ler essa história *__* Ótima resenha 😉

  • Siga o @laoliphantblogInstagram