livros
Categoria(s): livros

Belo Mundo Onde Você Está, de Sally Rooney

de Sally Rooney
Título Original: Beautiful World, Where Are You
Gênero do Livro: Contemporâneo, Ficção, Romance
Editora: Companhia das Letras
Ano de Publicação: 2021
Número de Páginas: 352
Código ISBN: 9786559213320
Sinopse: Alice conhece Felix pelo Tinder. Ela é romancista, ele trabalha num armazém nos subúrbios de uma pequena cidade costeira da Irlanda. No primeiro encontro, enquanto os dois tentam impressionar, a fagulha de algo mais aparece. Em Dublin, Eileen está tentando superar o término de seu último relacionamento enquanto precisa lidar com a falta da melhor amiga, que se mudou para o litoral. Ela acaba voltando a flertar com Simon, um homem mais velho que acompanha sua vida há tempos. Alice, Felix, Eileen e Simon ainda são jovens, mas sentem cada vez mais a pressão do passar dos anos. Eles se desejam, se iludem, se amam e se separam. Eles se preocupam com sexo, com amizade, com os rumos do planeta e com o próprio futuro. Seriam eles as últimas testemunhas do ocaso? Eles vão conseguir encontrar uma forma de viver mais uma vez em um belo mundo? Com uma prosa única e brutal, Sally Rooney constrói mais um romance inigualável sobre o que significa amadurecer sem deixar a si mesmo para trás.

esenha-belo-mundo-onde-voce-esta-de-sally-rooney-destaque



Como o livro não tem nenhuma sinalização de diálogo, a sensação é que você está preso em uma grande descrição de acontecimentos e, para muitos (como eu), isso pode ser cansativo e até mesmo chato de manter por 352 páginas.

Se você assistiu o meu vlog de leitura do livro, vai saber que eu demorei algumas páginas e acontecimentos para, finalmente criar o interesse pelo livro e seus personagens. As primeiras 70 páginas foram difíceis de ler, principalmente por conta dessa construção onde eu não conseguia identificar diálogos e personagens.

Por outro lado, a escrita de Sally Rooney é tão maravilhosa que, conforme os acontecimentos vão se apresentando nas primeiras páginas, mais envolvido pelo enredo você se torna.

A ansiedade apresentada de uma forma delicada

Nossas duas protagonistas, Alice e Eileen, são ansiosas. Cada uma a sua maneira, mas ainda assim, ansiosas.

Enquanto uma não consegue enxergar o seu próprio valor, a outra anseia por um controle maior sobre a sua vida e a forma como os outros a percebem. Independente de com qual das duas você se identificar mais, ambas tem características que podemos abraçar e utilizar como espelho.

Alice é uma escritora famosa, tem milhares de fãs e não consegue lidar com as especulações feitas a respeito da sua vida pessoal. Numa reflexão muito minha, acredito que ela use a escrita como uma válvula de escape para a própria realidade e, o que ela não previu, é que essa própria válvula poderia criar uma outra realidade desconfortável.

Aileen tem internalizado nela mesma todos os comentários negativos da irmã e, ao meu ver, é por conta da sua relação com a Lola que ela sente que jamais será o suficiente para alguém, seja esse alguém Simon, seu crush de infância ou mesmo seu ex-namorado, de quem acabou se separando por conta do desgaste da relação.

Eu gosto muito como ambas são um grande mergulho dentro de si. Uma análise sobre a forma como nos enxergamos e como isso se reflete nas nossas relações pessoais e na forma como lidamos com as pessoas na nossa vida.



Um romance que nos ensina sobre ser vulnerável

Eu gostei muito da forma orgânica com a qual ambos os romances aconteceram nesse livro.

Sinto que eles não poderiam ter acontecido de outra forma, sabe? Sally Rooney tomou o cuidado de incorporar ambos defeito e qualidade dos personagens na construção do romance e, por resultado final, os conflitos se tornaram coerentes e fizeram com que o romance se tornasse ainda mais interessante.

Alice e Félix

Alice e Félix tem muito em comum, é verdade. Porém, o que faz o romance deles funcionar é o quanto Félix desafia Alice a sair da sua própria zona de conforto e encarar o mundo de peito aberto. E como devolução, Alice faz com que Félix assuma as responsabilidades da sua própria vida, caminhando para uma esfera mais madura.

O romance dos dois é encantador, complexo e ao mesmo tempo, me fez engolir cada página desse livro torcendo para que ficassem juntos no final. Por mais que, num primeiro momento, eles não tenham tido um bom primeiro encontro de Tinder, quando existe uma faísca, não tem como fugir dela.

E não tem nada que eu valorize mais em um livro do que personagens que se completam e se ajudam a crescer.

Eileen e Simon

Como personagem, acho que a Aileen traz uma certa inocência que eu gosto muito (apesar de achar que ela não). A dinâmica com Simon envolve muito carinho e respeito pela amizade que construíram ao longo do anos e acho que tudo isso se reflete muito bem na forma delicada que o romance deles acontece.

Sendo sincera, Simon é o meu personagem favorito desse livro. O fato de ele ter a cabeça no lugar, ser extremamente compreensivo e trazer um peso racional pra tanta ansiedade, me agrada muito. Às vezes eu acho que a Sally Rooney o colocou ali para ser o nosso porto seguro no livro, e ele realmente foi.

O fato do Simon confrontar Aileen e fazer com que ela saia de dentro das próprias ansiedades me ganhou. Eu gosto do cuidado que ele tem para apresentar o seu próprio ponto de vista e da forma como ele respeita o espaço ansioso dela e navega isso da melhor forma.

Apesar de gostar muito da Alice, eu torci por esses dois desesperadamente nesse livro.

Me apaixonei por Sally Rooney tanto quanto o resto do mundo

A forma como Sally Rooney escreve os pequenos momentos da vida é simplesmente fascinante. Afinal, não são apenas os grandes momentos que moldam quem somos, mas os pequenos também.

Eu entendo que, por conta da escrita e do enredo que não tem um grande plot ou reviravoltas impressionantes, Rooney pode não ser a melhor autora do mundo. Parte do motivo de esse livro não ter sido uma leitura 5 estrelas é isso: eu preciso de travessões.

Ainda assim, Belo Mundo, Onde Você Está foi uma leitura que me ensinou muito sobre relacionamentos, sobre viver novas experiências e sobre deixar para trás nossos medos. É um livro que eu recomendo, absolutamente, pra todo mundo que gosta de uma leitura que emociona.

Gostou? Compartilhe!pinterest twitter facebook
Débora Costa

Uma intelectual contemporânea que entende a importância da convergência de mídias, telas e narrativas. Acompanhando mais séries do que deveria e não consigo fazer uma coisa de cada vez. Ainda quero escrever um romance de época um dia.

Deixe seu comentário

  1. Michelle Lins de Lemos comentou:

    Sally. Ou amam ou não curtem nada a escrita dela.
    Saramago é assim também. Não usa sinalização de diálogo. Acho confuso e interessante.
    De qualquer forma, o livro traz reflexões que podemos usar no nosso dia a dia

  2. Ariela Souza comentou:

    Ainda não li nada da Sally mas tenho muita curiosidade em ler os livros dela.
    Sao bem 8 ou 80 geralmente, mas espero estar mais pro 80 no caso e gostar dos livros, da narrativa.
    Ja tenho aqui o pessoas normais que to muito animada pra ler e depois ver a adaptação.

  3. Angela Cunha Gabriel comentou:

    Isso da falta de “diálogos” estarem sinalizados é irritante rs
    Eu já li livros assim e não curti muito não, ao menos, até pegar no tranco de verdade. Mas a autora é assim, amada ou “não gostada” e eu penso que preciso conhecer sua maneira de lidar com as letras!!!
    Gostei muito de trazer a ansiedade de formas diferentes, pois é assim na realidade. Cada um lida e é de um jeito.
    Por isso se puder, quero sim, ler e aprender um pouquinho!!!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

  4. ELIZETE SILVA comentou:

    Olá! Tenho muita curiosidade em ler algo da autora, seu outro livro já tinha me deixado bem curiosa e esse também já me fisgou, ainda por trazer um enredo tão próximo da realidade de milhares de pessoas, acho que é quase impossível acabar não se identificando com as personagens e suas histórias, que bom, que apesar de uma leitura um tanto “difícil” no começo não te desanimou a continuar, pois deu para perceber que super valeu a pena e é claro que vou me apegar a isso quando a minha vez chegar (risos).

  5. Nathalia Maria Barros Possidonio comentou:

    Tenho muita vontade de ler “pessoas normais” da autora, é um livro 8 ou 80 né kkkk muitas pessoas amam mas muitas pessoas odeiam. Quero dar uma chance pra ela, só não sei se com esse ou com outro…
    Mas com certeza vem aí

  6. Nathalia Maria Barros Possidonio comentou:

    Esse livro já estava na minha lista de mais desejados, mas com o tanto de resenha positiva que estou vendo, tá me dando muito mais vontade kkk os livros dessa autora sempre estão meio carinhos né

  7. Nathalia Maria Barros Possidonio comentou:

    Espero que logo eu tenha a oportunidade de ler os livros dela e confesso que acho as capas tão lindas que dá mais vontade ainda de ler kkkk a desse livro é a minha favorita!!

  8. Nathalia Maria Barros Possidonio comentou:

    E mais uma coisinha (já que você aparece um pouco na foto haha) eu acho seu óculos tão lindo!! Eu normalmente uso lente (uso óculos só pra ficar em casa), mas queria um óculos mais bonitinho igual o seu hahaha, tá linda demais a fotoo