Resenhas 06ago • 2019

Um Cavalheiro a Bordopor Julia Quinn

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: The Other Miss Bridgerton
Gênero do Livro: Romance, Romance Histórico, Regência
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2019
3º livro da série Os Rokesbys
Número de Páginas: 288
Código ISBN: 9788580419993

Obs: Este livro foi enviado em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Ela estava no lugar errado…Durante um passeio pela costa, a independente e aventureira Poppy Bridgerton fica agradavelmente surpresa ao descobrir um esconderijo de contrabandistas dentro de uma caverna.Mas seu deleite se transforma em desespero quando dois piratas a sequestram e a levam a bordo de seu navio, deixando-a amarrada e amordaçada na cama do capitão.Ele a encontrou na hora errada…Conhecido entre a alta sociedade como um cafajeste e um corsário inconsequente, o capitão Andrew James Rokesby na verdade transporta bens e documentos para o governo britânico.No meio de uma viagem, ele fica assombrado ao encontrar uma mulher na sua cabine. Sem dúvida sua imaginação está lhe pregando peças. Mas, não, ela é bastante real – e sua missão para com a Coroa o deixa preso a ela.Será que dois erros podem acabar no acerto mais maravilhoso de todos? Quando Andrew descobre que Poppy é uma Bridgerton, entende que provavelmente terá que se casar com ela para evitar um escândalo.Em alto-mar, as disputas verbais entre os dois logo dão lugar a uma inebriante paixão. Mas depois que o segredo de Andrew for revelado, será que ele conseguirá conquistar o coração dela?

resenha-cavalheiro-bordo-julia-quinn

Com certeza o melhor livro da série Os Rokesby até agora. Eu não sei se foi pelo fato de ser um livro que foge um pouco do cansativo cenário da sociedade inglesa, ou por ser uma grande aventura do começo ao fim. A verdade é que Julia Quinn, mais uma vez, conseguiu me entregar um romance de tirar o fôlego, capaz de me deixar suspirando da primeira até a última página.

A proposta de Um Cavalheiro a Bordo é um pouco diferente do que nós estamos acostumados. Ao invés de termos uma protagonista sendo apresentada a sociedade e com toda aquela pressão sobre o casamento, embarcamos em uma viagem para Portugal ao lado de um capitão sedutor. O ponto forte desse livro é que Julia Quinn não nos poupa detalhes dessa aventura, sendo capaz de nos fazer sentir até mesmo o cheiro do mar.

“Seu cabelo era de um tom quente de castanho, queimado de sol em alguns pontos e preso à nuca em um rabo de cavalo que poderia ser descrito como pecaminoso.”

Como sempre, a escrita de Quinn não decepciona os seus leitores. Se tem uma coisa que ganha meu coração num romance de época são os seus diálogos e isso a autora consegue entregar muito bem ao longo de Um Cavalheiro a Bordo. As interações de Poppy e Andrews são as mais divertidas de todo o livro, o que faz com que o enredo não fique chato, já que a nossa protagonista está presa dentro de uma cabine boa parte da história.

resenha-cavalheiro-bordo-julia-quinn

Os nossos protagonistas tem uma química incrível para duas pessoas de personalidades tão diferentes. Poppy é uma das minhas Bridgertons favoritas e eu nunca pensei que fosse me apaixonar por outra personagem da Julia Quinn que não fosse a Penelope. Acho que a letra “P” sempre me trás sorte, não é mesmo?

Questionadora e cheia de energia, Poppy é uma jovem curiosa e com sede de aventura. Logo no primeiro capítulo, fica bastante visível que ela não pretende se contentar com qualquer matrimônio, muito menos com a vida de esposa dedicada, como esperam dela. É por causa de toda essa sua curiosidade determinada, que ela acaba em um navio em direção a Portugal e encontra em Andrew um desafio inesperado.

“Onde mais ele encontraria uma mulher que achasse gaiolas pombalinas um assunto interessante? Que conseguisse pegar cada comentário sarcástico que ela fazia, torcê-los, virá-los do avesso e devolvê-los de forma ainda mais sagaz.”

E o que dizer do nosso Rokesby mais sedutor? Será que eu já posso chamar ele assim? Eu nunca pensei que o cenário onde o nosso protagonista se apresenta como um mero corsário fosse realmente me surpreender, mas Andrew Rokesby deixa bem claro, ainda na sua primeira aparição, porque ele é um personagem tão irresistível. Honestamente? Eu queria muito estar no lugar da Poppy.

resenha-cavalheiro-bordo-julia-quinn

Andrew Rokesby é aquele clássico herói sagaz que esconde toda a sua sensibilidade do mundo. Isso fica muito em evidência nas interações dele com Poppy, quando ele quase não consegue esconder a sua preocupação por tê-la a bordo do seu navio e também a sua irritação ao tê-la questionando todas as suas decisões todo o tempo. Eu não diria que eles foram inimigos no começo, mas como diria Gabito Nunes: “Quem explode de raiva, também explode de amor”.

Um Cavalheiro a Bordo não só foi a minha leitura favorita dessa série, como me fez enxergar todo o potencial de Julia Quinn como escritora. Eu sempre amei os livros da autora e sempre me divertir muito com as suas leituras, porém foi neste livro que eu percebi o quanto eu realmente ri e chorei com esses personagens e gritei sozinha no quarto pedindo pelo amor de deus para eles ficarem juntos.

A verdade é que Um Cavalheiro a Bordo é tudo o que um leitor de romance ama em um livro de época, com o bônus de uma aventura em alto mar ao lado dos personagens mais apaixonantes dessa série. Julia Quinn me conquistou em todos os quesitos nessa leitura e eu não sei mesmo se algum outro livro dessa série vai conseguir superar este.

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

Siga o @laoliphantblogInstagram
No images found!
Try some other hashtag or username