Resenhas 29out • 2018

Chronos - Limites do Tempopor Rysa Walker

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Time's Edge
Gênero do Livro: Young Adult, Fantasia, Ficção Científica
Editora: Darkside Books
Ano de Publicação: 2018
2º livro da série Chronos
Número de Páginas: 384
Código ISBN: 9788594541253

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Os leitores brasileiros embarcaram em um salto temporal com a DarkSide® Books e voltaram para casa com lembranças que vão durar para sempre. Em Chronos: Viajantes do Tempo, primeiro livro da premiada trilogia de Rysa Walker, acompanhamos a história de Kate Pierce-Keller, que não só descobriu que possui um gene que a permite viajar no tempo, como também saltou para o século xix para impedir um homicídio e ajustar a linha temporal que desmanchou sua família. Agora, em Chronos: Limites do Tempo, Kate está frente a frente com uma conspiração envolvendo os ciristas, um culto religioso que ameaça afetar o universo como o conhecemos ao fazer mudanças nas linhas temporais para aumentar sua rede de poder. Para impedi-los de alterar a realidade de maneira irreversível, ela foi incumbida de coletar todas as chaves chronos através do tempo antes que elas parem nas mãos erradas. Tudo precisa ser detalhadamente planejado e nada pode dar errado: um movimento em falso e os ciristas descobrem seu plano, comprometendo o futuro de milhões de inocentes. Conforme Kate revela as camadas da mente doentia de seu avô, uma das principais figuras envolvidas na ascensão do culto, e as memórias aterrorizantes de quando foi perseguida pelo serial killer H.H. Holmes a atormentam, sua missão fica cada vez mais complexa. Os aliados são poucos, e qualquer um pode ser um espião. Em Chronos: Limites do Tempo, Rysa Walker faz o leitor presenciar momentos críticos e marcantes da história norte-americana: o assassinato do presidente John F. Kennedy, em 1963; a Boston de 1905, onde o escapista Harry Houdini apresentava seus truques; e o interior do estado da Georgia, em 1938, onde as leis de segregação racial ainda eram uma triste realidade. Nesta sequência de tirar o fôlego, Rysa Walker apresenta um jogo de ações e consequências em que limites são testados literalmente o tempo todo — como toda boa história envolvendo viagens no tempo deve ser, afinal, cada caminho traçado pode ter implicações perigosíssimas. E o finalzinho deste segundo volume vai deixar qualquer um com vontade de saltar no tempo para saber como tudo termina. Chronos: Limites do Tempo chega para arrebatar os leitores de todas as épocas e lugares em mais uma publicação da linha DarkLove — dedicada a revelar novas vozes femininas na literatura. Preparados para uma nova jornada?

Atenção: Esta resenha contêm spoilers do primeiro livro da série Chronos.

Quem leu a resenha do primeiro livro da série Chronos aqui no blog, sabe que apesar de ter curtindo vários aspectos da leitura (como a escrita da autora e a protagonista, Kate), eu tive alguns problemas com o livro. E eu fico triste em dizer que os problemas que eu tive com o primeiro volume dessa série (o foco excessivo nas explicações de viagem do tempo, e a falta de um plot mais interessante) se repetiram no segundo volume.

Chronos – Limites do Tempo continua a história de Kate. Após descobrir que sua avó é uma viajante do tempo que não pode mais pular entre as timelines, Kate precisa assumir a missão dela de impedir os planos doentios do seu avô e do culto religioso que ele criou alterando o passado. Além disso, Kate precisa lidar com o seu complicado relacionamento com Kieran, que já fez parte do culto que seu avô criou, e com Trey, seu namorado de outra linha do tempo.

“Uma coisa é saber que existem pessoas por aí que acreditam tão fortemente em alguma coisa a ponto de morrer por ela. Outra coisa, totalmente diferente é saber que você está lidando com pessoas que vão cortar a própria garganta de orelha a orelha e continuar ostentando o sorriso enquanto suas vidas se esvaem, confiantes de que o sacrifício valeu a pena.”

Pra começo de conversa, o segundo livro da série Chronos é exatamente isso: um segundo livro. A sensação que eu tive é que esse livro serviu apenas como uma ponte entre o começo e a conclusão da história da saga, e não como uma parte da história com um plot bem definido. Tirando alguns momentos em que o enredo ficava mais interessante, o livro todo me pareceu um tanto quanto parado. Muitas cenas dos personagens conversando, muitas discussões, pouco plot sabe?

Principalmente no meio do livro, eu senti que a história simplesmente não estava indo a lugar nenhum. Em alguns momentos dava pra ver o plot começando a ficar mais animado, como no momento em que Kate e Kieran vão para Seven Falls ou quando Kate assiste o show de mágica com Kieran, mas além disso, tiveram poucos momentos nessa leitura em que eu me senti realmente cativado pelo enredo.

Kate continua sendo uma protagonista bem legal. Ela tem vários momentos no livro em que ela mostra o quanto amadureceu entre um livro e outro, tanto como pessoa quanto como viajante do tempo. Nesse segundo livro, vemos ela muito mais segura em suas viagens, e até mesmo enfrentando Katherine nas questões mais complicadas da missão dela. Vemos também o desenvolvimento do relacionamento dela com Trey, que está bem mais complicado que no primeiro livro.

“Sabe, seria muito mais fácil me acostumar a isso tudo se você tivesse que voltar para a sua TARDIS ou algo assim antes de desaparecer.”

Trey continua sendo um dos meus personagens favoritos nesta série, e um dos motivos que eu não consegui curtir tanto essa leitura é que o livro força muito o triângulo amoroso entre ele, Kate e Kiernan. As interações entre Kate e Kiernan simplesmente não funcionam pra mim, e ela tem muito mais química com Trey. Realmente parece que esse triângulo amoroso foi colocado na história simplesmente porque as pessoas ainda acham que YA precisa ter triângulo amoroso.

Como eu já falei antes, o pior problema do livro pra mim é o ritmo dele. Demora muito para acontecer alguma coisa interessante, e quando as coisas acontecem, elas acontecem de uma vez só.O livro fica muito tempo numa velocidade básica, e do nada entra na velocidade da luz, e logo depois caí de novo. Não é o tipo de ritmo que resulta numa leitura agradável, e diminui muito o meu interesse em continuar lendo.

E o outro problema que eu tive com o livro foi o final. Quando eu disse que esse livro parece existir apenas para introduzir elementos para o próximo livro, estou falando exatamente sobre o final. Tudo bem que o que acontece é o tipo de coisa que eu já vinha esperando, mas a narrativa poderia ter trabalhado a revelação muito melhor. Ele entrega o tal plot twist nas últimas cinco páginas do livro, e nós não tivemos muitas pistas que levavam a essa conclusão.

No geral, Chronos – Limites do Tempo não fez muita coisa para melhorar a minha opinião sobre essa série. Eu realmente acho que esse segundo livro poderia ter sido bem melhor, mas os problemas no enredo e no ritmo da história impediram que esse volume levantasse o nível da saga. A conclusão da história vai acontecer no terceiro livro, e eu vou ser sincero, eu não sei se eu vou ter o interesse de acompanhar o último volume dessa série.

Vinicius Fagundes ver todos os artigos
24 anos. Formado em Publicidade e Propaganda. Viciado em histórias. Desconhecido mundialmente.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

8 Comentários

  • Patrini Viero
    30 out 2018

    Li sua resenha do primeiro livro e fiquei torcendo para que a segunda tivesse um tom mais otimista, que me fizesse realmente sentir vontade de ler o livro, porque eu realmente acho a premissa de viagens no tempo muito interessante e pouco trabalhada na literatura atual. Infelizmente, os mesmos problemas que te incomodaram iriam me fazer cansar da leitura também. Acho que forçar a barra por um triângulo amoroso quando ele não tem nem um motivo de existir é demais, isso sem levar em consideração que existem vários outros elementos muito mais interessantes para se tornarem o foco real da trama. Acho que o que salva a série são as personagens, que parecem bem construídas, acompanhar a evolução delas dentro a história é algo bem gratificante como leitor.

  • Alice Pereira
    30 out 2018

    Li sua resenha por alto, para evitar spoilers, é um universo que pretendo conhecer e quero ser surpreendida. Me desanima saber que o segundo livro deu essa caída, porém ainda pretendo tirar minhas próprias conclusões.

  • sarah castro
    30 out 2018

    Admito que fui seduzida por essa saga pelas capas, li a resenha do primeiro livro e tive convicção de adquirir o mesmo para ter minha opinião. Quando fiquei sabendo sobre o segundo livro aguardei resenhas para ver se realmente valia a pena, continuação essa coisa toda (pulei bem rápido o spoiler do primeiro livro haha) mas mesmo assim ainda tenho vontade de ler, como você disse que não tem uma “continuação exata” isso já me alivia um pouco pois não consigo pegar livros com continuações assim no meio do caminho, meu coração não aguenta esperar. Ótima resenha.

  • Lily Viana
    30 out 2018

    Olá!
    Sobre viajar no tempo, é algo que adoro bastante. Esse livro me chamou atenção por isso e a historia me deixou bem curiosa por ele..Os personagens são bem interessante e o livro tem uma ótima premissa. Claro que irei em buscar do primeiro livro.

    Meu blog:
    Tempos Literários

  • Luana Martins
    30 out 2018

    Olá, Vinicius
    Ainda não li os dois primeiros livros dessa trilogia, mas vi vários comentários negativos sobre ser uma leitura arrastada.
    Pode ser que o terceiro livro seja melhor que os outros primeiros.
    Quando for ler a trilogia, não vou ter tantas expectativas.
    Beijos

  • Pamela Liu
    29 out 2018

    Oi Vinicius.
    Poxa, estava bastante animada para ler essa trilogia. Mas depois dessa sua resenha, talvez eu leia com menos expectativa.
    Ainda não li o primeiro livro, mas gostei bastante da premissa.
    Já o segundo livro parece que serve só de ponte entre as duas histórias (entre a primeira e a terceira). uma pena que o ritmo é lento e que o a autora não desenvolveu tão bem a trama e só colocou um plot twist nas últimas 5 páginas…
    Beijos

  • Ludyanne Carvalho
    29 out 2018

    Essa capa é mais bonita do que a 1°.
    Não tive a chance de ler essa série, e por essa resenha tenho a certeza de que não vou ler.
    O ritmo lento seria um problema pra mim, e pelo visto a premissa não é tão desenvolvida.
    Muito monótono para o meu gosto.

    Beijos

  • Angela Cunha
    29 out 2018

    Mesmo sem ter lido o primeiro livro, acabei lendo muita coisa a respeito dele na época e sim, acabaram se criando algumas resenhas até negativas, pelo fato de trazer detalhes demais e com isso, acabar deixando o enredo um tanto quanto arrastado.
    Ainda não tinha visto ou lido nada a respeito deste segundo livro e mesmo não sendo um gênero que eu goste ou entenda, o enredo mais uma vez parece que se perdeu.
    O que tinha tudo para se tornar uma série incrível, acabou se tornando mais do mesmo e isso é bem ruim.
    Não digo que não lerei a série, puxa, é da DarkSide né?rs A minha editora favorita!
    Beijo

  • Siga o @laoliphantblogInstagram