Resenhas 03jul • 2019

O Destino das Terras Altaspor Hannah Howell

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Highland Destiny
Gênero do Livro: Romance Histórico, Regência, Escócia
Editora: Arqueiro
Tradutor: Thaís Paiva
Ano de Publicação: 2019
1º livro da série Os Murrays
Número de Páginas: 272
Código ISBN: 9788580419368

Obs: Este livro foi cedido pela editora em parceria para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Em O Destino das Terras Altas, primeiro livro da série Os Murrays, Hannah Howell nos apresenta o esplendor da Escócia medieval com uma saga de guerra entre clãs, lealdades divididas e amor proibido. Quando o destino coloca Maldie Kirkcaldy na mesma estrada que sir Balfour Murray e seu irmão ferido, ela lhes oferece seus serviços como curandeira. Ao saber que tem em comum com sir Balfour um juramento de vingança, decide seguir com ele para cumprir a sua missão. Mas ela não pode lhe revelar sua verdadeira identidade, sob o risco de ser acusada como espiã. Enquanto luta para negar o desejo que a dominou assim que viu o belo cavaleiro de olhos negros pela primeira vez, Maldie tenta a todo custo conservar o aliado. Balfour, por sua vez, sabe que não pode confiar nela, mas também não consegue ignorar a atração que nasceu entre os dois. E, ao mesmo tempo que persegue seu objetivo de destruir Beaton de Dubhlinn, promete descobrir os segredos mais profundos dela e conquistar o seu amor. Para isso, não deixará que nada se interponha em seu caminho.

De verdade? Não tem nada melhor quando uma editora resolve expandir o seu catálogo em um determinado gênero e aposta em novos autores para conquistar seus leitores mais uma vez. Hannah Howell chega no Brasil como uma aposta da editora Arqueiro e traz com ela o primeiro livro da série Os Murrays, O Destino das Terras Altas.

Vocês sabem como eu me sinto sobre primeiros livros de série, não é mesmo? Apesar da escrita de Howell ser uma promessa, O Destino das Terras Altas é um enredo que não consegue prender o leitor do começo ao fim, principalmente porque ele entrega todo o romance e sexy appeal do livro logo nos primeiros capítulos, não deixando nada que motive o leitor a continuar a leitura.

“Como bem sabe, não tive acesso à riqueza e ao conforto do qual o senhor desfrutou a vida inteira. O mundo em que fui criada era mais difícil. Sim, os homens parecem pensar que uma mocinha pobre ficaria feliz em fazer qualquer coisa para receber uns trocados, ou mesmo só para satisfazê-los, já que se julgam superiores.”

Em geral, eu sempre fico envolvida com enredos que tratam de um “mistério” em torno da protagonista, mas Howell não consegue trabalhar direito as informações ao longo do enredo e logo nos primeiros capítulos você já consegue ter uma boa ideia de qual poderia ser esse mistério e como ele vai ser resolvido – acabando com a graça do livro.

Mas a escrita do Howell não é ruim, acho que apenas mal desenvolvida neste primeiro livro. Os pontos da narrativa que desenvolvem a parte romântica do livro são de tirar o fôlego e arrepiar até o cabelinho do dedinho do pé. Eu também gostei muitos dos diálogos e como eles conseguem ser sarcásticos e divertidos ao mesmo tempo que revelam informações importantes para o leitor.

Maldie não foi uma protagonista com a qual eu me identifiquei, mas eu gostei muito da forma debochada que ela lida com algumas reações do Balfour, seu par romântico. Embora seja inocente e de origem pobre, Maldie não é uma garota burra e consegue se virar muito bem em situações de perigo. Apesar do apelo emocional do livro não ser forte o suficiente para que eu conseguisse me conectar com ela, eu realmente gostei da sua personalidade e da forma como ela cresce ao longo de O Destino das Terras Altas.

“- A senhorita pode me explicar o que uma mocinha está fazendo sozinha nesta estrada? – perguntou Balfour, libertando-se do magnetismo dos grandes olhos verdes da mulher.”

Balfour, por outro lado, é tudo o que eu queria de um escocês na minha vida. Embora ele seja um bruto descarado, ele se preocupa muito com Maldie e não consegue esconder o desejo que sente por ela. Gostei bastante que, mesmo sabendo que o que estava fazendo poderia desonrar Maldie para sempre, ele teve a cortesia de ter certeza de que ela estava confortável com os seus flertes e investidas – adorei essa personalidade cavalheira num brutamontes moreno.

O romance em si não é muito atrativo, mas eu gosto da forma que o desejo se desenvolve entre o casal protagonista. Maldie tem um temperamento muito racional enquanto Balfour explode sem pensar nas consequências dos seus atos. Acho muito interessante como ela está sempre pronta para aceitar as desculpas dele quando ele se sente, finalmente, pronto para se desculpar. Embora eu não tenha criado um shipp nesse livro, eu me diverti muito vendo esses dois se apaixonarem.

O Destino das Terras Altas é um enredo com muitas reviravoltas e aventuras. Não é um livro que se passa em um único cenário, então se você gosta de lutas, espionagem e aventuras incertas na Escócia, esse é um livro que consegue te oferecer o melhor de tudo o que eu mencionei acima.  A verdade é que, apesar de ser um romance de época, a parte de aventura do livro foi muito mais interessante do que a parte romântica.

Eu realmente espero que os próximos livros da série tragam personagem mais maduros emocionalmente e que eu consiga me conectar com eles melhor. O Destino das Terras Altas não foi uma leitura ruim, mas eu senti que ficou devendo muito daquilo que realmente faz com que eu me apaixone por um romance. Mas, é aquilo, é o primeiro livro e nós temos muito o que conhecer dos Murrays antes de tomar uma decisão final sobre a série.

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

4 Comentários

  • Jabes Guedes
    05 jul 2019

    Não sou muito de livros de romance, porém gostei do cenário de história, Escócia medieval. Quem sabe não dou uma chance a este livro! Parabéns por sua resenha!!

  • Gisele Thais Costa
    05 jul 2019

    Livros que entregam tudo no começo não é pra mim rsrs, se a leitura vai ficando arrastada tenho dificuldade em terminar. Esperando a resenha dos próximos pra vê se fica melhor!!

  • Angela Cunha
    03 jul 2019

    Também confesso que fico muito feliz quando uma Editora dá oportunidade a novos trabalhos e com isso, apresente a nós, leitores, novas opções!
    Ainda não conheço o trabalho da autora e talvez, só talvez, essa “má” impressão do primeiro livro seja somente isso, por ter sido o primeiro livro da série.
    Eu só fiquei mais apreensiva pelo casal…sei lá, quando já começa não funcionando a tal química, dá um cadin de medo.rs
    Mas mesmo assim, se tiver oportunidade, quero muito poder conferir sim!!!!
    Capa lindíssima!
    Beijo

  • Tereza Cristina Machado
    03 jul 2019

    Uma personalidade cavalheira num brutamontes moreno foi o que mais chamou minha atenção hahahaha quanto mais que você gostou desse escocês hahahaha
    Também acho bacana trazer novos autores nesses estilo para a nossa terrinha, uma pena que vc achou que a trama poderia ir mais além… vou esperar pra ver o que achará da continuação 😉

  • Siga o @laoliphantblogInstagram