29dez • 2020

O Duque e Eupor Julia Quinn

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: The Duke and I
Gênero do Livro: Romance Histórico, Regencia,
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2013
1º livro da série Os Bridgertons
Número de Páginas: 288
Código ISBN: 9788580411461

Comprar: Amazon

Sinopse: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

resenha-duque-e-eu-julia-quinn-arqueiro-imagem-scaled.

minha primeira experiência lendo romances de época. não consigo acreditar que já fazem 7 anos que eu coloquei esse livro na minha estante pela primeira vez. com uma narrativa picante e personagens de língua afiada, julia quinn fez com que eu me apaixonasse pelo período regencial ainda mais do que eu já era — e preciso dizer que foi a melhor coisa que já me aconteceu.

se é a sua primeira vez lendo romances de época, provavelmente irá estranhar o clichê constante em todos os enredos, a ausência de acontecimentos impactantes e plots bem desenvolvidos. mas o gênero tem o seu apelo, não se engane. a atmosfera regencial é algo que contribuiu muito para o envolvimento do leitor, os diálogos sempre tem um ritmo provocante e as cenas românticas são de deixar qualquer um suspirando pelos cantos.

a escrita de julia quinn é única.

“- As mães da sociedade, seu tolo. Aqueles dragões cuspidores de fogo que têm filhas em idade de casar, que Deus nos ajude. Você pode fugir, mas é impossível se esconder delas. E devo alertá-lo para o fato de que a minha é a pior de todas. – Minha nossa… E eu pensando que a África era perigosa.”

a descrição detalhada do cenário faz com que o leitor mergulhe de cabeça no período regencial e esqueça completamente de onde está. as descrições de quinn fazem com que você se sinta completamente imerso no livro e parte ativa do enredo. os diálogos ajudam no caminhar da história, fazem com que você entenda melhor a personalidade dos personagens e, ao mesmo tempo, se divirta com suas frases cômicas.

o desenvolvimento do enredo não é de todo o perfeito. infelizmente o gênero não pede grandes acontecimentos, reviravoltas etc, então existe uma grande possibilidade de muitos acharem o enredo um pouco parado e, eu entendo. ainda assim, quinn usa e abusa do desenvolvimento dos seus personagens e cenas instigantes para garantir uma excelente experiência de leitura.

simon e daphne tem uma química incrível.

você percebe isso no momento que eles se conhecem no livro. o primeiro diálogo dá exatamente o tom da relação deles: descontraída e sedutora. os dois não perdem nenhuma oportunidade de provocar um ao outro de uma maneira divertida. enquanto acreditam estar enganando à todos com a farsa do cortejo, a verdade é que estão enganando a si mesmos e ninguém mais.

o romance se desenvolve com poucas dificuldades. o único empecilho real é a vingança que simon está determinado a cumprir: o ducado de hastings não terá um herdeiro. é esta vingança que move a trama da metade do livro para frente, colocando o relacionamento dos nossos protagonistas a prova e entregando uma das piores cenas de romance histórico que eu já li.

entendo que existia uma necessidade deste conflito, mas não da forma que foi descrito no livro. qualquer relação que é feita sem o consentimento do outro — seja este outro mulher ou homem — é estupro. embora eu goste de acreditar que quinn não tinha ideia do que estava escrevendo, ainda assim é uma cena que me causa repulsa e coloca o duque e eu na minha lista de menos favoritos da série os bridgertons.

ainda assim, o romance te mantém preso do inicio ao fim

gosto de dizer que não existe livro perfeito no mundo e, mesmo com este erro grotesco, julia quinn conseguiu me amarrar a sua trama e me manter presa ao enredo até a última página. depois do primeiro capítulo é impossível não devorar a história na ansiedade de saber o desfecho dos nossos protagonistas.

e se isso não bastasse, o duque e eu acaba sendo a porta de entrada para conhecer os 7 bridgertons restantes. logo o primeiro livro é possível encontrar o seu favorito e começar a criar expectativas sobre como será suas histórias, personalidades, romances. é um caminho sem volta e uma aventura excitante, divertida e apaixonante.

Tags: , , ,

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • […] importante é: este é um excelente livro para dar continuidade a leitura de os bridgertons. se o duque e eu não foi a sua leitura favorita, não desanime, anthony bridgerton tem sex appeal suficiente para […]