Resenhas 28maio • 2018

Escrito a Fogopor Marcus Sakey

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Written in Fire
Gênero do Livro: Fantasia, Ficção Científica
Editora: Galera Record
Ano de Publicação: 2017
3º livro da série Brilhantes
Número de Páginas: 392
Código ISBN: 9788501112590

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Durante trinta anos, a humanidade lutou para lidar com os brilhantes, o 1% da população que nasceu com dons incríveis, e tentou evitar uma guerra civil arrasadora. E falhou. Agora, com o mundo cambaleando à beira da destruição, Nick Cooper, que passou a vida inteira lutando pelos filhos e pelo país, precisa arriscar tudo o que ama para encarar seu mais antigo inimigo — um terrorista brilhante tão obcecado pelos próprios planos que pretende sacrificar o futuro da humanidade para realizá-los. Marcus Sakey, “o mestre da leitura empolgante e inteligente” (Gillian Flynn) e “um de nossos melhores contadores de histórias de todos os tempos (Michael Connely),” nos traz a conclusão explosiva da trilogia best-seller Brilhantes.

Poucas coisas na vida de deixam mais feliz que uma série de livros que mantém a qualidade do começo ao fim. A série Brilhantes do Marcus Sakey realmente se tornou umas das minhas séries literárias favoritas, e Escrito a Fogo, o terceiro e último livro dessa trilogia conseguiu concluir a história de uma forma completamente satisfatória, e entregou exatamente o que eu vinha querendo desse universo. E ainda conseguiu fazer uma evolução muito bem executada dos personagens e do enredo em si. Eu vou tentar fazer essa resenha sem entregar nenhum spoiler, mas por ser tratar do último livro de uma série fica meio complicado.

A trilogia Brilhantes segue um universo em que parte da população possui dons extraordinários, sendo chamados de Brilhantes. Em Escrito a Fogo, o conflito entre brilhantes se torna cada vez mais complicado, e o ex-agente do governo Nick Cooper se encontra bem no meio desse problema. Um país aterrorizado se revolta contra a população brilhante, e uma guerra civil parece estar prestes a começar. Após o atentado a Casa Branca, Nick precisa encontrar o terrorista John Smith e dar um fim aos seus planos de uma vez por todas, antes que seja tarde demais.

“Eu temi ver algo exatamente assim a minha vida inteira. Por isso fiz todas as coisas que fiz: caçei minha própria espécie, me disfarcei de terrorista, matei mais vezes do que consigo lembrar. Levei uma facada no coração. Vinha minha filha marcada para a academia e meu filho em coma. E ainda assim não consigo parar.”

Eu já tinha falado isso na resenha de Um Mundo Melhor, mas Nick Cooper é um ótimo protagonista. Ele consegue ser o foco principal da história sem passar aquela onda chata de herói de livro de ação. E é sempre legal ver um protagonista que admite seus erros e que aprende com eles. O Nick de Escrito a Fogo é uma pessoa completamente diferente do Nick de Brilhantes, isso porque os acontecimentos da história tiveram efeitos profundos na personalidade dele. É muito bom ver um protagonista que amadurece e se transforma ao longo da história.

Os outros personagens também são sensacionais. Shannon, Natalie, Ethan, John Smith, e vários outros dos personagens conseguem aprofundar e muito o universo de Escrito a Fogo. Chegando no final desse livro, eu fiquei sinceramente triste porque eu realmente me afeiçoei a esses personagens. E isso contribui muito para a história porque é muito difícil se envolver com uma história se você não se importa com os personagens. Felizmente, o Marcus Sakey consegue construir personagens interessantes e envolventes, o que torna a leitura muito mais interessante.

E falando no Marcus Sakey, a escrita dele continua ótima. As cenas dramáticas são efetivas, as de ação são cheias de adrenalina, tudo muito bem feito. E principalmente ele sabe exatamente como construir uma história que te deixa sempre querendo saber mais. A história do universo de Brilhantes teve uma trajetória tão interessante que eu fico realmente surpreso de não ouvir mais gente falando sobre essa série. Principalmente porque ela consegue levantar questões bastante atuais, como preconceito e o medo do terrorismo. Eu não acredito que a Netflix ainda não anunciou uma adaptação de Brilhantes.

“Abe Couzen e Ethan descobriram a cura. Eles conseguiram replicar o brilhantismo. Dar dons a pessoas normais. Assim que isso viesse a público, não haveria motivo para guerra. Não haveria necessidade de uma maioria temer os dons de uma minoria minúscula, e, consequentemente, não haveria necessidade de poucos temerem a fúria de tantos. Não haveria motivo para o mundo arder em chamas. Só que em vez de compartilhar a descoberta, Abraham Couzen fez as malhas e desapareceu. E o mundo pegou fogo.”

E o mundo de Escrito a Fogo é um mundo bastante realista, apesar de se tratar de um mundo onde as pessoas tem super poderes. O mais legal desse mundo é que fica muito claro que existem pessoas ruins e boas dos dois lados do conflito entre brilhantes e normais. Tanto os aliados de Nick quanto os inimigos demonstram atitudes boas e ruins. E isso contribui muito para o suspense da história, porque se os lados fossem completamente bons ou ruins, o andamento da história seria muito óbvio.

No geral, Escrito a Fogo entrega uma conclusão bastante satisfatória para uma das minhas trilogias literárias favoritas. Eu realmente queria que a série Brilhantes fosse mais popular porque eu passei a leitura inteira dessa série imaginando como essa história daria uma série incrível. Eu faço questão de recomendar essa trilogia para todos que procuram por uma leitura emocionante, cheia de suspense e de ação. E vocês podem ter certeza que eu vou correr atrás de conhecer os outros livros do Marcus Sakey.

Não deixe de conferir a resenha dos outros livros da série aqui no blog!

Vinicius Fagundes ver todos os artigos
24 anos. Formado em Publicidade e Propaganda. Viciado em histórias. Desconhecido mundialmente.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

7 Comentários

  • Jade Sibalde
    31 maio 2018

    Não conhecia essa série, nunca tinha ouvido falar desse volume ou dos anteriores mas parece uma leitura envolvente. A premissa de 1% da população ser agraciada com dons especiais foi a parte que mais me deixou curiosa, só consegui pensar em x-men.

  • Micheli Pegoraro
    30 maio 2018

    Oi Vinicius,
    Conheci essa trilogia há pouco tempo, e apesar de não gostar muito de histórias com uma trama política, confesso que fiquei bem interessada em ler os livros. Adoro uma história cheia de reviravoltas, isso torna a leitura surpreendente do inicio ao fim, sem falar que impossibilita largar o livro até o final, pois fica aquela expectativa do que irá acontecer. Estava aguardando resenha desse último livro para ver se valia a pena o investimento (e o tempo), então, agora sabendo que o desfecho da trilogia foi satisfatório, vou adicionar na lista de desejados.

  • Elizete Silva
    29 maio 2018

    Olá! Confesso que não conhecia essa série, mas gostei do enredo, afinal é uns dos meus gêneros favoritos, é legal saber que a apesar da pegada fantasia a história trás personagens com defeitos, que erra e não tem medo de admitir.

  • Bruna Lago
    28 maio 2018

    Olá, boa tarde! Esse é o tipo de leitura que raramente faço, não venho acompanhando todas os lançamentos dessa série, mas acompanhei a resenha pra saber mais sobre ele e do que se trata.
    Que bom que ele te agradou tanto, realmente é muito bom acompanhar algo e quando chega no final temos a sensação que foi uma leitura incrível!!Daqui a pouco a surge uma notícia da Netflix, e tudo vai ficar melhor pra você, hahaha
    Abraços

  • Lili Aragão
    28 maio 2018

    Oi Vinicius, primeira vez que ouço falar dessa trilogia e apesar de não ler esse gênero com frequência fiquei curiosa e vou procurar saber dos anteriores, afinal se uma trilogia se encerra de forma tão boa e a evolução do personagem principal é notável deve valer a pena e se tem cara de série pra Netflix então… resenha ótima 😉

  • Theresa Cavalcanti
    28 maio 2018

    Oi Débora,
    Não conhecia esses livros, ms já fiquei super empolgada para ler! Amo coisas nessa pegada! Preciso desse livro.

  • Kleyse Oliveira
    28 maio 2018

    Oi!
    Eu não conhecia essa trilogia, pois é a primeira vez que vejo é conheço ela. Mas adorei a resenha e adorei conhecer essa trilogia, gosto muito de às vezes sair da zona de conforto e lê ficção científica e esse livro parece ser a escolha certa. Vou comprar o primeiro da trilogia e na medida que eu for gostando vou adquirindo os outros dois últimos. Bjs

  • Siga o @laoliphantblogInstagram