Resenhas 06mar • 2019

O feminismo é para todo mundopor Bell Hooks

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Feminism is for Everybody
Gênero do Livro: Feminismo, Não-Ficção, Política
Editora: Rosa dos Tempos
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 176
Código ISBN: 9788501115591

Obs: Este livro foi cedido pela editora em parceria para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: O feminismo sob a visão de uma das mais importantes feministas negras da atualidade. Eleita uma das principais intelectuais norte-americanas, pela revista Atlantic Monthly, e uma das 100 Pessoas Visionárias que Podem Mudar Sua Vida, pela revista Utne Reader, a aclamada feminista negra bell hooks nos apresenta, nesta acessível cartilha, a natureza do feminismo e seu compromisso contra sexismo, exploração sexista e qualquer forma de opressão. Com peculiar clareza e franqueza, hooks incentiva leitores a descobrir como o feminismo pode tocar e mudar, para melhor, a vida de todo mundo. Homens, mulheres, crianças, pessoas de todos os gêneros, jovens e adultos: todos podem educar e ser educados para o feminismo. Apenas assim poderemos construir uma sociedade com mais amor e justiça. O livro apresenta uma visão original sobre políticas feministas, direitos reprodutivos, beleza, luta de classes feminista, feminismo global, trabalho, raça e gênero e o fim da violência. Além disso, esclarece sobre temas como educação feminista para uma consciência crítica, masculinidade feminista, maternagem e paternagem feministas, casamento e companheirismo libertadores, política sexual feminista, lesbianidade e feminismo, amor feminista, espiritualidade feminista e o feminismo visionário.

Bell Hooks é uma grande teórica do feminismo, sua obra fala principalmente sobre a interseccionalidade de raçacapitalismo e gênero, e da capacidade deles perpetuarem os sistemas de opressão e dominação de classe. Bell se orgulha de ser quem é e não tem medo de se denominar feminista, ou assumir sua posição como mulher negra. Intrigada pela forma como muitas pessoas parecem sentir medo do feminismo, como também pelo fato de não existir material acessível sobre o assunto, Hooks se propõe em O Feminismo é Para Todo Mundo mostrar uma perspectiva geral do movimento e desmistificar algumas idéias erradas que a maioria do público tem com o feminismo.

“Feministas são formadas, não nascem feministas”. Para tal é importante que a pessoa se proponha a analisar a sociedade e o meio em que vive, busque instrução e se aprofunde nos debates de gênero. Há uma idéia muito errada de que basta ser mulher para se reconhecer feminista. Crescemos em uma sociedade patriarcal e somos construídos para seguir com os mesmos padrões e ideais, é só a partir de muita reflexão e estudo que podemos nos desprender das amarras sócias e perceber nossa posição perante a sociedade.

O que faz do livro de Bell Hooks tão importante é sua proposta. Não temos aqui um livro muito complicado, de linguagem academicista, o que temos é um livro feito para despertar os interessados e buscar atingir todos os membros da sociedade, para que juntos construam uma sociedade mais igualitária. Bell critica a forma como a teoria feminista se afastou das massas e se escondeu nas academias, se o objetivo é uma desconstrução da sociedade, nada é mais importante do que tornar essa discussão popular e acessível.

Outro ponto importante do livro de Bell Hooks é o foco que ela dá para as questões de raça. Durante muito tempo a mulher negra se viu afastada do movimento feminista, numa posição de escanteio, vendo suas demandas renegadas a um segundo plano. Para ela o movimento feminista é por sua essência antirracista. Mulheres negras merecem ter a mesma atenção, suas questões têm valor, só alcançaremos nossos objetivos quando estivermos juntas. Hooks também fala de outros recortes como mulheres trans e lésbicas.

Bell levanta várias questões em cada um dos capítulos, ela fala do trabalho, da maternidade, da sexualidade e da espiritualidade da mulher, tudo ligado ao recorte feminista. Ela também enfatiza a importância da participação masculina. Sem a ajuda de todos a mudança não acontece. O livro também ajuda a esclarecer a idéia falsamente propagada de que as feministas odeiam os homens. Mitos caem por terra à medida que o livro avança.

Outro ponto que chamou minha atenção foi o foco que a autora deu para a questão da infância. Bell não nega que grande parte da opressão e violência que as crianças sofrem vem não só dos pais, como também das mães. A hierarquização da nossa sociedade patriarcal gera uma estrutura opressora, onde sempre há alguém com maior poder agindo de maneira violenta. A solução para o problema é uma reconstrução de nossos laços e relações, fora desse ambiente patriarcal.

Considero o livro O Feminismo é Para Todo Mundo uma excelente porta de entrada para quem se interessa pelas questões do movimento, como também para quem deseja entrar no mundo da teoria feminista. Tive a sorte de participar de um grupo de discussão feminista e debater sobre o livro. Recomendo a todos que, se possível, façam o mesmo. As questões que o livro de Hooks levanta são ainda mais ricas quando discutidas em grupo. O livro é didático como se propõe e só me deixou ainda mais animada para aprofundar nos meus estudos. Mega recomendado.

Beatriz Kollenz ver todos os artigos
Queria ser mesmo uma garota mágica, infelizmente não deu nessa vida. Amo borboletas, mangas shoujo, desenhos animados e livros. Quando não estou voando nas nuvens costumo tocar piano, assistir um dorama ou sentar ao ar livre. Apesar de ser leonina sou muito tímida, a vida é assim, repleta de contradições.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

6 Comentários

  • Aline Bechi
    19 mar 2019

    Olá, tudo bom? Uau! Esse livro era o que precisava. Gostei muito que a autora trouxe a verdade sobre o feminismo, desmentindo alguns mitos que há por ai, como pude notar. Adorei demais a proposta do livro!

    Beijos

  • Elizete Silva
    19 mar 2019

    Olá! Quanto mais livros sobre esse tema melhor, é muito bom que mesmo com poucas páginas a autora consiga passar uma mensagem objetiva para todos, temos que refletir e rever nossas atitudes e conceitos sempre.

  • Elizete Silva
    11 mar 2019

    Olá! Quanto mais livros sobre esse tema melhor, é muito bom que mesmo com poucas páginas a autora consiga passar uma mensagem objetiva para todos, temos que refletir e rever nossas atitudes e conceitos.

  • Maira Schein
    07 mar 2019

    Só por ler a sinopse e a sua resenha acho que posso dizer que esse livro parece sensacional, e uma leitura muito necessária, por todos. A gente está começando a desconstruir as coisas que o patriarcado criou e manteve por tanto tempo, e todos sabemos que não é fácil. Mas acho que livros como esse são fundamentais para a nossa evolução como sociedade. Fiquei com muita vontade de ler, e de presentear algumas pessoas.

  • Angela Cunha
    07 mar 2019

    Ando adorando essa “invasão” de livros, filmes e documentários sobre o assunto! Sei lá, é um jeito gostoso de ensinar e de instruir a quem ainda não se abriu a este novo jeito de viver!
    E pelo que li acima, este livro não somente traz a parte do ser mulher, mas ser uma mulher negra, antes tão a margem de tudo, escondida da sociedade, sem voz, sem rostos, sem vida.
    Hoje a cada dia que passa, vemos e ouvimos os gritos de tantas mulheres que ecoam pela humanidade, pregando a paz e a igualdade.
    Vê-se o Carnaval pelo Brasil, onde o rosto da Marielle brilhou. Tristemente chamando a atenção para si e para sua luta que não se calou mesmo com sua morte!!!
    O livro vai com certeza para a lista de desejados.
    Beijo

  • Luana Martins
    06 mar 2019

    Oi, Beatriz
    Ainda não li nada sobre o assunto, mas tenho uns livros na minha lista que quero muito ler vou adicionar esse também.
    Penso que esse livro veio para explicar o que é o feminismo, que tanto as mulheres e homens possam viver em harmonia lutando por uma sociedade igualitária. Como você disse na resenha o feminismo não odeia os homens como muitas mulheres fazem, para ajudar no movimento não precisa ser mulher/nascer mulher. Todos podem fazer parte.
    Quero ler esse livro, beijos!

  • Siga o @laoliphantblogInstagram