Resenhas 08jan • 2019

A Filha da Fortunapor Isabel Allende

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Daughter of Fortune
Gênero do Livro: Histórico, Ficção, Romance
Editora: Record
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 378
Código ISBN: 9788528623673

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: m 1849, quando chega ao Chile a notícia de que na Califórnia o ouro estava jorrando feito água das fontes, Joaquím Andieta, um jovem idealista, pobre e destemido, não pensa duas vezes: rouba uma carga do armazém da Companhia Britânica de Importação e Exportação, onde trabalha, e arranja o dinheiro necessário para embarcar no navio que o levará até o Eldorado americano, onde espera amealhar a riqueza necessária para dar à velha mãe uma vida digna e para, finalmente, poder casar-se com Eliza Sommers por quem apaixonara-se pouco antes de tomar a decisão de deixar o Chile. Ocorre que Eliza, uma bela e frágil jovem criada e educada por imigrantes ingleses, não suporta a ausência do amado. Resolve embrenhar-se no porão de um navio e, com a ajuda do amigo chinês Tão Chi en, parte para a Califórnia, onde espera reencontrar o grande amor de sua vida. Mas o destino lhe reserva um verdadeiro inferno de surpresas e desencontros hostis, o que faz com que Eliza perca a sua inocência da forma mais lancinante possível. Essa seria apenas uma contundente história de amor não fosse o extraordinário talendo narrativo da escritora chilena Isabel Allende. Neste romance, Allende impressiona o leitor ao recriar com espantoso realismo todo o clima e a atmosfera social, política e cultural que marcou o Chile depois que o país se tornou independente, em 1810. A recostituição literária da cidade portuária de Valparaíso, cenário que domina a primeira parte do romance, é um dos pontos altos da obra que, de resto, confirma Allende como o grande nome da literatura hispano-americana da atualidade.

Como parte do relançamento da obra de Isabel Allende no Brasil, a Bertrand traz a nova edição de Filha da Fortuna, romance publicado em 1998. Filha da Fortuna narra as desventuras de Eliza Sommers pela Califórnia em busca de Joaquín Andieta.  Eliza foi abandonada ainda bebê, dentro de caixa de sabão, na porta da família Sommers. Miss Rose convence seu irmão Jeremy a adotá-la e criá-la como um membro da família. É assim que Eliza passa a viver uma vida tranqüila e luxuosa dentro da comunidade inglesa.

Jeremy é o responsável pela Companhia Britânica de Importação e Exportação e cuida de sua irmã, Rose, enquanto seu irmão mais novo, John, vive a vida como comandante percorrendo o mundo todo. O romance se passa no Chile e Estados Unidos, entre os anos de 1843 e 1853. Nesse período, a Inglaterra é a dona dos sete mares e os Estados Unidos começa a descobrir ouro nas regiões de São Francisco. Tendo como pano de fundo esse período rico e conturbado da história, o forte de todo o romance são os personagens profundamente carismáticos. Eliza, Rose, Mama Frésia e Tao’Chien são exemplos dos grandes personagens criados pelas hábeis mãos de Isabel Allende.

“Todos nascem com algum talento especial, e Eliza Sommers não tardou a descobrir que tinha dois: bom olfato e boa memória. O primeiro lhe servia para ganhar a vida e o segundo, para recordá-la, ainda que não precisamente, mas pelo menos com a poética imprecisão do astrólogo. Aquilo que esquecemos é como se não houvesse acontecido, mas muitas eram as suas lembranças, reais ou ilusórias, e assim, para ela, foi como viver duas vezes.”

A força motriz de Filha da Fortuna são as mulheres. Rose é muito a frente de seu tempo, preferindo continuar solteira e desfrutando o prazer de dividir seu dia entre festas, namoricos e criar Eliza. Mama Frésia é a grande comandante da casa dos Sommers, nada existe sem ela. Frésia também divide o papel de mãe com Rose, se a inglesa ensina os bons costumes e modos para a menina, é Mama Frésia que a ensinará o espanhol e os costumes chilenos.

Ainda temos no livro algumas memoráveis coadjuvantes. O personagem mais visionário e empreendedor de Filha da Fortuna não é ninguém menos do que Paulina, uma jovem que enfrenta a família e meio mundo para escolher com quem se casará. Depois de casada exige sua renda própria e é com ela que executa seus os maiores absurdos, e certeiros, investimentos. Azucena trabalha como prostituta e salva a vida de Eliza durante sua aventura até a Califórnia.

Indo contra o senso comum de que as ‘mulheres da vida’ de nada prestam, Azucena é a pessoa mais caridosa e gentil a bordo de Emilia. Lin é uma jovem adorável, seu espírito salva Eliza de um triste destino enquanto navega pelo oceano pacífico. Nada existe em Filha da Fortuna sem as mulheres. Elas seriam imparáveis se não fosse o maior mal de todos: o amor.

“Para Eliza, entretanto, as horas se passavam com aterradora lentidão, em um redemoinho de sentimentos confusos. Não sabia mais quando era dia ou noite, se era terça ou sexta-feira, se haviam decorrido algumas horas ou vários anos desde que conhecera aquele jovem.”

O amor nos leva a fazer loucuras e, infelizmente, a carga negativa sempre recai sobre a mulher. Se um homem foge, quem fica mal falada é a mulher. Ser mãe solteira é uma sentença horrível, não só no século 19 como também nos dias de hoje. Rose poderia ter uma vida bem pior se não fosse o irmão e a condição de sua família. Em Filha da Fortuna vemos as diferentes faces do que acontece com mulheres que assumem seu amor e sexualidade, de um jeito ou de outro elas sempre farão o que seu coração mandar, muitas vezes pagando um alto preço por isso.

É o amor que tira Eliza dos eixos e a faz embarcar clandestinamente para a Califórnia. Eliza tem grande obstinação, para Tao’Chien, é o seu qi  que é forte. Ela não pensa duas vezes antes de encarar a dura corrida do ouro, vai até o fim em busca de Joaquín, seu primeiro e grande amor.

O livro passeia pelo mundo e pelo tempo, nos fala de preconceito, cobiça e ganância. Todos os mais profundos e obscuros desejos da alma humana. A corrupção pode vir mais fácil do que se imagina. Isabel possui uma escrita cativante e primorosa, o livro nunca se torna cansativo ou previsível, através de seu talento viajamos até o fundo da mente de cada um dos protagonistas de Filha da Fortuna.

Ler a autora é sempre uma atividade gratificante, continuo persistente na minha missão de ler até as listas de compras que Isabel Allende escreveu. Leitura mega recomendada, ainda mais se você está órfão de Casa dos Espíritos ou outro romance da autora.

Beatriz Kollenz ver todos os artigos
Queria ser mesmo uma garota mágica, infelizmente não deu nessa vida. Amo borboletas, mangas shoujo, desenhos animados e livros. Quando não estou voando nas nuvens costumo tocar piano, assistir um dorama ou sentar ao ar livre. Apesar de ser leonina sou muito tímida, a vida é assim, repleta de contradições.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

11 Comentários

  • Luana Martins
    23 jan 2019

    Oi, Beatriz
    Não li nada da autora ainda, espero pode ler.
    Gostei da autora tecer uma trama com muitas mulheres de fibra, que passeia por alguns países mostrando culturas diferentes.
    Vai para a pequena lista de desejados que só cresce.
    Beijos

  • Ycaro Santana
    13 jan 2019

    O livro começou a conquistar com seu pano de fundo tão interessante, retratando uma parte da história do mundo. Logo depois, conhecer características tão diversificadas de personagens mulheres, todas com um jeitinho encantador, à sua maneira. Fiquei entusiasmado para também ler até a lisa de compras de Isabel Allende.

  • Aline Bechi
    12 jan 2019

    Olá, tudo bom?
    Confesso que as obras da autora nunca me chamaram atenção (tirando as lindas capas) porém fico feliz de ver mais um livro com mulheres a frente de seu tempo que batem de cara com o julgamento da sociedade.

    Beijos

  • Nil Macedo
    11 jan 2019

    Sempre amei os livros da Isabel Allende. Alguns dos primeiros livros que li nessa vida de leitora voraz, foram da Isabel.
    Li A Filha da Fortuna há alguns anos e amei. Gosto da força que a autora sempre coloca nas personagens femininas. E a escrita dela é deliciosa.
    Ainda tenho alguns livros dela que não li mas é uma autora que sempre indico.

  • Lara Caroline
    11 jan 2019

    Olá Beatriz, tudo bem?
    Nunca li nada da autora, mas fiquei super curiosa para conhecer este livro, pois me chamou atenção o fato de as mulheres serem as protagonistas desta estória. O período histórico também é muito interessante.
    Beijos

  • Vitória Pantielly
    10 jan 2019

    Olá Beatriz,
    A primeira coisa que me encanta na história é a ambientação, diferente do que vemos na maioria dos romances, principalmente onde se passa a maior parte do livro. Segundo, vejo como ele retrata várias facetas femininas, poderia até dizer que com esse elemento, o romance nem é o principal!
    Acompanhando as resenhas, fico tentada a ler as obras da autora.
    Beijos

  • Paula Gil
    09 jan 2019

    Eu namorei essa nova edição esses dias.
    Há muitos anos atrás li ” casa dos espíritos” por ser um dos livros favoritos da minha mãe. A gente tem até hoje a VHS do filme.
    Estava na minha meta de leitura ou reler casas dos espíritos ou ler outro livro da Isabel Allende. Gostei muito da premissa de ” filha da fortuna”. Me animou a resenha para esse ser um livro para meta de leitura de 2019.

  • Alison de Jesus
    09 jan 2019

    Olá Beatriz!
    A obra inegavelmente encanta por conta da riqueza narrativa com a qual a autora descreve os acontecimentos, sendo que o aspecto histórico denota o trabalho minucioso da autora ao pesquisar sobre a época e seus eventos e incorporá-los à trama. Os personagens também são construídos com excelência, e Allende consegue canalizar exatamente essa necessidade de ascensão socioeconômica vigente à época.
    Beijos.

  • Maira Schein
    09 jan 2019

    Já faz bastante tempo que quero ler alguma coisa de Isabel Allende, espero que nesse ano surja a oportunidade. Gosto muito de romances históricos e me interessei muito pela história de A filha da fortuna.
    Acho maravilhosas essas capas das novas edições dos livros da Isabel!

  • Angela Cunha
    09 jan 2019

    Ando de namoro com este livro desde que o vi pela primeira vez. Juntar dois assuntos assim, romance e história é para poucos e a autora parece que conseguiu entregar um enredo com mulheres surpreendentemente fortes, determinadas,mas que ao mesmo tempo, também fazem tudo por amor.
    Não colocando a mulher sempre como dependente do sexo oposto,mas como protagonistas de suas próprias histórias.
    O livro já está na lista de mais desejados!!!
    Beijo

  • Ludyanne Carvalho
    08 jan 2019

    Até então pensava não ser uma leitura do meu gosto, mas me enganei.
    Amo romances históricos, mas o que mais me chamou atenção foi a construção das personagens, todas cheias de personalidade.
    Me parece uma história rica em conteúdo.
    Linda resenha!

    Beijos

  • Siga o @laoliphantblogInstagram