Resenhas 15ago • 2018

Garota-Ranho por Leslie Hung

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Snotgirl Volume 1: Green Hair Don't Care
Gênero do Livro: HQ, comics, mangá
Editora: Quadrinhos na Cia.
Ano de Publicação: 2018
Vol.01º livro da série Garota-Ranho
Número de Páginas: 136
Código ISBN: 9788535930658

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Do mesmo criador do fenômeno Scott Pilgrim, Garotaranho é uma das séries mais ousadas, engraçadas e espertas dos quadrinhos atuais. Lottie Person é uma blogueira de moda que vive uma vida absolutamente incrível — ou pelo menos é o que ela quer que você acredite. A verdade é que sua alergia está fora de controle, seu nariz não para de escorrer, o namorado a trocou por uma garota mais nova e é possível que ele tenha cometido um homicídio. Este é o primeiro volume do sensacional Garotaranho, de Bryan Lee O'Malley, criador de Scott Pilgrim, e da desenhista Leslie Hung.

Eu vou ser muito sincero com vocês, quando eu ouvi o nome da graphic novel que eu vou resenhar hoje, eu realmente não sabia o que esperar. Afinal de contas, o que você imagina de uma história chamada Garota Ranho. Aí eu vi que esse graphic é do Bryan Lee O’Malley, e o meu interesse aumentou consideravelmente. E quando eu conclui essa leitura, cheguei a conclusão de que Garota Ranho não é nada do que eu esperava, e é inclusive bem melhor do que o quer que fosse que eu estava imaginando que seria.

Lottie Person é uma blogueira de moda com milhares de seguidores nas redes sociais. Para quem acompanha seus posts no instagram, Lottie vive uma vida de eventos badalados, roupas glamourosas e maquiagem perfeita. Mas na realidade, a vida de Lottie é tudo menos ideal. Seu namorado a trocou por uma menina mais nova e não tão bonita, sua alergia está fora de controle e seu nariz não para de escorrer. A vida de Lottie se torna ainda mais bagunçada quando ela conhece uma nova blogueira que joga a sua vida em um completa confusão.

“É um saco quando o passado volta pra assombrar, né?”

Já que estamos falando de uma graphic novel, nada mais justo que começarmos falando da arte. Diferente de outras história do Bryan Lee O’Malley (Scott Pilgrim e Repeteco, por exemplo), Garota Ranho não é desenhada por ele. A arte fica por conta da quadrinista Leslie Hung, e fica claro que ela e o O’Malley compartilham a mesma influência dos mangás. Mas enquanto a arte do O’Malley é mais estilizada e gritante, os desenhos de Hung são graciosos e retratam perfeitamente a vida glamurosa de Lottie.

Mas quando a história vira para mostrar os momentos menos elegantes de Lottie, a arte de Leslie Hung consegue passar muito bem os problemas da vida da blogueira. Ao mesmo tempo em que vemos Lottie produzida, exibindo suas roupas em seus posts no Instagram, também a vemos encolhida em sua cama, com o nariz escorrendo, e os olhos cheios de lágrimas. Esse contraste entre os dois mundos de Lottie é um tema recorrente na graphic e tornaram essa leitura uma experiência extremamente interessante.

Eu já falei algumas vezes em resenhas que eu adoro quando uma leitura me surpreende e Garota Ranho fez exatamente isso. Eu não fazia ideia de onde a história ia me levar e a cada virada da história, eu ia me surpreendendo mais um pouco. Os dramas da vida de Lottie realmente me envolveram, e eu estava torcendo para que ela conseguisse resolver tudo de verdade. Eu já deveria saber que ia curtir a história, já que é uma história do Bryan Lee O’Malley, mas eu não imaginava que ia curtir tanto essa leitura.

“Quer saber? No fim das contas, ó: É só um cara. Agora ele parece o cara, mas… é só mais um. Vão ter outros.”

Outra coisa que chamou a minha atenção nesta leitura foi a forma que a graphic incorpora as redes sociais na história. Logicamente por ser tratar de uma história que tem uma blogueira como protagonista, Garota Ranho utiliza bastante as redes como o Instagram e o Twitter para contribuir para a narrativa. É super interessante como, apesar dos problemas em sua vida real, Lottie se esforça para passar a imagem de uma vida perfeita para os seus seguidores. É uma exploração muito perspicaz sobre o valor que nós colocamos na atenção que recebemos nas redes sociais.

Mas o melhor aspecto de Garota Ranho para mim é a exploração da saúde mental da Lottie.  No começo da história, somos apresentados a uma menina fútil que só pensa em conseguir mais seguidores e que tem o péssimo hábito de julgar as pessoas pela aparência. Mas aos poucos temos cada vez mais a impressão de que a sua sanidade é extremamente frágil e que ela tem uma facilidade muito grande para cair em surtos de auto aversão. É difícil não sair dessa leitura sentido uma certa pena da Lottie, apesar das coisas ruins que ela acaba fazendo ao longo da história.

E a graphic sabe equilibrar muito bem os momentos mais dramáticos do livro com o tom humorístico que já é característico das história do Bryan Lee O’Malley. Essa mistura de tons evita que Garota Ranho se torne uma história deprimente demais, mas sem sacrificar os pontos mais impactantes. O resultado é um estudo de uma personagem que poderia ser desprezível, se não fosse confusa e perdida em suas próprias inseguranças e ansiedades.

No geral, Garota Ranho é simplesmente excelente. Esse é apenas o primeiro volume dessa história, e eu já estou me coçando de vontade de continuar acompanhando a história de Lottie. Peço encarecidamente para a Companhia das Letras que traga os próximos volumes o mais rápido possível porque eu preciso deles agora, nesse exato minuto. É mais uma história incrível do Bryan Lee O’Malley que vai se tornando um dos meus nomes favoritos no mundo das graphic novels.

Aproveite as promoções da Amazon para colocar Garota-Ranho na estante!

Vinicius Fagundes ver todos os artigos
24 anos. Formado em Publicidade e Propaganda. Viciado em histórias. Desconhecido mundialmente.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

5 Comentários

  • Lily Viana
    31 ago 2018

    Olá!
    Já tinha lido resenha sobre esse HQ e tinha adorado bastante. Os contraste e a forma que como conta a trama, ainda mais vejo que a historia acontece muito hoje em dia né.. Espero ler em breve!

    Meu blog:
    Tempos Literários

  • Iêda Cavalcante
    30 ago 2018

    Oiee!
    Apesar de ser um quadrinho que não vou ler, me encantei com o visual, as cores super fortes e muito bem usadas. Achei o título bem diferente e os traços bem bonitos. Pra dar de presente a quem curte HQ, é perfeito.
    Bjokas!

  • Elizete Silva
    28 ago 2018

    Olá! Eita que não conhecia essa HQ, mas a história parece ser bem interessante, realmente o título não desperta os pensamentos mais positivos, mas pelo que você escreveu a história surpreende, Lottie parece ser uma personagem que está em uma fase bem complicada, e talvez, por isso esteja um tanto perdida. Também estou na torcida para que os próximos volumes não demorem a serem lançados aqui no Brasil.

  • Kleyse Oliveira
    16 ago 2018

    Eu não tenho nenhuma experiência lendo grapich novel, mas estou querendo muito comprar algumas que está na minha wishlist, inclusive essa resenhada.

  • Daiane Araújo
    16 ago 2018

    Oi, Vinicius,

    Ainda não li a HQ, mas já gostei desse cenário desenhado, por mostrar esses dois lados adotados pela personagem – longe das redes sociais e nas redes sociais. Que é uma abordagem importante.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram