Resenhas 25jan • 2019

A Guardiã de Vaziospor Victoria Schwab

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: The Unbound
Gênero do Livro: Fantasia, Young Adult, Mistério
Editora: Record
Ano de Publicação: 2018
2º livro da série A Guardiã de História
Número de Páginas: 322
Código ISBN: 9788528623260

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Um mundo rico e criativo, repleto de segredos e escolhas difíceis, em que amor e perda parecem ser duas faces da mesma moeda. O segundo livro da série A Guardiã de Histórias Mackenzie Bishop é uma das Guardiãs do Arquivo, um domínio secreto onde descansam as Histórias dos mortos ― registros de sua vida armazenados em corpos. Se uma História desperta, ela pode enlouquecer e tentar fugir ― e cabe a Mac garantir que cada uma seja devolvida à sua prateleira. No entanto, Mackenzie não se sente mais tão apta para o trabalho. Os acontecimentos do verão passado a assombram, e, quando os pesadelos que a perseguem começam a se insinuar mesmo durante o dia, ela sabe que algo está errado. Estaria lentamente perdendo a sanidade ou será que algo ainda mais sinistro a está perseguindo? Enquanto isso, pessoas começam a desaparecer sem deixar vestígios, e, quando Mackenzie acaba tornando-se a principal suspeita, ela se vê na obrigação de descobrir o verdadeiro culpado. Caso contrário, ela corre o risco de perder tudo ― seu papel de Guardiã, suas memórias… e até sua vida.

Um pouco mais de dois anos desde a última vez que eu coloquei os pés dentro do universo de A Guardiã de Histórias e eu preciso dizer que eu senti falta dessa narrativa sóbria que a Victoria Schwab traz para o enredo. Eu não sei explicar, mas tem alguma coisa na forma como ela escreve que simplesmente me encanta no primeiro parágrafo e, quando eu dou por mim, estou imersa em um novo universo e sem nenhuma vontade de voltar para a realidade.

A Guardiã dos Vazios começa um pouco depois dos eventos finais do primeiro livro, nos fazendo cair direto no primeiro dia de aula de Mackenzie em sua nova – não tão adorada – escola e revivendo dia a pós dias os acontecimentos trágicos do seu último encontro com Owen. Neste ponto, vale ressaltar que Schwab tomou todo um cuidado para não deixar o psicológico da nossa protagonista de lado, por isso, nas primeiras páginas, encontramos uma Mac ainda traumatizada e machucada por causa dos acontecimentos do primeiro livro.

“Entendi porque Da fez o que fez. Por que me escolheu. Entendo por que todo mundo escolhe alguém. Não é apenas para que alguém ocupe seu lugar. É — ao mesmo por um breve período — para que não tenham que ficar sozinhos. A sós com o que fazer e com quem são. A sós com todos os segredos.”

O desenvolvimento do enredo melhorou muito do primeiro para o segundo livro, mas eu confesso que a quantidade de novos personagens apresentados em A Guardiã dos Vazios ainda me deixou um pouco tonta. São muitos nomes e muitas novas informações para associar de um universo que eu não tenho contato há tanto tempo. Ainda assim, um dos pontos que eu mais gostei desse segundo livro, foi o fato desses personagens terem personalidades marcantes e um bom desenvolvimento ao longo do enredo.

E por falar em desenvolvimento de personagem, eu realmente gostei do background aprofundado que ganhamos sobre a Mac ao longo desse livro. Me deu a oportunidade de me conectar com ela e entender o lugar de dor e desconfiança que ela estava vindo. Confesso que depois dos acontecimentos do Owen, eu achei que ela teria um tempo para se recuperar, mas ao invés disso, encontrei uma protagonista pronta para voltar a sua rotina habitual de guardiã – o que mostra que ela sempre esteve muito mais preparada do que acredita.

O fator psicológico da nossa protagonista pesou muito neste enredo, muito mais do que o desenvolvimento do enredo em si. O fato de Mac não está em um momento muito confortável, faz com que você se conecte ainda mais rápido com a continuação do primeiro livro. Em vários momentos do enredo, eu queria muito gritar para que ela parasse de se esforçar tanto e buscasse a ajuda que precisava. Acredito que Schwab conseguiu me entregar nesse segundo livro, justamente o que eu estava sentindo falta.

“É isso que o amor significa para gente como nós? Ser capaz de compartilhar o espaço? Sem nosso anéis, ficamos com o coração na mão. Nossos pensamentos, desejos e temores. Nossas fraquezas. Não suporto a ideia de alguém vendo as minhas.”

Eu me apaixonei perdidamente por Wesley quando estava lendo A Guardiã de Histórias e acreditem se quiser, é muito difícil você não cair na conversa dele com todo esse ar de mistério que gira em torno do personagem. Um dos pontos que me deixaram com o pé atrás em como ele irá se desenvolver ao longo da história, é o fato de ele sempre brincar com as informações, nunca dizendo exatamente o que a gente precisa saber, mas não mentindo ao mesmo tempo. Eu gosto dessa complexidade, ao mesmo tempo que me preocupa como ela vai ser entregue ao longo do próximo livro.

Os altos e baixos do relacionamento do Wes e da Mac é muito interessante. Embora não seja exatamente dito que existe um relacionamento entre eles, sabemos que o sentimento está ali, mesmo que eles ainda não tenham tido tempo de conversar a respeito. Independente disso, eu gosto muito do tom de maturidade que a autora dá para os personagens, nunca fazendo com que eles tenham discussões infundadas ou aquelas clássicas discussões chatas por ciúmes que poderiam ser resolvidas com diálogo, sabe?

O universo de A Guardiã dos Vazios se amplia de uma forma que não tem como qualquer leitor de fantasia não se apaixonar. No primeiro livro nós lidamos com as portas, o Arquivo e as histórias que podem se tornar perigosas em determinadas situações e agora, em A Guardiã dos Vazios nós temos os vazios e o mistério que gira em torno deles deixa o enredo ainda mais eletrizante, fazendo com que o leitor fique ainda mais preso ao livro. Como eu disse, existe algo na escrita de Schwab que gruda a gente no enredo que nem chiclete.

A Guardiã dos Vazios foi uma leitura excelente para começar 2019 colocando as minhas séries favoritas em dia. Eu ainda não encontrei nenhum livro da Schwab que não tivesse esse “algo a mais” que me faz gostar tanto de ler. Na verdade, se esse fosse o meu primeiro livro na minha vida inteira, eu com certeza teria me tornado a mais nova viciada em livros. Se você ainda não conhece os livros dessa autora sensacional, não perde o seu tempo e compre todos os possíveis na Amazon!

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

8 Comentários

  • Lara Caroline
    31 jan 2019

    Olá.
    Não li A Guardiã de Histórias ainda, mas a premissa me interessou muito. Achei legal a autora ter abordado o psicológico da protagonista nesse segundo livro, então fiquei bem curiosa para saber o que aconteceu com ela no primeiro.
    Beijos

  • Maira Schein
    28 jan 2019

    Sempre vejo comentários muito positivos sobre essa autora e, apesar de fantasia não ser meu gênero preferido, tenho muita vontade de ler algum dos livros dela e conhecer sua escrita, que só recebe elogios.
    Me interessei pela história dessa série e vou procurar saber mais sobre o primeiro livro. Quem sabe eu comece por aí?

  • Alison de Jesus
    27 jan 2019

    Olá Débora!
    Já li resenhas da outra série dessa autora e desde então fique bastante curioso para ler algo da mesma. Essa obra parece dar sequência à história de uma forma demasiado convincente, e logo o leitor percebe que Schwab conseguiu expandir o universo retratado, porém sem deixar de lado o amadurecimento da protagonista, que aqui é trabalhada com muito cuidado para transmitir tudo na medida certa. Também vale ressaltar que a construção do relacionamento entre Mac e Wes não deixa a desejar, e o fato de autora descartar aquelas famosas DRs desnecessárias só torna a leitura mais agradável.
    Beijos.

  • Nil Macedo
    27 jan 2019

    Nossa, que interessante.
    Fiquei curiosa em saber os problemas da personagem principal. Parece um livro que não perdeu sua sequencia lógica, colocando o leitor no mesmo ponto de onde terminou o primeiro livro.
    Como ainda não li o primeiro livro vou procurar pra ler.

  • Sara Saan
    26 jan 2019

    Acho incrível a forma que você escreve as resenhas, faz com que eu queira muito ler o livro e me envolver tanto quanto você. Não li o primeiro livro, mas com certeza quero ler. Amo uma realidade diferente e acho muito bom quando o autor consegue desenvolver as personalidades de cada personagem sem misturar e nem perder… Mais um livro adicionado a lista com sucesso!

  • Aline Bechi
    26 jan 2019

    Olá, tudo bom?
    Olha só, sou louca para ler essa duologia da autora (nunca li nada dela) e é bom saber o quanto ela consegue nos deixar emergidos na estória.
    Gosto muito de livros que trabalham o psicológico do personagem e dos mesmos bem desenvolvidos.
    É normal nos sentirmos perdidos se ficamos muito tempo para pegar a continuação.

    Beijos.

  • Angela Cunha
    26 jan 2019

    Como só li a resenha do primeiro livro uma vez, dei aquela perdidinha básica em relação aos acontecimentos deste segundo livro.
    Mas pelo que entendi, há neste segundo livro um aprofundamento melhor nos sentimentos, na parte emocional dos personagens e isso é maravilhoso.
    Talvez com um complemento final a história do primeiro volume!
    Por isso, pretendo ler os dois livros e me emocionar e me surpreender também!!!
    Beijo

  • Ycaro Santana
    26 jan 2019

    Eu sou louco para ler algo da Victoria Schwab, mas sempre acabo adiando. Quando você citou sobre a preocupação da autora com o psicológico da Mackenzie eu lembrei instantaneamente da Katniss e Suzanne Collins, muito importante esses detalhes. Li várias resenhas desse livro e em todas há essa discussão da melhora desse livro para o primeiro. Sua resenha me deixou ainda mais empolgado para ler algum livro da Schwab. Amei!

  • Siga o @laoliphantblogInstagram