Resenhas 28jul • 2018

Jardim dos Famintospor Adams Pinto

O livro no Skoob e no Goodreads.

Gênero do Livro: Fantasia, Horror
Editora: Publicação Independente
Ano de Publicação: 2017
Número de Páginas: 410
Código ISBN: 9788542010312

Obs: Este livro foi cedido em parceria com o autor para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Um grupo de pessoas desperta com máscaras sobre seus rostos e sem nenhuma lembrança do passado. Eles partirão à procura de respostas em territórios selvagens, e apenas juntos conseguirão sobreviver aos mais diversos perigos que se esgueiram nas trevas. Entretanto, esses mascarados precisarão lidar com suas diferenças e resistir a um misterioso desejo de consumir carne humana que poderá destruí-los. Jardim dos Famintos é uma jornada através de locais inomináveis, onde o seu instinto primitivo é a chave para a sobrevivência.

Eu realmente não sei como resumir para vocês o quanto essa leitura me confundiu. Quando eu li a sinopse de Jardim dos Famintos pela primeira vez, o fato de eu não saber o que esperar dessa história foi um dos principais motivos para eu ter me interessado no livro. Isso somado com o fato de ser um livro lançado através de financiamento coletivo, fez de Jardim dos Famintos uma leitura que realmente conseguiu chamar a minha atenção. Mas depois de concluir essa leitura, eu ainda não consegui definir se eu gostei ou não da história de Jardim dos Famintos.

Em Jardim dos Famintos, um grupo de pessoas acorda em um local desconhecido, sem nenhuma memória de quem são ou de como chegaram ali, com máscaras estranhas sobre seus rostos. Esses estranhos logo percebem que precisam contar uns com os outros para sobreviverem aos perigos do mundo cruel onde despertaram. Entretanto, estes mascarados precisam aprender a lidarem com suas diferenças e com o misterioso desejo de consumir carne humana que poderá destruí-los.

“Primeiro foi acometido por um solavanco, seguido de um forte peso a chicotear suas costas. Tentou gritar, mas seus pulmões preencheram-se com água salgada.”

Em primeiro lugar, esta premissa parece bem interessante, não é? Um grupo de estranhos, sem nenhuma ideia de quem são, acordam usando máscaras estranhas em um ambiente hostil, e precisam depender uns dos outros para sobreviverem. Parece uma história original e diferente. E no geral, o livro entrega mais ou menos isso. O mistério de quem são essas pessoas, como elas chegaram ali, porque elas estão ali, que máscaras são essas, estas são as questões que me levaram a continuar nessa leitura. Mas eu tenho que admitir que achei as respostas para essas perguntas insatisfatórias.

A escrita do Adams Pinto não é ruim, mas (e isso é um lance totalmente pessoal, talvez você tenha uma experiência completamente diferente), eu senti que ele conseguiu desenvolver muito melhor a história nos momentos mais leves do livro. Quando a história foca nas interações e nos relacionamentos entre os personagens, ele é capaz de entregar momentos bem legais. Em compensação, quando a história vai expandir o universo do livro, são tantos detalhes e tanta informação que a narrativa perde a minha atenção.

A caracterização dos personagens não é ruim, mas como parte do mistério do livro é sobre as identidades deles, o livro acaba retratando cada um deles com traços de personalidade um pouco simples. Cada um deles tem uma característica principal, e com algumas exceções (especificamente o meu personagem favorito, que eu não vou falar o nome porque parte da diversão do livro é descobrir as coisas aos poucos), nós não conhecemos a maioria deles tão bem assim. Infelizmente isso é uma consequência do plot de mistério, mas eu acho que é possível contornar isso.

“Seus dedos deslizaram delicadamente sobre o acrílico que cobria a parte superior do seu rosto: um bico longo na altura do nariz, asas que se estendiam nas laterais da cabeça e um emaranhado de linhas e traços curvos desenhando formas complexas em relevo sobre sua superfície”.

Outra coisa que me incomodou um pouco no livro, eu senti que a estrutura da história era um pouco desconexa. As coisas vão acontecendo, e com algumas exceções, tiveram várias partes do livro em que eu falei “Mas porque isso acontece agora?”. Principalmente do meio do livro pra frente, eu realmente estava ficando muito confuso. Talvez durante o processo de edição a história poderia ter sido estruturada de uma forma diferente, mais fluída. Mas como eu falei antes, isso tudo é uma questão de gosto mesmo.

E falando no final do livro, eu simplesmente não curti a direção que a história tomou e a conclusão do livro não me agradou mesmo. Como eu falei, o principal atrativo do livro pra mim foi o aspecto de mistério, aquelas perguntas que eu listei no começo da resenha. A partir de um certo ponto do livro, sem querer entregar muito da história, o plot do mistério meio que perde o foco da narração e várias outras coisas são introduzidas. E como isso era a parte que mais me interessou na leitura, o livro perdeu muita da minha atenção nas partes finais.

No geral, Jardim dos Famintos pega uma premissa intrigante e leva ela numa direção que simplesmente não combina com os meus gostos. O livro tem alguns momentos muito legais, mas na grande maioria, não foi o tipo de leitura que vai entrar pra minha lista de favoritos. Mas como nós sempre fazemos questão de falar nessas resenhas, você com certeza deveria pegar esse livro e tirar as suas próprias conclusões. Principalmente porque nós amamos apoiar autores independentes!

Aproveite as promoções da Amazon e coloque Jardim dos Famintos na estante!

Vinicius Fagundes ver todos os artigos
24 anos. Formado em Publicidade e Propaganda. Viciado em histórias. Desconhecido mundialmente.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

6 Comentários

  • Lily Viana
    31 jul 2018

    Olá!
    Não tinha conhecimento desse livro, mas tem uma ótima premissa. Me faz pensa que o livro e como se fosse uma charada para você ir descobrindo ao decorrer da leitura. Gostei do livro, uma historia interessante e um mistério ótimo, estou bem curiosa para ler.

    Meu blog:
    Tempos Literários

  • Jade Sibalde
    31 jul 2018

    Oi Vinicius!
    A capa parecia até de um livro tranquilo mas essa sinopse…
    Não é o tipo de livro que eu leria mas a sinopse é de fato intrigante, a parte das mascaras me lembou a maldição da Corte Primaveril em Corte de Espinhos e Rosas.

  • Iêda Cavalcante
    31 jul 2018

    Oiee!
    Pena o livro não ser tudo isso.
    Depois de ler a resenha fiquei com a impressão de que o livro daria um ótimo filme, talvez até se saísse melhor.Eu não me interessei, não só porque o livro não é de um tipo que leio, mas também porque simplesmente ele não me pegou, não me convenceu, então não pretendo ler.
    Bjs!

  • Micheli Pegoraro
    30 jul 2018

    Olá Vinicius,
    Sinceramente, não achei essa premissa interessante, não é uma leitura que sinto curiosidade em ler, pois essa pegada envolvendo o mistério de que as pessoas sentem desejo de consumir carne humana não me agrada. Não curto essa pegada de “zumbis”. Além disso, são muitos pontos negativos, os tantos mistérios sem repostas satisfatórias e a falta de aprofundamento dos personagens deixam muito a desejar.
    Beijos

  • Pamela Liu
    30 jul 2018

    Oi Vinicius.
    A premissa do livro realmente é interessante. Acordar num local estranho, sem memórias, com máscaras e depender dos outros para sobreviver é algo intrigante e instigante.
    Que pena que o autor não conseguiu trabalhar tão bem o plot e se desviou dele.
    Eu estava bastante animada para ler esse livro quando vi o seu lançamento. Mas, depois de ler a sua resenha, desanimei bastante.
    Beijos

  • Daiane Araújo
    30 jul 2018

    Oi, Vinicius,

    O enredo e elementos presentes são bem elaborados. Certamente as descobertas e buscas por repostas, é o que move a história.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram