20nov • 2020

A Memória de Babelpor Christelle Dabos

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: La Mémoire de Babel
Gênero do Livro: Fantasia, Young Adult, Ficção, Romance
Editora: Morro Branco
Ano de Publicação: 2020
3º livro da série A Passa-Espelhos
Número de Páginas: 400
Código ISBN: 9788592795764

Comprar: Amazon

Sinopse: Ophélie está isolada na arca de Anima há quase três anos, onde vive uma existência sem emoções. Mas, encorajada por novas revelações do livro de Farouk e por um segredo que pode ser a chave entre passado e futuro, é chegada a hora de agir.Sob uma identidade falsa, ela viaja até Babel, uma arca ultramoderna e cosmopolita, habitada pelos mais suspeitos residentes. Composta por mais de mil ilhas e conhecida como “a joia do universo”, a arca esconde inúmeras armadilhas atrás de seus rígidos regulamentos.Ophélie precisa usar todas as suas forças para superar uma rede de mentiras e intrigas cada vez mais ameaçadora. Suas habilidades como leitora serão suficientes para enganar seus inimigos? Conseguirá ela seguir os rastros de Thorn?

resenha-memoria-babel-christelle-dabos-livro-imagem.jpg

todas essas possibilidades passam tanto na cabeça do leitor, quanto na cabeça de ophélie e vemos a nossa protagonista se desfazer em erros e mais erros tentando encontrar as respostas que precisa – mesmo sem estar muito certa de quais seriam as perguntas.

tenho pra mim que a busca por thorne nada mais era que uma busca por si mesma. em algum momento no final do primeiro livro e durante todo o segundo, ophélie se perdeu de si mesma e tinha questões internas para resolver. questões estas que ela nem ao menos tinha tido coragem para admitir até então.

uma narrativa simples, mas envolvente se lido com os olhos certos. christelle dabos conseguiu me deixar sem palavras neste livro, completamente envolvida com a história, apaixonada pela busca da protagonista. parece que eu estou construindo um hype em torno dessa série, mas acho que é justamente do que esses livros precisam.

o ápice da história vem quando ophélie fica presa no entremeio. nem uma coisa, nem outra. nem tudo, nem nada. qualquer pessoa que esteja passando por um momento de descobertas consegue se encontrar nessa página, principalmente quando a nossa protagonista percebe que precisa se quebrar para depois se reconstruir.

a partir dessa cena, o tom do livro muda. a protagonista muda. e nós, leitores ansiosos, finalmente conseguimos uma das cenas mais esperadas desde então – quem leu sabe do que eu estou falando.

a construção e evolução de ophélie é impecável. tanto que, mesmo sendo bastante exigente com algumas fantasias, eu não me importei tanto com a falta de informação sobre os três anos de thorne ou mesmo sobre o que realmente aconteceu com ele. ophélie consegue preencher a narrativa de uma maneira tão única que outros personagens facilmente ficam em segundo plano.

depois de toda essa reflexão, vamos ao livro em si.

conhecemos outros espíritos familiares, o que nos ajudou a ter uma noção melhor do que é esse universo criado pela autora. é claro que há mais sobre deus do que foi mostrado no segundo livro e não parece que todos os espíritos estejam por fora dos acontecimentos.

a descoberta sobre deus e suas mil formas também me intrigou. apesar de ele ser o nosso “inimigo”, não foi um personagem deste livro, então não sei exatamente como as coisas vão se desenvolver a partir de agora. o desfecho de memória de babel deixou muito em aberto, mas com ganchos estratégicos para causar ansiedade em quem entrou neste universo.

no terceiro livro nós temos alguns desdobramentos separados por conta desses três anos que se passaram desde o segundo livro. a maior parte do livro fica concentrado na ophélie e na sua busca por thorne, embora em alguns capítulos seja possível ver os desdobramentos de berenice após o nascimento da sua filha com farouk.

e por fim temos um novo cenário em babel, completamente diferente – e bem mais estranho do que no polo e em anima. babel soa uma cidade mais rígida, apesar de moderna. diferente do polo e, principalmente de anima, os moradores de babel tem uma certa ambição que intriga quem está de passagem.

também temos a oportunidade de conhecer novas habilidades no universo criado, o que foi bem interessante.

seria esse o favorito da série?

ainda temos um quarto livro pela frente, mas não vejo como christelle dabos conseguiria superar a maravilha que é memória de babel. não é só por conta do desenvolvimento dos personagens, mas porque essa quebra de atmosfera realmente trouxe algo a mais para o enredo.

depois de dois livros no polo, eu estava começando a ficar acostumada com o lugar. essa mudança de ares e todos os perigos e tramas que a autora reservou para o terceiro volume me mantiveram presa a narrativa do começo ao fim. não tem nada melhor do que você saber que vai acontecer alguma coisa, provavelmente terrível, e não ter a menor ideia do que pode ser.

agora fica um pouco em aberto o que vai acontecer a seguir.

as últimas páginas foram emocionantes, com entrega de cenas inesperadas e cenas muito esperadas por quem acompanha a série desde o começo. mas, como sempre, o gancho para o próximo livro deixa o leitor com a dúvida se finalmente vamos descobrir os planos de deus e se os nossos protagonistas vão, finalmente, ter um minuto de paz.

Tags: , , , , ,

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário