Resenhas 21out • 2018

Menina Boa Menina Mápor Ali Land

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Good Me, Bad Me
Gênero do Livro: Thriller, Mistério, Ficção
Editora: Record
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 376
Código ISBN: 9788501109552

Obs: Este livro foi cedido pela editora em parceria para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Os corações das crianças pequenas são órgãos delicados. Um começo cruel neste mundo pode moldá-los de maneiras estranhas Nome novo. Família nova. Eu. Nova. Em folha. A mãe de Annie é uma assassina em série. Um dia, Annie a denuncia para a polícia e ela é presa. Mas longe dos olhos não é longe da cabeça. Os segredos de seu passado não a deixam dormir, mesmo Annie fazendo parte agora de uma nova família e atendendo por um novo nome — Milly. Enquanto um grupo de especialistas prepara Milly para enfrentar a mãe no tribunal, ela precisa confrontar seu passado. E recomeçar. Com certeza, a partir de agora vai poder ser quem quiser... Mas a mãe de Milly é uma assassina em série. E quem sai aos seus não degenera...

Menina Boa, Menina Má é um lançamento desse ano, escrito por Ali Lang. A publicação, que conta com uma belíssima capa, um pouco cintilante e positivamente chamativa, carrega o selo da editora Record. É um atrativo para os olhos, bem de acordo com o conteúdo interno do livro, especialmente para quem gosta de um suspense, um thriller bem dirigido. Curiosamente, o título original do livro tem algo que o aproxima mais da narração, bem direta. A tradução do mesmo parece distanciar da protagonosta, como se alguém deEfora, uma terceira pessoa, tivssse nomeado a história.

Percebi recentemente que meus últimos livros lidos são do gênero, então o clima foi facilmente montado e a leitura fluiu muito. Inclusive. Fluidez é palavra boa para o livro, uma vez que, apesar de o ritmo do texto ser bem estável e – não lento – tranquilo, a trama é carregada de tensão, altos e baixos, bem posicionados. Foi algo que realmente me agradou: o ritmo da narrativa de Ali Lang combina muito com o suspense proposto.

“Os corações das crianças pequenas são órgãos delicados. Um começo cruel neste mundo pode moldá-los de maneiras estranhas.”

Narrativa esta, inclusive, feita em primeira pessoa. Temos Annie, filha de uma enfermeira serial killer que – muito bizarramente – tortura crianças. Estômago embrulhado, tal como proposto pela Ali, autora, a história tem como ponto de partida o dia em que Annie denuncia a própria mãe e precisa viver em um lar adotivo provisoriamente. Nasce, então, Milly, a reinvenção de Annie.

Milly vai parar na casa de Mike, Saskia e Phoebe – um pai adotivo que tenta ajudá-la, a esposa que o trai, mistura remédio com álcool e tem péssima relação com a filha, uma jovem crueldade em pessoa típica de filme adolescente (só que piorada). Família disfuncional, quando Milly só precisava e queria uma família, pais, irmã e carinho. Gente, que loucura! A Phoebe é bizarra, responsável por cenas tensas. Mas, sem spoiler

Milly também tem seus conflitos: a menina, que sofreu abusos terríveis nas mãos da mãe e que definitivamente fez o certo ao denunciar suas maldades, tão cheia de vontade de ser boa nessa nova vida, tem seus momentos de má, também. E o mais interessante é que é tudo bem equilibrado, respeitando uma linearidade que faz sentido na história da personagem. Ela quer muito ser boa, mas as constantes alucinações envolvendo sua mãe parecem atrapalhar.

“Conto até chorar, e de novo até parar, e sei que é errado, mas no meio de tantos números eu começo a sentir a sua falta.”

Gostei muito dos personagens do livro, apesar de estar focando em um núcleo principal aqui. Todos bem construídos, e a narrativa, novamente, me impressionou. Eu fiquei tensa, do início ao fim, com ansiedade em relação ao enredo – e aprecio isso por ser um thriller. Proposta cumprida. Claro, é um livro de enredo cuja temática é forte e bastante cheia de “gatilhos”. Acredito que pessoas sensíveis demais ou com problemas em relação a abusos físicos, psicológicos ou sexuais não devam ler sem antes saberem que o livro passa por esses pontos de forma original.

Foi uma leitura perturbadora que me agradou muito, e que eu realmente recomendo aos apreciadores do gênero ou de enredos bem tramados. A história de Milly vale ser conhecida e Ali Lang a escreveu com maestria. Não é cheio de reviravoltas, tem um final tranquilo (com potencial para ter sido mais, mas…) e cumpre o prometido. Nervoso do início ao fim. Já leu? Diz aí o que achou!

Rafaela Rodrigues ver todos os artigos
Estudante de Letras Port/Inglês/Literaturas, viciada em livros, textos e séries. Português ou inglês? Ah, tá muito ocupada com um desses hobbies pra poder decidir. É prima (bem) distante da Beyoncé e um dia vai ser dona de uma editora e lançar todas as continuações dos livros que gosta, mas que nem os próprios autores quiseram escrever.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

10 Comentários

  • Patrini Viero
    30 out 2018

    Eu ainda não li o livro, mas confesso que ele entrou pra minha lista de desejados assim que vi a capa e li a sinopse. Encaixa direitinho no tipo de literatura que me atrai e eu gosto muito dessa mistura de elementos bizarros que dão complexidade e tensão à trama. Além disso, a dualidade das personagens torna elas muito mais críveis para mim, apesar de as que aparecem aqui serem extremos, em todos os sentidos. Acho que a história tem tudo para ser envolvente do início ao fim, e também uma leitura difícil, carregada de pausas pra respirar.

  • Alice Pereira
    30 out 2018

    Eu estive super curiosa quanto a este livro, a trama me parece muito bem montada. O gênero é raro no meu ambiente de leitura, porém amo livros que perdem tanto o leitor a ponto de lhe tirar emoções. Li algumas resenhas sobre ele (não apontaram os gatilhos, obrigada, aliás) e minha curiosidade apenas aumenta. Espero lê-lo.

  • Lily Viana
    30 out 2018

    Olá!
    Vejo que o livro realmente parece ser bom..Eu já vi esse livro mas não parei para dar uma lida em suas resenhas, essa e a primeira que leio e assim me deixou curiosa por ele.. Tem aquele gênero que estou gostando no momento..Estou ansiosa para ele em breve!

    Meu blog:
    Tempos Literários

  • sarah castro
    23 out 2018

    Eu simplesmente AMO livros de suspense e ainda mais que envolvam o tema de serial killer e tudo mais, eu já tinha ouvido falar do livro, vi o vídeo da Bel a um tempo atrás e sua resenha só confirmou que eu preciso muito ler esse livro, mesmo tendo alguns gatilhos. Só esperando o querido abaixar um tico de preço pois ta difícil ultimamente e essa capa eu achei linda demais. Eu particularmente tenho curiosidade de saber quando o nome do livro bate com a estória. Amei a resenha, é isto

  • Luana Martins
    23 out 2018

    Olá, Rafaela
    Gosto muito de thriller e esse livro esta no top da minha pequena lista.
    Estou muito curiosa para saber o desfecho desse enredo.
    Fiquei com um pouco de dó da Milly que pensou que ia para um lar “perfeito”, que teria uma família para amar e acaba numa família disfuncional.
    Beijos

  • Pamela Liu
    22 out 2018

    Oi Rafaela.
    Esse livro parece bem interessante, mas cheio de gatilhos. Eu, particularmente, não tenho problema em ler livros com temáticas com vários tipos de abuso. Até gosto de livros assim, pois sempre há um novo ponto de vista, um outro questionamento e a questão da empatia que me atraem nesse tipo de leitura.
    E como bônus, adorei a capa do livro rs
    Já vai para a lista de desejados.
    Beijos

  • Kleyse Oliveira
    22 out 2018

    Ciao Rafa!
    Assim que vi a primeira resenha desse livro fiquei curiosa para saber mais do enredo e também a capa mesmo não tendo me agrado me deixou muito mais curiosa.

  • Michelli Prado
    22 out 2018

    Olá Rafa, tudo bem?
    Este é um livro que bem como disse nos fisga por sua capa e até mesmo pelo título. Desde seu lançamento já li muitas resenhas positivas sobre a obra, assim como a sua, o que acaba nos interessando ainda mais pelo livro, apesar de ter essa proposta BEM pesada. Confesso que por este ser um gênero que não leio com tanta frequencia, estiu super ansiosa para poder ler .

  • Angela Cunha
    22 out 2018

    Um dos grandes lançamentos dos últimos tempos. Já nem sei mais quantas resenhas li, mas a maioria é super positiva, o que dá na gente, aquela vontade enorme de ler.
    Gosto de livros que abordem a mente humana e sua infinidade de possibilidades e este livro aborda bem isso. O bem e o mal dentro de cada um.
    Sempre vou levar comigo que o pior sentimento do mundo é a culpa. E a personagem deve carregar uma culpa muito grande por ter entregado a mãe, mas também o peso de viver sem o único amor que ela conhecia, de uma forma totalmente torta.
    Com certeza, o livro já está na lista de desejados!!!
    Beijo

  • Ludyanne Carvalho
    21 out 2018

    Realmente a capa é muito bonita; achei diferente.
    Mas não sou fã de suspense/thrillers e fui ficando agoniada só pela resenha.
    Torturar crianças? Nossa, não teria estômago.
    Dá pra sentir que é uma leitura difícil, pesada e muito confusa.
    Pra quem gosta é uma boa opção.

    Beijos

  • Siga o @laoliphantblogInstagram