Resenhas 31mar • 2019

A Missão Traiçoeirapor Erin Beaty

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: The Traitor's Ruin
Gênero do Livro: Fantasia, Young Adult, Romance
Editora: Seguinte
Ano de Publicação: 2018
2º livro da série O Beijo Traiçoeiro
Número de Páginas: 456
Código ISBN: 9788555340710

Obs: Este livro foi cedido pela editora em parceria para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Sage Fowler abandona seu posto como aprendiz de casamenteira e se envolve em uma nova missão secreta ao lado do capitão Alex Quinn no segundo volume da série O Beijo Traiçoeiro. Depois de se provar uma espiã habilidosa e uma casamenteira estrategista, Sage Fowler passou a ocupar uma posição confortável na alta sociedade, dando aulas para as princesas do reino de Demora. Quando surge a oportunidade de participar de uma nova missão secreta, porém, Sage quer aproveitar a chance para servir ao seu reino mais uma vez — e ficar mais próxima de seu noivo, o capitão Alexander Quinn. Alex não fica nada feliz com a ideia, já que está determinado a proteger a namorada de qualquer perigo. A insistência de Sage em fazer parte da missão faz com que eles se desentendam cada vez mais e, quando um conflito com um reino vizinho resulta em uma tragédia, os dois acabam separados. Para completar a missão de Alex — e a sua própria —, Sage precisará contar com a ajuda de aliados inesperados para sobreviver em um território inimigo e salvar o reino de Demora mais uma vez.

Às vezes eu acho que eu tenho muita sorte de me apaixonar pelos livros certos, sabia? Em geral, eu sempre fico um pouco receosa com continuações, afinal, nem sempre o autor consegue entregar um bom plot e protagonistas bem desenvolvidos, não é mesmo? Graças aos céus, esse não chega a ser o caso de Erin Beaty em A Missão Traiçoeira. Na verdade, eu acho que ela sabia exatamente o caminho que Sage precisava traçar para se tornar a personagem que eu sabia que ela seria desde o começo de O Beijo Traiçoeiro.

A Missão Traiçoeira nos deixa alguns meses depois dos acontecimentos do primeiro livro dessa série e a nossa protagonista, Sage, está muito bem acomodada no castelo como tutora das princesas e com a confiança da família real a seu favor. Ainda assim, nossa protagonista precisa lidar com o fato de que Alex está escondendo um segredo dela e, para completar, a rainha pede a sua ajuda para uma missão que talvez seja tudo o que Sage estava precisando naquele momento.

“- Você precisa ir, Sage, por mim. Estou presa aqui no palácio, costurando, dançando e sorrindo meigamente enquanto tudo o que eu quero é arranhar a cara de alguém.”

Uma das coisas que eu mais gostei em A Missão Traiçoeira foi o desenvolvimento dos personagens ao longo do enredo. No primeiro livro, eu sentia que a Sage não tinha muita confiança nas suas habilidades e que ela ainda estava, de alguma forma, tentando se encontrar. Neste segundo livro, ela já tem uma certeza maior de quem ela é e o papel que ela quer desempenhar na vida dela e, para mim, foi interessante demais encontrar uma protagonista ainda mais determinada do que no primeiro livro.

O enredo de A Missão Traiçoeira se desenvolve muito melhor do que no primeiro livro, eu acho. Talvez por permitir que a gente se aprofundasse ainda mais na personalidade da Sage e em como o relacionamento dela com o Alex ganhou intimidade, apesar dos meses separados. O livro também traz uma série de novos personagens apaixonantes e jogos políticos que deram um ar de mistério e aventura para o enredo de um jeito que só a Erin Beaty conseguiria fazer tão bem.

Eu gostei muito de como a Sage se mostrou uma personagem mais madura e mais determinada do que no primeiro livro. Mesmo quando Alex se recusava a escutar o que ela tinha a dizer, ela sempre encontrava uma maneira de fazer o que queria, da forma que ela achava que era certo. Tudo bem que a sua teimosia ainda a colocava em situações de perigo desnecessária, mas eu gostei muito do fato de ela não deixar que terceiros determinassem se ela era ou não capaz de fazer algo.

“Não sei. – Cass apoiou a cabeça do amigo no ombro, abraçando-o com força enquanto ele chorava. – Mas não é uma fraqueza.”

As conturbações do relacionamento de Sage e Alex foi uma das partes que eu mais gostei de A Missão Traiçoeira. Primeiro, o fato de eles discutirem e não concordarem com muita coisa deu um tom de realidade para o relacionamento e mostrou que a “lua de mel” do primeiro amor finalmente tinha acabado e que se eles quisessem realmente ficar juntos, precisariam aprender a conversar e a ceder em certos aspectos para que aquele relacionamento pudesse funcionar.

Um ponto importante é o fato de que Beaty não coloca Alex em um pedestal e, nesse segundo livro, ela também aproveita a oportunidade para explorar os defeitos e as fraquezas do nosso herói. Isso fez com que o enredo se tornasse ainda mais complexo e profundo para quem estivesse lendo, indo muito além do romance de dois adolescentes e se tornando num meio para que eles percebessem que não bastava apenas o fato deles se amarem muito, eles também precisavam se aceitar e aprender a lidar com a personalidade um do outro.

Preciso dizer que eu estou completamente apaixonada pelos novos personagens e eu gostei demais do papel que eles desempenharam ao longo do enredo. O fato da autora também não investir em um triângulo amoroso foi bastante positivo, porque eu realmente acreditei que, neste segundo livro, ela fosse acabar explorando algo desse tipo com o Ash Carter ou até mesmo o Cass. Ainda bem que isso não aconteceu, não é mesmo?

A Missão Traiçoeira foi uma leitura muito melhor do que eu estava esperando e meu único arrependimento é não ter começado essa leitura assim que ela chegou nas minhas mãos. Minha única preocupação é o que a autora está nos reservando para o próximo livro e se, na Bienal deste ano finalmente vamos ter a oportunidade de conhecê-la pessoalmente. Não seria um sonho se realizando?

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

5 Comentários

  • Angela Cunha
    01 abr 2019

    Mesmo não tendo lido o primeiro livro ainda, acompanhei várias resenhas dele na época do lançamento. E agora, lendo a resenha deste segundo volume, é possível ver nitidamente como a personagem evoluiu. Não apenas se conhecendo mais e com isso, suas habilidades também, mas também como se abriu a novas opiniões, aceitando com isso, mais tudo que lhe foi imposto.
    Com certeza, quero muito poder conferir!!!
    Beijo

  • Elizete Silva
    31 mar 2019

    Olá! Estou doida para ler os livros dessa série, acho as capas muito fofas, outro ponto positivo, é que mesmo os personagens sendo tão novos, eles parecem possuir uma personalidade bem bacana, fico bem feliz que esse segundo volume tenha sido melhor que o primeiro, pois demonstra que a série é realmente muito boa.

  • Luana Martins
    31 mar 2019

    Oi, Débora
    Namoro essa série desde a primeira resenha que li sobre O Beijo Traiçoeiro.
    Fico feliz em saber que no segundo livro a autora superou suas expectativas e nos levou longe das marcas ruins que gira em torno dos segundo livro de uma série.
    Gostei muito do enredo do livro e adorei o quote em que a rainha pede que Sage vá nessa missão, estou muito curiosa para mais detalhes do livro.
    Quero muito ler, beijos!

  • Tereza Cristina Machado
    31 mar 2019

    Se não fosse as resenhas eu nem ia saber que a série existe, parece uma trama cheia de segredos a ser desvendados e que bom que há um amadurecimento da personagem de um livro pro outro, que porque a vida real também é assim né?! rs!
    Queria uma bienal também, mesmo sem autora hahahaha mas moro tão longe rs!

  • Iêda Cavalcante
    31 mar 2019

    Oiee!
    Não conhecia essa série, na verdade tudo o que sei sobre ela é a capa do primeiro livro e nada mais rsrs
    Como não li os anteriores não tenho muito o que falar, apenas que é bem legal quando o final de sai melhor que o começo, e isso é bem difícil de acontecer.
    Quem sabe eu me entregue a série.
    Bjs!

  • Siga o @laoliphantblogInstagram