Resenhas 18fev • 2019

Moxie: Quando as garotas vão à lutapor Jennifer Mathieu

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Moxie
Gênero do Livro: Young Adult, Contemporâneo, Feminismo
Editora: Verus
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 288
Código ISBN: 9788576866824

Obs: Este livro foi cedido pela editora em parceria para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Vivian Carter está cansada. Cansada da direção da escola, que nunca acha que os jogadores do time de futebol estão errados. Cansada das regras de vestuário machistas, do assédio nos corredores e dos comentários babacas dos caras durante a aula. Mas, acima de tudo, Viv está cansada de sempre seguir as regras. A mãe de Viv era dura na queda, integrante das Riot Grrrls nos anos 90. Inspirada por essas histórias, Viv pega uma página do passado da mãe e cria um fanzine feminista que distribui anonimamente para as colegas da escola. É só um jeito de desabafar, mas as garotas reagem. Logo Viv está fazendo amizade com meninas com quem nunca imaginou se relacionar. E então ela percebe que o que começou não é nada menos que uma revolução feminista no colégio.

Eu tenho certeza que eu não preciso falar para vocês que de tempos para cá, assuntos relacionados ao feminismo tem se tornado cada vez mais importantes, e consequentemente mais controversos. Mas por incrível que pareça, apesar de que os livros que eu costumo ler terem a sua grande quantidade de personagens femininas fortes e independentes, eu nunca tinha lido um livro que tratasse diretamente desse tipo de assunto. Então eu fiquei muito feliz quando a oportunidade de realizar a leitura de Moxie: Quando as Garotas vão à Luta apareceu.

Moxie: Quando as Garotas vão à Luta conta a história de Vivian, uma adolescente vivendo em uma cidade pequena, que está cansada das injustiças que fazem parte da sua vida escolar. Regras de vestuários machistas, colegas de classe que fazem piadas babacas e a administração que nunca faz nada para ajudar. Inspirada no passado de sua mãe como integrante das Riot Grrrls,Vivian decide que precisa fazer alguma coisa e cria uma fanzine feminista e distribui anonimamente para as colegas de classe. O que começa como uma forma de desabafar se torna um verdadeiro movimento unindo as garotas da escola.

Porque eu acredito de corpo e alma que garotas constituem uma força revolucionária que pode, e vai, mudar o mundo.

Sendo homem, e isso é algo que é mencionado nos livros, eu não tenho como me identificar completamente com os problemas e as dores que Vivian e as outras personagens de Moxie: Quando as Garotas vão à Luta sentem, mas isso não quer dizer que eu não possa me emocionar com a história. É impossível ler Moxie: Quando as Garotas vão à Luta e não ficar simplesmente ultrajado com as situações que as meninas precisam aturar nessa escola. E é pior ainda saber que esse tipo de coisa acontece todo dia com mulheres e meninas na vida real.

Vivian é uma excelente protagonista. O mais interessante pra mim foi acompanhar o conflito interno que ela passa quando decide criar a Moxie. Apesar de saber que é necessário se rebelar contra as injustiças que acontecem na escola, ela ainda sente medo das repercussões que isso pode trazem. E ao longo do livro, vemos como ela se torna uma jovem mais forte e confiante, principalmente pelo apoio que sente das meninas da escola, resultado da criação da Moxie.

As amizades dela com as colegas de classe se torna cada vez mais forte, e nós vamos conhecendo cada vez mais cada uma delas. As amizades dela com Claudia, Lucy e as outras garotas do colégio são com certeza a base emocional do livro. Mais de uma vez a Vivian fala sobre o quanto é empoderador poder contar com o apoio de suas amigas, e esse é provavelmente o tema mais importante do livro, como a amizade e o companheirismo entre mulheres é importante.

“Eu sei que nem todos os homens são babacas” eu digo para ele. ” Eu sei disso. Mas a coisa é que, quando existem tantos caras babacas a sua volta, é meio difícil se lembrar disso.”

Um ponto em que o livro perde alguns pontos comigo é no relacionamento de Vivian com o garoto novo, Seth. Apesar de terem vários momentos legais, o romance dos dois simplesmente não é tão interessante assim. Era inevitável para mim, quando chegava em uma parte focada nos dois, querer que o livro voltasse para o que estava acontecendo no colégio. Talvez isso seja uma questão de gosto, porque eu tenho muito pouco interesse em romance, mas não funcionou muito bem pra mim.

Mas uma coisa que o relacionamento de Vivian e Seth faz bem é mostrar que, apesar de ser sensível, inteligente e aparentemente o garoto perfeito, Seth ainda é capaz de propagar pensamentos e atitudes machistas, mesmo que sem intenção. O livro faz um ótimo trabalho mostrando como Seth não é 100% capaz de entender o que Vivian e as outras meninas do colégio vivem porque ele é homem, e tem privilégios que elas não tem. E Seth, apesar de inicialmente não concordar com isso, eventualmente ele vê o ponto de vista dela e eles resolvem tudo no diálogo. Olha que coisa saudável e diferente para um YA!

E não posso concluir essa resenha sem ressaltar o quanto a escrita da Jennifer Mathieu é incrível. Ela consegue não só passar todas as emoções e pensamentos de uma adolescente passando por uma situação complicada, como consegue retratar assuntos extremamente pesados sem tornar a leitura cansativa ou difícil para o leitor. Moxie: Quando as Garotas vão à Luta é uma história que poderia facilmente se tornar muito fatigante para o leitor mas ela consegue contornar isso, e entregar uma história envolvente e emocionante.

Moxie: Quando as Garotas vão à Luta é uma leitura importante no mundo em que vivemos. Os temas são extremamente atuais e relevantes, e é sempre bom ver um livro voltado para um público jovem tratando de assuntos como feminismo e sororidade. Moxie: Quando as Garotas vão à Luta também acerta levantando a ideia de que ninguém nasce desconstruídos e todos nós ainda temos muito em que aprender quando se trata de empatia e solidariedade ao próximo. Principalmente nos dias em que vivemos.

Vinicius Fagundes ver todos os artigos
24 anos. Formado em Publicidade e Propaganda. Viciado em histórias. Desconhecido mundialmente.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

6 Comentários

  • […] por aqui nós temos toda essa “girl power” vibe, não é mesmo? Por isso, eu escolhi trazer para vocês a caixa de Moxie, do Turista Literário. Além de Moxie ser uma leitura maravilhosa, você vai receber em casa […]

  • […] Para tal é importante que a pessoa se proponha a analisar a sociedade e o meio em que vive, busque instrução e se aprofunde nos debates de gênero. Há uma idéia muito errada de que basta ser mulher para se reconhecer feminista. Crescemos em uma […]

  • Alison de Jesus
    19 fev 2019

    Olá Vinicius!
    Tramas envolvendo os clichés do ensino médio são bastante recorrentes na literatura, porém nesta obra Mathieu usa o conceito ao seu favor e entrega aos leitores uma obra clara, ácida, realista e deliciosamente viciante. A caracterização de Vivian, bem como o grupo que a personagem cria na escola me lembraram vagamente do clube do livro que Sabrina Spellman inicia em Chilling Adventures Of Sabrina, sendo que ambas conseguem transmitir exatamente a frustração que as levaram a tomar uma atitude frente o comportamento ao qual eram sujeitas no colégio. Enfim, a obra como um todo cumpre claramente seu objetivo ao tornar evidente as situações machistas que as mulheres enfrentam, evidenciando que homem nenhum, por mais sensato que seja, irá entender completamente.
    Beijos.

  • Maira Schein
    19 fev 2019

    Esse livro já tá na minha listinha de “para ler” há muito tempo e fico muito feliz por ele ter sido lançado no Brasil. Esses livros que trazem a temática feminista são tão importantes, ainda mais para o público mais jovem. É uma conversa que eu gostaria de ter visto mais na época da minha adolescência e é ótimo ver que as meninas e os meninos de hoje em dia já tem esse contato através de livros tão legais como esse parece ser.

  • Angela Cunha
    18 fev 2019

    Também faço parte do time que anda adorando essa gama de livros e filmes que trazem essa luta, antes silenciosa, agora gritante de muitas mulheres.
    Sejam livros baseados na vida de mulheres de “verdade”, ou trazendo personagens como Moxie, que terão que aprender a lutar sim, não somente por si mesmas, mas também por todas.
    Aliás, o feminismo não é isso? Esse abraçar todas as mulheres e as colocar no ringue juntas??
    Por isso, adorei tudo que li acima e com certeza, o livro vai para a lista dos mais desejados!!!
    Beijo

  • Lorenna Caoly
    18 fev 2019

    Como é importante que os livros atuais de Young Adult foquem no Feminismo com uma importante ferramenta de empoderamento Feminino. Chega de livro com assédio e machismo. As meninas-mulheres precisam de uma literatura focada no que realmente importa que é se reconhecer como dona de si.

  • Siga o @laoliphantblogInstagram