livros
Categoria(s): livros

O duque que eu conquistei, de Scarlett Peckham

de Scarlett Peckham
Título Original: The Duke I Tempted
Gênero do Livro: Romance Histórico, Regencia, Erótico
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2020
Número de Páginas: 288
Série: Os Segredos De Charlotte Street
Código ISBN: 9788580418682
Sinopse: Depois de superar a ruína financeira, redimir o nome de sua família e se tornar o mais lendário investidor de Londres, o duque de Westmead precisa garantir a continuidade de seu título e de sua fortuna. A única forma de fazer isso é gerar um herdeiro. Para isso ele tem que arranjar uma esposa que não interfira nos anseios sombrios que ele satisfaz na calada da noite nem faça exigências ao seu coração trancado para o amor. Poppy Cavendish, a ambiciosa florista contratada pela irmã de Westmead para decorar seu salão de baile, não é esse tipo de mulher. Ela sempre lutou contra as convenções sociais para manter a própria independência e, por isso, o matrimônio nunca esteve em seus planos. Mas agora Poppy precisa de capital para expandir seu negócio de plantas exóticas. E a atração que sente pelo duque é tão irresistível que, quando um escândalo acidental torna o casamento com ele o único meio de salvar seu ganha-pão, ela teme querer mais do que o título que ele oferece.

resenha-o-duque-que-eu-conquistei-de-scarlett-peckham-imagem

Talvez você ainda não saiba disso, mas a Scarlett Peckham é relativamente nova no mercado dos romances de época. O duque que eu conquistei foi o seu primeiro livro publicado, sendo parte de uma trilogia extremamente sedutora e completamente diferente de tudo o que você provavelmente já leu de romances de época.

Esqueça Julia Quinn, Sarah Maclean ou Tessa Dare.

Scarlett Peckham chega ao brasil com Os Segredos de Charlotte Street pela editora Arqueiro e uma proposta ousada para os seus romances.

Você está preparada para entrar de cabeça no submundo de prazer que é Charlotte Street? Eu, confesso, não estava.

Um herói submisso

O primeiro livro dessa trilogia maravilhosa nos apresenta ao duque de Westmead. Um homem atormentado pelo seu passado devastador que, como todo o aristocrata responsável, precisa produzir um herdeiro que dê continuidade ao seu legado.

Infelizmente, os requisitos para ocupar o cargo de duquesa são um pouco complicados. Westmead precisa de uma mulher que não questione suas atividades noturnas e, principalmente, não esteja procurando uma união que inclua amor.

O que mais me atraiu no nosso herói foram as atividades clandestinas. 

No começo do livro fica um pouco difícil de entender a natureza do que Westmead realmente faz em Charlotte Street. 

Nós sabemos que tem uma chave envolvida e muito cuidado para não ser descoberto, mas é só quando ele começa a apresentar certos tipos de comportamento, é que fica claro o que é que ele realmente está buscando.

Poppy é uma força da natureza

Eu sou completamente apaixonada pelo poder que o romance de época tem de dar vida a personagens femininas empoderadas que, mesmo quando a sociedade faz um esforço enorme para privá-las de seus sonhos, ainda assim elas encontram um jeito.

Um dos pontos que mais me atraiu nela como protagonista foi o fato de, apesar da atração por Westmead ser muito forte, ela não estava disposta a abrir mão dos seus sonhos ambiciosos e nem a arriscar a sua reputação por uma noite de prazer.

O que faz poppy a mulher perfeita para o nosso duque é o fato de ela ser uma dominadora por natureza. 

Ela gosta de estar no controle da situação, de ser a pessoa que dá as ordem e que tem os seus desejos realizados. Por isso, e também outros motivos, casamento sempre soou como um problema, muito mais do que uma solução.

Geralmente, nos romances de época, é necessário que os personagens abram mão daquilo que desejam para ficarem juntos, mas nesse primeiro livro, nossos protagonistas conseguiram tudo e eu amei como a autora conseguiu fazer isso acontecer.

Uma nova proposta de romance de época

Quando eu peguei esse livro pela primeira vez, confesso que não esperava um enredo que girasse em torno de uma casa de BDSM.

Me surpreendeu e me chocou, mas de uma forma positiva.

A Peckham leva o fator “explorar sua sexualidade” em um outro nível em O duque que eu conquistei — e acredito que na série toda também. Você não só tem uma heroína no controle de tudo, como você tem um herói que, geralmente é colocado em uma posição de poder, cedendo aos desejos de sua amada.

E isso é feito de uma maneira muito sedutora e, ao mesmo tempo, com muito cuidado.

Pra mim, a autora conseguiu encontrar um equilíbrio perfeito entre as cenas de sexo e a construção do romance entre os personagens, simplesmente porque um não conseguia existir sem o outro no livro.

Scarlett Peckham tem uma escrita impecável

Não foi difícil me envolver com a história destes dois personagens e me apaixonar por eles a medida que eles se apaixonavam um pelo outro. Peckham conseguiu me entregar um romance bastante genuíno entre pessoas machucadas pelo passo que conseguiram encontrar um futuro juntas.

Os diálogos são muito bem construídos e a dinâmica de dominação entre os personagens fica em evidência mesmo nas cenas onde eles só estão em uma discussão muito calorosa sobre quem está certo ou errado (geralmente a Poppy tá certa).

Eu gostei muito do cuidado que ela teve para começar a amarrar a nossa trilogia desde o primeiro livro, nos deixando conhecer alguns personagens que serão apresentados de maneira mais profunda nos volumes seguintes. Inclusive, ansiosa demais para O Conde que eu Arruinei.

Embora o enredo tenha algumas falhas de continuidade e questões que ficaram em aberto ou não tiveram consequências, a minha primeira leitura de Scarllet Peckham foi, num geral, fantástica. 

Gostou? Compartilhe!pinterest twitter facebook
Débora Costa

Uma intelectual contemporânea que entende a importância da convergência de mídias, telas e narrativas. Acompanhando mais séries do que deveria e não consigo fazer uma coisa de cada vez. Ainda quero escrever um romance de época um dia.

Deixe seu comentário

  1. Miranda Telles comentou:

    Eu amei demais conhecer essa série! O respeito do duque pelo trabalho da Poppy e a forma como ela não abre mão dos seus sonhos, uma mulher muito à frente do seu tempo, me encantaram muito!

  2. Júlia Abal Victorino comentou:

    Esse livro foi uma surpresa muito gostosa e a Scarlett vem se tornando uma das minhas auroras preferidas no gênero. É interessante o mistério que ela cria ao redor de Charlotte Street, levando segredos a serem revelados em outros volumes da série (quero muito um livro sobre a Elena, ela é uma personagem muito interessante e misteriosa, daria uma ótima protagonista).

  3. Angela Cunha Gabriel/O Vazio na flor comentou:

    Já estava passando da hora do gênero ganhar novos nomes e pelo que li, Scarlett tem feito isso com maestria!
    Por ser um primeiro livro, ela abriu a saga com chave de ouro e isso é de fazer os olhos brilharem.
    Motivos não faltam para que eu deseje ler!
    Beijo