Resenhas 19abr • 2018

Uma Proposta e Nada Maispor Mary Balogh

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: The Proposal
Gênero do Livro: Romance histórico, Ficção
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2018
1º livro da série Clube dos Sobreviventes
Número de Páginas: 272
Código ISBN: 9788580418170

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela. Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa. Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre.

Existe uma squad de autoras de romance de época que eu amo de paixão e Mary Balogh, definitivamente faz parte desse time incomparável de escritoras. Sua nova série, Clube dos Sobreviventes, chegou aos leitores brasileiros para mostrar que ela não é só uma escritora maravilhosa, mas também é capaz de criar os enredos mais interessantes e os melhores diálogos que uma apaixonada por romances de época como eu poderia querer. Uma Proposta e Nada Mais é o primeiro livro desta nova série e seus personagens não deixam a desejar. Com um enredo criativo e personagens inteligentes, este novo romance de Mary Balogh vai ser a melhor leitura que vocês poderiam colocar na estante.

Clube dos Sobreviventes me lembrou bastante de O Clube dos Canalhas, da Sarah Maclean, exceto pelo fato de que neste caso não temos uma casa de jogos, mas sim um grupo de pessoas unidas pela dor. Podemos esperar personagens atormentados de dor, culpa ou até mesmo arrependimento, tudo o que compõe um bom romance de época e revela heróis e heroínas ainda mais interessantes. No caso de Uma Proposta e Nada Mais, primeiro livro da série, conhecemos Gwen e Hugo, dois personagens que perderam muito ao longo da vida e que buscam uma forma de continuar com suas vidas solitárias.

“- Todos nós precisamos ser amados, Gwendoline, de uma forma plena e incondicional.Mesmo quando carregamos o fardo da culpa e acreditamos não merecer amor. “

Quando eu li a sinopse de Uma Proposta e Nada Mais, eu realmente achei que iria entrar num livro bastante mórbido e cheio de personagens tristes, mas eu me esqueço que estamos falando de Mary Balogh, a mesma mulher que criou o carrancudo duque de Bewcastle e, ao contrário do que eu esperava, Balogh me convidou para um universo de personagens inteligentes e diálogos que me prenderam até a última página. Sua escrita está ainda melhor do que na sua primeira série publicada aqui, Os Bedwyns. A forma como o enredo se desenvolve é maravilhosa e, eu fiquei muito feliz de perceber que a autora não poupou capítulos para dar profundidade aos seus personagens principais.

Eu estou particularmente apaixonada por Gwen. Eu sei que em romances de época, nós normalmente gostamos de heroínas que são impulsivas ou românticas apaixonadas, mas Gwen tem uma personalidade racional interessante, que foi me conquistando aos poucos ao longo do livro. Eu gosto muito do fato de ela tomar decisões pensadas, de ter sempre certeza do que quer e nunca se arrepender. De todas as heroínas de romances que eu li até hoje, essa foi a primeira personagem realmente madura e disposta a considerar os dois lados da balança na certeza de tomar a decisão correta, e eu adorei essa personalidade dela.

Hugo, por outro lado, foi um personagem bem mais complexo do que eu imaginava. Ele carrega as dores de alguém que lutou numa guerra muito sangrenta e que viu muitos dos seus homens morrerem. Embora ele não tenha perdido nenhuma pessoa próxima, ele carrega nos ombros a decisão que causou a morte de muitos soldados e, embora as pessoas o considerem um herói, ele não consegue se ver dessa forma. Eu gostei muito de Balogh não tenha tratado a personalidade dele como algo superficial e nos tenha dado a chance de conhecer a fundo o homem por trás do “herói de guerra”. Uma vez que você entende Hugo como personagem, não se apaixonar por ele fica impossível.

“- A senhora não é, de forma alguma, o tipo de mulher que busco para ser minhas esposa – disse ele. – E faço parte de um universo muito diferente do marido que espera encontrar. Mesmo assim, sinto um poderoso desejo de beijá-la.”

O que eu mais gostei no romance de Uma Proposta e Nada Mais é que os personagens não ficam naquele jogo insano de negar a atração que sentem um pelo outro. Pelo contrário, logo quando se envolvem, Hugo e Gwen tem consciência do sentimento que está nascendo entre eles, mas o que os faz dar um passo de cada vez é o fato de virem de mundos completamente diferentes. Apesar de ser um lord, Hugo é filho de comerciantes e não teve a educação da alta sociedade, ao contrário de Gwen, que foi criada como uma verdadeira dama.

Eu gostei muito da forma como ambos escolheram lidar com seus sentimentos. Apesar de estarem loucamente apaixonados um pelo outros, Hugo e Gwen são pessoas racionais e preocupadas com o próprio coração e, por isso, eles se deram a chance de se conhecerem melhor, de cada um ter a oportunidade de explorar o mundo do outro, para então eles decidirem se valeria a pena arriscar tudo o que tinham construído até então para ficarem juntos. E quando a decisão final é tomada, você tem certeza de que eles fizeram a escolha certa por saberem balancear tão bem a razão e o coração.

“E assim, decisões de grande importância eram tomadas, pensou ela. De forma impulsiva, sem devida consideração. Com o coração, em vez de usar a cabeça. A parti de um impulso sem levar em conta uma vida inteira de experiência e moralidade.”

Mary Balogh simplesmente ganhou o meu coração com esse livro, sério. E eu não costumo gostar muito de primeiros livros, sabe? Talvez o enredo de Uma Proposta e Nada Mais não agrade todos os leitores por causa desse cuidado racional que Balogh colocou no enredo, mas eu acho que estava mais do que na hora de a gente fugir um pouco daquele enredo engessado que nós já conhecemos. Eu, particularmente, mal posso esperar para os próximos livros serem lançados no Brasil. Eu sinto que essa série ainda promete romances maravilhosos.

E se você já leu Uma Proposta e Nada Mais, conta para mim o que achou aqui nos comentários da resenha, tá?!

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

9 Comentários

  • Ana I. J. Mercury
    30 abr 2018

    Essa é a segunda resenha desse livro que leio e ameeeei demais!
    Eu estava na dúvida entre lê-lo ou não, porque não sou muito chegada em romances de época.
    Mas a história de Gwen e Hugo me cativou de primeira!
    Eles parecem ser muito fofos e lindos juntos, além de terem uma história de muita dor e perdas, imagino como devem ter precisado um do outro para recomeçar.
    Quero muito ler!
    bjs

  • Iêda Cavalcante
    26 abr 2018

    Oiee!
    Sou louca para ler os livros da Mary, porém ainda não tive oportunidade, essa série tem sido muito bem falada e se eu já estava animada, agora depois dessa resenha, fiquei em êxtase para me jogar nessa leitura. Espero que Mary atenda minhas expectativas e se torne mais uma autora queridinha dos belos romances de época.
    Bjokas!

  • Vitória Pantielly
    19 abr 2018

    Oi Débora,
    Amo romances de época, e claro que estou babando nesse desde o lançamento… Sabe o que mais me surpreendeu? Como os personagens já são maduros, ja passaram por situações complicadas, normalmente esse gênero de livros sempre trazem casais descobrindo a vida, o amor, e nesse não, por mais que os dois sejam bem opostos e claro que deve ter tido aquelas briguinhas que a gente ama, os dois já passaram por muita coisa e amadureceram!
    Hugo parece apaixonante, imagina esse homem procurando uma esposa? Rsrs! Claro que irei ler.
    Bj

  • Theresa Cavalcanti
    19 abr 2018

    Eu via todo mundo falando desse livro, mas nunca tive o interesse em ir procurar coisas sobre ele. Mas lendo a resenha eu já fiquei louca para ler. Acho a capa muito lindo <3

  • suzana cariri
    19 abr 2018

    Oi!
    Quero muito ler esse livro da Mary Balogh, já li alguns livros da serie Os Bedwyns, mas ainda não terminei, achei interessante temos esse personagens ligados pela dor e um tema interessante de ser abordado o que acaba criando um certo mistério, gostei de saber que não temos uma historia sofrida, mas que nos conquista, com certeza irei ler !!

  • Kleyse Oliveira
    19 abr 2018

    Bom dia Débora!

    Eu ainda não li ele pois não tenho o livro, mas estou querendo comprar futuramente para ler, já li ótimas resenhas sobre a história e mesmo a capa não me agradando muito (sim ,sou meio chata com capas de livros.), fiquei muito interessada em ler.

  • Pamela Liu
    19 abr 2018

    Oi Débora.
    Eu só li um livro da autora e confesso que não gostei da escrita. Então fiquei bem feliz quando você apontou que a autora evoluiu a escrita.
    Os personagens parecem ótimos.
    Eu adoro as personagens femininas impulsivas e sem papas na língua, mas também gostei bastante da personalidade de Gwen. Ela parece bem madura, sensata e parece considerar bastante os prós e contras antes de tomar uma decisão.
    Hugo parece um personagem bem interessante também. Fiquei bem curiosa par saber mais sobre seu passado.
    Espero gostar da leitura.
    Beijos

  • Daiane Araújo
    19 abr 2018

    Oi, Débora.

    Acho que após a Gwendoline sofrer essa terrível perda, ela finalmente teve a chance de recomeçar e ser feliz novamente, ao lado do Hugo, que também tem sua vida envolta de momentos bem difíceis.

  • Lili Aragão
    19 abr 2018

    Você disse na resenha que personagens marcados por dor, culpa ou arrependimento revelam-se ainda mais interessantes e eu não poderia concordar mais e assim tô com boas expectativas pra essa série, e tua resenha me animou ainda mais pra lê-la. O fato dos personagens serem mais racionais e maduros, dando um passo de cada vez no romance é bem positivo e espero poder ler essa história logo logo 😉

  • O Usuário laoliphantblog não existe ou é uma conta privada.