14jun • 2020

O Que Acontece em Londrespor Julia Quinn

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: What Happens in London
Gênero do Livro: Romance, Romance Histórico, Regência
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2020
2º livro da série Trilogia Bevelstoke
Número de Páginas: 288
Código ISBN: 9788530601362

Comprar: Amazon

Sinopse: Quando dizem a Olivia Bevelstoke que seu novo vizinho pode ter matado sua noiva, ela não acredita nem por um segundo, mas, ainda assim, como ela pode ajudar a espioná-lo, só para ter certeza? Então, ela ocupa um lugar perto da janela do quarto, escondida de maneira inteligente por cortinas, relógios e espera ... e descobre um homem muito intrigante, que definitivamente está tramando algo.Sir Harry Valentine trabalha para o ramo chato do Departamento de Guerra, traduzindo documentos vitais para a segurança nacional. Ele não é um espião, mas já recebeu todo o treinamento e, quando uma loira linda começa a observá-lo pela janela, ele imediatamente suspeita. Mas justamente quando ele decide que ela não passa de uma debutante irritantemente intrometida, ele descobre que ela pode estar noiva de um príncipe estrangeiro, que pode estar conspirando contra a Inglaterra. E quando Harry é espionado por Olivia, ele descobre que pode estar se apaixonando por ela ...

 

resenha-que-acontece-em-londres-julia-quinn

Eu gostei muito de ler O que Acontece em Londres.

Preciso dizer isso de uma vez porque pode ser que as criticas que eu vou ao livro a seguir, façam vocês pensarem que eu não gostei da história ou que a trilogia Bevelstoke é ruim.

Não é o caso, eu juro.

O que Acontece em Londres era o meu livro mais esperado dessa trilogia. Eu amei a Olivia Bevelstoke no primeiro livro, ela foi – definitivamente – o alivio cômico da história. Infelizmente, embora o segundo livro tenha sido divertido de ler, algumas pontas soltas e personagens ausentes me incomodaram bastante.

Julia Quinn tem um ponto forte: os diálogos.

É impossível você ler um livro dela e não passar mal de tanto rir com as suas heroínas de língua afiada e personalidade exótica. Embora o foco seja sempre o romance entre a mocinha e o herói, Quinn sempre reserva uma boa dose de humor para os seus leitores, entregando respostas atravessadas e deboches que deixam a leitura mais leve e gostosa.

O problema é que ela gosta muito de desaparecer com os personagens que ela cria.

“(…) tenho certeza de que a senhorita já sabe que nunca se deve confiar em um cavalheiro que se diz confiável.”

Por exemplo, no primeiro livro conhecemos um pouco sobre os pais da Olivia e seu irmão gêmeo, Winston. No segundo livro, no entanto, não vemos quase nada de ambos os personagens. Os pais da Olivia sumiram completamente do enredo e seu irmão gêmeo fez pequenas aparições, mas nada que fizesse você lembrar de sua existência.

Não é um pouco estranho que ela passe parte do livro conversando com Harry pela janela e os pais dela não percebam isso? Ou que ela venha recebendo muitas visitas do Baronete e não seja questionada por absolutamente ninguém sobre as intenções dele?

Estas são apenas algumas lacunas que a autora deixou na história. No vlog de leitura (final do post) eu comento mais alguns personagens que desapareceram ou não receberam as menções que mereciam na história.

 

O romance foi outro ponto que eu senti que a Julia Quinn pecou bastante.

O começo foi bem promissor, sabe? A Olivia começa a espionar o Harry para tentar descobrir mais sobre ele, porém, tudo acontece tão rápido que algumas páginas seguintes eles estão completamente envolvidos mesmo que nenhum dos dois tenha admitido isso ainda.

Existe química. Eu não consigo imaginar o Harry e a Olívia com outras pessoas, mas ao mesmo tempo eu queria ter visto esse romance desabrochar com mais calma. Queria mais conversas e mais deboches antes de eles finalmente se declararem.

O pedido de casamento, no entanto, foi lindo demais viu?

“- Eu daria minha vida por ela – disse Harry.
– Daria mesmo? – perguntou ela, em tom humilde, esperançado e entusiasmado – Oh, Harry eu…
– Silêncio – disse ele – Estou falando com seu pai”

Meu maior problema com os livros da Julia Quinn é esse: ela corre uma maratona com a história. O que Acontece em Londres tinha personagens maravilhosos, como o Príncipe Russo que deu todo um toque diferente para o enredo. O problema é que plot twist claramente não é o forte de Julia e o vilão acabou virando o “mocinho” e tudo que foi construído até os últimos capítulos foi jogado fora simplesmente porque sim.

Não sei como é para vocês, mas isso me deixa muito frustrada com o livro e com o autor.

O que Acontece em Londres foi uma leitura divertida. A Olivia era tudo o que eu esperava e a sua história de amor teve todo o seu jeitinho mandão e conspiratório. De novo, eu sei que parece que eu não gostei do livro, mas na verdade eu gostei sim. Infelizmente, eu não posso ignorar as falhas do enredo porque eu ri muito do Harry alimentando a fantasia da Olivia de que ele tinha assassinado uma noiva.

Tags: , ,

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

9 Comentários

  • […] humor de Dez Coisas que Amo em Você é muito melhor do que o dos seus antecessores. Sebastian Grey é um libertino debochado, não se importa muito se vai ou não herdar um título e […]

  • GISLAINE LOPES
    junho 24, 2020

    Oi Débora,
    Sabe que nem sempre fico empolgada com o segundo livro de uma série, pois a maioria dos autores perde um pouco o ritmo, mas acho que em O que acontece em Londres ocorre o oposto e isso já percebi é uma característica da autora. Já vi que Olivia é um entretenimento e tanto, ela parece ter uma personalidade cativante, determinada e divertida, o que sem dúvida contribui muito para o enredo. Por isso, concordo com você sobre os diálogos que a Julia Quinn cria, pois sempre são divertidos e criam um ritmo muito bom de leitura. Acho que um dos maiores problemas das histórias da autora é que ela foca demais no romance, faz o enredo girar, somente, em torno dos protagonistas e tudo ao redor tem pouco destaque ou nenhum. Em um romance contemporâneo isso não é um problema, mas em romances de época se espera mais envolvimento de outros personagens, como a família por exemplo, principalmente pelos costumes da época onde uma mulher jamais poderia ficar sozinha com um homem. Apesar de todos os pontos negativos, para mim é impossível não sentir vontade de ler as obras da autora e se o livro promete algumas risadas, com certeza, farei a leitura.

  • Aline Teixeira
    junho 22, 2020

    Olá Débora!
    Eu adoro os livros da Julia, mas por ser uma iniciante no universo dos romances de época nunca notei essas falhas da autora que muitos estão mencionando ultimamente. Essa história deve ser muito cômica dadas as circunstâncias que os personagens começam a interagir, e pelo fato da Olivia ser bem engraçada e espontânea. Realmente os diálogos da autora são memoráveis, mas essa falta de supervisão dos pais foi um erro bem grave. Acho que os romances de época deveriam ser um pouco mais extensos, pois com mais de 300 páginas daria para trabalhar bem a história e os personagens secundários.
    Beijos

  • Elizete Silva
    junho 16, 2020

    Olá! Para mim esse é bem mais divertido que o livro anterior, mas também senti falta de personagens ( e porque não de outros dois livros!) como a Miranda, o irmão gêmeo e os pais da Olivia, e mais desenvolvimento no relacionamento do Harry com seu irmão (#chateada), o final mesmo com todo aquele mistério e pitada de ação, acabou ficando um pouco corrido, mas definitivamente Olivia e Harry são perfeitos um para o outro, e essas capas são tão lindas, tenho certeza que você vai gostar do próximo que é o meu favorito!

  • Alison Teixeira
    junho 15, 2020

    Olá Débora!
    Eu tinha lido tantas resenhas positivas sobre esse segundo volume da trilogia que já estava praticamente convicto que era o melhor e mais querido dos leitores. E tem tudo que a gente gosta, né? Uma protagonista debochada e meio doida e muitos diálogos com bom humor.
    Mas realmente…parece que os pais da protagonista foram sequestrados e nem ela mesma sabe disso. Talvez por focar em outros aspectos, a autora acaba se perdendo no hora de selecionar o que interligar entre os livros e o resultado final, para os mais exigentes, não fica tão satisfatório.
    Mas quem procura um livro pra se divertir do começo ao fim talvez não ligue muito pra isso, nem pra essa questão de as coisas acontecerem rápido demais (quem lê bastante o gênero já deve estar acostumado com isso).
    Beijos.

  • Amanda Almeida
    junho 15, 2020

    Quem não concorda que os diálogos são o ponto forte da Júlia? Eu também amo rir com as conversas que ela traz! Acho que já comentei aqui no blog que não me recordo da autora sumir com os personagens assim, se sumiu, pra mim é porquê não era relevante e eu acabo ignorando haha! Vou passar a reparar mais nisso nas minhas próximas leituras dela. Mas, realmente, em um romance de época as intenções do cara com tantas visitas deveriam mesmo ser questionadas pelos pais. Fiquei com muita vontade de ler o livro, apesar de parecer que eu já sei de praticamente tudo por causa de pequenos spoilers (como, por exemplo, o vilão que no fim não é um vilão mesmo).

    Beijos,
    Amanda Almeida

  • Angela Cunha
    junho 15, 2020

    Admito que estou com muita vontade ler essa trilogia da autora. Apesar de não ter lido tantos livros da Júlia, ela é sem sombra de dúvidas, a Rainha dos romances de época e essa trilogia vem sendo muito elogiada.
    Sem contar a beleza das capas, a autora mais uma vez, traz personagens nada comuns e sim, o ponto alto dela sempre foram os diálogos e essa pitada generosa de bom humor.
    Eu amo muito tudo isso.
    Não sei se vou gostar, mas preciso muito ler!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

  • Thaís Cristina Marcelino
    junho 14, 2020

    Também não gosto muito quando o autor não dá a devida atenção aos antagonistas da história, pois querendo ou não eles fazem parte do enredo e desvalorizando eles está perdendo um pouco da trama, pois quanto mais sabemos sobre eles, mais a história fica emocionante e que faz com que entendamos os parâmetros nela narrados. Já li livros em que os personagens “desaparecem” na história, ou que só há algumas aparições e isso peça muito, pois fico sem entender o que aconteceu com eles e isso é frustrante. Não sei muito da autora, porque só li um livro dela e faz algum tempo, e por não ter continuado não sei dizer sobre o fato dos personagens sumirem, mas te entendo. Gostei muito da escrita da autora, relamnete ri muito em vários momentos do livro e foi um romance bem gostoso de ler. Quero ler outros da autora e falam que essa trilogia está sendo maravilhosa, e espero logo conhecer

  • Michelle Lins de Lemos
    junho 14, 2020

    Sou suspeita pois amo os livros da Julia.
    Tô com altas expectativas nesse trilogia e curti muito a premissa de O Que Acontece em Londres .
    O mocinho com fama de assassino, acho que é a primeira vez que vejo.
    Amo também O humor. E esse parece que tem muito