Resenhas 11abr • 2018

Sem Fôlegopor Abbi Glines

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: Breathe
Gênero do Livro: Ficção, Romance
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2017
1º livro da série Sea Breeze
Número de Páginas: 272
Código ISBN: 9788580418019

Obs: Este livro foi cedido em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Com mais de 400 mil livros vendidos no Brasil, Abbi Glines é autora do best-seller Paixão Sem Limites e de diversos livros da lista de mais vendidos do The New York Times, do USA Today e do The Wall Street Journal. Sadie White acabou de se mudar com a mãe grávida para a cidade litorânea de Sea Breeze, mas seu emprego de verão não vai ser na praia. Como a mãe dela se recusa a trabalhar, Sadie vai substituí-la como empregada doméstica numa mansão na ilha vizinha. Quando os donos da casa chegam para as férias, Sadie se depara com ninguém menos que Jax Stone, um dos roqueiros mais desejados do mundo. Se Sadie fosse uma garota normal – se ela não tivesse passado a vida cuidando da mãe e dos afazeres domésticos –, talvez estivesse impressionada com a ideia de trabalhar para um astro do rock. Mas ela não está. Na verdade, é Jax quem fica atraído por ela. Tudo a respeito de Sadie o fascina, mas ele luta contra esse desejo: relacionamentos nunca funcionam em seu mundo e, por mais que ele queira Sadie, sabe que ela merece algo melhor. Conforme o verão passa, no entanto, essa paixão começa a deixá-lo sem fôlego – e é como se Sadie fosse a única pessoa capaz de lhe devolver o oxigênio. Será que o amor entre os dois pode superar as diferenças em seus estilos de vida? Jax e Sadie vão precisar respirar fundo e mergulhar nessa relação para descobrir.

Sem Fôlego foi um livro que me deixou bastante dividida, e eu não sei bem explicar para vocês como. Essa foi a minha segunda experiência lendo Abbi Glines, e eu queria muito dar uma segunda chance para a autora porque eu não gostei do primeiro livro dela que eu li. Sem Fôlego tem todo o clima de romance adolescente com astro do rock que eu estava acostumada a ler na minha adolescência, o que é muito bom porque eu realmente tenho uma queda por esses enredos, sabe? O que eu não estou sabendo lidar mesmo é com o Jax Stones. Parte de mim amou demais o personagem, mas a outra parte queria muito jogar um tijolo na cara dele.

O enredo de Sem Fôlego não é muito complexo e, talvez até um pouco dramático demais para o que deveria ser apenas um romance adolescente. Mas para a minha surpresa, Abbi Glines conseguiu criar uma atmosfera envolvente para os seus personagens e eu realmente consegui me identificar com a Sadie desde o primeiro capítulo. A única coisa que continua me incomodando é a falta de profundidade que a autora deixa passar. É como se o enredo não pudesse ir além do romance entre os personagens principais e tudo o que isso envolve – o que é realmente uma pena porque tanto Sadie, quanto Jax possuem histórias interessantes que poderiam muito bem ter sido incluídas no enredo.

“Adolescentes normais davam risada e flertavam pelas calçadas. Romances de verão não faziam parte da minha realidade, mas pareciam bem importantes por aqui. As meninas do Alabama e referiam aos turistas como “garotos do verão”. Nunca entendi isso direito, mas por outro lado, eu não era parâmetro.”

Eu consegui sentir a escrita de Glines um pouco melhor nessa nova série. Não sei se foi porque o enredo tinha mais haver comigo, mas eu acho que os diálogos fluíram muito melhor desta vez e os acontecimentos realmente faziam com que a história caminhasse, o que foi um grande problema que eu tive com a autora na minha última leitura dela. Outro ponto que eu ainda tenho que reclamar é a questão do desenvolvimento do enredo que, continua muito corrido, não dando tempo do leitor assimilar o que realmente está acontecendo entre os personagens do enredo – ainda espero encontrar um livro da Glines que não tenha esse problema.

Eu gostei muito da Sadie como personagem principal, apesar de eu ter os meus problemas com ela. Não sou muito fã dessas heroínas que são pobre coitadas, sabe? E mesmo Sadie mostrando ser uma personagem madura, capaz de lidar com todas aquelas responsabilidades, ainda assim ela tinha uma “vibe” de quem se sentia muito inferior as outras pessoas. Por outro lado, eu acho que o desenvolvimento dela ao longo do enredo foi muito bom. Eu realmente consegui ver a personagem crescer, principalmente ao que dizia respeito a Jax Stones – aliás, achei que a forma como ela lidou com tudo o que aconteceu muito racional para alguém que teve o coração estraçalhado. Ela está de parabéns por isso.

Jax Stones é uma pedra no meu sapato, não vou mentir. Minha relação com o personagem é uma montanha russa de “eu gosto de você” e “eu quero te agredir”. Ele tem as clássicas características de qualquer astro do rock que acha que pode ter tudo o que quer e, eu não acredito que ele realmente tenha tentado se afastar de Sadie, como ele afirma várias vezes no livro. O que me incomodou mesmo foi eu não conseguir sentir que ele estava realmente dedicado ao relacionamento dos dois. Por mais que ele demonstrasse todo um sentimento por Sadie, em grande parte do enredo eu senti que ele estava mais ausente do que realmente presente, e isso me deixou muito dividida em relação à ele.

“Era deprimente o bastante para ser uma tragédia de Shakespeare. A garota que nunca achou que se apaixonaria afinal se apaixona pelo único cara que ela jamais poderá ter. De alguma forma, estar sentada ali comparando a minha vida a uma peça de Shakespeare provava quanto eu havia me apaixonado.”

Quanto ao romance desse casal, eu realmente tenho muito a dizer. Fiquei surpresa com o fato de Glines realmente ter conseguido me convencer a shippar os dois, mas no começo do livro eu realmente achei que toda a relação foi forçar barra demais. Primeiro porque os dois quase não conversam antes de começarem a namorar. Sério, dá para contar nos dedos as duas – no máximo três – conversas que eles tiveram antes de decidirem viver essa “paixão arrebatadora”. Porém, eu tenho que admitir que eles são um casal interessante e tem uma certa química, o que acabou compensando essa pisada de bola na construção do romance.

Eu também gostei muito dos personagens secundários desse livro serem bem mais participativos do que normalmente eu percebo nos livros da Glines. Eu realmente achei que o Marcus fosse se tornar o nosso “vilão” do livro, mas gostei desse plot twist que a autora criou para ele. Também fiquei feliz de descobrir que ele é o personagem principal do segundo livro dessa série, e estou ansiosa para me aprofundar mais na personalidade dele. Além disso, eu quero fazer uma menção à Sra. Mary que foi uma personagem maravilhosa e eu não vou saber viver sem os esporros lindos que ela dava no Jax ao longo do livro – ganhou meu coração.

“Você é tudo sobre o que eu escrevo nas minhas canções, mas algo que nunca poderia ter.”

Um ponto que eu não posso esquecer de mencionar e um dos motivos de eu não ter dado pelo menos 4 estrelas para esse livro, foi o fato do relacionamento da Sadie com a mãe ter sido deixado completamente de lado pela autora. A mãe de Sadie estava grávida e basicamente não conseguia se virar sem a ajuda da filha – pelo menos é assim que Glines apresenta a personagem para os leitores, porém, depois que Sadie começa a se envolver com Jax, ela passa todo o seu tempo livre com o astro do rock e eu fico me perguntando como a mãe dela se virou nesse tempo todo. Além disso, não tivemos nenhum real conflito nesse ponto importante da história da Sadie, o que me deixou bem desapontada. Não criem plots que não serão importantes para a história, autores.

Sei que com todas as coisas que eu disse, parece que eu não gostei muito de Sem Fôlego mas, apesar dos pontos que me incomodaram no livro, a leitura foi bastante agradável. Eu, como qualquer outra leitura, adoro me enfiar em romances que tem astros do rock e tanto chamego que deixa a gente suspirando. No fim, Sem Fôlego é um ótimo livro para quem tá querendo ler alguma coisa diferente, mas que não seja tão complicada assim. Eu me diverti lendo e, talvez você também se divirta bastante. Ah! Não esquece de deixar nos comentários o que você achou da resenha e, me conta se você já leu os livros da Glines, tá?

Gostou da resenha? Então não esqueça de se inscrever na newsletter do blog para acompanhar os próximos conteúdos.

Débora Costa ver todos os artigos
Escritora melancólica nas horas vagas, publicitária hiperativa no dia a dia. Viciada em Oasis, uma eterna apaixonada por Beatles. Leitora compulsiva de livros de steampunk. Futura autora de um livro sobre viagem no tempo.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

9 Comentários

  • suzana cariri
    19 abr 2018

    Oi!
    Ainda não li nada da autora, mas já vi muitos comentários sobre sua historia, esse de todos os livros dela até agora foi o que me deixou mais curiosa para poder ler, gosto muito desse tipo de enrendo também, mas pelo que vi na resenha irei me irritar bastante com o Jax e queria que a autora se aprofundasse mais na historia !!

  • Iêda Cavalcante
    18 abr 2018

    Oiee!

    A Abbi já me decepcionou bastante, já li três livros dela e nenhum deles me prendeu, foi um parto terminar, demorei mais tempo que o normal porque achei tudo muito raso e fútil, quase uma foçação de barra sabe?
    Não sei se quero me aventura mais em seus livros, por enquanto minha resposta é não, mas não vou dizer nunca, vai que algo me faça mudar de ideia.
    Bjs!

  • Theresa Cavalcanti
    14 abr 2018

    Quando eu comecei a ler Paixão sem limites, eu me apaixonei por essa autora, mas acabou que quando fui lendo os outros livros da série passei a achar mais do mesmo e não consegui contar. Quero terminar a série mas acho q vai demorar um tempo pra eu arrumar coragem.

  • sara maia
    12 abr 2018

    “mas a outra parte queria muito jogar um tijolo na cara dele.” hahahahahaha morri de rir lendo isso!!

    eu nunca li nada dessa autora e, confesso que eu não sou muito ligada nessas histórias de romance… principalmente como tu falou, quando toda a narrativa é limitada pela relação das pessoas – só fica no romance e só. isso me incomoda muito. mas eu leria esse sim, só por ser um tema mais leve, mas ‘divertido’ 🙂
    ótima resenha!
    kissus!

  • Kleyse Oliveira
    11 abr 2018

    Hello Débora!
    Os únicos livros dela que li foi quase a coleção toda da série Rosemary Beach, e falar que gostei até da histórias. Deve ser pq amoooooo romances cheio de clichês hahahahaha esse livro novo dela eu não tive curiosidade de ler até pq vi resenhas com notas baixas sobre o enredo. Bjs

  • Vitória Pantielly
    11 abr 2018

    Oi Débora.
    Também achei uma pena a autora não ter trabalhado tanto mãe & filha, quase nenhuma resenha que li mencionava isso. Mas, eu estou bem curiosa pelo livro, primeiro porque gosto muito da escrita da autora e também porque amei o fato dela colocar uma personagem feminina na adolescência e com essa força toda. Mesmo não sendo considerado um dos melhores dela, eu gostei bastante da sua resenha e irei ler, sem dúvidas!
    Beijos

  • Pamela Liu
    11 abr 2018

    Oi Débora.
    Eu li a série Rosemary Beach e gostei bastante no geral.
    Acho a escrita da autora viciante e gosto muito dos personagens, mesmo que as tramas não sejam profundas.
    Ainda não li Sem fôlego, mas quero muito. Parece que nesse primeiro livro há algumas coisas que a autora pecou, mas parece uma boa leitura mesmo assim.
    Sadie e Jax parecem ter uma química ótima, mas realmente não faz sentido eles terem se apaixonado tão rapidamente se não conversaram antes.
    O relacionamento entre Sadie e a mãe não parece nada sadio. Mas também sentiria falta da aparição da mãe na história se ela dependia tanto assim de Sadie.
    Espero gostar da história.
    Beijos

  • Daiane Araújo
    11 abr 2018

    Oi, Débora.

    Esse romance um tanto quanto proibido entre patrão e empregada, ou seja, entre a Sadie e o Jax, com certeza resultaria na desaprovação das pessoas, diante de suas diferenças de vidas.

    E com certeza com o passar do tempo, essas diferenças irão vir à tona e o relacionamento deles será provado.

    E para a Sadie, ter uma grande responsabilidade sobre si, com certeza, não é fácil.

  • Lili Aragão
    11 abr 2018

    Oi Débora, curti demais essa resenha, pois ela apresentou pontos muitos importantes da história, entre os que você destacou como negativos fiquei mais receosa sobre a falta de exploração do plot da mãe, eu estava achando que isso seria importante na história :/ Contudo e mesmo com vários pontos que você destacou como que não te agradaram fiquei feliz que ao final você ainda o recomenda e quero sim ler e saber se vou sentir as mesmas emoções de amar e querer jogar um tijolo em Jax rsrs:D

  • O Usuário laoliphantblog não existe ou é uma conta privada.