Resenhas 12jan • 2019

A Sombria Queda de Elizabeth Frankensteinpor Kiersten White

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: The Dark Descent of Elizabeth Frankenstein
Editora: Plataforma21
Ano de Publicação: 2018
Número de Páginas: 352
Código ISBN: 9788592783846

Obs: Este livro foi cedido pela editora em parceria para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Elizabeth Lavenza não tem uma refeição decente há semanas. Seus braços magros estão cobertos de marcas de seu "cuidador", e ela está prestes a ser jogada nas ruas... até que ela é levada para a casa de Victor Frankenstein, um jovem solitário que tem tudo - exceto um amigo. Victor torna-se para Elizabeth a fuga da miséria. Ela faz tudo para se tornar indispensável - e isso funciona. Ela é aceita pela família Frankenstein e recompensada com uma cama quente, comida deliciosa e vestido da melhor seda. Logo ela e Victor são inseparáveis. Mas sua nova vida tem um preço. À medida que os anos passam, a sobrevivência de Elizabeth depende de controlar o perigoso temperamento de Victor e atender a todos os seus caprichos, não importa quão absurdos estes sejam. Através de seus olhos azuis e doce sorriso reside o coração de uma garota determinada a permanecer viva, a todo custo... assim como o mundo é consumido pela escuridão.

Nós adoramos uma boa releitura de clássicos aqui no La Oliphant. Então vocês já devem imaginar o quanto eu fiquei animado para a fazer a leitura de A Sombria Queda de Elizabeth Frankenstein. Eu não sabia exatamente o que esperar, mas queria que o livro me entregasse pelo menos uma homenagem bem feita para a história de Mary Shelley. Pois fico feliz em informar que Kiersten White conseguiu fazer isso, e muito mais.

Elizabeth Lavenza é adotada pela família Frankenstein. Além de servir de companhia para o jovem Victor Frankenstein, a função principal de Elizabeth é ajudar o garoto a lidar com seus acessos repentinos de raiva. Elizabeth entende que seu futuro depende da bondade da família Frankenstein e por isso, toma todas as providências para se tornar indispensável na vida de Victor. E a vida de Elizabeth fica ainda mais difícil quando Victor se aprofunda cada vez mais nas sombras.

“Palavras e histórias eram ferramentas para suscitar as reações desejadas nas pessoas, e eu era uma artesã experiente.”

 

Esse foi o primeiro livro da Kiersten White que eu li, apesar de já ter ouvido falar de outros trabalhos dela (principalmente da Saga da Conquistadora e do livro Slayer que eu preciso AGORA). A escrita dela me impressionou bastante, eu gostei muito da forma que ela conta a história através dos olhos de Elizabeth. Ela conseguiu manter um equilíbrio bem legal entre um estilo de escrita inspirado no livro original de Mary Shelley e no tipo de narrativa que o público atual está acostumado.

Elizabeth é uma protagonista muito interessante. No começo do livro, ela não me pareceu uma personagem particularmente fácil de gostar, mas ao longo do livro, fica claro exatamente o porquê de ela ser uma pessoa tão complicada. Ela é inteligente e manipuladora, exatamente porque é isso que ela precisa fazer para sobreviver. Desde o início da história, eu já estava com a sensação que o relacionamento dela com  o Victor não tinha como ser saudável e essa suspeita se comprovou muito ao longo da história.

Falando em Victor, eu já não fui com a cara dele desde o começo do livro, e isso não melhorou ao longo da história. Ele é uma figura complexa, que claramente ama muito Elizabeth, mas que usa esse amor para justificar as coisas horríveis que faz. Frankenstein sempre foi uma história sobre exatamente o que é que significa ser um “monstro” e a Kiersten White conseguiu dar continuidade a essa mensagem muito bem.

“Eu ansiava pela liberdade que tanto esperara. Ser livre do monstro. Ser livre dos segredos. Ser livre do medo de não ter nada.”

 

Eu não conheço tanto do livro original de Frankenstein como gostaria, então suspeito que alguns detalhes importantes possam ter passado despercebidos. Li em algumas resenhas que A Sombria Queda de Elizabeth Frankenstein talvez seja mais bem aproveitado por quem já tenha lido o livro de Mary Shelley, e eu não duvido que isso seja verdade. Apesar de achar que mesmo alguém que não leu Frankenstein possa gostar do livro (eu mesmo, por exemplo), tenho certeza que é uma experiência diferente quando você conhece bem a história original.

Uma coisa que o livro consegue retratar muito bem é o quanto era difícil ser uma mulher no século 18 (não que hoje em dia seja fácil, mas vocês sabem o que eu quis dizer). Ao longo do livro, vemos o quanto Elizabeth e outras personagens mulheres são menosprezadas e diminuídas apenas por serem mulheres. E principalmente nas partes finais do livro, vemos como mulheres que se rebelavam as expectativas que a sociedade tinha para elas eram taxadas como loucas.

A Sombria Queda de Elizabeth Frankenstein é uma releitura muito bem feita de uma das histórias mais clássicas da literatura. Kiersten White coloca o foco em uma personagem forte e complexa, e examina cuidadosamente quem é o monstro de verdade nessa história. Essa leitura me deixou ainda mais louco para ler Frankenstein, porque com certeza vou apreciar ainda mais os detalhes desse livro depois de conhecer mais a história original.

Vinicius Fagundes ver todos os artigos
24 anos. Formado em Publicidade e Propaganda. Viciado em histórias. Desconhecido mundialmente.

Posts relacionados

Comente com o Facebook

Comente pelo WordPress

12 Comentários

  • […] Sombria Queda de Elizabeth Fankenstein foi uma descoberta delícisa de 2019 e com todo o conteúdo que eu já coloquei aqui no blog sobre o livro, eu achei que seria legal presentear um dos leitores […]

  • […] Eu estou. O mais novo livro de Kiersten White tem ganhado o coração dos leitores brasileiros e, por ser a releitura de um clássico que todo mundo quer colocar na estante, eu achei que vocês iam gostar de conhecer um pouco mais sobre o que está por trás desse […]

  • Aline Bechi
    26 jan 2019

    Olá, tudo bom?
    É sempre interessante ler uma releitura conhecendo pelo menos um pouco da obra original, porém não saber todos os detalhes a fundos não estraga TANTO assim a experiencia.
    Eu não tenho tanto interesse na obra, mas fico feliz que tenha sido tão bom quanto você esperava.

    Beijos.

  • Luana Martins
    23 jan 2019

    Oi, Vinicius
    Não li a obra original de Frankenstein, mas tenho vontade de ler.
    Ainda não conheço a escrita de Kiersten White, mas li várias resenhas do livro e gostei muto do enredo.
    Por ser uma releitura estou vendo muitos comentários positivos sobre o livro de quem leu e não o original.
    Espero ter oportunidade para ler, amei essa capa.
    Beijos

  • Vitória Pantielly
    18 jan 2019

    Oi Vinícius,
    Eu também nunca li a história de Frankenstein, mas sempre achei interessante como ela aponta, de forma clara, o verdadeiro monstro.
    Bem, claro que uma releitura dessas seria difícil dar errado, mas também achei ótimo como a autora conseguiu montar um enredo cheio de críticas. Sabe o que Victor me lembra? Aqueles maridos que acham que dar comida e casa faz com que a mulher se torne propriedade deles. Lamentável…
    Sinto que é uma história bem forte, gostei, pretendo ler.
    Beijos

  • Maira Schein
    14 jan 2019

    Também nunca li Frankenstein, mas morro de vontade de ler esse. Apesar de ser uma releitura ele me chama mais a atenção que o original, sem falar nessa edição lindíssima!

  • Lara Caroline
    14 jan 2019

    Olá Vinicius.
    Eu já tinha visto este livro em um vlog de uma booktuber canadense, e não sabia que ele tinha sido publicado no Brasil. Assisti recentemente a um filme sobre a vida da Mary Shelley, e isso só me despertou a curiosidade de conhecer mais sobre sua obra.
    Quero ler esta releitura.
    Beijos

  • Alison de Jesus
    13 jan 2019

    Olá Vinicius!
    Releituras são bastante recorrentes na literatura, e achar algo realmente competente e original é um desafio para nós leitores. Felizmente essa obra cumpre exatamente o que propõe: uma nova perspectiva da obra de Shelley que expande o universo do Frankstein brilhantemente. É notório que a autora não poupa esforços para dotar a protagonista com a profundidade exigida, sem contar que um outro aspecto positivo é essa inclinação para o patriarcalismo vigente à época.
    Beijos.

  • Angela Cunha
    13 jan 2019

    Puxa, onde eu estava que não sabia da existência deste livro? Amo uma boa releitura, ainda mais quando ela é apresentada desta forma tão singular!
    Capa maravilhosa, aliás, a Editora tem caprichado demais nos seus lançamentos.
    Também não sei tanto de Frank(oh, estou íntima),mas morro de vontade ler o grande clássico, aquele sem tantas modificações.
    Por isso, esta história de Elizabeth parece tão fascinante!
    Com certeza, o livro vai para a lista de desejados!!!
    Beijo

  • Nil Macedo
    13 jan 2019

    Nossa, que delicia pegar livros assim. Releituras de clássicos que fazem muito bem o seu papel. Tamém não li Frankenstein mas vou ler logo principalmente porque agora fiquei curiosa para ler A Sombria queda de Elizabeth Frankenstein e quero poder aproveitar todos os detalhes com conhecimento.

  • Ycaro Santana
    13 jan 2019

    Eu nunca li Frankenstein e não tenho muita curiosidade, mas a resenha me deixou intrigado com a leitura antes da obra A Sombria Queda de Elizabeth Frankenstein. Gostei bastante da protagonista, a autora parece trabalhar uma evolução nela durante a narrativa e nos mostrar todo o seu potencial para se safar, mesmo com todos os problemas em sua volta.

  • Ludyanne Carvalho
    12 jan 2019

    Eu amo releituras.
    Eu não conheço quase nada sobre Frankenstein, então essa releitura seria quase que algo novo pra mim.
    Muito bom saber que a autora conseguiu criar algo completo.
    A capa é linda.

    Beijos

  • Siga o @laoliphantblogInstagram