24maio • 2020

Uma Loucura e Nada Maispor Mary Balogh

O livro no Skoob e no Goodreads.

Título Original: The Escape
Gênero do Livro: Romance, Romance Histórico, Regência
Editora: Arqueiro
Tradutor: Lúcia Brito
Ano de Publicação: 2019
3º livro da série Clube dos Sobreviventes
Número de Páginas: 272
Código ISBN: 9788580419733

Obs: Este livro foi enviado em parceria com a editora para resenha.

Comprar: Amazon

Sinopse: Depois de sobreviver às guerras napoleônicas, Sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e retomar as rédeas de sua vida. O que ele nunca imaginou era que essa esperança viesse na forma de uma bela mulher, que também já teve sua parcela de sofrimento.Após a morte do marido, Samantha McKay está à mercê dos sogros opressores, até que planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Como o cavalheiro que é, Ben insiste em acompanhá-la em sua jornada.Ben deseja Samantha tanto quanto ela o deseja, mas tenta ser prudente. Afinal, o que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Já Samantha está disposta a ir aonde o destino a levar, a deixar para trás o convívio com a alta sociedade e até mesmo a propriedade que é sua por direito, por esse belo e honrado soldado. Mas será que, além de seu corpo, ela terá coragem de lhe oferecer também seu coração ferido? As respostas a todas as perguntas talvez estejam em um lugar improvável: nos braços um do outro.

Eu amo o comprometimento da Arqueiro em lançar suas séries de romance de época. Eu nunca tenho que esperar muito tempo para colocar as mãos em uma continuação e eles sempre entregam um trabalho impecável quando se trata de tradução, edição e capa.

O Clube dos Sobreviventes tem sido a minha série de romance de época favorita da Mary Balogh. A atmosfera de soldados feridos e com corações partidos me conquistou bem mais do que eu estava esperando e a melancolia da narrativa apenas intensifica o teor romântico e erótico do livro.

Não tem nada que prenda mais um leitor de romances históricos do que a ansiedade de sabe se e quando os protagonistas vão se entregar definitivamente ao desejo e a paixão que nutrem um pelo outro e Mary Balogh faz isso muito bem em todos os livros desta série.

“Talvez esteja na hora de eu fazer algo imponderado e impulsivo. Talvez esteja na hora de eu assumir as rédeas de mina vida e, finalmente, vivê-la.”

Em Uma Loucura e Nada Mais nós temos uma heroína cercada por regras. Quando a sinopse diz que Sam está à mercê dos sogros opressores, ela realmente quer dizer isso. Tudo na vida dela é controlado, com quem ela fala, onde ela vai e até mesmo se as cortinas da sala podem estar abertas ou não. Uma prisão teria mais liberdade, provavelmente.

A verdade é que Sam só realmente ganha o leitor quando resolve ir embora da casa dos sogros atrás da própria família. Neste meio tempo, os flertes com Ben são a única coisa que dão vida a protagonista exausta da vida de reclusão. O grande truque de Balogh com esse livro é que você sabe que Sam tem mais o que mostrar, mas isso não acontece até que ela sai da casa dos sogros de tão… sufocada que ela está.

Ben, por outro lado, não me soou tão sedutor quanto eu gostaria. Não se tornou o meu sobrevivente favorito, mas confesso que ele tem o seu charme. Mas ele não é um libertino, ele é um cara que realmente sofreu com as consequências da guerra e embora deseje Samantha, existem muitas camadas impedindo que ele se entregue de verdade ao sentimento.

“- Costumamos presumir que a vida é muito mais fácil para os outros do que para nós mesmos. – disse ele. – Suspeito que raramente seja. Eu diria que a vida não foi feita para ser fácil.”

Um dos pontos que eu mais gostei nesse livro foi que, ao contrário da maior parte dos romances, Mary Balogh acabou dando um pouco mais de atenção ao emocional do nosso herói. Nós realmente vemos Ben se questionar e lutar contra essa atração que existe entre ele e Sam com medo de não estar fazendo a coisa certa para ela e para ele.

Mesmo os protagonistas não sendo os meus favoritos, eu gostei do romance em si – de como a autora o desenvolveu ao longo do livro. Uma Loucura e Nada Mais é um enredo que pede tempo para que os personagens se descubram e se libertem do próprio passado e fiquei feliz que a autora tenha respeitado esse tempo ao invés de forçar um romance de imediato.

Gosto que a parte erótica do livro não tenha sido apenas erótica. Havia uma entrega e desejo na relação dos nossos protagonistas e eles encontravam no sexo uma forma de expressar o que estavam sentindo e não poderiam dizem em palavras. Isso deu um toque de realidade para o relacionamento dos dois, o que foi muito bom para o desfecho em si.

Uma Loucura e Nada Mais não foi o meu livro favorito desta série, confesso. Os protagonistas são interessantes até certo ponto, mas não foi uma leitura que chegou realmente a me marcar. Ainda assim, o desenvolvimento dos personagens foi muito bem feito e a escrita de Mary Balogh com certeza é algo que sempre vai te deixar sem fôlego, quem lê com certeza sabe do que eu estou falando.

Tags: , , , ,

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Angela Cunha Gabriel
    maio 27, 2020

    Mesmo não tendo lido muitos livros da Mary, gosto demais das suas letras e nessa época ruim de pandemia, tão bom se jogar num romance de época.
    E pelo que li acima, adorei o que a autora trouxe nessa obra. Fiquei curiosa quanto a parte erótica..rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/O Vazio na Flor

  • Michelle Lins de Lemos
    maio 24, 2020

    Sou fã da Mary. Tô com A série aqui para ler.
    Percebi que a série tem uma vibe mais drama, diferente da outra série da Mary que li