Posts arquivados em: Tag: A Guerra que me Ensinou a Viver

Literaría 07maio • 2018

A Guerra Que Salvou Minha Vida: O Resto da História

Li uma resenha sobre meu romance, A Guerra Que Salvou Minha Vida, outro dia no Goodreads que me deixou com lágrimas nos olhos. Tentei encontrá-la hoje, mas não consegui achar… Tenho certeza de que conseguiria se procurasse de verdade, mas achei melhor não. Apenas acredite em mim, a resenha dizia algo do tipo… “Ada está com 86 hoje. Ela anda. Ela tem andado por muito tempo, desde que Susan conseguiu consertar seu pé no início da guerra…” e ela prossegue a resenha prevendo o que vai acontecer com Ada, Jamie e Susan.

Eu amei, porque, ao fazer a matemática eu mesma, percebi que a Ada está mesmo com 86 hoje. Ela tem a mesma idade que o senhorzinho gregário com quem falei no museu em Rye, cujo rosto ficou pálido e sério quando minha filha lhe disse que eu estava escrevendo um livro sobre os refugiados da Segunda Guerra Mundial. “Eu fui um dos refugiados”, ele disse. Leia mais

Lançamentos 13fev • 2018

A continuação da história da Ada finalmente chegou!

A Guerra que Salvou a Minha Vida ganhou um lugar especial no coração dos leitores brasileiros. A história da pequena Ada — que, com seu irmão caçula, deixou para trás sua casa em Londres para escapar dos bombardeios da Segunda Guerra Mundial — arrancou lágrimas, sorrisos e suspiros na mesma medida.

Com o coração repleto de esperança e afeto, a DarkSide® Books orgulhosamente apresenta A Guerra que me Ensinou a Viver, a emocionante continuação do livro de Kimberly Brubaker Bradley.
Após uma infância de maus-tratos, Ada finalmente recebe o cuidado que merece ao ter seu pé operado. Enquanto tenta se ajustar à sua nova realidade e superar os traumas do passado, ela se muda com Jamie, lady Thorton e Susan — agora sua guardiã legal — para um chalé em busca de um recomeço.

Com a guerra se intensificando lá fora, as adversidades batem à porta: o racionamento de alimentos é uma preocupante realidade, e os sacrifícios que todos devem fazer em nome do confronto partem corações e deixam cicatrizes. Outra questão é a chegada de Ruth, uma garota judia e alemã, que gera uma comoção no chalé. Seria ela uma espiã disfarçada? Ou uma aliada em meio à calamidade? Leia mais

Siga o @laoliphantblogInstagram