Posts arquivados em: Tag: Abbi Glines

Resenhas 11abr • 2018

Sem Fôlego, por Abbi Glines

Sem Fôlego foi um livro que me deixou bastante dividida, e eu não sei bem explicar para vocês como. Essa foi a minha segunda experiência lendo Abbi Glines, e eu queria muito dar uma segunda chance para a autora porque eu não gostei do primeiro livro dela que eu li. Sem Fôlego tem todo o clima de romance adolescente com astro do rock que eu estava acostumada a ler na minha adolescência, o que é muito bom porque eu realmente tenho uma queda por esses enredos, sabe? O que eu não estou sabendo lidar mesmo é com o Jax Stones. Parte de mim amou demais o personagem, mas a outra parte queria muito jogar um tijolo na cara dele.

O enredo de Sem Fôlego não é muito complexo e, talvez até um pouco dramático demais para o que deveria ser apenas um romance adolescente. Mas para a minha surpresa, Abbi Glines conseguiu criar uma atmosfera envolvente para os seus personagens e eu realmente consegui me identificar com a Sadie desde o primeiro capítulo. A única coisa que continua me incomodando é a falta de profundidade que a autora deixa passar. É como se o enredo não pudesse ir além do romance entre os personagens principais e tudo o que isso envolve – o que é realmente uma pena porque tanto Sadie, quanto Jax possuem histórias interessantes que poderiam muito bem ter sido incluídas no enredo. Leia mais

Resenhas 02set • 2017

O Último Adeus, por Abbi Glines

Eu não sei dizer exatamente o que eu estava esperando de O Último Adeus. Abbi Glines é uma autora que vem me sendo muito recomendada há algum tempo e, quando surgiu a oportunidade de conhecer um dos seus livros, eu não pude deixar passar. Porém, assim como outras autoras do gênero, Abbi Glines me apresentou um enredo cheio de clichês e diálogos que não faziam com que a história caminhasse da forma que eu imaginei que caminharia e, quando finalmente cheguei ao final do livro, a sensação que eu tive é que faltou muita coisa dentro de uma história que tinha tudo para ser muito emocionante.

O Último Adeus vai contar a história do River e da Addy, um casal que já possui um passado muito intenso, porém, por circunstâncias da vida, eles acabaram sendo separados um do outro e durante muitos anos, River acreditou que Addy estava morta. O impacto da perda do amor da sua vida foi muito grande, levando River a mudar seu nome para “Capitão” e tentar começar de novo em outro lugar. Quando fica sabendo que Capitão está contratando funcionários para seu novo estabelecimento, Addy resolve que é o momento de se aproximar do seu antigo amor. Disfarçada de Rose, ela quer conhecer o homem que River se tornou antes de deixa-lo voltar para sua vida. O que amos não esperavam era que ficar juntos novamente não seria tão fácil quando eles esperavam.

Em um primeiro momento, eu achei que o enredo de O Último Adeus seria carregado de emoção e de personagens que me envolveriam, porém, talvez por causa das poucas páginas do livro, Abbi Glines acabou não conseguindo entregar tudo o que a sinopse do livro promete. A narrativa do livro é feita em primeira pessoa, alternando o ponto de vista entre Addy e o Capitão e, apesar de conseguirmos ter a voz desses dois personagens, os capítulos curtos e a quantidade de flashbacks desnecessários tiraram um pouco da profundidade que eu queria ter tido dos personagens. Nós conhecemos muito sobre o seu passado, mas quem eles eram no presente ficou bastante vago durante a história.

“Ela era a principal razão da minha vida, para que eu lutasse. Cada batalha que lutei, cada erro que corrigi, foi por ela.”

O enredo é quase uma corrida de fórmula Um de tão corrido. Os capítulos são desorganizados e as cenas mudam de um ponto de vista para o outro nem nenhuma explicação. Acredito que a autora tenha tentando fazer um enredo com um ponto de vista de 360° dos personagens, mas a única coisa que eu vi foram cenas repetidas sendo contadas de um ponto de vista diferente e isso me deixou bastante frustrada com o livro. Eu tenho sérios problemas com autores que fazem ping pong com a mesma cena de um livro, trocando e destrocando o ponto de vista da narrativa a cada três páginas do livro – e Abbi Glines faz isso quase que o tempo todo em O Último Adeus.

Eu achei Addy uma personagem maravilhosa se formos considerar todo o seu background. Depois de tudo o que ela passou, me surpreendeu muito que ela ainda tivesse forças para continuar a viver. A história por trás da personagem era realmente emocionante e cheia de altos e baixos, mas ainda assim, eu senti falta de uma visão do presente. Eu queria muito entender melhor a pessoa que ela se tornou depois de tudo o que ela passou e como ela se sentia agora que estava tentando trazer de volta uma pessoa do passado que teve tanta importância na sua vida. Ela seria uma personagem ainda melhor se a autora tivesse explorado mais a sua personalidade.

“Era óbvio que minha risada havia provocado alguma coisa nele. Seu olhar fixo e a frieza em seus olhos me roubaram qualquer possibilidade de prazer. Aquele olhar podia acabar com a minha capacidade de sorrir.”

Não se enganem quanto ao romance do livro. É um copilado de todos os diálogos e cenas clichês que vocês conseguem imaginar. Eu realmente não gosto do estereótipo de cara pegador que não gosta de se envolver emocionalmente com ninguém, da mesma forma que eu não gosto da personificação da mulher rejeitada que acaba querendo separar o casal principal, que no caso de O Último Adeus, ganhou o nome de Ellen. As cenas de ciúme e insegurança são o cúmulo de aleatórias – acho que isso só foi colocado no enredo para ocupar página, considerando que o plot principal da história já era mais do que suficiente.

Acredito que se não fosse por todo o passado do casal principal, eu realmente não iria me convencer de que eles eram apaixonados um pelo outro. Não sei, acho que por toda a situação que a autora colocou, simplesmente me pareceu um romance forçado e não algo que aconteceria naturalmente caso eles tivessem se conhecido naquele momento. Talvez eu deva atribuir essa sensação ao fato do livro ser muito curto e dos personagens não terem sido tão trabalhados, mas ainda assim, eu acho que a Abbi Glines conseguiria entregar uma química muito melhor do que foi entregue em O Último Adeus.

Eu gostei de fazer a leitura de O Último Adeus, mas não foi nem de longe o que eu estava esperando da minha primeira experiência com Abbi Glines. Eu queria um romance que me envolvesse e que me deixasse presa em cada página do livro, mas ao invés disso eu encontrei uma história morna, com mais do mesmo que eu já havia visto em todos os outros livros do gênero. Espero mesmo que as outras séries da autora sejam mais interessantes do que O Último Adeus.

Gostou desta resenha? Então se inscreva na Newsletter do blog para acompanhar as novidades.

Lançamentos Notícias 20ago • 2017

Arqueiro lança o último livro da saga Rosemary Beach

Com 400 mil livros vendidos no Brasil, Abbi Glines é autora de diversos livros da lista de mais vendidos do The New York Times, do USA Today e do The Wall Street Journal.

Nan Dillon, a bad girl de Rosemary Beach, é uma garota imatura e egoísta que não tem outra preocupação na vida a não ser manter o corpinho perfeito. Só que Nan está longe de ser feliz: nunca teve o amor dos pais, o irmão adorado não tem mais tempo para ela, e Grant, o único homem de quem gostou de verdade, resolveu trocá-la pela meia-irmã dela.

Então, quando Major Colt a convida para sair, ela não pensa duas vezes. Apesar de saber que esse texano charmoso e de fala mansa não quer nada sério, ficar com ele é melhor do que estar com as colegas fúteis ou passar as noites sozinha vendo televisão.

Mas logo Nan fica farta do comportamento descompromissado de Major e, depois que ele a deixa plantada em casa mais uma vez, decide ir a Las Vegas para um fim de semana sem regras e sem limites. Lá, conhece Gannon, um empresário sedutor e perigoso que sempre diz exatamente o que ela quer ouvir.

Quando Major vai atrás dela implorar por uma segunda chance e Gannon mostra que não é tão perfeito quanto ela pensava, Nan tem que decidir a quem entregar seu coração. O que ela não percebe é que os dois têm uma estratégia de longo prazo para ela – e já estão várias jogadas à sua frente.

Comprar: Amazon | Saraiva | Submarino

Este conteúdo foi originalmente publicado no blog da Editora Arqueiro.

Siga o @laoliphantblogInstagram