Posts arquivados em: Tag: Adaptação

Cinema Notícias 09ago • 2017

Livro de Jenny Han será adaptado para o cinema

Os românticos de plantão já podem separar o dinheiro para a estreia de Para todos os garotos que já amei nos cinemas. O filme inspirado na trilogia de Jenny Han terá no elenco Lana Condor, de X-Men: Apocalipse, e John Corbett, de Casamento grego.

Noah Centineo, de The Fosters, dará vida ao personagem Peter Kavinsky; Janel Parrish, de Pretty Little Liars, será Margot, a irmã mais velha da protagonista, Lara Jean; Israel Broussard, de Bling Ring: A gangue de Hollywood, vai interpretar Josh; e Anna Cathcart será Kitty, a fofa irmã mais nova.

O filme será dirigido por Susan Johnson, e Sofia Alvarez ficará responsável pelo roteiro. As gravações já começaram em Vancouver, no Canadá, mas ainda não há data de estreia.

Para todos os garotos que já amei conta a história de Lara Jean, uma garota atrapalhada e ingênua, mas muito forte. Romântica, ela escreve cartas para os garotos por quem se apaixonou. Mas tem um detalhe: nunca as envia. Até que um dia essas cartas são misteriosamente enviadas aos respectivos destinatários, e a vida amorosa da personagem ganha outro rumo.

Comprar: Amazon | Saraiva | Cultura

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Este conteúdo foi retirado do blog oficial da editora Intrínseca.

Notícias 24maio • 2017

Extraordinário ganha data de estréia

Quem está querendo notícia boa para essa semana? Pois muito bem, venho por meio deste post confirmar que realmente haverá adaptação do livro Extraordiário, uma das leituras mais emocionantes que eu já fiz e se vocês ainda não leram este livro, acreditem quando eu digo que vocês precisam!

A adaptação de Extraordinário está oficialmente marcada para o dia 23 de Novembro deste ano e conta com um elenco maravilhoso tendo Jacob Tremblay, o ator mirim que ganhou o coração de todo mundo depois da sua atuação em “O Quarto de Jack”, no papel do August e a nossa eterna Pretty Woman, Julia Roberts, no papel da mãe do menino.

Não dá pra negar que essa adaptação vai fazer a gente chorar mais do A Culpa é das Estrelas, não é?!

A história do filme gira em torno de August Pullman, um garoto que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Os livros “Extraordinário”, “O Capítulo do Julian” e “365 Dias Extraordinários”, de R.J. Palacio foram publicados no Brasil pela editora Intrínseca.

Está publicação foi retirada do blog Livros e Citações. Para conferir a publicação original clique aqui.

Notícias 29abr • 2017

“Um Tom Mais Escuro de Magia” Vai Ter Adaptação?!?

Noticias animadoras no mundo das adaptações! A Sony comprou os direitos de adaptação de Um Tom Mais Escuro de Magia, da autora V. E. Shwab, e o ator Gerard Butler vai ser um dos produtores! De acordo com o Hollywood Reporter, a produtora do ator, G-BASE (que também produziu alguns filmes do ator, como Invasão a Casa Branca, e Invasão a Londres), vai fazer parte da produção do filme que ainda não tem previsão de estréia.

O livro, que faz parte de uma trilogia, conta a história de Kell, um mágico que tem a habilidade de viajar através de versões paralelas de Londres: A Londres Cinza, onde se acredita que a magia não existe; A Londres Vermelha, onde a magia é reverenciada; A Londres Branca, onde se luta para controlar a magia; E a Londres Negra, que não existe mais.

Os boatos indicam que a Sony ganhou os direitos de adaptação, que também estavam sendo disputados por outros estúdios como a Lionsgate e a Fox 2000. O estúdio estaria planejando produzir uma trilogia de filmes, e já estaria correndo atrás de um possível diretor.

Fonte: Hollywood Reporter

Imagem: The Social Potato

Notícias 09set • 2016

Eita, Shailene Woodley não estara na série pra TV de Divergente

shaileneAlgum tempo atrás, nós noticiamos aqui no La Oliphant que os estúdios Lionsgate tinha planos de concluir a série de filmes Divergente na TV, e não no cinema, na forma de um filme pra TV e de uma série spin off. O site de notícias Variety salientou que o filme concluiria a história de Tris, Quatro e dos personagens que já conhecemos e a série introduziria um novo grupo de personagens, e disse que não tinha informação se a protagonista Shailene Woodley faria parte desse novo projeto.

Bom, agora temos uma resposta. Em uma entrevista ao site Screen Rant, Shailene disse que “não está necessariamente interessada em fazer uma série de TV”. Ela disse que respeita que os estúdios tenham mudado de ideia sobre a direção do projeto, mas que ela não queria participar de um projeto pra TV. O ator Miles Teler, que interpreta Peter nos filmes, foi entrevistado pelo Hollywood Reporter e não confirmou nem negou sua participação na série.

shailene2

Vale ressaltar que Shailene negou participar da série, não do filme. Considerando que a série seria uma spin off com personagens novos (e levando em conta os acontecimentos do ultimo livro da série Divergente) não é surpreendente que ela não faça parte do elenco da série.

A série Divergente é baseada na trilogia de mesmo nome criada por Veronica Roth. Os livros contam a história de uma sociedade que é dividida em facções, baseadas nos traços mais dominantes das personalidades das pessoas. Os dois primeiros filmes da série, Divergente e Insurgente, foram sucesso de bilheteria, mas o terceiro, Convergente, acabou decepcionando.

Fonte: Screen Rant

Notícias 20jul • 2016

Série Divergente Será Concluída Na Televisão

ascendente-01

Notícia tensa pros fãs da série Divergente. O site da revista de entretenimento americana Variety divulgou nessa quarta feira, 20 de Julho, que o último filme da saga baseada na trilogia de Veronica Roth não será exibido nos cinemas. Ao invés disso, a conclusão da série será feita na forma de um filme pra TV, e de uma série spin-off, que seria exibida ou em um canal de televisão, ou em um serviço de streaming como a Netflix, indica um fonte próxima aos estúdios Liongate.

A notícia segue explicando que as gravações do último filme, até então intitulado A Série Divergente: Ascendente, seriam iniciadas durante o verão americano (ou seja, nos meses de Junho, Julho, e Agosto), e que o filme tinha estreia prevista para Julho de 2017. Mas a bilheteria desapontadora to terceiro filme da saga, Convergente, levou o estúdio a repensar a estratégia.

ascendente-02

Se a notícia se tornar realidade, o filme iria concluir a história dos personagens originais, Tris (Shailene Woodley), Quatro (Theo James), Caleb (Ansel Elgort), entre outros, e a série spin-off apresentaria um novo grupo de personagens, que continuaria a história do mundo pós-apocalíptico criado por Veronica Roth. Variety acrescenta que o estúdio ainda não ofereceu a proposta para nenhuma emissora de TV.

A série Divergente é baseada na trilogia de mesmo nome criada por Veronica Roth. Os livros contam a história de uma sociedade que é dividida em facções, baseadas nos traços mais dominantes das personalidades das pessoas. Os dois primeiros filmes da série, Divergente e Insurgente, foram sucesso de bilheteria.

Fonte: Variety

Notícias 19jun • 2016

John Green afirma que não haverá um filme de “Quem É Você, Alasca?”

john green

No seu perfil no Twitter recentemente, John Green afirmou que, até onde ele sabe, a adaptação de “Quem É Você, Alasca?“, seu romance de estréia, não vai acontecer. O autor de “A Culpa é das Estrelas” fez a declaração após ver um perfil compartilhando um poster fanmade do suposto filme, dizendo que “mal podia esperar”. John Green ainda disse que vendeu os direitos de adaptação para os estúdios Paramount em 2005, e que eles se recusam a vender-los de volta para ele.

“Já que isso tem tantos RTs, acho que devo dizer: Não vai haver nenhum filme de Quem é Você, Alasca? (pelo menos, que eu saiba).”

“Eu não tenho nenhum controle sobre os direitos de filmagem de Quem é Você, Alasca?. Até onde eu sei, Paramount (que tem os direitos) não tem planos de fazer um filme.”

O autor acrescentou também que não tem certeza se isso seria uma noticia ruim ou não, compartilhando um link para um post que escreveu em seu Tumblr, quatro anos atrás, antes da produção dos filmes de “A Culpa é das Estrelas” e “Cidades de Papel“.

No post, ele afirma que, apesar de gostar de assistir filmes, acha o processo de produção deles “horripilante e repreensível”. Acrescenta também que estava satisfeito com a vida de Quem é Você, Alasca? e que “as pessoas ainda estão lendo o livro pela primeira vez e o recomendando para os amigos, e ainda parecia um livro que as pessoas descobrem”.

Ele ainda diz que muitos dos leitores de seu livro sentem uma conexão intensa e particular com suas histórias e personagens. E que se o livro virasse um filme, “ele talvez fosse brilhante, e com certeza venderia muitos livros, mas os leitores inevitavelmente perderiam parte da conexão que sentem com a história”.

“Eu não sei se é uma notícia ruim se nenhum filme de Quem é Você, Alaska? seja feito. Eu escrevi isso antes de ACEDE, mas ainda acredito nisso”

Em parte, eu concordo com ele, afinal já tivemos diversos exemplos de filmes que não se mantem fiéis aos livros em que são baseados, e acabam desagradando os fãs que tanto esperaram para ver suas histórias favoritas nas grandes telas do cinema.

Por outro lado, os livros de John Green já tiveram duas adaptações, ambas que fizeram bastante sucesso, com os fãs e com o público geral. Quem sabe num futuro não tão distante, a Paramount não reconsidere e produza o filme, ou talvez decida vender os direitos de produção?

Essa não é a primeira vez que John Green fala sobre a possibilidade de um filme de “Quem é Você, Alasca?”. Em Janeiro desse ano, em um dos vídeos da série Question Tuesday, que faz no canal The Vlog Brothers, John respondeu a pergunta se haveria ou não uma adaptação.

Cinema 02jun • 2014

Divergente

*O texto abaixo contém spoilers do filme!

Divergente foi um filme que eu esperei ansiosa para ver nos cinemas, e ao mesmo tempo tive um pouco de medo da maneira que eles retratariam a série. Dirigido por Neil Burger (o mesmo diretor de O Ilusionista), o filme é narrado em um Chicago futuristica, onde Beatrice (Shailene Woodley) acaba de completar 16 anos e irá fazer um teste que a ajudará a escolher uma das cinco facções em que a cidade está dividida. Essas cinco facções são: Abnegação, Amizade, Franqueza, Erudição e Audácia. Cada uma dessas facções tem suas próprias características e ficam responsáveis por uma parte do sistema, como por exemplo, a Abnegação é responsável pelo Governo, já que são altruístas.

Os minutos iniciais do filme nos dão uma breve introdução de como se encontra a sociedade. Breatrice narra como são divididas as facções, e explica de forma superficial a situação da sociedade pós-guerra. E então temos o começo do filme, com a nossa personagem principal se preparando para o tão esperado teste junto com o seu irmão, que no filme é interpretado pelo Ansel Elgort.Divergente-12

O começo do filme é bem promissor, digamos assim. As ilusões do teste passaram exatamente a ideia descrita no livro, o que me deixou bastante satisfeita. Porém, alegria de leitor dura bem pouco, e as pequenas alterações no roteiro começam a deixar pequenos buracos na história. Vejam bem, Marcus é um personagem importante do livro, embora ele quase não apareça, ele é mencionado diversas vezes e você consegue perceber sua importância na sociedade de Verônica Roth, porém no filme, a importância do personagem foi deixada de lado, e ele foi mal introduzido na história, deixando os holofotes de “vilão” apenas para a personagem de Kate Winslet, Jeanine Matthews.

Então somos introduzidos ao universo da Audácia, facção escolhida por Beatrice, agora conhecida como Tris. Embora eles tenham retratado a facção da maneira como eu imaginei quando li o livro, as pontas soltas continuaram ao longo do filme. A amizade de Tris e Christina foi retratada de uma maneira completamente superficial, onde você conseguia ver que as personagens eram “unidas” por conta da situação em que se encontravam, mas amizade em si, não era percebida.  Além disso, Christina acabou não sendo o que eu esperava da “melhor amiga” da personagem principal, pelo contrario, Zoë Kravitz acabou sendo o completo oposto do que eu esperava.

A superficialidade dos personagens se extende por todo o roteiro. A relação entre Tris e Quatro simplesmente é jogada na cara do espectador, sem nenhuma boa explicação. O único momento em que você consegue perceber alguma demonstração de interesse por parte de ambos, é na cena em que Quatro deixa que ela conheça sua paisagem do medo, e ainda assim, a cena não é o suficiente para convencer de que os dois estão tendo um envolvimento romântico.

Senti falta de vários momentos do livro que eu julgava fundamental para que a história se conectasse com aqueles que não tiveram a chance de ler o livro. Mesmo Jeanine, uma personagem que eu julguei forte desde o começo do livro, teve poucas chances de mostrar suas reais intenções ao longo da história, e ao invés das mudanças cronológicas de roteiro favorecer a história, fizeram a personagem de Shailene Woodley parecer fraca e incapaz em boa parte da história.

Por fim, Divergente se desenvolve como esperado, apesar das pontas soltas ao longo do roteiro. É possível que muitas pessoas – aquelas que não leram o livro – sintam um pouco de dificuldade para entender como a sociedade da história é organizada, e principalmente, o porque da Erudição se voltar contra a Abnegação. É preciso lembrar que, apesar de ser difícil de acreditar, o filme vai muito além dos músculos definidos de Quatro (Theo James), e que apesar dele passar a sensação de ser apenas um cara bonito com um pouco de inteligência em combate, Quatro é um personagem de suma importância na história, e eu tenho esperança de que ele seja muito melhor explorado no próximo filme.

Senti falta da relação entre Christina e Tris, senti falta da relação de Quatro e Tris, senti falta de muitas coisas que no livro fazem você realmente imergir no universo de Divergente e sentir todos aqueles arrepios na pele quando as coisas começam a dar errado e você não pode simplesmente gritar com o personagem. Porém, na minha experiência de leitora, eu aprendi que não tem como contar 500 páginas de história em 2 horas de adaptação, e que – infelizmente – temos que as aceitar que algumas mudanças são necessárias.

O Usuário laoliphantblog não existe ou é uma conta privada.